Ações para combater o racismo nas organizações

Tempo de leitura: 6 minutos

Há mais de um século, movimentos negros lutam para evidenciar e denunciar o racismo que existe em nossa sociedade. A questão é debatida em diversos espaços e precisa ser considerada dentro das organizações.

Tratando do mundo corporativo, uma pesquisa realizada pelo Instituto Ethos, em 2018, mostrou que pessoas negras ocupam apenas 6,3% de cargos gerenciais e 4,7% de cargos executivos.

No cenário das mulheres negras, esses números  são ainda mais críticos: elas ocupam apenas 1,6% das posições gerenciais e 0,4% do quadro executivo. 

Considerando que os negros são mais da metade da população brasileira, estas porcentagens evidenciam a baixa representatividade em cargos de maior hierarquia nas organizações. 

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Neste post, faremos uma reflexão sobre esse cenário, mostrando como o RH pode promover ações para combater o racismo nas organizações.

A questão do racismo nas organizações

Mesmo com diversas pesquisas trazendo dados sobre o impacto que o racismo estrutural trouxe para a realidade das pessoas negras em nosso país, essa realidade — em muitos momentos — é justificada por grande parcela da população negra não ter acesso à educação de qualidade, domínio de idiomas, etc. 

Por esses motivos, muitos recrutadores consideram que esses profissionais não são tão qualificados para determinadas vagas. Esse cenário, porém, não é um reflexo íntegro da sociedade brasileira. 

Durante muito tempo pessoas negras foram a minoria nas salas de aula da educação superior e, apenas em em 2018, isso mudou, segundo o IBGE. Nessa pesquisa, pela primeira vez, pessoas negras (pretas ou pardas) se tornaram a maioria nas universidades públicas do país, representando 50,3% dos estudantes, dados também suportado pelo estudo “Desigualdades Sociais por Cor ou Raça”. 

A diversidade se tornou uma palavra bastante comum no discurso de muitas empresas e a inclusão um dos valores mais divulgados. Investir em políticas de promoção a diversidade significa investir no enriquecimento cultural e na marca empregadora da organização, trazendo assim diversos benefícios para a empresa e colaboradores. 

Esse ponto representa também uma mudança de mentalidade no ambiente de trabalho, o que pode ser desafiadora. É preciso estudar formas de realizar processos seletivos mais igualitários, nos quais as diferenças sociais sejam consideradas na avaliação de candidatos.

Ainda vemos poucas empresas que atuam de forma ativa para a promoção da igualdade de oportunidades entre pessoas negras e brancas e, como muito tem sido falado, precisamos trabalhar contra o racismo de forma ativa, não somente observar. Não promover o racismo não é suficiente, é preciso ter atitudes anti-racismo. 

As ações para combater o racismo dentro das organizações

Para promover uma real igualdade dentro da empresa, criamos uma lista de ações para guiar você, com o seu trabalho, em como contribuir para que as futuras pesquisas tragam dados mais igualitários, independente de raça ou gênero. 

Ações práticas que ajudam na luta contra o racismo estrutural nas empresas:

Conheça sobre o assunto

Estude sobre o impacto que o racismo causou para a sociedade e como isso afeta os nossos dias atuais. Conheça os movimentos e suas bandeiras, estudiosos da área e também escute as pessoas. Para que você colabore com a causa de forma correta, é necessário que você também entenda sobre o que estamos tratando. 

Trabalhe os dados da sua empresa

Conheça as pessoas que compõem a organização. Identifique suas características comportamentais, demográficas e sociais  Assim você terá informações consistentes e integrais, possibilitando um retrato mais fiel e completo da organização dados vão mostrar quais são os indicadores de diversidade na empresa e apoiam diretoria, RH e gestores com conhecimento para a estruturação das ações da empresa para a promoção da diversidade.

Reconheça as diferenças

Esse é o principal ponto para que sua empresa abandone a segregação. É necessário reconhecer que o racismo existe e é algo estrutural que precisa ser desconstruído com ações que vão além da teoria.

Entender que pessoas têm vivências diferentes e que sua cor e gênero influenciam as experiências que as pessoas passam é um passo muito importante para promover um ambiente saudável para todos. 

Esse entendimento fará com que seus colaboradores que hoje se sentem minoria por algum motivo, percebam que estão inclusos em uma empresa que age com empatia e não ignoram  os desafios individuais 

Trabalhe a forma com que a empresa se apresenta

Nós, naturalmente, procuramos pessoas e valores que se pareçam conosco e isso não é diferente quando procuramos uma oportunidade de trabalho. Sendo assim, a imagem que a sua empresa transmite, desde sua identidade até seus  posicionamentos e comunicações, é algo de extrema importância. 

Se apresentar e ser, obviamente, uma empresa que apoia a diversidade com ações reais fará com que a participação em seus processos de seleção também seja mais diversa, além de ser algo engajador para seus colaboradores, ajudando também em seu indicador de rotatividade

Promova um ambiente de acolhimento e segurança

Crie canais de comunicação onde as pessoas se sintam seguras para relatar acontecimentos positivos e negativos do seu dia a dia. A criação destes canais é mais uma ação que irá auxiliar na criação de uma cultura de acolhimento dos colaboradores. 

Essa é uma ação simples, porém, exige extrema maturidade das pessoas responsáveis para lidarem com essas informações. Quando um colaborador compartilha algo, ele espera ser entendido e que aquilo gere também alguma ação, então entenda que isso deve ser tratado como prioridade para que o colaborador não perca a credibilidade naquela ação e até na empresa.

Deixe que as pessoas se apresentem e contem suas histórias de vida

Valorize o potencial de todas as pessoas da sua organização, independente de sua raça ou gênero e conte também histórias de como aquela pessoa gerou impacto positivo para a  empresa. 

Crie espaços onde as pessoas possam falar sobre representatividade e contar suas vivências. Muitos destes assuntos podem ser considerados tabus, porém, precisam ser discutidos. Pessoas precisam ser escutadas e histórias precisam ser contadas. Quando isso acontece, as chances de mudança da mentalidade das pessoas são muito maiores. 

Refletir sobre o racismo é de extrema importância para o crescimento social. Aproveite a sua visita e leia sobre o Dia da Consciência Negra.

3 2 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments