RH Tecnológico: o seu é?

Tempo de leitura: 8 minutos

Houve uma época no meio empresarial em que o uso de novas tecnologias, especialmente na área de software, eram um luxo. Poucas empresas podiam pagar por tal vantagem e, mesmo quando sistemas pesados e complexos eram instalados, o mercado ainda não estava ambientado a eles, e grande parte de seu potencial permanecia inutilizado, sem quadros e colaboradores para operar a novidade.

Contudo, os tempos mudaram. Estamos em uma era na qual a internet atinge a mais de metade da população mundial, decisões e eventos importantes ocorrem completamente online e os dados e métricas são a base e o coração dos negócios – e o que faz deles bem-sucedidos ou não.

Qualquer sistema de gestão hoje em dia também conta com módulos ligados à contabilidade, vendas, marketing, área jurídica, comunicação, atendimento ao cliente e também recursos humanos. Também ficou mais fácil encontrar, no mercado, profissionais que utilizem e dominem a tecnologia que precisamos compreender para utilizar um sistema como esses.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

O mundo de hoje pressupõe o uso de um software: padarias, postos de gasolina, bancas de jornal, empresas familiares e de tamanho pequeno usam diariamente softwares para tudo. Empresas maiores, então, não podem se dar ao luxo de prescindir dessa nova modalidade de gestão: é preciso tecnologia.

O RH também não está imune a isso – qualquer empresas, mesmo de porte menor, precisa controlar contratações, demissões, entradas, turnos, salários e outros dados relativos a funcionários digitalmente, sob o risco de perder o controle e criar problemas maiores ligados à produtividade ou mesmo de ordem jurídica.

O que já é lugar-comum?

O emprego da tecnologia na área de RH, em algumas instâncias, já não é nenhum diferencial ou novidade. Sistemas de controle de entradas e saídas de funcionários, integrações com softwares de gestão maiores e ferramentas de comunicação diversas hoje em dia não fazem de um departamento de recursos humanos tecnológico. Tudo isso já é tecnologia praticamente obrigatória no mercado, e sua não utilização pode arrasar a competitividade de uma companhia.

Tecnologias móveis também não são mais novidade. O departamento de RH, hoje, como todos os demais, precisa estar integrado e comunicar-se no nível conhecido e dominado pelos funcionários e gestores de uma empresa. Sistemas de comunicação online precisam ser utilizados para que o principal público dessa área seja atingido – o empregado.

As redes sociais também viraram uma ferramenta essencial na comunicação, mas não apenas isso. Dados importantes para avaliação de candidatos e recrutamentos podem hoje ser facilmente encontrados e mapeados por meio de redes como o LinkedIn, campanhas relacionadas ao pessoal podem ser organizadas com o uso de ferramentas do Facebook e do Twitter e outras redes facilitam e estreitam o diálogo entre o RH e o funcionário.

Métricas e análise de dados

A tecnologia hoje transforma tudo em dados que podem ser interpretados e utilizados na tomada de decisões. No campo de RH, avaliações passaram a ser baseadas em números e estatísticas também. Sistemas de controle avaliam colaboradores, candidatos e gestores por seu desempenho com base em dados e métricas, que podem incluir:

  • Absenteísmo, faltas e ausências
  • Níveis de produtividade
  • Taxas de rotatividade
  • Níveis de empregabilidade por função
  • Taxa de sucesso em contratações
  • Desempenho em relação a metas
  • Valores e gastos com rescisões e contratações
  • Gastos com benefícios
  • Salários e comparativos com o mercado
  • Habilidades e capacidades
  • Perfis comportamentais e avaliações psicológicas
  • ROI em treinamentos e capacitações
  • Folhas de pagamento
  • Lucro por funcionário
  • Taxas de retenção de talentos
  • Outros índices diversos

O desafio hoje está em criar números e avaliações a partir dessas metas que possam prever ou projetar o desempenho e retorno dos valores investidos pela empresa em cada um de seus colaboradores, assim como melhorar e aprimorar os resultados que cada um deles gera para a empresa. Fora isso, tais controles se mostram extremamente úteis na redução de problemas e despesas com causas trabalhistas, rescisões, aposentadorias e benefícios. Na área de vendas, as métricas facilitam o controle de comissões e os pagamentos de bônus e valores como o descanso semanal remunerado a vendedores.

Tendências tecnológicas

Muito se discute hoje em dia a respeito do quanto as tecnologias vigentes ainda irão influenciar a área de recursos humanos e como ela será influenciada e irá evoluir ao logo dos próximos anos. A consultoria Accenture, por exemplo, estabelecer cinco tendências que irão ditar a evolução da área na próxima década:

  • Dados, métricas e integração com outros sistemas de gestão
  • Meios digitais como ferramentas na gestão de pessoas
  • Aplicativos para gerenciamento e análise de perfis profissionais e comportamentais ganharão ainda mais espaço nas empresas
  • Gestão cada vez mais personalizada de talentos
  • Cloud computing e sistemas online gerando maior flexibilidade, segurança e facilidade na gestão de pessoas

Essas novas tecnologias e tendências, para a consultoria, irão fazer com que muitos profissionais que hoje atuam isolados em departamentos de RH passem a atuar mais próximo ou dentro de outras áreas de uma empresa, uma vez que parte de suas funções atuais será assumida por sistemas e softwares inteligentes.

O RH também irá possuir uma atuação mais ampla, para a Accenture, exercendo funções que hoje são da seara de marketing, ganhando prestígio nas esferas de decisão e tendo parte de seu trabalho diário incorporado por todos os funcionários de uma empresa, por meio de ferramentas de gaming, sistemas educacionais na nuvem, leitura de índices de produtividade com base no desempenho monitorado pelo próprio funcionário, entre outros.

Os profissionais de RH também terão outro perfil – serão treinados e capacitados no uso de softwares e sistemas diversos, podendo construir inclusive interfaces e integrações entre a tecnologia usada pela empresa onde trabalham e aquela presente no mercado, conseguindo comparativos e avaliações em tempo real.

A computação na nuvem também é uma clara tendência que modifica hoje a rotina não apenas do RH, mas de toda e qualquer área da empresa e até mesmo dos próprios profissionais, em seu cotidiano. Backup de informações, sistemas de comunicação mais abrangentes, acessibilidade plena a partir de qualquer ponto e situação – todas essas são vantagens oferecidas pelo cloud computing que caem como uma luva para as necessidades do departamento de recursos humanos dos dias de hoje.

Gestão de pessoas

Há algum tempo, a gestão de pessoas deixou de ser feita por meio de entrevistas, avaliações pessoais e monitoramento próximo e pessoal de colaboradores. A tecnologia avançou e hoje sistemas inteiros de avaliação de perfis e traços comportamentais são uma ferramenta essencial para que um bom departamento de RH conheça, monitore e auxilie os colaboradores de uma empresa, além de geri-los para conseguir maior resultado e produtividade.

A era na qual níveis de formação,  experiências e habilidades técnicas eram os únicos dados e variáveis usados na seleção e na gestão de profissionais passou. Hoje perfis comportamentais e traços psicológicos também exercem papel crucial na gestão de pessoas dentro de qualquer organização e, como não poderia deixar de ser, precisam ser transformados em dados e informações de rápido acesso, em gráficos e bancos de dados.

Com um bom mapeamento de perfis à mão e dados e métricas traçados por meio deles, um departamento de RH pode decidir com maior propriedade o conteúdo e caráter de programas de treinamento, determinar necessidades de movimentação e transferência de talentos e funcionários dentro do quadro, identificar novas lideranças, ditar novas normas de conduta e ética dentro das empresas, criar alternativas para alinhamento de perfis, como mentoring e sessões de coaching, entre outros.

Tomar decisões na gestão de pessoas sempre foi algo difícil e custoso, mas o emprego da tecnologia tem tornado essas decisões, se não menos complexas, pelo menos embasadas em um maior número de dados e constatações.

Nos próximos anos, aspectos pessoais e comportamentais tomarão um lugar cada vez mais importante dentro do quadro das empresas, começando pelas lideranças de cada segmento e indo adiante, até que todos os colaboradores possam ser mapeados não apenas em relação ao seu desempenho profissional, mas também em suas vidas, incertezas, problemas, vantagens competitivas e estilo de vida.

A tecnologia criará empresas, na gestão de pessoas, mais humanas, e capazes de enxergar através da camada do trabalho, oferecendo benefícios e recompensas que realmente mantenham os bons profissionais e talentos motivados e engajados, que resolvam problemas que estão muito mais ligados à psicologia de cada profissional do que a suas habilidades técnicas e fomentando talentos e lideranças dentro da empresa, e não buscando esses profissionais fora dela a todo momento.

Gostou do artigo? Aprenda mais sobre perfil comportamental lendo o post! Tudo que você precisa saber sobre perfil comportamental!


3
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
trackback

[…] Se você, profissional do RH, ainda não conhece os benefícios de softwares na sua rotina, continue lendo esse artigo e mude a realidade de gestão de pessoas na sua empresa, tornando-a mais tecnológica. […]

trackback

[…] uma vez que ela tem desempenhado grande auxílio em atividades rotineiras ou muito operacionais. O RH tecnológico está desenhado para mostrar dados e realizar análises como níveis de produtividade versus […]

trackback

[…] ponto mais estratégico do RH tecnológico é a identificação dos perfis comportamentais dos colaboradores em relação às vagas a serem […]