O que fazer em casos de crise de ansiedade no trabalho?

SAIBA MAIS

Aqui você encontra:

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país mais ansioso da América Latina. Esse fator está, muitas vezes, relacionado a ambientes corporativos considerados tóxicos e profissionais sobrecarregados, o que pode resultar em uma crise de ansiedade no trabalho

Mas você sabe como identificar que um colaborador está em crise e como lidar com esta situação? Neste post, explicamos como se manifesta a crise de ansiedade no trabalho, quais são os principais sintomas, o que o gestor deve fazer nesse momento e como promover um ambiente mais saudável. Confira.

O que é uma crise de ansiedade? 

A ansiedade é um sentimento natural do ser humano, necessário para situações de risco e tomadas de decisão. É comum, por exemplo, que um indivíduo fique ansioso antes de uma entrevista ou viagem. Contudo, nos casos em que não há um distúrbio, esse sentimento vai embora depois que a situação é resolvida. 

Quando a ansiedade se torna frequente a ponto de dificultar tarefas, ela deixa de ser uma característica e vira um transtorno. Quem tem um transtorno de ansiedade, sente uma preocupação excessiva contínua, mesmo em situações cotidianas, permanecendo sempre em estado de alerta.

A crise de ansiedade ocorre quando essas sensações dominam a mente do indivíduo que sofre do distúrbio, provocando uma descarga de noradrenalina e adrenalina pelo organismo.

Normalmente, os picos se dão quando o indivíduo já apresenta sintomas há dias ou semanas e negligência, no entanto, ela também pode ser desencadeada por gatilhos e situações estressantes, como prazos apertados no trabalho e medo de ser demitido. 

Principais sintomas da crise de ansiedade 

Os primeiros sinais de uma crise de ansiedade são respiração ofegante, pensamento acelerado e aumento da frequência cardíaca. Além disso, a crise, pode despertar outros efeitos, tanto físicos quanto psicológicos. Os mais comuns são:

  • palpitação;
  • tontura;
  • náusea ou vômito;
  • aperto ou dor no peito;
  • dormência nos membros superiores ou inferiores;
  • tremores no corpo;
  • suor excessivo;
  • dificuldade de respirar;
  • visão borrada;
  • tensão muscular;
  • medo de morrer;
  • pensamentos desconexos;
  • preocupação excessiva;
  • sensação de desconexão do corpo e mente;
  • choro incontrolável.  

Como se manifesta a crise de ansiedade no trabalho?

A crise de ansiedade no trabalho pode ser resultado de diversos gatilhos como excesso de tarefas e responsabilidades, pressão excessiva, metas inatingíveis, carga horária extensa, prazos apertados, comunicação mais agressiva, falta de reconhecimento e medo da demissão

Esse tipo de crise pode ser desencadeado por situações pontuais, como uma reunião ou feedback, ou pode ser resultados de um acúmulo de fatores, como os citados acima. 

É importante que o gestor conheça os principais sintomas de uma crise de ansiedade e consiga identificá-la quando um de seus liderados passa por ela. Normalmente, a crise dura apenas alguns minutos, embora para o indivíduo pareça um período longo. É nesse momento que o líder deve agir para que o colaborador se recupere. 

Como lidar com um colaborador com crise de ansiedade?

É sempre recomendável que a organização treine as lideranças e busque orientações de um profissional da área da saúde para entender a melhor forma de lidar com o problema. Existem algumas boas práticas, no entanto, que podem ser aplicadas para ajudar o colaborador e se recuperar de uma crise de ansiedade no trabalho. 

Encoraje o profissional a respirar

Uma boa prática é encorajar o profissional a respirar profundamente para quebrar a respiração acelerada e desacelerar o pensamento. Instrua-o a inspirar, segurar o ar por 3 a 5 segundos e soltá-lo lentamente. O exercício deve ser repetido até que o colaborador consiga controlar a respiração e se acalmar. 

Traga-o para a realidade

Pessoas com crise de ansiedade, na maioria das vezes, têm a percepção de realidade ofuscada pelo medo. Assim, é indicado tentar trazê-la de volta para o presente com palavras gentis e acolhedoras, lembrando que ela está em um espaço seguro e que pode contar com a sua ajuda. 

Leve-o para um lugar tranquilo

É indicado levar o colaborador para um ambiente mais tranquilo, sem muitos estímulos como conversas, luzes fortes e movimentação de pessoas. Dessa forma, ele conseguirá se recuperar de forma mais tranquila, longe dos olhares da equipe. 

Garanta que ele chegue em casa com segurança

Caso opte por liberar o profissional para ir para casa, assegure-se de que ele já esteja melhor antes de sair ou forneça o transporte necessário para que ele chegue em casa com segurança e conforto.

O que não fazer nesses casos?

A ansiedade é um problema real, que traz diversos transtornos para a vida do indivíduo. Por isso, não tente minimizar ou desmerecer o problema. Foque sempre em acolher e nunca desencoraje a pessoa a acreditar que pode vencer suas dificuldades. 

Como manter um ambiente saudável no trabalho?

Saber auxiliar o profissional que passa por uma crise de ansiedade no trabalho é importante, contudo, é essencial que a organização utilize ferramentas e estratégias para manter o ambiente saudável e minimizar impactos na saúde emocional do time. 

A primeira dica é orientar as lideranças. Os líderes são os principais responsáveis por coordenar os times e têm um contato direto com os colaboradores. Por isso, eles devem ser bem orientados e capacitados para gerir com empatia, sem incentivar cargas de trabalho excessivas e evitar cobranças desnecessárias e metas inatingíveis. 

Uma cultura organizacional voltada para a qualidade de vida também pode favorecer um ambiente mais saudável. Assim, promova e incentive práticas como meditação, ginástica laboral, massagem e flexibilização de horários. Além dos programas implantados, o RH também pode pensar em benefícios que incentivem mais saúde mental no trabalho, como a psicoterapia. 

Por fim, existem ferramentas que podem ajudar o RH e os gestores a entenderem como anda a saúde mental do time, uma delas é a Pesquisa de Clima. Com essa ferramenta, é possível mensurar a percepção dos profissionais sobre o ambiente de trabalho e as lideranças, entendendo, por exemplo, se existem conflitos ou se os profissionais se sentem sobrecarregados. 

Concluindo, a crise de ansiedade no trabalho pode ser desencadeada em qualquer profissional, no entanto, elas, em geral, afetam aqueles que já apresentam algum distúrbio e estão sofrendo com excesso de trabalho ou cobranças. 

Promover um ambiente saudável e seguro é a melhor forma de evitar essas crises e focar no bem-estar do capital humano, garantindo mais qualidade de vida e produtividade.

Agora que você já sabe como agir em um momento delicado como esse, que tal baixar o e-book sobre como as avaliações de desempenho podem contribuir para uma gestão mais humanizada?

Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima