Saúde financeira: o que é, dicas e como a empresa pode ajudar

Veja dicas de como o RH pode promover a saúde financeira dos colaboradores com benefícios corporativos, impactando no sucesso da empresa!
saúde financeira
GARANTA SUA VAGA

Aqui você encontra:

Em um mundo cada vez mais competitivo, a saúde financeira dos colaboradores emerge como um fator crucial para o sucesso das empresas. Afinal, colaboradores com tranquilidade e segurança em suas finanças demonstram maior engajamento, produtividade, criatividade e resiliência.

O que é saúde financeira?

Podemos definir saúde financeira como a capacidade de gerenciar recursos financeiros de maneira eficiente. Ou seja, o estado de equilíbrio em que você tem controle sobre suas finanças, consegue pagar suas contas e realizar seus sonhos sem se endividar. Tudo isso contribui para uma saúde mental e física melhor, maior disposição e desempenho no dia a dia.

Isso significa ter renda suficiente para cobrir suas despesas, reservas para emergências, dívidas sob controle e conseguir fazer planos para o futuro. Assim, quem tem saúde financeira consegue ter todos os recursos que precisa e viver de maneira confortável.

Saiba mais!

Qual a importância da saúde financeira?

O impacto negativo da insegurança financeira no ambiente de trabalho se manifesta de diversas formas no colaborador. Isso porque, as preocupações com dinheiro afetam diretamente a saúde psicológica do colaborador. Assim, seu dia passa a se basear na preocupação das dívidas. Tudo isso gera um colaborador menos engajado, mais estressado e ansioso.

Outros impactos são:

  • Aumento do absenteísmo: preocupações com finanças podem levar a faltas e atrasos frequentes.
  • Rotatividade de funcionários: a busca por melhores condições financeiras colabora com uma maior rotatividade.
  • Dificuldade de concentração: com o pensamento focado em dívidas, o foco e a produtividade diminuem.
  • Clima organizacional negativo: colaboradores estressados e ansiosos podem gerar um ambiente de trabalho tóxico.
  • Deterioração da saúde mental e física: o estresse financeiro pode levar a problemas como depressão, ansiedade e doenças crônicas, reforçando a necessidade de garantir a saúde financeira do colaborador.

Saúde mental x saúde financeira: qual a relação?

Sem saúde financeira, não há saúde mental. Até porque, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a saúde mental pode ser considerada "um estado de bem-estar vivido pelo indivíduo, que possibilita o desenvolvimento de suas habilidades pessoais para responder aos desafios da vida e contribuir com a comunidade". Por isso, a saúde financeira e a saúde mental andam juntas.

Ainda, o Ministério da Saúde acrescenta que "o bem-estar de uma pessoa não depende apenas do aspecto psicológico e emocional, mas também de condições fundamentais, como saúde física, apoio social, condições de vida. Além dos aspectos individuais, a saúde mental é também determinada pelos aspectos sociais, ambientais e econômicos".

Portanto, para ter uma vida com qualidade, a saúde financeira é essencial. Tanto para contribuir com momentos de lazer, cultura, tempo com a família, quanto para diminuir níveis de estresse e ansiedade.

Assim, existem vários dados que comprovam essa relação. Um estudo da Universidade de Chegou constatou que pessoas com alto nível de endividamento são 2,5 vezes mais propensas a apresentar sintomas de depressão e com uma tendência 3 vezes maior de desenvolver ansiedade.

RH e saúde mental: como lidar com colaboradores que precisam de ajuda?

Preencha o formulário e receba o material gratuito no seu e-mail 📩

O que os dados dizem sobre a saúde financeira?

A saúde financeira é um problema muito maior do que se imagina. Até porque, para muitos brasileiros, ele pode passar como uma situação do cotidiano, mas não deveria ser assim. Até porque, essa situação acarreta em diversos problemas, como alguns dados reforçam:

  • 8 em cada 10 famílias brasileiras estão endividadas e 30% estão inadimplentes, diz CNC;
  • Colaboradores com problemas financeiros perdem em média 3 horas por semana no trabalho, o que equivale a 120 horas por ano, segundo estudo da PwC;
  • 70% das pessoas sentem a produtividade baixar quando estão preocupadas com as finanças;
  • Funcionários com alto nível de estresse financeiro são 20% menos produtivos, de acordo com um Estudo da Universidade de Chicago;
  • 56% dos colaboradores com dificuldades financeiras cometem erros no trabalho devido à sua situação financeira, conclui uma Pesquisa da National Endowment for Financial Education.

Principais motivos de endividamento

A perda da saúde financeira é algo que pode ser gradual ou mais repentino para algumas pessoas. Entretanto, alguns motivos se destacam quando falamos sobre as causas do endividamento. Conheça quais são e suas circunstâncias:

Alto custo de vida

O aumento dos preços de itens essenciais, como alimentos, moradia e transporte, pode dificultar o pagamento das contas básicas. Assim, as famílias podem ter que fazer escolhas difíceis entre pagar a moradia ou comprar alimentos, por exemplo. Portanto, falta de recursos para necessidades básicas pode gerar estresse, ansiedade e frustração.

Isso porque, os custos com alimentação podem comprometer 16,45% do orçamento familiar, enquanto a habitação, 31,44%.

As pessoas podem ter que trabalhar mais horas para compensar a perda de renda, o que pode levar ao esgotamento físico e mental. A falta de tempo livre pode afetar a qualidade de vida e os relacionamentos pessoais. Assim, tudo isso acaba virando uma "bola de neve".

Falta de planejamento financeiro

A falta de planejamento financeiro pode ter um impacto significativo e negativo na saúde financeira de uma pessoa ou organização. As consequências podem ser diversas e abrangentes, afetando não apenas o bem-estar material, mas também a saúde mental e a qualidade de vida.

Alguns dados que deixam esse problema mais evidente são os de que 42% das famílias não controlam seus gastos e 38% não fazem orçamento.

Juros altos

O aumento dos juros torna o pagamento de dívidas mais caro, especialmente para quem possui financiamentos, empréstimos e cartões de crédito com saldo devedor. Assim, com mais recursos destinados ao pagamento de juros, a renda disponível para consumo e outros investimentos diminui, impactando o orçamento familiar.

Portanto, alguns números que impulsionam essa situação são:

  • Taxa Selic: 13,25% ao ano
  • Cartão de crédito: taxa média de juros rotativos de 300% ao ano

Quais os benefícios de investir na saúde financeira da equipe?

Priorizar a saúde financeira na empresa também traz diversos retornos para as organizações, como:

  • Aumento da produtividade: colaboradores livres de preocupações financeiras podem dedicar mais energia e foco ao trabalho.
  • Redução do absenteísmo e turnover através de um pacote de benefícios: a segurança financeira contribui para a diminuição de faltas e rotatividade de funcionários.
  • Melhora na qualidade de vida e bem-estar: com suas finanças em ordem, os times desfrutam de melhor saúde mental e física.
  • Atração e retenção de talentos: cuidar da saúde financeira dos colaboradores através dos benefícios corporativos torna a empresa um empregador mais atrativo.
  • Fortalecimento da imagem da empresa: investir no bem-estar dos colaboradores demonstra compromisso com a responsabilidade social.
  • Aumento da criatividade e inovação: profissionais com menos preocupações financeiras se sentem mais livres para explorar novas ideias.
  • Melhora na tomada de decisões: a segurança financeira permite que os colaboradores tomem decisões mais racionais no trabalho.
  • Maior engajamento e lealdade: colaboradores que se sentem valorizados pela empresa tendem a ser mais engajados e leais.

💡 Acesse gratuitamente o guia para engajar e reter colaboradores de forma eficiente!

Como o RH pode impulsionar a saúde financeira da equipe?

O RH tem um papel fundamental na promoção da saúde financeira dos colaboradores. Portanto, através da equipe de recursos humanos Iniciativas estratégicas e programas abrangentes para melhorar a vida financeira da própria empresa, o departamento pode contribuir para o sucesso da empresa e o bem-estar dos colaboradores.

Algumas das principais ações que o RH pode tomar:

Implementar programas de educação financeira contínuos e acessíveis

Para isso, o RH pode implementar diversas ações, como palestras, workshops e cursos online sobre orçamento, controle de gastos, investimentos e planejamento financeiro. Estes eventos podem ser presenciais ou online, com linguagem acessível e interativa, ministrados por profissionais experientes e engajados em educação financeira.

Além disso, uma iniciativa importante é a produção de materiais informativos como ebooks, cartilhas e vídeos, que podem ser disponibilizados em um portal online da empresa, intranet ou aplicativos de mensagens. É fundamental que estes materiais sejam atualizados regularmente com as últimas novidades do mercado.

Assim, a criação de um portal online com conteúdo relevante sobre saúde financeira é outra maneira de facilitar o acesso à informação. Este portal pode conter artigos, vídeos, podcasts, simuladores e ferramentas de gestão financeira, além de um fórum de dúvidas para os colaboradores interagirem e tirarem dúvidas com especialistas.

Por fim, incentivar a participação em grupos de estudo e fóruns online também é uma ótima maneira de promover a troca de experiências e aprendizados entre os colaboradores, aprofundar o conhecimento sobre educação financeira e criar uma comunidade de apoio.

Material gratuito: KIT de Planejamento Estratégico para RH

Preencha o formulário e receba o KIT grátis no seu e-mail 📩

Oferecer treinamentos específicos para diferentes públicos

Falando de saúde financeira, é comum que os colaboradores estejam em momentos diferentes de compreensão e ação sobre esse assunto. Assim, o RH pode abordar treinamentos para cada nicho, como:

Jovens aprendizes e estagiários

Os treinamentos para jovens aprendizes e estagiários focarão em noções básicas de finanças pessoais, como conceitos básicos de finanças, orçamento, controle de gastos, economia e planejamento financeiro. Além disso, abordar como elaborar um orçamento que atenda às suas necessidades e prioridades, técnicas para controlar os gastos e evitar o endividamento, a importância da poupança e como iniciar uma poupança para alcançar seus objetivos, além de como definir seus objetivos financeiros e traçar um plano para alcançá-los.

Profissionais de nível júnior

Para aqueles de nível júnior, os treinamentos aprofundarão em gestão de orçamento, ensinando como elaborar e gerenciar de maneira eficaz. Além disso, também é interessante ensinar técnicas avançadas para controlar os gastos e evitar o endividamento, conceitos básicos de investimento, como diferentes tipos de investimentos, diversificação e gestão de risco.

Ainda, também auxiliaremos na definição de seus objetivos financeiros de longo prazo e traçaremos um plano para alcançá-los, além de fornecer orientações sobre como planejar e financiar a compra de um imóvel.

Baixe gratuitamente!

Colaboradores com filhos

Os colaboradores com filhos receberão treinamentos sobre planejamento financeiro familiar, ensinando como elaborar um orçamento familiar que atenda às necessidades de todos os membros da família. Sendo assim, é interessante abordar como ensinar seus filhos sobre finanças desde cedo, como poupar para pagar a educação dos seus filhos e como garantir a saúde da sua família com um plano de saúde adequado.

Colaboradores próximos da aposentadoria

Para os colaboradores próximos da aposentadoria, os treinamentos focarão em planejamento para a aposentadoria, ensinando como calcular o valor que você precisará para se aposentar com tranquilidade.

Assim, é importante ensinar como escolher os melhores investimentos para garantir uma renda vitalícia, como escolher um plano de previdência privada adequado às suas necessidades e como planejar a transferência de seus bens para seus herdeiros.

➡️ Leia também:

Benefícios e ações que auxiliam na saúde financeira

Existem diversos benefícios corporativos que o RH pode procurar para impulsionar a saúde financeira do time. Eles vão desde parceria estratégias à programas de educação. Confira.

Negociar convênios com instituições financeiras que oferecem condições especiais

Um exemplo é o empréstimo consignado, que oferece taxas de juros até 9 vezes menores que o cartão de crédito, proporcionando uma opção mais econômica para os colaboradores que precisam de crédito.

Além disso, outro benefício importante é o seguro de vida, que oferece cobertura em caso de falecimento do colaborador, garantindo amparo financeiro à família. Por sua vez, o seguro saúde garante acesso a consultas, exames e internações, contribuindo para a saúde e bem-estar dos colaboradores e seus familiares, a preços mais acessíveis.

Ao negociar convênios com instituições financeiras, o RH pode garantir condições especiais para os colaboradores, como:

  • Taxas de juros mais baixas;
  • Coberturas mais amplas;
  • Preços mais acessíveis.

Criar programas de incentivo à economia e ao investimento

O RH pode impulsionar a cultura de economia e investimento entre os colaboradores através de programas de incentivo criativos e vantajosos.

Assim, o setor pode zelar pela saúde financeira ao negociar parcerias com empresas para oferecer descontos em produtos e serviços, cashback em compras e programas de pontos que podem ser trocados por prêmios.

Outra ideia é realizar concursos e premiações para incentivar a economia e o investimento.

Procurar descontos em serviços de educação financeira

Ainda, uma opção é facilitar o acesso a serviços relacionados à educação financeira.

Portanto, o RH pode impulsionar a saúde financeira dos colaboradores com descontos em serviços de educação financeira. Uma ação interessante é oferecer consultas individuais com especialistas para auxiliar em necessidades específicas.

Além disso, uma boa opção são mentorias com profissionais experientes para alcançar objetivos financeiros.

Oferecer planos de previdência privada com opções personalizadas

O RH pode ser um parceiro crucial na construção de um futuro próspero para os colaboradores, oferecendo planos de previdência privada personalizados. Portanto, com diferentes níveis de risco e retorno, os colaboradores escolhem a opção ideal para seu perfil e objetivos.

Assim, questionários e ferramentas de análise auxiliam na escolha, enquanto a assessoria especializada do RH garante o suporte necessário para decisões conscientes. Isso porque, investir em planos de previdência privada personalizada é investir na segurança e tranquilidade dos colaboradores em relação à sua aposentadoria, além de fortalecer a relação entre empresa e colaborador.

Dar assistência a outros programas de saúde e bem-estar

O RH pode ser um agente fundamental na melhora da saúde e bem-estar dos colaboradores, o que impacta diretamente na saúde financeira da empresa. Através de iniciativas estratégicas complementares aos programas de bem-estar já existentes, o RH cria um ambiente mais saudável e produtivo, beneficiando ambos os lados.

Por fim, o RH pode oferecer suporte à saúde mental (terapia, mindfulness, meditação, gerenciamento de estresse), incentivar a atividade física (descontos em academias, campeonatos esportivos, programas de incentivo), promover alimentação saudável (palestras sobre nutrição, restaurantes saudáveis, hortas comunitárias) e implementar programas de ergonomia para prevenir lesões.

O que fazer para ter uma boa saúde financeira?

Como qualquer outro hábito, a conquista de uma boa financeira se dá pelos hábitos do dia a dia. Por isso, a consciência e o acompanhamento de gastos são as melhores opções. Assim, se você ou o seu time precisam começar a cultivar esse costume, anote as dicas abaixos.

1 - Acompanhar e anotar seus gastos

O primeiro passo para melhorar sua saúde financeira é ter noção exata de quanto você gasta e quanto sobra de renda. Para isso, planilhas e ferramentas são essenciais.

Apesar de parecer uma ação simples, ao identificar e acompanhar seus gastos, é possível perceber o que mais consome seu orçamento, entender se existem gastos supérfluos e entender qual categoria de compras pode sofrer uma redução. Além disso, com o acompanhamento, você gasta previsibilidade sobre suas contas.

2 - Crie uma reserva para emergências

Não há como controlar as imprevisibilidades da vida. Porém, quando não se tem uma boa saúde financeira, esses momentos podem ser ainda mais desesperadores.

Para isso, tente separar, mesmo que pouco, um valor e o guarde em uma reserva de emergência. Lembre-se: a intenção é criar esse hábito e começar a guardar dinheiro. Por isso, não importa se o valor for baixo em um primeiro momento.

Além disso, existem carteiras, bancos e programas de poupança que ajudam a fazer esse dinheiro render enquanto fica armazenado.

3 - Busque educação financeira

Para continuar cultivando os bons hábitos em relação à sua saúde financeira, a educação financeira é a base. Por isso, quanto mais você se informar sobre o assunto, melhor seu controle financeiro pode se tornar. Assim, você consegue aprender mais sobre finanças, investimentos e outros assuntos que ajudem você a mudar essa realidade de maneira permanente.

➡️ Conheça os cursos da Escolas de Pessoas da Sólides!

Crédito responsável da Sólides: como impulsiona a saúde financeira da equipe?

O Crédito Responsável, da Sólides Benefícios, por exemplo, oferece taxas de juros até 9 vezes menores que o cartão de crédito, proporcionando uma opção mais econômica para os colaboradores que precisam de crédito.”

Além disso, a Sólides oferece diversos materiais educativos sobre finanças pessoais. Ainda, os colaboradores têm acesso a ferramentas para que possam planejar suas finanças e alcançar seus objetivos.

Principalmente pensando na geração Z, que é o futuro do mercado trabalho, a saúde financeira é um tema de destaque. Pesquisas nos EUA e no Reino Unido mostraram que observar seus pais e irmãos mais velhos enfrentar dificuldades financeiras tornou a Geração Z avessa à dívida, estressada com dinheiro e determinada a gerenciar suas finanças de maneira diferente.

Perguntas e respostas sobre saúde financeira

O que é educação financeira?

Educação financeira é o processo de aprender a gerenciar seu dinheiro de forma eficaz. Isso inclui:

  • Compreender seus gastos.
  • Criar um orçamento.
  • Investir para o futuro.
  • Evitar dívidas.

Qual a importância da educação financeira?

A educação financeira é importante porque permite que você tenha mais controle sobre suas finanças, alcance seus objetivos financeiros, viva com mais tranquilidade e segurança, e evite problemas financeiros.

O que é empréstimo consignado?

Empréstimo consignado é um tipo de crédito em que as parcelas são descontadas diretamente da folha de pagamento do devedor. Isso significa que o banco ou instituição financeira tem a garantia de receber o pagamento, pois o valor é descontado antes mesmo do dinheiro cair na conta do cliente.

Quando o empréstimo consignado é uma boa opção?

O empréstimo consignado pode ser uma boa opção para quem precisa de dinheiro para pagar uma dívida com juros mais altos; realizar um sonho, como comprar um carro ou uma casa, e investir em educação ou em um negócio próprio.

Como posso ter saúde financeira?

Para ter saúde financeira, você pode seguir estas dicas:

  • Faça um orçamento e controle seus gastos.
  • Crie uma reserva para emergências.
  • Invista seu dinheiro.
  • Evite dívidas.
  • Busque educação financeira.

Quais os benefícios de ter saúde financeira?

Os benefícios de ter saúde financeira são mais tranquilidade e segurança, maior liberdade para realizar seus sonhos, melhor qualidade de vida e proteção contra imprevistos.

Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima