Como ter um processo de recrutamento e seleção de pessoas assertivo usando a Gestão Comportamental?

Tempo de leitura: 4 minutos

A Gestão Comportamental é uma maneira de gerir pessoas que leva em conta as tendências de comportamento de cada um. Ela parte da coleta de informações sobre os colaboradores, o que traz clareza para as decisões e processos executados pelo RH.

Uma das práticas de Recursos Humanos que mais se beneficia da Gestão Comportamental é o recrutamento e seleção de pessoas. A análise do comportamento diminui o tempo dos processos seletivos e traz mais assertividade para o fechamento de vagas.

Então, no artigo de hoje você vai entender melhor os benefícios de se aliar a Gestão Comportamental ao processo de recrutamento e seleção!

Descrevendo o perfil da vaga com clareza

Antes de iniciarmos um processo de recrutamento e seleção de pessoas, temos que conhecer muito bem sobre a função em aberto e sobre o perfil desejado para a vaga. Para a construção desse perfil, o RH deve ter uma visão sistêmica, entender de todos os setores da organização e ter um bom diálogo com o gestor da área.

Mas muitas vezes, mesmo que tenhamos o conhecimento e a parceria do gestor, é difícil traduzir em parâmetros objetivos o que será buscado nos candidatos, certo?

Nesse sentido, a Gestão Comportamental já é uma grande aliada, mesmo antes do início do processo seletivo. Essa metodologia oferece um conhecimento acessível sobre os quatro perfis comportamentais principais, de forma que os líderes de áreas e demandantes de vagas se encaixam na linguagem técnica das seleções. Outras pessoas, que não apenas as do RH, conseguem descrever com mais precisão os perfis necessários e a comunicação fica livre de barreiras.

Essa nivelação de conhecimento acontece não só com relação aos perfis dominantes, mas também quanto às competências, que são cruciais em uma seleção.

Todos passam a saber sobre as competências principais e a construção de todo perfil de vaga pode ser feita através delas. Assim, a descrição do perfil fica mais clara e objetiva e as chances de acerto já são potencializadas.

Levando agilidade para o processo seletivo

A rapidez que a Gestão Comportamental promove em uma seleção, especialmente nas fases iniciais, é outro benefício especial. Com certeza você já recebeu muitos currículos por email, a ponto de precisar definir um limite para parar de analisá-los. Assim, muitos ficam sem ser lidos e os candidatos sem retorno, o que é uma queixa muito comum entre os que procuram emprego.

Imagine se, além do currículo, você tiver informações sobre as principais tendências de comportamento de cada candidato e também conseguir selecioná-los por competências. É essa agilidade que a Gestão Comportamental traz para um processo de recrutamento e seleção de pessoas!

Por maior que seja a quantidade de candidaturas recebidas para uma vaga, o tempo exigido para definir os filtros e refiná-los é curto e a resposta aos candidatos pode ser automatizada. Assim, conseguimos estabelecer um funil de recrutamento eficaz e nos livramos do trabalho burocrático.


Selecionando o candidato de forma assertiva

Não adianta definirmos um bom perfil e fecharmos uma vaga rápido se a escolha do candidato não for assertiva, certo? A qualidade do recrutamento e seleção de pessoas é fundamental para evitar custos, retrabalho e gerar satisfação.

Quanto a esse aspecto, a Gestão Comportamental tem muito a acrescentar, já que podemos contar com testes de perfil com até 97% de acurácia em suas previsões de comportamento. Isso significa que obtemos informações confiáveis sobre a forma de trabalho de cada candidato, seu estilo de liderança, o que o motiva, suas competências, forma de se comunicar e muitas outras características cruciais.

E como os candidatos podem responder ao mapeamento ao se aplicarem para a vaga, o RH já conhece um pouco de suas tendências antes de encontrá-lo pessoalmente. Assim, as etapas presenciais podem ser mais personalizadas.

Perguntas que exploram melhor algumas características já mapeadas podem e devem ser feitas nas entrevistas. Isso nos permite aprofundar o conhecimento e tomar decisões mais embasadas.

Além disso, é possível comparar graficamente o perfil de cada candidato com as competências desenhadas na fase de definição da vaga. Dessa forma, garantimos que os objetivos iniciais estão sendo cumpridos e que o processo não foi tomado por excessiva subjetividade.

A Gestão Comportamental é uma grande aliada na hora de encaixar a pessoa certa na vaga certa, mas também de promover o desenvolvimento desse profissional após sua chegada na nova função. O conhecimento sobre perfis e competências não serve para estigmatizar, mas para direcionar os esforços de desenvolvimento de forma estratégica.

Se interessou pela assertividade do recrutamento e seleção de pessoas através da Gestão Comportamental? Confira alguns tipos de testes que podem ser aplicados na etapa de entrevista neste artigo!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of