Resoluções de fim de ano: 10 dicas para manter a produtividade e o foco para cumprir suas metas

Tempo de leitura: 6 minutos

Tão tradicional quanto a ceia natalina são as resoluções de fim de ano. Aquele momento em que paramos, avaliamos nossas metas e traçamos um novo planejamento para os próximos 365 dias. 

Nesse sentido, quando você traça planos para a carreira e para seu desenvolvimento profissional, executá-los parece ainda mais difícil. 

Mas para cumprir suas metas com excelência, neste post, listamos 10 dicas que podem ajudar a manter o foco e a motivação para fazer acontecer. Vamos lá?

10 dicas para suas resoluções de fim de ano

1. Defina metas objetivas e possíveis

Quando você define uma meta sem muita clareza, é fácil perder o rumo e se desviar do objetivo principal. Entenda que criar metas é uma arte. Assim, fica mais difícil tornar seu desejo real, pois você não consegue materializar o resultado esperado. 

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Então, estabeleça metas possíveis, por exemplo, não prometa ler mais no próximo ano. Defina que lerá um livro por mês ou criará uma rotina de estudo. Dessa forma, é mais fácil adquirir o hábito. 

2. Dilua a meta principal em metas menores

Essa dica está relacionada com a primeira. Ao invés de estabelecer uma meta grande e difícil de cumprir, quebre-a em objetivos menores, de preferência, mensais.

Quando você cria mini-metas, sua mente compreende que o objetivo será alcançado gradualmente. Isso evita a frustração de não conseguir nada maior. Usando o exemplo anterior, organize-se dessa forma:

  • Janeiro: defina suas preferências de leitura: gênero, autores recomendados, entre outros;
  • Fevereiro: peça indicação de livros a amigos ou colegas;
  • Março: faça uma lista dos livros que pretende ler;
  • Abril: escolha o primeiro livro e comece a leitura. 

A partir desse ponto, ficará mais fácil. O importante é começar.

Banner-Calculadora

3. Não guarde metas na gaveta

Quando você vê o que precisa ser feito, fica mais fácil realizar. Assim, ao criar uma lista com metas para o ano novo, não a esconda na gaveta. Desenvolva maneiras de estar sempre em contato com ela. Deixe-a sobre a mesa de trabalho, anote na agenda ou cole no espelho do banheiro. O mais importante é visualizar suas resoluções para conseguir alcançá-las. 

4. Conheça suas razões

Quando você define o seu “porquê”, fica mais fácil manter a motivação a longo prazo. Portanto, é fundamental conhecer as razões para fazer isso ou aquilo. Para tanto, uma boa dose de autoconhecimento ajuda bastante. 

Comece refletindo sobre sua produtividade. Quais são suas características comportamentais? No que você precisa melhorar? Qual dificuldade precisa superar? Tente responder a essas perguntas para conhecer seu propósito. Vale a pena. 

5. Faça uma autorreflexão

Essa dica está ligada à anterior. Para ter sucesso no reconhecimento dos seus propósitos, é necessário fazer uma autorreflexão. Assim, se o propósito era fortalecer o hábito da leitura e estabelecer uma rotina de estudo, observe se está conseguindo cumprir. 

Voltando ao exemplo, você decidiu ler um livro por mês. Mas trabalhou demais, fez hora extra, chegou em casa cansado e não passou da página 20. Não tem problema! Não seja tão exigente consigo mesma. Está tudo bem não conseguir cumprir uma meta ou outra. 

Reflita que você não conseguiu ler um livro no mês porque escolheu produzir um pouco mais no trabalho. Faça uma autoavaliação do seu desempenho e não se cobre tanto. 

ebook mapeamento comportamental com a sólides

6. Considere os imprevistos

Mesmo que o planejamento estratégico seja bem construído, há possibilidade de algo inesperado. Sabemos que, na vida pessoal ou profissional, quando o imprevisível acontece, é normal perdermos a motivação. 

Por isso, para evitar a frustração, tenha em mente que contratempos fazem parte de qualquer rotina. Ainda, que falhas fazem parte do processo. 

7. Troque experiências

Você fez tudo certo até aqui. Planejou, estipulou metas alcançáveis, não escondeu nenhuma na gaveta, definiu seus propósitos, refletiu sobre eles e se preparou para o inesperado. 

No entanto, em determinado momento, cumprir as resoluções de fim de ano parece não fazer sentido. Prepare-se, caso bata o desânimo, é normal. Mas há uma ótima dica para não desistir por completo: converse com alguém.

A troca de experiências com um colega ou um amigo faz com que os problemas pareçam menores. Além disso, quando você compartilha um plano, assume a responsabilidade de fazer acontecer. 

Ao envolver pessoas nos seus objetivos, um desafio tácito se estabelece. E você tem motivação para cumprir o que planejou. 

8. Quando necessário, recalcule sua rota

O ser humano muda constantemente. Hoje, já não somos a mesma pessoa que éramos ontem. Por isso, é normal que as resoluções de ano novo percam a força fora daquele contexto. 

Esse é o momento certo para reavaliar os planos, substituir alguns ou mesmo acrescentar novos. Afinal, quem nunca teve um plano B?

9. Comemore até as pequenas conquistas

Quando nos propomos a realizar algo, é fundamental saber comemorar o que acontece de bom. Ainda que nem tudo saia conforme o planejado, cada tijolo colocado na construção dos seus propósitos valem a pena. 

Lembra o exemplo de ler mais? Se não conseguir atingir a meta de um livro por mês, celebre o que conseguiu até agora. Tudo é válido.  

10. Seja positivo e tenha mentalidade de crescimento

Se em 31 de dezembro você listou planos que gostaria de realizar nos próximos 365 dias, então isso é importante para a sua vida. 

Fazer resoluções de fim de ano é uma maneira de se programar para o que deseja. Logo, seja positivo ao longo da jornada e aposte sempre no seu desenvolvimento pessoal e profissional. 

Conforme a psicóloga Carol Dweck, autora do livro Mindset: A nova psicologia do sucesso, há duas maneiras de pensar: a partir da mentalidade fixa e pela mentalidade de crescimento

A mentalidade fixa faz você acreditar que nada muda e você será sempre igual ao que é atualmente. Já a mentalidade de crescimento propõe que o esforço faz com que o indivíduo evolua e mude. 

Quem tem a mentalidade fixa acredita que as qualidades, habilidades e talentos inatos são predeterminados e imutáveis, embora haja intenção para tal. Agora, na mentalidade de crescimento, a pessoa entende que habilidades, qualidades e talentos são adaptáveis. Acredita que podem ser aprimorados e desenvolvidos a partir do esforço pessoal, do trabalho dedicado e do treinamento

É hora de colocar em prática

Pronto, essas são nossas dicas. Sabemos que não é fácil cumprir resoluções de fim de ano. Mas com estratégia, comprometimento e as ferramentas certas, será mais fácil ter uma jornada de realizações para chegar mais longe e alcançar melhores níveis de produtividade

O conteúdo foi útil? Então, que tal aprender sobre PDI para criar seu Plano de Desenvolvimento Individual?

3.5 2 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments