O que é Treinamento e Desenvolvimento de pessoas? Entenda as técnicas e indicadores

Tempo de leitura: 20 minutos

Está sem tempo para ler? Experimente ouvir a narração deste artigo. Aperte o play!

Ao se considerar a velocidade com a qual o mundo evolui e se transforma continuamente, espera-se que, nas empresas, essa evolução também aconteça. Muitas vezes, o que fará com que sua organização esteja atualizada com as tendências será o treinamento e desenvolvimento de pessoas.

Mas para colocar em prática algum programa de treinamento e desenvolvimento, você precisa entender o que isso significa, quais são os objetivos e como elaborar com eficiência cada uma de suas etapas.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Veja também:
[Ferramenta gratuita] Planilha de Controle e Indicadores de Treinamentos

Continue a leitura deste post e esclareça todas essas dúvidas.

O que é treinamento e desenvolvimento de pessoas

Treinamento e desenvolvimento de pessoas (T&D) é um conjunto de procedimentos, que tem o objetivo de contribuir para a evolução de um colaborador a curto e longo prazo. Ainda, são ações previamente planejadas a serem executadas em favor do crescimento profissional do indivíduo, considerando vários aspectos, inclusive as soft skills.

Para esclarecer, softs skills são competências inerentes a um profissional que, necessariamente, não são adquiridas em sua formação acadêmica. Pelo contrário, geralmente, elas são agregadas ao longo do tempo, na medida em que ele passa por experiências organizacionais ou até mesmo na vida pessoal.

Porém, muitas vezes essas habilidades precisam ser aperfeiçoadas para exercer determinadas funções. Nesse momento, o T&D se faz inteiramente necessário. 

Mesmo que um colaborador tenha várias softs e hard skills compatíveis com o seu cargo e seja competente em suas funções, o treinamento e desenvolvimento sempre é uma solução cabível, uma vez que as coisas estão acontecendo de modo acelerado ao nosso redor. 

Hoje, as tecnologias avançam depressa, atualizações são feitas constantemente e as pessoas estão cada vez mais bem informadas e exigentes. Por isso, manter uma prática de T&D pode ser a chave para deixar a sua empresa sempre alinhada com as exigências do mercado.

Diferença entre treinamento e desenvolvimento de pessoas

Embora treinamento e desenvolvimento estejam interligados, existem algumas características que os diferenciam. Confira, a seguir.

Treinamento

O treinamento é um tipo de ensinamento que tem o objetivo de cumprir uma tarefa com resultado a curto prazo. Nesse caso, o aprendizado terá início, meio e fim, ou seja, um prazo determinado para ser executado com um objetivo pontual. 

Nesse sentido, um treinamento é aplicado, geralmente, para solucionar um problema imediato e está ligado a questões mais urgentes. 

Desenvolvimento

Já o desenvolvimento de pessoas se caracteriza por ser um tipo de aprendizado que visa o longo prazo. Significa que ele não tem apenas um objetivo específico, com um fim definido, já que o propósito do desenvolvimento é ampliar os conhecimentos e experiências continuamente

Sendo assim, ele não tem início, meio e fim, e sim uma linha de aperfeiçoamento constante. Ainda, o desenvolvimento se estende, inclusive, para o progresso do profissional, visando uma futura promoção desse colaborador. 

Mas embora sejam diferentes, esses dois métodos são complementares, pois é possível afirmar que o desenvolvimento é formado por uma série de treinamentos realizados, que estarão contribuindo para o desenvolvimento contínuo do colaborador.

Objetivos do treinamento e desenvolvimento

A seguir, relacionamos algumas razões para apostar no treinamento e desenvolvimento de pessoas na empresa. 

Aumentar a produtividade 

Pessoas capacitadas desempenham suas funções com menos esforço e atingem melhores resultados. Já que ter domínio sobre o que precisa ser feito potencializa a execução do trabalho. 

Essa é uma das vantagens do treinamento e desenvolvimento: ter reflexo direto sobre a produtividade, atuando como um potencializador. Logo, quanto mais capacitado é o colaborador, melhor ele entende sobre seu ofício e como realizá-lo. 

Nesse sentido, treinamento e desenvolvimento oferecem as ferramentas e os atalhos necessários para alcançar a excelência. 

Reduzir o retrabalho

Quando o objetivo de uma ação não é alcançado ou ela não é bem-sucedida, será necessária a refação. Nas empresas, refazer algo é uma das principais causas de desmotivação e improdutividade. 

Nesse sentido, o retrabalho afeta não só o ânimo das equipes, como a percepção da qualidade do que é entregue. Além, é claro, dos custos extras para a empresa. Esses danos podem ser irreversíveis.

Dessa forma, o treinamento e desenvolvimento evita o retrabalho, pois, permite identificar e solucionar pontos problemáticos que afetam a qualidade e a autoestima do colaborador. 

Nesse contexto, gestores podem receber treinamentos específicos que os ajudem a acompanhar melhor os processos, delegar tarefas e transmitir ordens com clareza. Os colaboradores, por sua vez, podem ser treinados para potencializar suas competências e desenvolvê-las melhor. 

Melhorar a experiência dos clientes e consumidores

Constantemente, as empresas precisam aperfeiçoar produtos e serviços, tanto para acompanhar a concorrência quanto para atender às demandas dos consumidores. 

Mas para que novidades sejam apresentadas, é necessário haver o treinamento e desenvolvimento das equipes, pois são elas que estarão diretamente ligadas aos produtos e serviços, em todas as etapas do processo. 

Por isso, capacitar as pessoas é fundamental quando a empresa lança algo novo. Afinal, o time precisa estar preparado para promover a melhor experiência para o cliente. 

Capacitar a equipe para o uso de novas ferramentas

A tecnologia está muito presente nas organizações e soluções inovadoras surgem diariamente, não há como ficar indiferente. Mas ferramentas de ERP, CRM, automação de marketing, entre outras, precisam de treinamento para serem utilizadas. 

Sendo assim, da mesma forma que as equipes precisam ser treinadas para novos produtos e serviços, os colaboradores também devem receber capacitação para lidar com novas tecnologias.

Benefícios do T&D de pessoas

Depois de ler os motivos pelos quais você precisa gerar a ideia de implementar esse método de desenvolvimento em sua organização, agora, listaremos alguns dos benefícios que essa prática agrega para a sua empresa.

Melhoria no clima organizacional

Um profissional que tem a oportunidade de ser aperfeiçoado na sua função se sente mais satisfeito no cargo que ocupa. Desse modo, ele percebe que existe uma valorização do seu trabalho e nota que o que faz tem importância real.

Assim, ele lida melhor com seus colegas de time e se empenha em suas atividades. Além disso, é possível elaborar um treinamento especificamente com esse fim: aumentar o grau de satisfação da equipe com relação ao clima organizacional.

Aumento na produtividade

O treinamento e desenvolvimento das pessoas está diretamente relacionado ao crescimento da empresa de modo geral. Uma vez que, quando as pessoas são capacitadas, o nível de excelência das atividades desempenhadas tende a aumentar significativamente.

Além disso, sabe-se que pessoas satisfeitas produzem mais, trabalham com mais disposição e se engajam com intensidade no trabalho. Isso também resulta no aumento de produtividade do time, o que reflete no faturamento da empresa. 

Diminuição na taxa de turnover

Hoje, as pessoas não procuram apenas por empresas que pagam bem, a geração atual preza por estar em lugares onde elas têm possibilidade de crescimento, organizações que oferecem algo a mais do que uma remuneração financeira. 

Por isso, quando uma empresa fornece meios pelos quais elas podem ampliar seus conhecimentos e crescer como profissionais, sem dúvida escolherão permanecer nesse lugar, diminuindo assim a rotatividade de pessoas na sua empresa.

Redução de custos

Pessoas treinadas realizam suas funções com menor índice de erros. Ainda, depois que são ensinadas, suas habilidades ficam mais alinhadas e menos propícias a desperdícios, grandes falhas etc. 

Não apenas isso, mas também o fato de que diminui a necessidade de contratar novos colaboradores, quando as atividades exigidas estão de acordo com as especificações do cargo em questão.

Melhoria de employer branding

Ser bem-visto no mercado de trabalho é um grande desafio. Chamamos de employer branding o ato de tornar a sua empresa uma marca empregadora, ou seja, uma organização que atrai talentos.

Assim, incorporar o T&D na sua empresa contribui diretamente para essa tarefa. Já que, quando você mostra que sua organização se importa em desenvolver e treinar pessoas, isso é visto como um valor que vai além dos benefícios trabalhistas

Portanto, existe uma vantagem a mais de fazer parte do seu negócio, algo que diferencia entre as demais empresas. 

BAnner_Aumentar_Resultados_Com_Perfil_Comportamental

Tipos de treinamento e desenvolvimento de pessoas

Agora, conheça as opções existentes atualmente.

Técnico

O nome já esclarece bem a qual tipo de treinamento se refere. Aqui, há uma abordagem técnica, que pode se fazer necessária em algum momento ou em algum setor. Como sabemos, ferramentas se atualizam, outras novas são implementadas e processos sofrem alterações, logo, as pessoas precisam se adequar à nova realidade da empresa.

Um bom exemplo é a implementação da Lei de Proteção de Dados, que vai impactar diretamente o modo com o qual a empresa lida com informações pessoais. Certamente, cada organização precisará alinhar suas atividades e treinar pessoas para esse novo contexto.

Comportamental

Trata-se de um treinamento que desenvolve as soft skills de um colaborador. Ainda, é focado em alinhar as competências comportamentais necessárias para exercer um cargo. Assim, em uma posição de liderança, por exemplo, as habilidades de comunicação, gestão de pessoas e resolução de conflitos são indispensáveis. 

Então, se um líder precisa ter essas aptidões melhoradas, é possível elaborar um treinamento com esse objetivo.

Incentivo

Também podem ser feitos treinamentos motivacionais, para aumentar o engajamento da equipe com relação a algum novo projeto, uma nova gestão ou, até mesmo, para o trabalho do dia a dia.

Assim, é possível pensar em estratégias para incentivar as pessoas a “vestir a camisa”. Muitas vezes, um bônus financeiro não é a única solução para motivar um time, por isso, o treinamento com palestras, encontros fora do escritório, missões especiais etc., podem ser eficientes nesse sentido.

Onboarding

A integração de um novo colaborador ao time também exige um treinamento. O onboarding em si, já é uma preparação para deixar o profissional e o time ambientados com a pessoa (ou pessoas) que vai completar a equipe.

Nesse caso, será necessário comunicar quais são os valores da empresa, os costumes e regras gerais, quais são os processos que o time já utiliza, entre outras informações que são próprias de cada organização.

Embora esses treinamentos sejam mais pontuais, eles podem ser adaptados para se tornarem rotina em sua empresa, visando um desenvolvimento de longo prazo. Vale a pena, inclusive, fazer um calendário de intervenções para aplicar as capacitações e manter seu quadro de funcionários sempre atualizado tecnicamente e comportamentalmente.  

Como elaborar e aplicar T&D na sua empresa

A seguir, entenda como elaborar e aplicar o treinamento e desenvolvimento.

Pesquisa

Primeiramente, é necessário fazer uma pesquisa interna, para descobrir quais são as deficiências que a empresa está enfrentando. Essa etapa funciona como um diagnóstico, logo, para identificar a “doença” é preciso observar os “sintomas”.

Para isso, é aconselhável entrar em contato com os gestores de cada área e pedir que eles façam uma lista de questões que podem ser melhoradas dentro da sua área, em todos os aspectos. Para tanto, é possível aplicar questionários estratégicos para fazer esse mapeamento.

Planejamento 

Depois de apontar os problemas e defasagens de competências, você precisa relacionar os pontos de melhoria aos tipos de treinamento que serão necessários para suprir aquela carência.

Assim, é importante fazer um documento que demonstra essa relação de forma clara e objetiva, elencando qual é o problema e o tipo de treinamento que será aplicado. Assim, é possível ofertar uma capacitação que atenda a mais de um problema identificado, por isso, é necessário fazer esse estudo cuidadosamente. 

Nessa etapa, também é preciso definir os objetivos de cada ação, qual técnica utilizar, o orçamento para a realização do treinamento, quando será aplicado, a duração dessa ação e quais as pessoas responsáveis pela execução.

Execução

A fase de execução é justamente o “colocar a mão na massa”. É colocar em prática tudo aquilo que foi planejado. Portanto, se o seu planejamento foi completo e você conseguiu elaborar um cronograma global, essa parte não terá muitas complicações.

Claro, nem tudo sairá da forma como você imaginou. Assim, quando algo foge do planejamento, é importante manter a calma e encontrar a melhor solução para aquele contratempo, que pode vir a acontecer durante a execução. Mas é importante se esforçar ao máximo para cumprir seu plano.

Uma boa dica para essa etapa: acompanhe o decorrer do treinamento e já anote os resultados perceptíveis ao longo da execução. Ainda, veja se aquela atividade continua fazendo sentido para sua empresa, para que o treinamento ocorra de forma satisfatória.

Análise de resultados

Por último, avalie se os objetivos propostos foram alcançados. Para tanto, faça uma análise dos resultados por meio de pesquisas, depoimentos, número de pessoas atingidas etc. Aqui, vale a pena criar indicadores para que essa análise se torne mais objetiva e esclarecedora.

Por fim, essa análise não precisa ser feita apenas ao término da aplicação do treinamento e desenvolvimento, e sim deve ser analisada também no dia a dia, nas mudanças percebidas ao longo do tempo.

Banner_Gamificacao

Técnicas de treinamento e desenvolvimento

Desenvolver métodos de treinamento e desenvolvimento pessoal nas empresas exige planejamento. Por isso, elencamos agora técnicas que podem auxiliar nessa tarefa.

Cursos presenciais

Talvez essa técnica não seja a mais indicada em época de pandemia, mas vale conhecê-la para quando for possível o encontro presencial. Nesse sentido, os cursos podem acontecer na empresa ou em locais externos. Ainda, o instrutor pode ser um colaborador capacitado ou alguém terceirizado. 

Os treinamentos presenciais são uma excelente oportunidade para as trocas entre colegas e instrutores. O ponto negativo é o custo mais elevado, quando comparados com videoaulas ou cursos online. 

Educação a distância (EAD)

Cursos no formato EAD são uma alternativa aos treinamentos presenciais e são muito utilizados atualmente. A principal vantagem é atender empresas com diversas sedes ou aquelas que não conseguem definir um horário comum para os encontros.

Na educação a distância, cada colaborador consegue assistir às aulas em qualquer lugar e no momento mais adequado. Em relação aos custos, os treinamentos EAD são mais viáveis e oferecem espaço para os participantes sanarem dúvidas e ter contato direto com os instrutores. 

Cursos híbridos 

Também chamados blended, os cursos híbridos mesclam aulas presenciais com EAD. Isso significa que uma parte do treinamento poderá ocorrer em ambiente virtual e outra presencialmente. Essa técnica é mais utilizada em treinamento e desenvolvimento que exige alguma atividade prática

Eventos

Os eventos requerem investimento maior para serem realizados. Logo, é preciso pensar na locação de espaço, materiais, transporte, alimentação, entre outros. Por isso, devem ser cogitados quando o treinamento for abordar diversos temas. 

Mas quando a quantidade de conhecimento transmitida é grande, a realização de um evento pode valer o custo, principalmente pelos benefícios, como o engajamento dos participantes e a sinergia entre eles. 

Gamificação

Nessa forma de treinamento são aplicados jogos e desafios capazes de tornar o aprendizado dinâmico e competitivo. Essa técnica estimula uma disputa saudável e cria desafios a partir de situações cotidianas. O resultado, além do aprendizado, é o engajamento entre os colaboradores da empresa

Sessões criativas para a resolução de problemas

Outra técnica interessante para promover treinamento e desenvolvimento são as sessões criativas. Nesse caso, são aplicados diversos exercícios para resolver situações hipotéticas sobre problemas organizacionais reais. 

Assim, os participantes devem encontrar soluções estratégicas e criativas. Funciona como um exercício prático, com a vantagem de não causar danos à organização, já que as situações são fictícias.

Com esse método, além de encontrar possíveis pontos de melhoria no trabalho, os participantes também aprendem, na prática, a enfrentar os obstáculos

Coaching

É um método de treinamento motivacional usado para estimular os colaboradores a evoluírem profissionalmente. O coaching ajuda os indivíduos a fazerem entregas com mais qualidade e a realizarem suas funções com mais empenho. 

Na maioria das vezes, o coaching acompanha o treinamento e indica os melhores caminhos para o profissional obter resultados

Workshops

Consistem em oficinas com foco na execução prática dos processos desenvolvidos pelo negócio. Um workshop pode ser organizado na própria estrutura da empresa e, em geral, tem baixo custo para a realização

Por fim, vale ressaltar que não podemos afirmar qual dessas técnicas é a melhor. A escolha depende do contexto da empresa e do treinamento a ser aplicado. Logo, cada organização deve usar o método que atenda aos objetivos esperados e que corresponda ao orçamento disponível. 

Retenção de talentos

Indicadores de treinamento e desenvolvimento

Após definir a técnica de treinamento e desenvolvimento mais adequada para a organização e aplicá-la, é fundamental analisar os resultados. Para isso, existem os indicadores, ou seja, parâmetros para visualizar tendências, acertos, desvios e erros. 

Os indicadores podem ser divididos em duas categorias: específicos e gerenciais. Confira os principais.

Indicadores específicos

Taxa de adesão

Mostra a porcentagem de colaboradores que aderiram ao convite de treinamento, ou seja, que responderam positivamente ao chamado da empresa. Esse indicador permite confirmar a efetividade da divulgação do programa e o nível de interesse dos colaboradores

Uma dica para divulgar melhor os treinamentos: dissemine as informações com antecedência e reforce a importância da participação de todos. 

Taxa de abandono 

Mostra o número de colaboradores que desistiram do treinamento antes de concluí-lo. Dessa forma, taxas de abandono altas podem significar falta de engajamento ou baixa qualidade do que foi oferecido. Ao observar altas taxas de abandono, convém fazer ajustes no plano de desenvolvimento

Reação dos participantes

Ao fim do treinamento é fundamental avaliar a reação dos participantes. Para tanto, colha feedbacks dos colaboradores que sejam relevantes ou forneçam insights para futuros treinamentos. 

Ainda, observe a taxa de reações favoráveis e desfavoráveis. Isso pode ajudar a entender a forma como os colaboradores aderem aos treinamentos. 

Média de avaliação do aprendizado

Notas obtidas pelos colaboradores durante o treinamento podem ser um indicador específico para demonstrar o nível de aprendizagem. Nesse sentido, uma média muito baixa mostra que a aquisição de conhecimento não foi boa. A conclusão é que o treinamento foi falho. 

Investimento em treinamento e desenvolvimento por pessoa

Ao dividirmos o custo total do treinamento pelo número de participantes, chegamos ao investimento por pessoa. Esse indicador vai mostrar se as capacitações estão valendo a pena. Aqui, o raciocínio é: quanto maiores os custos, melhores devem ser os resultados

Aproveitamento individual

Avalie o desempenho de cada colaborador participante do treinamento para descobrir se aproveitaram de fato o que aprenderam. Para isso, a performance anterior à qualificação deve ser comparada à atual. Assim, observe como executam suas atividades antes e depois. 

Indicadores Gerenciais

Colaboradores alcançados

Este indicador considera o número de colaboradores participantes de um treinamento, incluindo seu tempo de duração. Nesse sentido, ele tem a função de avaliar a capacidade da equipe que conduziu a programação

Para tanto, é válido fazer alguns questionamentos: a equipe conseguiu lidar com grande quantidade de colaboradores? Conduziu bem o tempo? Como foi a execução? Trata-se de pontos que devem ser avaliados. 

Tempo médio de treinamento por pessoa

Considera a média de tempo destinada ao treinamento de cada colaborador. Esse indicador permite saber quantas horas de trabalho foram utilizadas para treinar pessoas e se os resultados conquistados condizem com o tempo gasto. 

Média de temas por pessoa

Este indicador deve mostrar quais assuntos atraíram e engajaram mais participantes. A média de tempo por pessoa possibilita que sejam adotadas novas abordagens para temas menos populares para, assim, torná-los mais interessantes. 

Investimento total em treinamento e desenvolvimento

A questão financeira deve ser considerada na aplicação dos programas de treinamento. Por isso, deve-se conhecer os custos para capacitar os colaboradores. Esse indicador mostra que o treinamento e desenvolvimento ideal é aquele que tem bom preço e gera bons resultados

Indicadores de Negócio

Este indicador ajuda a compreender quanto os números da empresa melhoraram após a aplicação do treinamento. Já que as técnicas têm o objetivo de desenvolver pessoas para que trabalhem melhor. Portanto, ter bons resultados é o esperado nesses casos. 

Como vimos, o treinamento e desenvolvimento servem para desenvolver competências e melhorar a performance dos colaboradores. Quem sabe até formar equipes de alto desempenho. Para saber mais como ajudar os profissionais da sua empresa, recomendamos o e-book sobre como elaborar um Plano de Desenvolvimento Individual com a Sólides.

4.3 9 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments