PDI: exemplo de como fazer (com planilha) e boas práticas para ter sucesso!

O PDI é uma estratégia que identifica metas e ações personalizadas para aprimorar habilidades e avançar na carreira profissional.
BAIXE GRÁTIS!

Aqui você encontra:

Uma das ferramentas que ajudam a alavancar a carreira de um profissional é o Plano de Desenvolvimento Individual, o PDI. Com ele, o colaborador tem clareza sobre como adquirir as habilidades necessárias para crescer e em conformidade com as metas do negócio.

Mas, afinal, qual o significado de PDI e como fazer de forma eficiente? Além disso, qual é a importância de acompanhá-lo nas organizações? Para responder a essas e outras dúvidas, preparamos este artigo com dicas e detalhes sobre o assunto. Confira!

O que é PDI?

O Plano de Desenvolvimento Individual, também conhecido como PDI, é um plano de ação que procura desenvolver habilidades estratégicas nos colaboradores a partir de suas necessidades. Assim, essa ferramenta auxilia no alcance de metas de curto e longo prazo, relacionadas tanto à carreira quanto à vida pessoal.

Ao elaborar um PDI, é possível organizar ideias, desejos, metas e executar estratégias que as viabilizem, sendo uma parte essencial do Treinamento e Desenvolvimento nas empresas. Dessa forma, um Plano de Desenvolvimento Individual é capaz de aumentar exponencialmente a motivação, o foco, a produtividade e a energia dentro e fora do ambiente de trabalho. 

Planilha gratuita para aplicar o PDI

Preencha o formulário e receba grátis o material direto no seu e-mail! 📩

Quais são os benefícios do PDI?

Um PDI ajuda a definir melhor quais são os próximos passos na carreira dos colaboradores, dando uma visão mais detalhada e realizável do futuro. Com isso, ele se torna mais motivado a realizar boas entregas e a buscar o aprimoramento constante. Assim, a empresa também ganha maiores resultados e engajamento.

Isso porque, o simples fato de ter profissionais mais motivados já é uma grande vantagem para a produtividade e rotina da organização.

Além disso, é possível estabelecer desafios cada vez maiores e fazer com que o negócio cresça junto com seus colaboradores, em um processo cíclico de evolução. Outro benefício muito importante é a melhoria do clima organizacional e do engajamento dos times.

Tudo isso contribui para a redução das taxas de absenteísmo e de turnover, estabelecendo uma excelente prática para a retenção de talentos.

Saiba mais: descubra como diminuir a rotatividade de funcionários da sua empresa com a Sólides

GARANTA SUA VAGA!

Benefícios práticos de um PDI eficiente

Os benefícios práticos de um Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) são diversos e podem ser observados tanto para os colaboradores quanto para a empresa. Alguns dos benefícios práticos mais significativos incluem:

Descubra o que são competências técnicas e comportamentais para incluir no PDI!

Para os colaboradores

1. Direcionamento e clareza: Um PDI ajuda os colaboradores a definirem seus objetivos de carreira e a terem um plano claro para alcançá-los, proporcionando um senso de direcionamento.

2. Motivação e engajamento: Colaboradores com metas claras e a oportunidade de se desenvolverem tendem a estar mais motivados e engajados em seu trabalho.

3. Aprimoramento de habilidades: O PDI permite que os colaboradores identifiquem as habilidades que precisam melhorar e fornece um caminho para adquirir essas habilidades por meio de treinamento e desenvolvimento.

4. Crescimento profissional: Com metas e um plano de desenvolvimento, os colaboradores podem progredir em suas carreiras e alcançar posições mais elevadas na organização.

5. Autoconhecimento: Ao refletirem sobre suas habilidades e metas, os colaboradores desenvolvem um melhor entendimento de si, o que pode ser valioso em seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Curso grátis: Ações estratégicas da Gestão de Pessoas

Para a empresa

1. Produtividade aprimorada: Colaboradores motivados e engajados tendem a ser mais produtivos, contribuindo positivamente para os resultados da empresa.

2. Retenção de talentos: Empresas que investem no desenvolvimento de seus colaboradores têm maior probabilidade de retê-los, reduzindo os custos associados à rotatividade de pessoal.

3. Desenvolvimento da força de trabalho: O PDI ajuda a empresa a cultivar uma força de trabalho altamente qualificada e alinhada com suas necessidades e objetivos.

4. Clima organizacional positivo: Colaboradores que veem a empresa investindo em seu crescimento tendem a estar mais satisfeitos e a contribuir para um clima organizacional positivo.

5. Evolução do negócio: Com colaboradores capacitados e engajados, a empresa está melhor posicionada para se adaptar às mudanças do mercado e crescer de forma sustentável.

Em resumo, um PDI beneficia os colaboradores ao fornecer direção, motivação e oportunidades de desenvolvimento, enquanto a empresa colhe vantagens como maior produtividade, retenção de talentos e progresso contínuo.

A importância do perfil comportamental e das soft skills na definição de um PDI

Como vimos, o PDI é um plano individual que visa o desenvolvimento profissional. Logo, é fundamental conhecer melhor cada colaborador, com todas as suas particularidades, bem como os seus anseios e objetivos de curto, médio e longo prazos.

Para tanto, a análise do perfil comportamental garante o levantamento de informações bastante relevantes, por exemplo, a forma como cada um lida com sua rotina e desafios diários e como isso afeta a capacidade de evoluir na carreira.

Além disso, as soft skills são as características responsáveis pela boa convivência junto aos colegas, gestores e liderados. Isso porque são elas que potencializam as hard skills e tudo que se aprende nos cursos, livros e pesquisas. Juntos, esses dois aspectos ajudam a fortalecer as bases do PDI, deixando-o mais eficiente e preciso.

Baixe grátis!

Como fazer um Plano de Desenvolvimento Individual? 7 passos para elaborar um PDI

Os passos que guiam a aplicação de um PDI eficiente são:

  • Estabeleça planos e metas;
  • Calcule os custos necessários;
  • Defina um cronograma;
  • Faça uma análise da situação;
  • Avalie pontos fortes e fracos;
  • Colete feedback de outras pessoas;
  • Parta para a ação.

Além de ajudar a identificar os pontos a serem desenvolvidos, o plano facilita a criação de métodos assertivos para o desenvolvimento individual e das organizações. 

Entretanto, é necessário elaborá-lo com eficiência a fim de que proporcione bons resultados. Nesse sentido, separamos alguns aspectos a serem considerados durante a sua elaboração. Veja! 

Compartilhe nas suas redes sociais ou clique na imagem para baixá-la!

LinkedIn
WhatsApp
Email

1 - Estabeleça planos e metas

Comece definindo objetivos a curto, médio e longo prazo. Pense no futuro e liste alguns desafios para os próximos meses ou anos. Procure alinhar os anseios profissionais aos pessoais para que as áreas não entrem em conflito.

Em seguida, defina metas para atingir esses objetivos. Essa é a melhor maneira de alcançar seus propósitos e de concretizar seus planos. 

2 - Calcule os custos necessários

Quem almeja o desenvolvimento profissional e pessoal precisa ficar por dentro dos custos necessários para esse crescimento. Tais despesas estão ligadas a:

  • Cursos de aperfeiçoamento;
  • Eventos e seminários de capacitação;
  • Aquisição de livros, de equipamentos ou de ferramentas que poderão ser utilizados durante a jornada para alcançar objetivos. 

Ter o conhecimento dos custos de cada ação, tanto relacionadas ao dinheiro quanto ao tempo, evita um desequilíbrio financeiro. Por isso, faça um levantamento de todos os custos necessários para cumprir as metas. 

3 - Defina um cronograma

Com o intuito de manter o foco e evitar a tentadora procrastinação, estabeleça um cronograma de ações com datas possíveis de realizar.

O ideal é definir prazos e separar tempo para cada ação necessária para atingir determinada meta. Mas é preciso que você seja razoável; nada adianta estipular prazos apertados que não serão cumpridos. 

4 - Faça uma análise da situação

Quando conhecemos o contexto da empresa, fica mais fácil ter controle sobre o que acontece nela. Por isso, é importante usar uma ferramenta para compreender as forças, as fraquezas, as oportunidades e as ameaças da organização. 

Nesse contexto, o gestor da empresa ou o analista de Recursos Humanos pode conduzir essa análise. No caso autônomos, uma boa autoanálise comportamental pode apontar o que precisa ser melhorado. 

5 - Avalie pontos fortes e fracos

A base para um PDI eficiente é o mapeamento de competências, assim como a própria análise situacional do tópico anterior pode fornecer subsídios. Assim, busque identificar as competências necessárias para atingir os objetivos. 

Essa etapa também é ideal para realizar o mapeamento de perfil comportamental, que ajudará a aprimorar os pontos fortes e corrigir eventuais vulnerabilidades. É um passo essencial para entender o que deverá ser executado a fim de alcançar tudo que se aspira.

6 - Colete feedback de outras pessoas

A opinião de gestores, lideranças, colegas, colaboradores e clientes é sempre bem-vinda para a implementação do PDI. O feedback também serve para validar objetivos e metas, além de aparar arestas. 

É importante ainda dar feedbacks aos colaboradores, de forma individual, apontando os resultados colhidos em avaliações de desempenho, por exemplo. 

7 - Parta para a ação

Depois de colocar em prática os passos anteriores, é hora de partir para a ação. Se for preciso, faça adaptações e costure pontas soltas. Implemente o plano estabelecido e adapte o que for necessário, de acordo com a interpretação dos resultados. 

Contudo, é fundamental não se precipitar, pois o PDI funciona por passos. Aqui, é preciso manter o foco e produzir, tendo em mente que a estratégia pode ser sempre modificada.

Diagnóstico Sólides, descubra a real situação do seu RH

Desafios para fazer e implementar um Plano de Desenvolvimento Individual

Um dos principais desafios na hora de implementar um modelo de PDI é estabelecer metas e objetivos que tirem os colaboradores da zona de conforto, mas que sejam atingíveis. Essa é uma forma de manter as pessoas motivadas a colocar em prática o Plano de Desenvolvimento Individual e ao mesmo evitar grandes frustações por não conseguir cumprir uma meta inalcançável.

Inclusive, de acordo com o Panorama de Gestão de Pessoas, da Sólides, esse é o quarto maior desafio dos RHs no dia a dia:

dado mostrando que o desenvolvimento de um PDI é o quarto maior desafio do RH

Para mudar essa realidade, te ajudamos com um passo a passo completo. Continue a leitura!

Ao longo desse processo de desenvolvimento do PDI, é preciso também ter muita disciplina e organização para executar os passos definidos no plano.

Modelo de PDI

Para inspirar o seu time de RH na elaboração do Plano de Desenvolvimento Individual, trouxemos um exemplo de como ele pode ser estruturado, pensando em um gestor de RH. Confira!

OBJETIVO: Melhorar comunicação nos times

Habilidade a desenvolverAçãoPrazo
Práticas de comunicação não violentaFazer curso de comunicação não violenta1 mês
Capacidade de dar feedbacks estruturadosEstabelecer rotina de one-o-ones com os liderados3 meses

Entenda como fazer PDI com a Sólides

A plataforma da Sólides conta com vários recursos que auxiliam na criação do plano de desenvolvimento individual dos colaboradores da sua empresa. Algumas ferramentas como o Profiler, o People Analytics e alguns tipos de avaliação de desempenho são essenciais para elaborar e acompanhar um plano personalizado e eficaz. Confira a seguir como isso funciona na prática!

Use o Profiler na construção do PDI de cada colaborador

O PDI é uma ferramenta incrível, que demanda um esforço grande em sua implementação. Por isso, é interessante contar com a ajuda de outras ferramentas que tornem o trabalho mais simples e eficiente, como no caso do Profiler. 

Nos tópicos a seguir, veremos como ele representa um importante diferencial na elaboração de um Plano de Desenvolvimento Individual.

Como criar o PDI de cada perfil comportamental?

Todas as avaliações do Profiler estão baseadas na análise de perfis comportamentais, utilizando a metodologia DISC como suporte principal e outras 6 metodologias. Diante disso, é possível determinar planos mais adequados, ricos em detalhes e especialmente desenvolvidos conforme a individualidade de cada colaborador. Agora, entenda como isso é refletido conforme cada perfil comportamental.

Comunicador

Trata-se de pessoas influentes, sociáveis e comunicativas.

Em geral, prezam por praticidade e tendem a perder o foco com muita facilidade. Por isso, o PDI de alguém com o perfil comunicador não pode contemplar muitos objetivos, além de contar com um acompanhamento mais frequente e próximo, para que o profissional não acabe se distraindo pelo caminho.

Nesse sentido, o uso de materiais mais lúdicos, como vídeos, apresentações gráficas e afins, tende a gerar bons resultados. Outro ponto importante é sugerir que essa pessoa interaja com alguém de alta performance, que a ajude a desenvolver essa questão.

Executor

Perfil executor relacionado ao PDI

Os executores são pessoas objetivas, determinadas e independentes. Em função disso, seu PDI deve ser mais objetivo, com metas precisas e rápidas de serem alcançadas. São profissionais mais agitados e que não têm tempo a desperdiçar, por isso preferem materiais de consumo ágil, como os podcasts, que ele pode ouvir enquanto realiza outra atividade.

Planejador

O perfil planejador é calmo, confiável e estratégico. Trata-se do tipo de pessoa que gosta de ter tudo sob controle e precisa se sentir seguro antes de agir. A elaboração de um plano para ele não é o problema, e sim a sua execução.

Perfil planejador relacionado ao PDI

Por isso, é fundamental que o PDI desse perfil seja feito com base em metas muito bem-direcionadas e claras e que conte com um acompanhamento mais próximo e materiais de apoio para manter um norte.

Analista

Por fim, temos os analistas, que são metódicos, detalhistas e precisos. Trata-se de pessoas que gostam de mergulhar fundo no que estão fazendo e prezam pela qualidade em suas entregas.

Perfil analista relacionado ao PDI

A criação de um PDI para esse perfil deve considerar uma quantidade reduzida de metas que possam ser aprofundadas, bem como a colocação de feedbacks mais elaborados que os ajudem a compreender os porquês de cada ponto levantado.

➡️ Descubra as aplicações do Profiler Sólides para a Gestão de Pessoas

Quais são as competências a serem desenvolvidas em cada perfil?

Assim como cada um dos perfis apresenta suas características mais marcantes, eles também têm pontos de desenvolvimento para haver um equilíbrio em suas carreiras. Nesse sentido, listamos algumas das competências que devem ser trabalhadas no PDI de cada um deles.

Comunicador: disciplina, detalhismo e planejamento

A expansividade e dinamismo dos comunicadores fazem com que eles não consigam se ater muito bem a detalhes ou que consigam se planejar de realizar suas tarefas. Em alguns momentos, essas características podem fazer falta, mas algumas ações ajudam a desenvolvê-las:

  • Encarregar uma tarefa diária, que aconteça sempre no mesmo horário do dia;
  • Deixar a pessoa responsável pelo registro da ata de uma reunião;
  • Atribuir uma meta compartilhada com alguém do perfil planejador.

Executor: empatia, colaboração e trabalho em equipe

Executores são tão focados em fazer as coisas que acabam não olhando muito para quem está ao seu redor. Com isso, sua capacidade de serem empáticos, colaborativos e de trabalhar em equipe acaba ficando prejudicada.

Para o time, pode até parecer arrogância ou prepotência, mas, na verdade, é apenas como lidam com sua rotina. Nesse sentido, algumas ações podem ajudar a desenvolver as competências que lhes faltam:

  • Deixar a pessoa responsável por acompanhar os novos colaboradores no processo de onboarding;
  • Demandar mais momentos de feedbacks junto aos colegas de time;
  • Inserir em tarefas que demandem a participação de outras pessoas.

Planejador: dominância e autonomia

A calmaria do perfil planejador é um excelente aliado de uma rotina mais puxada e estressante, porém esses profissionais tendem a não assumir responsabilidades ou a expor suas ideias, mesmo que elas sejam boas para todos. Para desenvolver a falta de dominância e autonomia, é preciso implementar ações, como:

  • Criar um espaço confiável e acolhedor, que incentive a proposição de ideias;
  • Colocar a pessoa na liderança de algum projeto;
  • Atribuir atividades de maior responsabilidade.

Analista: dinamismo, automotivação

Os analistas são altamente perfeccionistas, por isso, acabam sendo bastante autocríticos. Diante disso, são pessoas que precisam melhorar a autoconfiança e a autoestima para, então, conseguirem aumentar seu dinamismo na execução das tarefas. Algumas das ações que contribuem com esses objetivos são:

  • Trabalhar o autoconhecimento;
  • Dar feedbacks mais constantes, exaltando o desenvolvimento adquirido;
  • Dar mais autonomia à pessoa;
  • Oferecer mudanças em processos nos quais ela possa opinar.

O papel do People Analytics e da Avaliação de Desempenho no PDI

A criação do PDI é apenas o ponto de partida para haver um real desenvolvimento de cada profissional. Além de implementar as ações, é preciso acompanhar os resultados para verificar se tudo está indo bem ou se serão necessários ajustes ao longo do caminho.

Nesse momento, entram em cena duas ferramentas essenciais para a gestão de pessoas: o People Analytics e a Avaliação de Desempenho. Juntas, elas permitem levantar informações precisas e valiosas sobre a performance de cada colaborador, o que garante mais exatidão na definição dos próximos passos do desenvolvimento da carreira de cada profissional.

➡️ Saiba também:

Próximos passos

Como vimos, o Plano de Desenvolvimento Individual é uma ferramenta bastante poderosa, quando utilizada da forma correta. Assim, os colaboradores ganham um direcionamento para suas carreiras, o que gera motivação e engajamento.

Ainda, o RH proporciona um ambiente organizacional mais harmonioso e produtivo, com redução de índices prejudiciais, como o de absenteísmo e o de turnover. A empresa, por sua vez, passa a contar com profissionais mais dedicados em suas atividades, dispostos a darem o melhor de si pelo negócio, pois sabem que também se beneficiarão com isso, ou seja, a implementação de um PDI é vantajosa para todos os envolvidos.

Participe!

Picture of Isabella Furbino
Isabella Furbino
Sou coordenadora de Treinamento e Desenvolvimento na Sólides, mentora de profissionais de RH e também para empresas do terceiro setor. Sou Especialista em Gestão Comportamental e facilitadora da Formação Analista Comportamental Profiler há 5 anos. Me formei em Psicóloga (UFMG) e sou pós-graduada em Gestão de Negócios (IBMEC BH)
Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima