Tomada de decisão: como o Sólides Gestão deixa o RH mais estratégico?

Tempo de leitura: 9 minutos

Sem tempo para ler sobre tomada de decisão? Dê play no áudio abaixo para ouvir o conteúdo!

A capacidade de agir rápido e conseguir impactar o resultado da empresa —mudando os rumos quando necessário — é um dos principais desafios na tomada de decisão. Todos os gestores já se viram diante de dados tendo que pensar em um caminho ou estratégia. Em tempos de exceção — com o vivido pela pandemia do coronavírus —, essa realidade é intensificada.

O departamento de recursos humanos sofre diariamente com a necessidade de tomar decisões rápidas, eficientes e qualitativas. É o RH quem tem capacidade de transformar em percepção humana e a necessidade econômica, por exemplo, trazendo números de uma análise demissional para suportar os cortes que o financeiro julga necessário.

A crise proporcionada pelo COVID-19 impactou diversos setores e dinamizou a necessidade de tomar decisões coerentes. Muitas empresas precisaram reorganizar todo seu planejamento estratégico e só é possível fazer isso — com qualidade — com a análise de dados e protagonismo do RH.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Quer entender melhor como o RH pode ser estratégico em momentos de tomada de decisão? Continue a leitura!

O que é preciso considerar em um momento de crise?

A capacidade de tomar decisões não é simples. Em um momento de turbulência e dificuldade, uma análise equivocada pode fazer com que a empresa desconstrua rapidamente o que vinha sendo alcançado ao longo dos anos. Por isso, é essencial encontrar um ponto de equilíbrio.

Nem sempre é fácil conseguir encontrar o meio da balança. Quando vivemos momentos de exceção — no qual não há uma referência histórica que nos ajude a suportar nossa análise —, fica ainda mais desafiador encontrar a medida certa para agir.

O contexto é fundamental para uma decisão coerente. Por isso, cada empresa tem um processo individual e exclusivo, considerando o setor que atua, os objetivos que visava alcançar, o impacto que está sofrendo com a crise etc. A agilidade na tomada de decisão precisa considerar todos os dados particulares.

Vale ressaltar que todas as empresas geram dados a todo momento. Independente do porte e do setor, cada etapa do processo de produção gera informações cruciais para estratégias e decisões de otimização e adaptação. 

O RH também faz parte dessa realidade. Cada colaborador é um conjunto de informações essenciais para a gestão de pessoas. O histórico como profissional antes e dentro da empresa, os resultados e a performance obtidos durante seu período como colaborador, as atividades que realizou como desenvolvimento individual etc. 

Todas essas informações são dados cruciais para a tomada de decisão. Durante a gestão de crise, o RH precisa participar de algumas definições difíceis de serem tomadas: demissão de colaboradores, realocação de fundos, reorganização do planejamento estratégico etc. Todas essas posições precisam ser embasadas e suportadas por dados, para não auferirem em prejuízos. 

Como acontece a construção para a tomada de decisão?

É importante ter em mente que toda tomada de decisão acontece por meio de um processo que envolve:

  • a descoberta do problema;
  • a análise do contexto;
  • o estudo dos números;
  • a elaboração de hipóteses;
  • a comprovação de uma tese;
  • o desenvolvimento de planos alternativos.

A partir dessa linha cronológica de fatos, podemos chegar a uma decisão mais efetiva e capaz de correlacionar com o nosso problema matriz. A agilidade para que aconteçam essas etapas, porém, pode variar. Em algumas situações, a capacidade de agir com rapidez é mais efetivo do que a própria proposta de solução.

Se o RH não conta com dados e informações para agir, ele pode ser ver de mãos atadas diante de alguma dificuldade. Será necessário tomar atitudes manuais, para levantar dados que deem suporte para a tomada de decisão. Esse processo alonga o tempo para a ação e, consequentemente, impacta negativamente os prejuízos gerados.

Em momentos como uma crise econômica, o RH precisa assumir o papel de protagonista. Para tanto, torna-se fundamental agir estrategicamente. Essa postura só é possível por meio da análise de dados.  Coletar, trabalhar e armazenar as informações coletadas de cada colaborador é fundamental para realmente promover uma gestão de pessoas.

Uma crise tem começo, meio e fim. A empresa deve, portanto, ter capacidade de promover análises preditivas que a prepare para os momentos de maiores dificuldades, projetando o fortalecimento e a recuperação do crescimento após as turbulências.

Nesse contexto, é fundamental uma estratégia de gestão de pessoas que contemple o curto — visto que as empresas precisam salvar o fluxo de caixa — e para o médio prazo — pensando na reconstrução e recondução ao crescimento. 

Como a tecnologia permite tornar minha empresa mais eficiente?

Em um momento de transição, tomar uma decisão precipitada pode afetar ou comprometer o crescimento futuro. Considerando a gestão de pessoas, quando acontece a demissão de um colaborador há o descarte de todo o valor investido para o desenvolvimento e performance do colaborador.

É preciso, portanto, ter uma análise mais profunda que permita uma percepção mais profunda. Independente do setor e do porte da indústria, tomar a decisão sobre pessoas é não é simples e precisa contar com o apoio e o suporte de ferramentas e tecnologia.

Em cenários de crise, a tecnologia tem uma taxa de retorno do investimento (ROI) muito positivo. Contar com softwares é uma maneira importante para conseguir recuperar e tornar a empresa mais eficiente, inclusive no RH.

As tomadas de decisão podem otimizar, adaptar e impactar a vida não apenas das empresas como das pessoas. Por isso, é fundamental ter em mente que decisão é um processo pautado em dados e não em aspectos subjetivos e não mensuráveis. Principalmente no RH.

Em uma empresa, os gestores são os tomadores de decisão. Eles precisam ser nutridos de informações que podem ajudar a cumprir a grande responsabilidade que é guiar os caminhos organizacionais. O RH pode ajudar em diferentes perspectivas, tais como:

  • na análise de desempenho dos colaboradores;
  • na adequação pessoal dos colaboradores — dificuldade com ambientes de estresse e de home office;
  • no mapeamento comportamental de toda a empresa;
  • na análise de eficácia dos processos.

O que o Sólides Gestão pode fazer para o RH da minha empresa?

O Sólides Gestão é uma plataforma completa de RH com Gestão Comportamental e People Analytics. Por meio desse software é possível conhecer as tendências comportamentais dos colaboradores, além de registrar, coletar, armazenar e cruzar dados em relação a gestão de pessoas.

Em uma empresa, para tomar a decisão sobre algum colaborador é fundamental que os líderes tenham todo o conhecimento histórico de cada funcionário. Um software completo é essencial para criar todo um acompanhamento do profissional, desde o momento da contratação até a análise de desempenho.

O Sólides Gestão na análise de performance

Ao levantar essa ficha, é possível cruzar as informações com a avaliação de desempenho e conhecer quem são os top performances da empresa — por exemplo.

Esse estudo faz parte dos processos de tomada de uma decisão em relação à necessidade de fazer algum tipo de demissão — em um momento de crise — ou fazer um plano de desenvolvimento realmente efetivo para os colaboradores de baixa performance.

Momentos de transição pedem para que o acompanhamento de desempenho seja mais próxima e contínua. Dessa maneira, os gestores podem fazer verdadeiros instrumentos de verificação de performance que dê um retrato verdadeiro de um intervalo de tempo menor.

Diante dessa verificação, a gestão pode tomar decisões a partir de melhorias e atividades para engajar melhor todos os colaboradores. Principalmente por considerarmos que cenário de crise traz realidades diversas e dinâmicas para toda a organização.

O Sólides Gestão na adequação das pessoas

O software tem em sua estrutura o Profiler, ferramenta que possibilita a análise do perfil comportamental de cada colaborador. Além de decifrar as tendências comportamentais, o Profiler Sólides oferece uma roda de competências indicando as capacidades e o grau de desenvolvimento.

Existem diversos índices que se complementam e oferece um retrato — rápido e eficaz — sobre o quanto precisará ser investido em treinamentos ou adaptações para melhorar a performance dos colaboradores.

Por meio dessa análise, é possível fazer uma engenharia dos cargos de forma mais eficiente, permitindo uma visão macra e sistêmica de toda a empresa. O software permite fazer uma análise em massa, ampliando a compreensão do RH sobre a empresa, podendo — inclusive — em atuar com remanejamentos internos.

Vale ressaltar que a recolocação de um profissional causa menos prejuízo para uma empresa que o aumento da taxa de rotatividade.

O Sólides Gestão na redução de custos

Na questão de redução de custos, o software de RH da Sólides tem a capacidade de impactar diretamente a vida das empresas. Em 2019, houve uma média de redução de 262 mil reais em todos os clientes do banco de dados da Sólides.

Isso acontece porque a ferramenta otimiza os processos de recrutamento e seleção, treinamento, desenvolvimento, análise de performance, clima organizacional e muitos outros. Além disso, a contratação mais coerente com os perfis necessários pela organização reduzem a rotatividade

A tomada de decisão é um processo recorrente e necessário para todas as empresas. Conseguir fazê-la de modo rápido e eficiente é resultado de economia. Para conseguir a melhor opção diante dos desafios propostos, a empresa precisa contar com tecnologia.

Se você quer elevar a qualidade na tomada de decisão da sua empresa e colocar o RH em um papel de protagonismo, cadastre para fazer o teste grátis do Sólides Gestão! 

0 0 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments