Gestão de Talentos: Guia completo de como implementar

Tempo de leitura: 22 minutos

Está sem tempo para ler? Experimente ouvir a narração deste artigo. Aperte o play!

Já ficou comprovado que uma gestão focada no capital humano contribui para a atração e retenção dos melhores profissionais e, como consequência, impulsiona os resultados da empresa. 

Mas como membro do RH, você entende o que é gestão de talentos?

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Se a sua resposta for não, saiba que está desatualizado. Atualmente, o RH deixou de ser um setor administrativo e assumiu uma posição estratégica dentro das organizações. 

Hoje, a sua missão é fortalecer a ligação entre os colaboradores e a empresa, desenvolvendo ações que promovam os objetivos da cultura organizacional e o bem-estar de todo o time.

E a gestão de talentos é uma das estratégias mais eficazes para que isso aconteça, pois ela possibilita uma gerência personalizada de acordo com o perfil comportamental de cada colaborador.

Se você se interessou pelo assunto e quer investir na sua empresa por meio da gestão de talentos, continue acompanhando a leitura e transforme a maneira de gerir seus profissionais!

Afinal, o que é gestão de talentos?

Antes de aprofundarmos no assunto, vale à pena refletir sobre o que é um talento.

No ambiente empresarial, essa definição pode variar de acordo com as perspectivas da organização. 

Em um setor comercial, por exemplo, os gestores geralmente buscam pessoas comunicativas e focadas em resultados. 

Já em uma área administrativa, a preferência pode ser por profissionais com um comportamento mais reservado e analítico.

Isso significa que, um talento nada mais é que ter um profissional no lugar certo, de acordo com as suas competências técnicas e comportamentais. 

Logo, o conceito de gestão de talentos trata da identificação de pessoas capazes de impulsionar os resultados e a marca da empresa no mercado, além da necessidade de desenvolver ações e estratégias para que esses profissionais sejam recrutados, desenvolvidos e retidos.

ebook gestão de talentos

Por que a gestão de talentos é importante para a empresa?

Quando a empresa investe na gestão de talentos, ela faz com que seus colaboradores se sintam à vontade no ambiente empresarial e queiram permanecer nele — por enxergar uma ótima opção para o desenvolvimento da sua carreira e de seu potencial produtivo. 

Outro ponto a se destacar é que muitos dos profissionais que estão no mercado atualmente nasceram na virada do século 20, os chamados millennials. 

Segundo uma pesquisa realizada pela Bentley University, até 2025, os millennials deverão corresponder a 75% da força mundial de trabalho, tornando extremamente importante que as empresas e, principalmente, os responsáveis por recursos humanos, adaptem-se e saibam lidar com o impacto gerado por essa população.

Ainda, esses profissionais já nasceram alimentados pelo “boom” da internet e têm uma particularidade: não são eles que se adaptam ao ambiente corporativo, e sim as empresas que devem se moldar ao seu estilo de trabalho. 

Logo, podemos entender que a gestão de talentos é uma tendência que veio para ficar.

Como funciona a gestão de talentos?

A gestão de talentos começa antes mesmo da contratação e se estende para diversos setores. 

A prática se trata funciona ao concentrar esforços para atrair, reter e manter elevado o nível de satisfação dos colaboradores em relação ao contratante. Afinal, quando motivados, os profissionais tendem a entregar melhores resultados.

Em outras palavras, a gestão de talentos aplica técnicas para melhorar a saúde do negócio como um todo.

Quais os princípios da gestão de talentos?

gestão de talentos principios

Agora que você já entendeu o que é a gestão de talentos, confira algumas ações que estão diretamente ligadas a esse processo. 

Mapear talentos

Para encontrar o talento que tenha as habilidades que sua empresa precisa, primeiramente, é fundamental que o RH, juntamente com o gestor, defina o que é esperado para cada posição e quais são os canais para encontrar essas pessoas. 

As redes sociais, por exemplo, têm sido uma das formas mais rápidas e fáceis de alcançar o talento desejado.

Da mesma forma, é fundamental que gestores e líderes conheçam os talentos já existentes dentro da organização. Assim, é possível garantir que seus colaboradores cresçam profissionalmente dentro da empresa. 

Atrair talentos

Para transformar sua organização em um local onde os melhores profissionais queiram estar, uma tendência na atração de talentos é o employer branding

Esse conceito se refere a um conjunto de estratégias e ações com o objetivo de criar uma imagem positiva da empresa diante do mercado. 

Assim, é papel da gestão de talentos alimentar as redes sociais com vídeos sobre o ambiente de trabalho, depoimentos de colaboradores e artigos sobre o meio, além de organizar feira de talentos e workshops para o público externo. 

Dessa forma, pessoas de fora terão a oportunidade de conversar com a organização, são umas das estratégias que mostram o diferencial da empresa no mercado. 

Desse modo, quando bem trabalhadas, essas ações farão com que os melhores talentos enxerguem a organização como uma ótima opção para se trabalhar.

Recrutar talentos

Depois de atrair os talentos para a sua empresa, é importante realizar um recrutamento que facilite a comunicação entre o RH e possíveis candidatos de uma maneira mais rápida e interativa.

Hoje, é possível otimizar essa etapa utilizando um software de gestão, por meio de questionários online e a realização do teste de perfil comportamental, para desqualificar participantes que não se adéquam ao perfil da vaga. 

Além disso, os resultados são armazenados dentro da própria plataforma, possibilitando maior agilidade no processo e melhor chance de obter um “match” entre a empresa e o candidato por meio de fases de recrutamento mais focadas

Selecionar talentos

Nessa etapa, continuam no processo seletivo somente os talentos que vão de encontro com a descrição do cargo, considerando suas hard e soft skills, o fit comportamental, entre outros fatores. 

Nesse momento, geralmente, acontecem as fases presenciais, como dinâmicas de grupo, entrevistas com líderes e gestores etc.

Treinar e desenvolver talentos

Além de investir em treinamentos com o novo colaborador, para que ele se sinta mais à vontade com a empresa e preparado para desenvolver suas atividades. 

Também é fundamental que a organização invista no desenvolvimento dos talentos que já fazem parte da equipe.

Uma organização que investe na capacitação e no crescimento dos seus profissionais, certamente, está fazendo uma boa gestão de talentos. 

E com o avanço da tecnologia, além da mudança no perfil dos profissionais, o ensino eletrônico tem se mostrado uma forma de aprendizagem inovadora para a empresa se manter atualizada e competitiva no mercado. 

Nesse sentido, o método e-learning, por exemplo, permite uma aprendizagem mais dinâmica, que pode ocorrer até mesmo por meio de jogos educativos, conceito conhecido como gamificação. 

Banner_Gamificacao

Criar plano de carreira

Não basta investir na capacitação do colaborador se a empresa não abrir espaço para que ele aplique seus conhecimentos e cresça dentro da organização.

Além disso, quando o colaborador conhece os planos que a empresa tem para ele, sabendo qual cargo será ocupado daqui a um ou dois anos, faz com que o profissional se sinta mais motivado e engajado a pertencer e vestir a camisa da empresa.

Avaliar o desempenho

Por último, e não menos importante, avaliar o desempenho dos colaboradores é fundamental para que a empresa entenda se suas ações e estratégias de gestão de talentos são eficazes.

Processos envolvidos na gestão de talentos

  • desenvolvimento profissional;
  • avaliação;
  • reconhecimento;
  • ascensão na carreira. 

O ideal é perceber que, enquanto algumas empresas veem o colaborador como uma mera ferramenta de trabalho, outras valorizam e compreendem o fator humano. 

Elas sabem que por trás de cada funcionário há um ser complexo que precisa de estímulos e condições para se desenvolver. 

As empresas que têm essa visão, são aquelas que investem na gestão de talentos. Essas organizações conseguem vislumbrar as particularidades do colaborador e atrelar suas potencialidades aos planos estratégicos da empresa. 

Ainda, não podemos desconsiderar que a gestão de talentos é um dos maiores desafios das empresas. 

Afinal, ao administrar o capital humano da organização, o analista de RH precisa executar muitas etapas: captar, selecionar e reter os melhores profissionais. 

Paralelo a isso, é preciso assumir o compromisso de valorizar e desenvolver os colaboradores para manter o negócio competitivo e capaz de gerar resultados. 

Para tanto, a gestão de talentos é peça fundamental durante a jornada de um profissional, já que começa antes da contratação e estende-se por toda sua carreira na empresa. 

Diferença entre gestão de talentos e gestão de pessoas

Muitos acreditam que gestão de talentos e a de pessoas são a mesma coisa.

De fato, existem pontos em comum entre essas duas estratégias. Ambas administram os recursos humanos em uma empresa. Mas vamos conhecer as particularidades de cada área?

Gestão de pessoas

Trata-se do RH tradicional, aquele que se dedica às tarefas administrativas e burocráticas. 

Compete a esse setor, cuidar da folha de pagamento, programar férias e administrar os benefícios assegurados pela legislação trabalhista, entre outras funções.

De maneira geral, a gestão de pessoas é focada em acompanhar a vida profissional do colaborador dentro da empresa.

Ela age cuidando de trâmites referentes à contratação, remuneração, liberação para férias, recebimento de atestados, banco de horas, desligamentos e até cartas de recomendação. 

Em outras palavras, a gestão de pessoas existe para suprir as necessidades imediatas e cotidianas do colaborador. 

Gestão de talentos

Já a gestão de talentos é vista como o RH do futuro. 

Esse setor trata sobre o desenvolvimento dos colaboradores de maneira estratégica, criando um ambiente organizacional saudável e propício à lapidação contínua das competências de cada profissional. 

Nesse sentido, talvez o maior mérito da gestão de talentos seja a possibilidade de ultrapassar as barreiras administrativas e burocráticas da gestão de pessoas e se integrar à estratégia de crescimento da empresa. 

Ainda, a gestão de talentos é a alma do RH, pois ajuda a refinar os potenciais dos colaboradores, ao mesmo tempo que lhes dá suporte para a execução de suas tarefas com excelência. 

Além disso, há especialistas de RH que defendem a ideia de que a gestão de talentos é a gestão de pessoas melhorada, injetada por uma dose extra de visão estratégica e foco na cultura de alta performance. 

Sempre focada nas demandas da organização. 

Quais são as vantagens de implementar a gestão de talentos? 

gestão de talentos vantagens

Uma gestão de talentos eficiente pode trazer várias vantagens para a empresa, reduzindo índices negativos e melhorando desempenhos. Veja alguns dos benefícios:

Redução do turnover

O alto índice de rotatividade é um problema sério para algumas instituições, afinal, o processo de contratação e integração gera custos. 

Com a gestão de talentos é possível fazer uma contratação mais certeira, o que diminuiria esse número.

Retenção de talentos

A gestão de talentos também contribui para que os melhores profissionais permaneçam. Fator muito importante para a formação de equipes eficientes e competitivas;

Fortalece a cultura organizacional 

Um dos papéis da gestão de pessoas é disseminar a cultura da empresa entre os colaboradores, deixando-os mais alinhados com os objetivos da organização.

Contribui para a motivação dos colaboradores

Uma boa gestão de talentos também preza pela satisfação geral das equipes, além de trabalhar diariamente as suas motivações, contribuindo para a melhora do desempenho.

Erros que acontecem na gestão de talentos que devem ser evitados 

gestão de talentos principais erros

Se a sua empresa pretende implantar a gestão de talentos ou mesmo rever processos já existentes, alguns pontos precisam de atenção para que não haja falhas. 

Confira, a seguir, os principais erros cometidos pelas organizações e saiba como evitar cada um deles. 

Processos seletivos muito longos

Seleções muito longas ou com muitas etapas acabam prejudicando o trabalho e diminuem as chances de boas contratações. 

Entenda, se é ruim para as empresas, também é para os candidatos. Por isso, opte por processos seletivos objetivos e evite etapas desnecessárias. 

Mas atenção: seleções objetivas não significam superficialidade. É preciso conhecer bem os candidatos, aplicando testes e entrevistas, mas tudo de forma dinâmica e no menor tempo possível. 

Logo, empresas que promovem seleção de funcionários com muitas etapas acabam por espantar os candidatos. 

Da mesma forma, organizações que demoram para dar retorno sobre resultados, correm o risco de perder uma boa contratação, pois o candidato simplesmente desiste de esperar. 

Contratações equivocadas

O contrário também acontece. Empresas que promovem seleção de candidatos com urgência, aumentam a hipótese de contratar pessoas sem qualificação ou inadequadas para a função. 

Portanto, mesmo sendo dinâmico e objetivo no processo de seleção, não podemos abdicar de etapas que incluem a checagem das informações constantes no currículo do candidato, por exemplo.

Para não cometer esse erro, não deixe de avaliar se há identificação do candidato com a cultura organizacional. Esse ponto é muito importante — mesmo o profissional mais qualificado poderá ser uma contratação equivocada se ele não se encaixa na cultura da empresa. 

Logo, contratar alguém que não está alinhado com os valores da organização pode resultar em demissão e um novo processo seletivo será a única solução. 

Não ouvir os colaboradores

A falta de comunicação entre empresa e funcionários é um dos principais erros de gestão. 

Quando se trabalha com pessoas, é preciso ouvi-las para conhecer seus anseios, ambições e dificuldades.

Os espaços de diálogo no ambiente corporativo são fundamentais para o bom clima organizacional.     

Mas além de dialogar, os gestores devem observar seus colaboradores no dia a dia, analisar como se comportam diante dos desafios e como está a motivação deles para atingir os propósitos da empresa. 

Nesse caso, existem algumas ferramentas para esse fim, dentre elas as pesquisas de engajamento. Então, experimente e colha resultados. 

Falhas na comunicação interna

Ainda falando em comunicação, outro erro bastante comum na gestão de talentos é ignorar por completo a comunicação interna. 

A propagação de informações erradas na organização resulta no que popularmente chamamos de rádio corredor.

As consequências disso podem ser desastrosas e trazer vários problemas. 

Do contrário, colaboradores bem informados a partir de fontes oficiais, sentem-se valorizados e com sensação de pertencimento.

O resultado dessa prática é um relacionamento sólido, no qual prevalece a confiança. 

Para estabelecer uma comunicação interna eficiente na empresa, invista em reuniões periódicas para avaliação e alinhamento, por exemplo. 

Esses momentos são propícios para que as lideranças informem os colaboradores sobre decisões importantes e novidades. 

Outras ferramentas também auxiliam nesse processo, é o caso dos canais internos, como e-mail, intranet e newsletter. Portanto, promova um planejamento de comunicação interna e estabeleça essa boa prática na organização.

Falta de treinamento adequado

Empresas que não se preocupam em oferecer oportunidades de qualificação aos seus colaboradores não entendem nada de gestão de talentos.

Já aquelas que fomentam a cultura do aprendizado, terão êxito nessa estratégia.

Apostar em treinamento para os times garante engajamento, motivação e produtividade.

Por mais qualificado que um colaborador seja, a empresa pode ser coadjuvante no papel de desenvolver ainda mais suas habilidades. 

A relação entre treinamento e retenção de talentos existe e pode fortalecer a imagem da empresa no mercado diante da concorrência.

Isso tem reflexo direto na satisfação dos trabalhadores, gerando uma propaganda involuntária e fazendo com que outros profissionais desejem trabalhar na organização. 

Falta de reconhecimento

O caminho mais certeiro para desmotivar um colaborador é não oferecer a ele nenhum tipo de reconhecimento. 

Por isso, a cultura de feedback é uma prática extremamente eficaz para valorizar os talentos que trabalham na empresa. Essa ferramenta possibilita que os colaboradores saibam onde estão errando ou acertando.

E recebem orientações para melhorar. 

As pessoas gostam de reconhecimento. Faz bem para a autoestima e estimula ainda mais o crescimento.

Algumas empresas investem em premiações para os destaques de cada setor, valorizando o trabalho realizado. 

Outras maneiras de reconhecer os serviços prestados são bônus por produtividade, viagens e homenagens.

Tudo para reconhecer publicamente os resultados de colaboradores acima da média. 

Nesse caso, procure deixar claro que a empresa está acompanhando a dedicação do seu quadro. 

Pensar que o colaborador nunca vai deixar a empresa

Ignorar os atrativos que outras empresas oferecem e acreditar que seus colaboradores nunca vão deixar de trabalhar para você é um dos erros mais comuns na gestão de talentos. 

Engana-se o gestor que pensa no salário como maior (ou único) atrativo! Então, não se espante se aquele talento que fazia parte da sua equipe mudou de emprego para receber 10% menos. 

Nesse caso, pergunte-se o que faltou para ele continuar trabalhando com você.

Pessoas precisam de motivação, reconhecimento, desafios e recompensas. E nem sempre isso é palpável. 

Garanta que a empresa tem um propósito e que ele é plenamente atingível. Ainda, instigue seus colaboradores a persegui-lo por meio do crescimento pessoal e profissional. 

Dicas para fazer uma boa gestão de talentos na era digital

Agora que você entende a importância dos talentos, é hora de adaptar seus 

processos para fazer melhores captações. 

Ainda, com as novas ferramentas disponíveis na era digital, é possível ampliar consideravelmente seu alcance e encontrar os melhores candidatos disponíveis.

Agora, veja algumas dicas para utilizar melhor os novos recursos a seu favor.

Crie um processo seletivo digitalizado

Com as novas tecnologias à sua disposição, o mais natural a fazer é justamente digitalizar a sua gestão de talentos.

Desse modo, em vez de exigir que todos os candidatos se desloquem até a empresa logo de cara, você pode iniciar o processo com mais antecedência, eliminando aqueles que não se encaixam no perfil desejado e economizar muito tempo.

Isso beneficia também o candidato e melhora sua experiência, pois ele pode completar o processo seletivo preliminar no seu próprio tempo e no local que preferir.

Para tanto, questionários, análise de currículo, entrevistas online, entre outras coisas, auxiliarão em sua decisão. Assim, quando for necessário fazer uma avaliação presencial, você terá menos profissionais para avaliar.

Busque candidatos nos lugares certos

A internet é um campo amplo e variado, mas também é subdividido com base em inúmeros critérios específicos, como localidade, nicho de atuação, grupos de interesse, entre outras coisas. 

Isso significa que, para encontrar seu candidato ideal, você deve entender esses critérios e descobrir onde procurá-los.

Nesse sentido, redes sociais, sites de empregos, fóruns, entre outros espaços virtuais são frequentados tanto por novos profissionais quanto pelos mais experientes no ramo.

Além disso, cada site atrai um perfil diferente de indivíduo. Logo, se você busca por um candidato específico, vale a pena estudar os perfis de comportamento mais comuns em cada área.

Aprenda mais sobre as novas formas de trabalho

Hoje, outra coisa a ser considerada é a possibilidade do trabalho remoto.

Mais do que nunca, práticas como o home office são comuns em diversas empresas, especialmente para serviços prestados por meio da internet.

Dependendo do perfil da empresa e do tipo de vaga a ser preenchida, vale a pena ponderar sobre essa questão, pois isso se reflete diretamente na gestão de talentos dentro do negócio.

Mas há competências necessárias que devem ser avaliadas quando o candidato for atuar remotamente, para manter a qualidade de seu trabalho, por exemplo, na disciplina e capacidade para o cumprimento de prazos.

Sendo assim, identificar os indivíduos que melhor se encaixam nesse modo de trabalho será mais vantajoso no momento da contratação.

Desenvolva a imagem do seu negócio

É impossível atrair profissionais de talento para uma empresa que não se mostra promissora, especialmente para os mais experientes no mercado. 

Quando você divulga uma nova vaga, o interessado conferirá o histórico do seu negócio e determinará se é para a sua marca que ele realmente deseja trabalhar.

Mais uma vez, você precisa se destacar da concorrência para garantir bons candidatos. 

Para tanto, construir a imagem do seu negócio, tanto na divulgação de vagas quanto na dos seus produtos e serviços, tornará sua empresa atrativa aos de maior valor e facilitará bastante o trabalho de captação.

Invista na melhor comunicação interna

“Comunicação” é a palavra de ordem para resolver muitas coisas em Recursos Humanos atualmente, inclusive na gestão de talentos. 

O processo de contratação envolve vários setores, mas o foco principal deve estar entre o RH e o setor no qual o candidato trabalhará.

Para garantir que a vaga seja preenchida corretamente, uma boa comunicação entre essas duas áreas é extremamente importante. 

Ainda, exige treinamentos para elaboração de e-mails informativos, bancos de dados unificados, entre outras coisas que evitarão vários erros nesse processo.

Utilize plataformas digitais no processo

Por fim, mas não menos importante, é ter uma plataforma digital com um banco de currículos online. 

Nele, você poderá ter todas as informações necessárias sobre cada profissional interessado na vaga e, assim, compreender melhor seu perfil e suas capacidades.

A BURH oferece uma das melhores e mais completa plataformas de contratação, que disponibiliza testes de perfil profissional e ferramentas inteligentes para identificar os melhores candidatos para cada função.

Além disso, ela também permite acompanhar a produtividade da equipe dentro da empresa, disponibilizando mais informações para remanejamentos de pessoal ou intervenções nos processos de execução da gestão de talentos.

Como o software de RH da Solides auxilia na gestão de talentos de sua empresa? 

Contar com um software de gestão, possibilita a automação de pesquisas de clima dentro da empresa e avaliação de desempenho, o que facilita na escolha de ações para o desenvolvimento de carreira dos profissionais.

Além de treinamentos específicos, aumentando a motivação e o engajamento dos colaboradores. 

Com a tecnologia avançada na área de recursos humanos, o profissional de RH pode ser mais estratégico, realizando uma gestão com base em dados.

Isso os transforma em informação organizada e útil para melhorar a qualidade na decisão sobre os talentos da empresa, deixando-os motivados e satisfeitos em fazer parte do time.

Clique aqui e conheça nosso Software!

Conclusão

Entender o que é gestão de talentos e a importância de implantá-la na sua empresa, é o primeiro passo para construir uma marca cada vez mais forte no mercado. 

Pronto, agora você sabe como o RH pode trabalhar para o desenvolvimento de talentos na sua empresa.

5 2 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments