Tecnologia para RH: você está pronto?

Tempo de leitura: 7 minutos

A tecnologia e os novos paradigmas na área de recursos humanos são, em muitos aspectos, assombrosos. Juntos, esses novos processos e ferramentas podem mudar completamente o modo com que o RH funciona e levar esse departamento, antes desvalorizado e colocado como um prestador de serviços necessários, a um novo nível.

Mas antes de tudo isso acontecer, é preciso perguntar: você está pronto?

Pode parecer até cruel, mas talvez seu RH não esteja pronto para mudar da água para o vinho. Contudo, ele pode passar antes pelo suco de uva. Mudar é imprescindível, e você precisa saber o mais urgentemente possível o quanto pode mudar, e quão rapidamente poderá fazê-lo.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Tecnologia

Esse tem sido o ponto de discussão maior no meio empresarial, no que se refere ao RH. As empresas querem que tal departamento ofereça a seus dirigentes mais tecnologia, mais acesso, inovações frequentes e ferramentas de consulta e avaliação em tempo real. Entretanto, elas precisam investir.

Você deve, claro, sempre pressionar a organização por verbas que possam assumir o encargo dessas melhorias, mas especialmente em um momento de crise como o atual, a grana é curta. Assim sendo, você terá de trabalhar com limitações. Sim, pode ser que do ponto de vista profissional seu departamento esteja preparado para lidar com novos sistemas e softwares, mas você terá de modular isso conforme os recursos financeiros de que dispõe.

Assim sendo, a única saída é priorizar. Como? Perguntando-se onde novas tecnologias poderiam gerar maior retorno em termos de tempo para seus colaboradores e resultados comprováveis financeiramente para a empresa.

Não dá para implementar tudo ao mesmo tempo, porém algumas ferramentas podem auxiliar problemas que você enfrenta hoje no RH e contornar desafios que parecem impossíveis no curto prazo, mas podem ser viáveis com o uso de inovações.

A tecnologia não é uma barreira jamais, porém para usá-la você precisa geralmente de capital e treinamento, e por isso a priorização é um mal necessário. Além disso, estar pronto para tecnologias novas é algo que exige de você e sua equipe:

  • Preparação técnica em novos softwares e plataformas;
  • Rapidez de adaptação e flexibilidade frente a mudanças;
  • Trabalho em equipe;
  • Organização e foco nos resultados, não nos procedimentos.

Mas a tecnologia não é a única coisa que está fazendo com que o RH mude. Além dela, uma de suas principais consequências já vem sendo sentida em todas as empresas, quer elas possuam ou não altos níveis de tecnologia em sua gestão de pessoas.

Orientação a resultados

O RH moderno precisa respirar e viver de resultados. Reações a problemas com pessoal e o arroz com feijão de contratações e demissões não mais constituem a razão de ser de um departamento pessoal.

Agora o RH precisa não apenas atingir metas pontuais e sem sentido, como número de contratações. O RH precisa relacionar seu trabalho com o desempenho, a performance, a produtividade e os resultados da empresa globalmente falando. Em outras palavras, precisa mostrar que seu trabalho vale dinheiro.

É até mesmo arrepiante falar desse modo para alguns tradicionalistas da área de RH, mas a verdade é que as empresas hoje querem que o trabalho de recursos humanos possa impactar de maneira clara nos resultados da empresa. Cada ação e cada programa precisa possuir viabilidade técnica, econômica e apontar para melhorias que sejam comprováveis no futuro. O que é tendência, ou obrigatório, não faz mais parte do que se espera de um RH – até porque, nos dois casos, não se trata de mais do que rotina.

Tudo o que é tendência ou é legalmente obrigatório em termos de pessoas e trabalhadores precisa, de um modo de outro, ser cumprido – isso agora é commodity, e um RH que foca seus esforços nesses dois pontos está minando sua própria valorização. Criar uma gestão inovadora em RH, com resultados, exige um pouco mais do que isso.

Mobilização e ideias

É preciso mobilizar os quadros da empresa de modo que as pessoas saibam que suas ideias e suas pequenas sugestões do dia a dia podem, de fato, criar mudanças e gerar mais produtividade e ganhos não apenas para a empresa, mas também para elas mesmas e seus colegas.

Avaliação e triagem

É preciso criar estratégias para triagem e implementação das ideias de destaque sim, porém sem descuidar dos demais funcionários e colaboradores.

Experiências e testes

O RH precisa também operar sensibilizando lideranças e mesmo a direção das empresas, de modo a criar ambientes que permitam a experimentação. Experiências e inovações ainda têm uma carga de “risco” na cultura empresarial brasileira.

Formação de equipes

Não há gestão inovadora sem variedade e diversificação, e seu RH precisa saber que essa também é uma verdade na hora de constituir e montar equipes.

A perseguição de resultados depende de um ambiente sempre aberto a ideias e a novas experiências, mas também depende de uma liderança consistente, o que nos leva ao próximo item que deve ser avaliado para sabermos de o seu RH está pronto para mudar.

Liderança e comando

Aquele antigo chefe semiditador e déspota é uma figura que está no passado, e nele deve ficar. Gerir um RH hoje exige, até por se tratar de uma área que lida com pessoas, mente aberta, um perfil relacional forte e bom desenvolvimento em competências sociais.

Sem isso, muitas das diretrizes que orientam um RH moderno se veem prejudicadas. A comunicação e a tolerância são itens indispensáveis e cada vez mais valorizados nas empresas, e com o RH a coisa é ainda mais forte.

A liderança que se comunica não apenas cria horizontes para equipes de RH mais coesas e que têm mais competência. A formação e a manutenção das equipes por meio de lideranças capazes é uma prioridade para o RH de hoje, começando internamente.

O poder de gerar novos gerentes, chefes, diretores, saiu das mãos de outros departamentos e virou uma responsabilidade técnica do RH. O sucesso, nesse caso, é o desenvolvimento de lideranças dentro da própria empresa, tendo por base o material humano que nela se encontra.

Mas afinal, estou preparado?

Bem, sempre estamos preparados para alguma mudança, talvez não para tudo o que queremos mudar. O mais importante é saber que modificar seu RH significa estar preparado, mas que é possível ir por partes.

Por muito tempo, alguns departamentos de RH foram verdadeiras pedras no sapato de corporações ou partes delas – quase como um “inimigo interno”, um departamento disposto a  criar dificuldades para o lucro, para o crescimento e para a produtividade.

Nos dias de hoje, o RH precisa assumir uma figura protagonista. Não, não é fácil, mas é necessário e indispensável. O preparo começa agora, não importa em que estágio ou escala de desenvolvimento seu RH possa estar. A direção para onde caminhar é uma só: rumo ao futuro.

Parte das decisões relacionadas a essas mudanças hoje surgem diretamente no RH. De um lado, o departamento trabalha o moral e a cultura dos colaboradores para que as mudanças sejam compreendidas e vencidas, mas de outro lado, as próprias mudanças ocorrem com base em informações e definições propostas pelo RH.

As mudanças ocorrem a todo momento nas empresas – antes impostas, hoje elas precisam de gerenciamento e planos de contingenciamento. Finalmente as empresas se tocaram dos aspectos negativos que mudanças podem gerar  na produtividade e nos resultados – e isso criou uma janela de oportunidade que o RH não pôde jogar fora.

 


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of