7 tendências de RH para você investir em 2018

Tempo de leitura: 6 minutos

A cada ano o setor de RH é surpreendido com diversas novidades. Seja para agilizar processos, modernizar tarefas, aumentar a eficiência da tomada de decisões ou, até mesmo, para tornar a rotina de trabalho do colaborador cada vez mais agradável. O fato é que novas tendências em Recursos Humanos surgem a todo o momento.

Como temos feito nos últimos anos, vamos listar aqui as tendências que consideramos mais interessantes para você investir em 2018. Acompanhe!

1. Otimização da experiência do colaborador dentro da empresa

A Employee Experience, termo em inglês utilizado para denominar a experiência do colaborador, vem ganhando cada vez mais espaço no mercado moderno. Se em 2017 esse tópico já era bastante significativo, em 2018 ele passa a ser foco principal do departamento de RH.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

É certo que tudo contribui de alguma forma para a experiência do colaborador dentro da empresa. Lanches gratuitos, possibilidade de trabalhar remotamente e muitas outras “comodidades” acabaram sendo agregadas à rotina de trabalho desses profissionais.

Entretanto, existem alguns outros pontos capazes de influenciar ainda mais uma Employee Experience de qualidade. Um exemplo disso é o emprego de ferramentas de gestão tecnológicas eficientes que ajudam os profissionais a realizarem seus trabalhos de forma mais rápida e bem-feita. Essas ferramentas incluem aplicativos, softwares de treinamento online e qualquer outra tecnologia que possa beneficiar a realização de alguma tarefa e ainda tornar a vida do colaborador mais agradável.

Por isso, em 2018 pesquise e implante novas tecnologias em sua empresa, sempre se preocupando com o bem-estar da sua equipe e com a qualidade da rotina de trabalho.

2. Uso da contratação “cega”

O mundo não tem espaço mais para preconceitos e diferenciação entre as pessoas. O fato é que em muitas empresas essa realidade ainda é discutível. Era bastante recorrente a reclamação de profissionais que sofriam discriminação por conta do gênero, classe social e, até mesmo, local de moradia.

Logo, uma iniciativa surgiu em países como Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido e Suécia, com o objetivo de eliminar a discriminação na hora de contratar os novos colaboradores: o currículo cego. A tendência é que em 2018 essa novidade ganhe bastante força e mais empresas pelo mundo passem a adotá-la.

No currículo cego, a empresa não tem acesso a qualquer informação pessoal do candidato (nome, gênero, idade, endereço etc.). Um software é utilizado na triagem dos documentos e coloca esses dados no modo anônimo. Com isso, as organizações fazem seleções apenas pelas qualificações e formação, garantindo menor interferência dos recrutadores.

A ideia é trazer mais diversidade para dentro das companhias. Aliás, os resultados da iniciativa mostram que melhores ideias são desenvolvidas, afinal, a capacidade inovativa cresce, o que reflete também no aumento dos resultados financeiros.

3. Oferta de benefícios exclusivos para se destacar no mercado

Foi-se o tempo em que os benefícios tradicionais oferecidos pelas empresas eram suficientes para atrair e reter grandes talentos. Hoje em dia, diversas organizações estão surgindo com novas ideias de benefícios com o objetivo de se destacar no mercado e chamar a atenção de potenciais candidatos.

Esses benefícios podem ser diversos, variando desde mensalidade de academia, assinatura na Netflix e até seguro de saúde para animais de estimação. Aliás, existem empresas que apostam na mudança do próprio ambiente de trabalho para motivar os colaboradores e otimizar a produtividade deles. Todas essas ações dependem da criatividade, do orçamento e da disposição do seu departamento de RH.

4. Colocação do colaborador como protagonista

Não são só os benefícios que mostram como as empresas têm se preocupado cada vez mais com os colaboradores. Nos próximos anos o RH passará a conferir mais autonomia aos profissionais. Será uma espécie de reinado do candidato engajado.

A ideia é que por meio da tecnologia implementada o RH tenha mais habilidade para direcionar feedbacks e delegar funções. Consequentemente, os profissionais passam a ter mais segurança e confiabilidade para realizarem o trabalho, ganhando assim um papel de protagonista no processo de tomada de decisões.

Para torná-los mais engajados, o RH precisa aperfeiçoar os processos de feedbacks, provendo-os mais vezes durante a jornada do profissional. A mudança não está apenas na periodicidade, mas também no maior direcionamento, visto que o departamento poderá contar com ferramentas de armazenamento de informações que o ajudarão no processo, mostrando como tem sido realizado o trabalho.

5. Rotina de treinamentos online também para os profissionais de RH

Muitas vezes o RH de uma empresa foca muito em treinamentos para os colaboradores dos demais setores e acaba se esquecendo de investir na capacitação dos profissionais dentro do próprio departamento de RH.

Como o ano de 2018 traz consigo diversas novidades para os Recursos Humanos das empresas, a capacitação desses times é imprescindível. Invista em Learning Management Softwares (LMS) e torne a sua equipe de RH capaz de calcular, por exemplo, a produtividade dos colaboradores por meio da análise de dados gerados ao longo do tempo.

6. Ampliação no uso de dados

O uso de dados no RH já é uma realidade em muitas empresas. No entanto, a tendência para o próximo ano é que a utilização seja aperfeiçoada e inserida em mais contextos organizacionais.

Isso quer dizer que o trabalho do setor será embasado em Big Data, a análise de dados, atingindo vários processos realizados pelo RH. O People Analytics, por exemplo, tende a crescer. O método analisa comportamentos dos colaboradores a fim de melhorar a performance deles, mas também promove o alinhamento das habilidades desses profissionais de acordo com as demandas organizacionais.

Mas não é só isso. O RH conseguirá obter melhores insights sobre a atuação dos colaboradores, individualmente e em equipe, e o custo-benefício das ações implementadas (treinamentos mais alinhados às demandas), tornando assim o ambiente organizacional mais aberto, ágil e produtivo, além de otimizar o desenvolvimento dos talentos.

7. Ambiente de trabalho cada vez mais informal

A entrada das gerações mais recentes no mercado de trabalho está mudando toda a dinâmica do ambiente empresarial. Em 2018, a valorização de ambientes mais jovens e descontraídos crescerá ainda mais. Esses locais oferecem espaços para trabalhar, interagir e relaxar durante os intervalos.

Isso significa que as empresas que querem se tornar atrativas para talentos das gerações mais recentes estão sendo obrigadas a adaptar seus espaços com o objetivo de torná-los mais receptivos e informais. Dessa forma, cabe ao departamento de RH enxergar qual é o tipo de candidato que a organização deve ter como foco e, além disso, quais são as mudanças realizáveis, dependendo do contexto da companhia.

Agora que você sabe um pouco mais sobre as tendências em Recursos Humanos em 2018, deve ter percebido a importância dos colaboradores para a efetivação dessas ações. Por isso, convidamos você a baixar o nosso infográfico sobre perfil comportamental. Vamos lá!

calculadora-produtividade


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of