Como manter a saúde mental durante a quarentena?

Tempo de leitura: 7 minutos

Em tempos de isolamento social — causado pelo novo coronavírus — é importante pensarmos sobre os efeitos para a saúde mental durante a quarentena. Estamos fechados em nossas casas não é algo natural para os seres humanos. Embora muitos prefiram a estadia de seu lar, o cerceamento de liberdade torna-se uma dificuldade real.

Na Grécia Antiga, o filósofo Aristóteles afirmou: “o ser humano é um animal político”. A frase não se relaciona ao que temos como política tradicional — partidos e votos —, mas a origem da palavra grega“polis” — comunidade organizada. 

A intenção de Aristóteles era mostrar que nós precisamos do contato e da interação, independente da forma como eles vierem. O isolamento social é um verdadeiro desafio para a nossa estabilidade. Diversos recursos tecnológicos — as redes sociais — foram criados a partir da premissa da interação humana — mesmo que não haja uma presença física.

Se você está passando por momentos de turbulência nesse período — ou conheça alguém que está —, continue a leitura para entender como manter a saúde mental durante a quarentena!

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

A necessidade do isolamento social

Dentre os vários conceitos e valores apreciados pelos seres humanos, a liberdade é um dos principais. O direito de ir e vir está presente na constituição, garantindo a todos os cidadãos de determinado país a possibilidade de deslocar-se com segurança. 

Quando infligida alguma regra social — as leis —, temos como uma potencial punição o cerceamento da liberdade. Os presídios são espaços para reeducar as pessoas que não conseguiram “viver em sociedade”. Ou seja, a retirada da liberdade de deslocamento é uma premissa para a reflexão do que é necessário mudar para voltar ao convívio social.

O cenário de pandemia do COVID-19 expandiu para todo os países a necessidade de adotar a quarentena como medida preventiva. Por conta do alto grau de contaminação do novo vírus, o contato humano tornou-se um risco à saúde. A falta de medicamentos para inibir a doença, estimulou que os governos adotassem quarentenas obrigatórias.

De repente, as pessoas que estavam acostumadas a exercer o seu direito de deslocamento, se veem “impedidas” de sair de casa — em alguns países inclusive com aplicação de multas para quem descumprir a ordem do isolamento.

Como dissemos, a nossa sociedade enxerga o cerceamento da liberdade como uma forma punitiva para quem não seguiu as normas sociais. Por isso é ainda mais difícil se enxergar em um cenário de isolamento social obrigatório. Se racionalmente a medida faz sentido para conter o avanço da doença, emocionalmente somos “punidos” por algo que não causamos.

A saúde mental durante a quarentena

Agora que entendemos o quão desafiador pode ser o cenário de isolamento social, precisamos pensar nos efeitos que ele pode causar na saúde mental. É importante ressaltamos que todos passarão por momentos de dificuldade: independente de cargo hierárquico na empresa, perfil comportamental, Estado que vive etc.

O isolamento social é uma realidade que trará efeitos para todos. Alguns demoraram mais tempo para sentir “o baque”, assim como variará as reações e as impressões deste isolamento ao longo dos meses.

Enquanto algumas pessoas podem sofrer com os efeitos do isolamento em uma semana, outros podem demonstrar o mesmo desconforto após meses. A realidade, porém, é que a saúde mental precisará de apoio e estratégias de manutenção e fortalecimento. Ainda mais por não haver um prazo específico e claro do período que durará essa situação.

Já que estamos vivendo um cenário que visa garantir a nossa saúde física, elaboramos algumas dicas para preservar a saúde mental durante a quarentena, confira!

Evite o bombardeio de informações

As informações sobre o novo coronavírus pode impactar muita gente. O número de doentes e falecimentos crescem em muitos países e pode gerar a sensação de desespero. Por isso, o melhor a se fazer nessa situação é evitar a busca constante por notícias.

Crie um horário para ser informado ao longo do dia e, nos seguintes, estabeleça uma rotina que ajude a não pensar exclusivamente sobre a situação de pandemia. Os efeitos do vírus sobre cada país é diferente e, apesar das projeções, é importante não pensar apenas no cenário mais pessimista.

Em tempos de “fake news”, é essencial sempre conferir a origem da informação repassada. Muitas notícias falsas são espalhadas para transformar o cenário em algo mais crítico do que o real.

Trate a situação com seriedade

O momento vivido pede seriedade e atenção. Isso não significa que devemos ficar desesperados e aflitos, mas precisamos entender que são necessários alguns sacrifícios para superar a crise.

Informa-se por meio dos canais oficiais, acompanhe o que precisa ser feito para evitar o contágio e garanta sua proteção. Dados como grupo de risco, maneiras de contaminação, sintomas etc. são relevantes e precisa ser do seu conhecimento.

Ver o cenário com seriedade, porém, não implica em tratá-lo como caótico. Há muito o que se viver e pensar ainda, por isso, não limite seu pensamento apenas no isolamento social e na quarentena.

Aceita a sua “rotina”

Essa dica pode ser um pouco difícil para algumas pessoas. Existem profissionais que estão trabalhando em home office e, essa rotina de trabalho ajuda a estabelecer um cronograma de ações ao longo dos dias.

Por outro lado, há profissionais autônomos e liberais que não estão conseguindo desempenhar suas funções. Para esses, fica um pouco mais difícil estabelecer horários e não se preocupar com a fonte de renda.

A nossa dica é “tentar” criar uma rotina, pois não é o momento de sentir-se frustrado caso não consiga seguir um cronograma bem definido. Cada pessoa entende “rotina” de forma diferente, e não podemos aumentar a sensação de insuficiência. 

Por isso, abrace a sua rotina. Entenda que você está fazendo o possível dentro de um cenário arbitrário ao qual ninguém está 100% acostumado ou adaptado. 

Faça exercícios físicos

A atividade física é importante para liberar hormônios e estimular a nossa mente. Ela não é positiva apenas para nosso corpo, mas fundamental para a nossa saúde mental. Por isso, separe um espaço na sua casa para uma prática esportiva simples e rápida.

Não é o mesmo que ir para a academia, não será necessário dispor de horas, mas apenas minutos. Se você conseguir fazer 20 a 30 minutos de uma atividade — seja pular corda, subir e descer escadas, dar uma volta na sala — será o suficiente.

Há ainda vídeos no youtube que pode ajudar a praticar yoga dentro de casa. Essa atividade estabelece um equilíbrio positivo entre a mente e o corpo, ajudando no momento de quarentena.

Aproveite o lado positivo das redes sociais

Durante muitos anos as redes sociais tornaram-se enormes. Elas são canais de conexão de milhares de pessoas que estão, ironicamente, distantes. O cenário de isolamento social é uma boa oportunidade para resgatar o princípio básico dessas redes: aproximar pessoas.

Tente criar momentos de interação com seus amigos, fale com eles por meio de mensagens e ligações. Está com saudades da sua família? Separe um horário e faça uma ligação em vídeo.

Neste momento, conseguir ver as pessoas que amamos — mesmo que distantes — é fundamental para manter a saúde mental.

O cenário proposto pelo coronavírus não é uma realidade costumeira, por isso, entenda que você está fazendo o seu melhor. Haverão dias mais difíceis, outros mais fáceis. Mas você conseguirá superá-los.

Conseguir manter a saúde mental durante a quarentena pode ser ainda mais difícil quando está realmente sozinho. Por isso, busque ajuda profissional quando sentir-se mal e tente se aproximar de todas as pessoas que você ama. 

Aproveite a sua visita e veja mais sobre ações de prevenção para evitar o pânico entre os colaboradores.


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of