3 problemas pela falta de saúde mental dentro do trabalho

Tempo de leitura: 4 minutos

Sem tempo para ler sobre problemas pela falta de saúde mental dentro do trabalho? Clique no play abaixo para ouvir o conteúdo!

Ter um time com profissionais capacitados e engajados, em um ambiente organizacional de qualidade, são fatores que toda empresa precisa alcançar para obter sucesso empresarial. Logo, investir na saúde mental dentro do trabalho é de extrema importância, uma vez que um colaborador desmotivado produzirá menos, impactando negativamente nos resultados do negócio. 

Dentre os fatores de risco para a saúde mental de trabalhadores estão: assédio, bullying, excesso de tarefas, horários inflexíveis, ameaça de desemprego etc. Os transtornos também podem estar relacionados a um ambiente organizacional tóxico, falta de identificação do profissional com a cultura da empresa e gestores que não incentivam o crescimento do colaborador. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma em cada quatro pessoas sofrerá com algum transtorno mental ao longo da vida. Dessa forma, a saúde mental no trabalho não deve ser vista como um tabu, e sim um fator que precisa ser prevenido e tratado de forma humanitária. 

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Neste post, abordaremos 3 problemas causados pela falta de investimento na saúde mental no ambiente empresarial. Continue a leitura e saiba quais são eles!

Situações causadas pela falta de saúde mental dentro do trabalho

1. Burnout

A Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional é um distúrbio emocional ligado diretamente à rotina profissional e sua principal causa é o excesso de trabalho. Ela pode acontecer quando o colaborador é destinado para tarefas muito desafiadoras e ele se sentir, por algum motivo, incapaz de cumpri-las. Seus principais sintomas são: 

  • cansaço excessivo, físico e mental;
  • dor de cabeça frequente;
  • alterações no apetite;
  • insônia;
  • dificuldades de concentração;
  • sentimentos de fracasso e insegurança;
  • negatividade constante;
  • sentimentos de derrota e desesperança;
  • sentimentos de incompetência;
  • alterações repentinas de humor;
  • isolamento;
  • fadiga;
  • pressão alta;
  • dores musculares;
  • problemas gastrointestinais;
  • alteração nos batimentos cardíacos.

O diagnóstico da Síndrome de Burnout deve ser feito por um profissional de saúde, o mais indicado é o psiquiatra, juntamente com o psicólogo. O tratamento é realizado, basicamente, com psicoterapia, mas também pode envolver medicamentos, como antidepressivos e ansiolíticos. 

2. Estresse

Considerado um dos maiores males da atualidade, o estresse também está presente no ambiente empresarial. Com o mercado cada vez mais competitivo, pesquisas indicam que 70% dos trabalhadores brasileiros estão estressados. Segundo a OMS, as situações de competição são as principais causas de estresse associado ao trabalho.

A condição nada mais é que uma resposta do organismo para ameaças e pressões do dia a dia que, se não tratadas, podem ocasionar diversas doenças, como hipertensão, gastrite, depressão, doenças cardiovasculares etc.

Dentre as causas do estresse no trabalho estão as longas jornadas, ambiente organizacional ruim, falta de oportunidade de crescimento dentro da empresa, conflitos com colegas de equipe e líderes. Ainda, o estresse traz consigo sintomas físicos e psicológicos. 

Em relação aos sintomas físicos, podemos citar queda de cabelo, enxaqueca, tensão muscular, alergias, insônia, baixa imunidade, alterações gastrointestinais, dentre outros.

Já como sintomas psicológicos, temos ansiedade, angústia, nervosismo ou preocupação em excesso, irritação e impaciência, tontura, problemas de concentração e de memória, sensação de perda do controle e dificuldade em tomar decisões.

Em algumas situações, o estresse pode ser de difícil diagnóstico. Para tanto, o clínico geral ou o psicólogo são os profissionais mais indicados para seu tratamento.

3. Desmotivação

A motivação é um fator que está ligado diretamente à produtividade e alcance dos objetivos da organização. Falta de reconhecimento profissional por parte dos líderes, metas inatingíveis, conflitos com outros membros da equipe, podem ser algumas das causas que desmotivam o profissional a continuar na empresa. 

Dentre os sintomas de um colaborador desmotivado estão:

  • queda de produção; 
  • faltas e atrasos constantes;
  • preocupação exclusiva com o salário;
  • dificuldade de trabalhar em grupo;
  • falta de disponibilidade para novas tarefas.

Entenda que, motivar colaboradores vai muito além da questão financeira. Flexibilizar horários de trabalho, oferecer treinamentos de capacitação, criar espaços de lazer dentro da empresa, são algumas ações que podem elevar seus colaboradores. 

Cabe aos líderes, juntamente com os profissionais de RH, utilizarem de estratégias de gestão de pessoas, que promovam o bem-estar psicológico de seus colaboradores como forma de prevenção aos transtornos mentais. 

O psicólogo pode ser um grande aliado no auxílio da prevenção e tratamento da saúde mental dentro do trabalho. O colaborador que está passando por um transtorno, se sentirá mais acolhido em um ambiente que o respeite e que tenha um profissional para ouvi-lo sem cobranças. 

Se você deseja obter mais conhecimento sobre transtornos mentais, continue conosco e leia mais sobre a síndrome de burnout


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of