Teste de raciocínio lógico: o que é e como aplicá-lo no processo seletivo

Tempo de leitura: 9 minutos

Sem tempo para ler sobre Teste de raciocínio lógico? Aperte o play para ouvir este artigo!

Um dos desafios mais temidos entre os candidatos, mas que tem sido cada vez mais determinante na hora de escolher os profissionais certos para ocupar cargos é o teste de raciocínio lógico. Por meio da interpretação e resolução de questões que envolvem a lógica, o profissional demonstra sua capacidade analítica e racional em meio às situações.

Trata-se de um exame muito importante para as empresas conseguirem filtrar os candidatos de mais alto nível e a capacidade que eles têm de resolver problemas. Além disso, esse tipo de teste eleva o nível do processo de recrutamento e seleção, já que etapas que apenas analisam as competências técnicas nos currículos já estão ultrapassadas. 

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Continue a leitura deste post para entender melhor sobre o assunto e saiba como aplicar um bom teste na sua empresa!

O que é raciocínio lógico? 

Trata-se do modo de pensar os problemas de maneira racional, lógica e coerente, com o objetivo de analisar, argumentar, testar e justificar o porquê daquele raciocínio. Ter um bom raciocínio lógico requer organização de pensamento, por isso, essa é uma ótima forma de selecionar candidatos ideais para determinados cargos.

Saiba que, apesar de existirem três tipos de raciocínio lógico — dedução, indução e abdução — a essência é deduzir, analisar e comprovar a exatidão de uma afirmação utilizando a lógica, pois o argumento deve ser fundamentado por meio de fatos e dados. 

Ainda que muitos candidatos tenham receio das questões que envolvem esse tipo de estratégia, é bom saber que essa é uma habilidade que pode ser aprendida com treinamentos e resoluções de exercícios de lógica e argumentação. Ao longo do conteúdo, daremos dar dicas de como esse teste pode e deve ser conduzido com os candidatos.

Qual a importância de fazer um teste no processo seletivo?

Durante o teste de raciocínio lógico o candidato está diante de uma situação na qual deve demonstrar sua capacidade de interpretação, tanto do texto quanto do problema, além da capacidade de analisar as possibilidades e pensar na resolução das questões de forma lógica.

Ainda, por meio do exame, será possível demonstrar como o candidato organiza suas ideias e como toma decisões em um curto período, já que as provas têm um prazo para serem realizadas. Assim, ele mostrará a forma como age diante das situações que lhe causam estresse ou ansiedade e como lidará com isso no trabalho.

Por isso, um profissional que conta com um bom raciocínio lógico tende a ser mais estratégico para uma empresa, pois ele sabe resolver problemas e consegue apontar de que maneira os resolverá. 

Além disso, adotar essa espécie de exame também contribui para que a companhia analise as soft skills do candidato, que nada mais são que as habilidades comportamentais do indivíduo e, ao contrário das capacitações técnicas ou hard skills, elas são inerentes do perfil do profissional. 

Exemplos disso são a capacidade analítica, a calma, a aptidão por resolver problemas, o senso de urgência, a maneira de ver as situações de forma mais abrangente, entre outros.

Como funciona o teste de raciocínio lógico? 

Muitas vezes, o teste é utilizado já nas primeiras fases dos processos seletivos, para distinguir os candidatos que têm melhor capacidade lógica. Em outros casos, em empresas que contratam muitos engenheiros ou profissionais que lidam diretamente com problemas que envolvem a lógica, os exames costumam ser mais aprofundados e aplicados no final da seletiva.

O que é e como testar o raciocínio dedutivo e de inferências? 

Testar o raciocínio por meio da capacidade de dedução ou de inferências quer dizer afirmar se uma questão é verdadeira analisando uma informação que tem ligação com outras, que foram tidas como verdadeiras ou falsas. Ainda, é a habilidade de partir de um pressuposto para chegar a outro.

Entenda como exemplo a seguinte questão: Todo vertebrado tem vértebras. Os cães são vertebrados. Logo, o cachorro tem vértebras? Considerando a lógica dedutiva do enunciado, a resposta é sim, pois inferimos que se vertebrado tem vértebras e cães são vertebrados, então, cães têm vértebras. 

O que é e como testar o raciocínio indutivo? 

Outro tipo de teste muito comum em processos seletivos é a análise do raciocínio indutivo do candidato e esse formato é bem parecido com o anterior. Mas aqui a lógica é a repetição, ou seja, se um fato se repete várias vezes, ele nos induz a acreditar que é uma regra ou uma verdade, e que se repetirá.

Para elucidar, certamente, você já se deparou com algum teste em que havia figuras geométricas, como mostramos abaixo, em que foi necessário raciocinar qual seria a continuidade por meio da indução do que havia sido representado nas imagens, certo? Elas seguem um padrão determinado, com preenchimentos que variam de acordo com uma sequência preestabelecida.

Qual a importância da nota nas provas de lógica?

A nota no processo seletivo é capaz de identificar várias informações sobre um candidato — um profissional aparentemente nervoso no início do teste, mas que teve uma boa pontuação na prova de lógica — podendo indicar que o indivíduo sabe controlar as emoções, organizar suas ideias e associar as informações de modo que consiga terminar seu desafio.

O contrário também é válido. O profissional pode aparentar tranquilidade, mas internamente estar bastante ansioso e não conseguir realizar o teste, fazê-lo de modo superficial ou, ainda, ir muito mal. Por isso, cabe ao avaliador identificar essas situações e, caso necessário, conversar com os profissionais de forma individualizada.

Quais as vantagens do teste de raciocínio lógico?

Lembra que mencionamos sobre o fato de que o candidato que tem um bom raciocínio lógico se torna mais estratégico? Isso acontece porque a empresa que decide contratar profissionais com esse perfil tem vantagens competitivas ao usufruir do pensamento mais analítico desse colaborador.

Outro benefício é que, além da empresa conseguir realizar processo de recrutamento e seleção de mais alto nível e fugir da superficialidade — como triar currículos em busca de palavras-chave, realizar dinâmicas em grupo e marcar entrevistas com os gestores —, o teste de raciocínio lógico possibilita fazer contratações mais efetivas e focadas no cargo.

Indo um pouco além da questão da importância de fazer contratações mais certeiras, podemos exemplificar uma série de benefícios para a empresa: 

  • diminuição do turnover
  • melhor produtividade; 
  • bom clima organizacional; 
  • mais agilidade na hora de resolver problemas em meio às crises.

Quais os tipos mais comuns de testes aplicados?

Quanto à forma de aplicação e tipos mais comuns de testes, de modo geral, existem diversas opções. Alguns, podem envolver questões mais voltadas ao raciocínio lógico sem a necessidade da realização de cálculos matemáticos e mais focados em identificar a habilidade do candidato pensar de forma linear, tendo clareza de ideias para resolver os enunciados.

Ainda, esse tipo de teste visa identificar o raciocínio apenas na análise de informações abstratas e na capacidade do profissional aplicá-las. Existem, também, os exames que envolvem a matemática pura e simples para resolução de problemas lógicos. Sendo assim, é ideal saber quais são os tipos indicados para o perfil da sua companhia.

Quais são os exemplos de questões para aplicar? 

Falamos em lógica dedutiva e indutiva, que são os tipos mais comuns encontrados nos testes de raciocínio lógico, selecionamos questões padrões como exemplos para você se inspirar: 

1. “Se Ana estuda, então Camila chora”. A negação dessa proposição é logicamente equivalente a:

a) Se Ana não estuda então Camila não chora;

b) Ana não estuda ou Camila não chora;

c) Ana não estuda e Camila não chora;

d) Ana estuda e Camila não chora;

e) Ana estuda ou Camila não chora.

A resposta correta é a letra D, pois uma negação mantém a primeira sentença (“Se Ana estuda”) e nega a segunda (“então Camila chora”).

Entenda que as questões que envolvem sequências lógicas, equivalências e probabilidades são as mais comuns em testes desse tipo. O mais importante para aplicação é entender qual é o perfil da empresa e o que se busca, de fato, com aquela contratação.

Como o candidato deve se preparar para um teste de raciocínio lógico? 

Existem pessoas que nascem mais aptas a lidar com questões lógicas do que outras ou desenvolvem essa habilidade ao longo da vida. No entanto, esse tipo de raciocínio pode ser aprendido com exercícios, treinamentos e até jogos de memória e outros que promovam o pensamento racional. Veja algumas dicas para apresentar aos candidatos:

  • praticar com frequência para se acostumar com o modelo de questão;
  • acompanhar a resolução dos problemas apresentados;
  • concentrar-se para obter clareza de pensamento durante o exame;
  • entender como é a empresa antes de fazer o processo seletivo. 

Por fim, ressaltamos que o teste de raciocínio lógico está entre os mais adotados pelas empresas e os que mais entregam resultados fidedignos sobre a qualificação do candidato. Logo, é importante que a companhia invista nessa ferramenta de forma estratégica, visando tirar o máximo proveito dela para o sucesso da contratação.

Gostou de entender um pouco mais sobre a importância da lógica para o recrutamento de uma empresa? Aproveite e confira  dicas de outra técnica de seleção: a entrevista e seus diferentes tipos

4.7 3 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rosalba Scartezini Martins
Rosalba Scartezini Martins
3 meses atrás

Adorei a matéria. Gostaria de receber mais sobre RH. Grata

Giuliano Sales
Admin
2 meses atrás

Ei, Rosalba. Agradecemos demais o feedback!
Faça a sua assinatura da nossa newsletter para receber conteúdos direto na sua caixa de entrada do e-mail.
Abraços.