Organograma empresarial: tipos, modelos e como fazer já!

Aprenda como montar um organograma empresarial, os modelos mais utilizados, quais informações inserir e outros pontos sobre o tema
organograma empresarial
SAIBA MAIS

Aqui você encontra:

Uma boa organização é capaz de tornar qualquer empresa mais produtiva e eficiente. Para isso, é possível contar com diversas ferramentas e estratégias que ajudam a gestão a ter uma visão mais ampla e sistêmica sobre a empresa. Uma dessas soluções é o organograma empresarial. 

Mas você sabe como montar um organograma completo para a sua empresa, quais informações inserir e qual o modelo mais interessante? Neste post, trouxemos as principais dúvidas sobre o tema para ajudar você a maximizar a gestão do seu negócio. Vamos a leitura? 

O que é organograma empresarial?

O organograma empresarial é um gráfico usado para representar as estruturas internas de uma organização, definindo áreas, cargos, obrigações e objetivos de cada setor e posição. 

Ele é utilizado, frequentemente, na arquitertura organizacional e estruturação de equipes e ajuda em uma visão mais abrangente dos níveis e cargos existentes na empresa. Desse modo, traduz, de forma visual, a quem cada colaborador deve responder internamente e quais as suas obrigações dentro do fluxo de trabalho.

O organograma empresarial pode ter estruturas variadas, de acordo com o funcionamento do negócio. De forma geral, são utilizadas caixas para cada cargo, desde o estagiário até o CEO. Essas caixas são conectadas por linhas para direcionar a hierarquia e conexões entre funcionários. Com isso, podemos fracionar o trabalho e dividir melhor as responsabilidades de todos.

Guia gratuito para estruturar seu RH do zero

Preencha o formulário e receba o material no seu e-mail 📩

Qual a diferença entre organograma e fluxograma?

Essas duas ferramentas são amplamente presentes no contexto organizacional para representar a estrutura interna. Contudo, existem algumas diferenças básicas entre os dois diagramas, como veremos abaixo. 

OrganogramaFluxograma
EstruturaIlustra a estrutura organizacional da empresa, mostrando a divisão de trabalho, as relações de subordinação e a distribuição de autoridade.Representa graficamente os passos ou atividades envolvidas em um processo, mostrando etapas, decisões a serem tomadas e interações entre as partes envolvidas. 
FinalidadeFornecer uma visão geral clara da estrutura organizacional da empresa.Descrever visualmente um processo de forma clara e compreensível. 
Níveis de detalheFornece uma visão geral, com foco nos cargos e departamentos principais. É mais detalhado, mostrando cada etapa de um processo específico.
Aplicação Utilizado em manuais de empresa, apresentações, documentos internos, processos de onboarding e sites corporativos. Aplicado no mapeamento de processos internos para otimizar operações, treinar funcionários e identificar oportunidades de melhoria. 

Quais os tipos de organograma empresarial?

Existem várias formas de organizar o organograma empresarial, a depender da estrutura interna do negócio:

  • Organograma vertical;
  • Organograma horizontal;
  • Organograma matricial;
  • Organograma circular;
  • Organograma funcional;
  • Organograma linear;
  • Organograma em barras.

Tendo em mente esses elementos principais, é possível escolher o modelo de organograma que atenderá melhor às necessidades da organização. Cada modelo conta com alguns itens específicos, no entanto, de maneira geral, todos devem conter:

  • Hierarquia: o desenho deve mostrar a estrutura de subordinação do cargo menor para o mais alto;
  • Linhas de comunicação: as linhas representam a conexão entre os setores ou cargos da empresa;
  • Divisão horizontal do trabalho: em alguns casos, os cargos estarão no mesmo nível hierárquico e devem ser representados pela divisão horizontal do trabalho;
  • Unidades de trabalho: elas indicam os cargos ou áreas dentro da empresa. Compostas por círculos ou quadrados, trazendo o nome do colaborador, do setor ou da equipe. 

Confira a seguir mais detalhes sobre os tipos de organograma empresarial:

Organograma vertical

O organograma clássico ou vertical é o mais usado nas empresas tradicionais. Nesse formato, a distribuição dos cargos acontece do topo para a base, indicando que quem está em cima tem o cargo com a hierarquia mais alta.

Assim, o CEO ou presidente ocupa o topo do gráfico, seguido por diretores, gerentes e suas equipes.

Organograma horizontal

Adotado por organizações modernas, que não priorizam hierarquias e subordinações entre os cargos, esse modelo é implementado para trazer mais autonomia aos colaboradores, favorecendo um ambiente mais informal. 

Na estrutura do gráfico, líderes e gestores ficam à esquerda e profissionais de níveis operacionais à direita. Os níveis continuam existindo, mas as responsabilidades são compartilhadas. 

Organograma matricial

Utilizado em multinacionais, quando um funcionário pode ter mais de um gerente ao mesmo tempo dentro de determinado projeto. Esse modelo é visualmente similar ao modelo vertical, mas divide os profissionais em grupos de trabalhos determinados para cada projeto.

O modelo facilita a colaboração entre diferentes departamentos e permite que duas ou mais lideranças consigam alinhar seus objetivos e estratégias. 

Organograma circular

Outro modelo adotado por organizações mais jovens e modernas, esse organograma tem um formato circular, onde o profissional com maior poder de decisão, geralmente o líder, é inserido no centro e, aos lados, inclui-se o restante. A ideia do modelo é promover o trabalho colaborativo e reduzir diferenciações entre as posições. 

Apesar de interessante, esse tipo de organograma pode dificultar a visualização de profissionais em níveis equivalentes de hierarquia. Para facilitar o entendimento, é recomendado utilizar uma escala de cores para a diferenciação

Organograma funcional

Com a estrutura igual ao organograma vertical, esse modelo tem como foco representar as relações funcionais entre as áreas e não a hierarquia da empresa. Assim, em vez de mapear cada funcionário e posição, ele mapeia apenas as funções e departamentos, com informações mais condensadas e resumidas.  

O modelo é comum em empresas que precisam controlar o fluxo de trabalho, mas têm dificuldades em compreender como os processos funcionam dentro do negócio.

Organograma linear

Esse é o modelo mais diferente de todos, utilizado para identificar as responsabilidades de cada cargo em diferentes processos. Dessa forma, o gráfico não mostra apenas a hierarquia, mas também as obrigações e atividades de cada um.

Para criar o modelo é preciso elencar os cargos ou áreas na horizontal e colocar as tarefas na vertical. Em seguida, utilize símbolos para identificar as responsabilidades de cada profissional em relação à tarefa, por exemplo, elencando quem “executa”, “aprova”, “participa”, “controla” e “elabora” cada atividade. 

Organograma em barras

Esse é um modelo mais simples, que identifica os cargos por meio de barras. O maior cargo fica na barra mais alta e a cada linha abaixo os níveis mais baixos. 

O gráfico, contudo, não apresenta uma correlação entre as áreas ou cargos, nem as responsabilidades de cada um. Por isso, não é muito recomendado, já que limita visualização da estrutura da empresa.   

Material gratuito: 10 dicas para gerenciar o comportamento dos colaboradores

Preencha o formulário e receba o material grátis no seu e-mail 📩

Qual a diferença entre organograma e estrutura empresarial?

É importante entender que estrutura empresarial e organograma não são a mesma coisa, embora estejam relacionados.

A estrutura organizacional é uma ferramenta utilizada para organizar a hierarquia dentro da organização. Já o organograma é uma representação gráfica desta estrutura organizacional, em forma de diagrama. 

Dessa forma, a estrutura vai muito além de apenas um gráfico desenhado. Ela é criada e pensada de acordo com os objetivos do negócio, definindo setores, processos, comunicação e hierarquia da empresa. 

Qual é o modelo de organograma mais utilizado?

O modelo de organograma vertical, também chamado de clássico, é o mais utilizado na grande maioria das empresas tradicionais. Ele também é o mais intuitivo e simples de entender e pode ilustrar de forma clara a hierarquia de uma empresa ou outra organização.

💡 Saiba também:

Qual a importância de estruturar um organograma empresarial?

Independentemente do tamanho ou formato do negócio, o organograma empresarial é uma ferramenta muito importante para a gestão. A seguir, compartilhamos alguns benefícios de adotar o modelo. 

Simplifica o funcionamento da empresa

Com uma estrutura gráfica bem feita, fica muito mais simples visualizar o funcionamento do negócio e a hierarquia, entendendo, por exemplo, os responsáveis por cada demanda e os departamentos envolvidos. 

Essa facilidade permite uma otimização na gestão do negócio, deixando claro quem são os profissionais responsáveis por cada demanda e facilitando o acionamento deles para resolver pendências urgentes ou esclarecer dúvidas.

Melhora a visão sistêmica

O organograma também permite uma melhor visão sistêmica, possibilitando uma visualização completa do funcionamento de toda a empresa, cada uma das áreas e como elas estão relacionadas entre si. 

Isso facilita uma visão estratégica da estrutura organizacional e permite uma tomada de decisões mais embasada, minimizando as chances de erros.

Auxilia na criação de um plano de carreira

O organograma também pode ajudar os profissionais de RH na criação de planos de carreira, mostrando como cada profissional pode crescer dentro da estrutura da empresa. 

Um plano de carreira bem organizado traz mais transparência e confiança ao time, permitindo que eles tenham clareza de suas possibilidades de crescimento e busquem o desenvolvimento adequado. 

Melhora a comunicação interna

Não é raro encontrarmos empresas com problemas sérios em seus processos, muitas vezes resultantes da falta de um alinhamento entre os colaboradores, que não conseguem identificar os líderes.

Quando algo ocorre, o profissional não sabe a quem recorrer, uma vez que não tem um superior predefinido. Isso impacta diretamente na comunicação interna e uma solução é a aplicação do organograma.

Nessa hora, é o diagrama que ajuda a esclarecer quais papéis serão executados pelos profissionais, de forma que a estrutura organizacional fique mais compreensível para todo o time.

Ajuda na integração dos novos colaboradores

Quando contratamos um profissional e iniciamos o onboarding, devemos dar atenção redobrada à sua integração na empresa, já que ele precisa se sentir bem acolhido e respeitado na nova posição. Assim, o organograma é útil para esclarecer como a companhia funciona, o que o colaborador fará e quem ele deve contatar em situações urgentes.

Quando a empresa é pequena, pode ser mais fácil fazer isso verbalmente e apresentar os líderes presencialmente. Mas em uma organização maior, provavelmente, o RH precisará disponibilizar algum material.

Melhora a compreensão dos níveis

Compreender quais os níveis existentes na empresa, identificando quem está no topo e na base, é importante para qualquer organização. Mesmo um negócio flexível conta com essas definições, já que elas ajudam a controlar as tarefas e melhorar a comunicação entre os colaboradores.

Há três níveis básicos: estratégico, gerencial e técnico. Com um organograma, é mais fácil entendê-los, ainda que a hierarquia não seja muito forte na instituição. 

Qual o papel do RH nessa tarefa?

O setor de Recursos Humanos é de extrema importância durante o desenvolvimento do organograma empresarial. Isso porque, essa área tem um enorme conhecimento sobre cada colaborador e os trabalhos que executam, o que possibilita a elaboração de gráficos mais completos e eficientes.

Além de trabalhar no desenvolvimento e implementação do organograma, o RH também é responsável por garantir que o gráfico esteja alinhado com a estratégia do negócio e atualizar as informações sempre que necessário. 

Onde fica o RH no organograma de uma empresa?

Assim, é comum que as organizações coloquem o RH sob o "chapéu" da área administrativa, como um setor responsável apenas por processos a nível operacional, por exemplo, contratações e demissões. 

Portanto, é importante entender, no entanto, que esse é um departamento muito mais estratégico do que técnico. É claro que a interação do RH com a área administrativa é fundamental na gestão do negócio, contudo, o ideal é que o setor fique separado visualmente, e não sob o mesmo "chapéu". 

Quais as principais áreas de uma empresa para incluir no organograma?

Essa é uma ferramenta versátil, que pode ser utilizada tanto para uma visão geral do negócio, quanto para organizar as áreas internamente. Dessa forma, a escolha de quais setores incluir no gráfico vai variar de acordo com a estratégia da gestão.

No geral, as áreas que costumam aparecer nesse diagrama são: 

  • Vendas;
  • Administração;
  • Projetos;
  • Marketing;
  • Financeiro;
  • Recursos Humanos.

Material gratuito: 9 planilhas de RH em um só lugar!

Preencha o formulário e receba grátis o kit de planilhas para RH no seu email📩

Como estruturar um organograma empresarial?

Agora que você já sabe quais informações devem constar no organograma empresarial, é só seguir o passo a passo abaixo e desenvolver o seu.

Defina o modelo de organograma

O primeiro passo é decidir qual tipo de organograma está de acordo com os objetivos da empresa. Alguns modelos serão mais comuns para organizações tradicionais, enquanto outros serão mais populares entre as mais inovadoras. 

Alguns tipos, como o circular e o horizontal, apesar de inovadores, podem ser mais difíceis de interpretar quando a organização é muito grande. Assim, são recomendados para empresas menores

Estude funções e cargos

Depois de definir o modelo, é hora de levantar as informações da organização, mapeando a hierarquia, os cargos existentes e suas funções principais. O RH deve realizar essa tarefa em conjunto aos gestores e lideranças de cada área. 

Para facilitar o processo, faça uma lista com todas as funções e cargos existentes em cada nível. Aqui, não é preciso inserir os nomes dos colaboradores, apenas as posições. 

Organize as informações de acordo com a hierarquia

Com as informações organizadas, você já pode começar a elaborar o diagrama. Hoje, existem sistemas específicos que podem auxiliar na estruturação do organograma, mas você também consegue fazê-lo com o Excel, por exemplo.

A dica é separar cada nível por cores, identificando as lideranças de cada setor. Caso opte por adicionar os nomes dos colaboradores, lembre-se de que será necessário atualizar o documento sempre que houver novas contratações e demissões. 

Revise e compartilhe a estrutura 

Por fim, é válido realizar uma segunda checagem com os gestores de equipes, para conferir se todas as informações estão corretas. Somente após esse passo, você estará pronto para compartilhar o documento com todos os profissionais da empresa e usá-lo estrategicamente na gestão. 

Concluindo, o organograma empresarial é uma ferramenta que ajuda o RH a organizar setores, funções e profissionais, garantindo uma visão mais ampla e estratégica para a tomada de decisões. 

É importante lembrar que existem outras ferramentas que podem ajudar o departamento a cruzar informações e levantar dados preciosos. É o caso, por exemplo, de soluções como o Profiler, a ferramenta exclusiva de Mapeamento Comportamental da Sólides. A partir dele e das soluções da Sólides, você consegue utilizar a inteligência comportamental em todos os processos do RH, do recrutamento ao engajamento, e mais!

Quer garantir um planejamento ainda mais estratégico ao seu negócio? Nós preparamos um kit completo com 5 materiais exclusivos que vão ajudar você nessa tarefa. Baixe gratuitamente!

Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima