O que é e como é feita a Seleção por Competências?

Tempo de leitura: 7 minutos

Está sem tempo para ler? Experimente ouvir a narração deste artigo. Aperte o play!

Você sabe o que é seleção por competências? Entende quais são as vantagens dessa técnica diante das formas de seleção tradicionais? Bons analistas de RH sabem que, atualmente, analisar somente o currículo de um candidato não é suficiente. Muitas vezes, é fundamental realizar testes que considerem também as competências individuais. 

Na seleção por competências, o que vale é identificar, durante o recrutamento, pessoas alinhadas com os valores da organização para escolher o profissional que atenda ao perfil comportamental desejado.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

O objetivo deste conteúdo é explicar as vantagens da seleção com foco nas competências do recrutado. Além disso, a intenção é auxiliar o recrutador a contratar pessoas com o perfil ideal, que atendam às necessidades da organização. Acompanhe!

O que é a seleção por competências

Trata-se de uma estratégia utilizada pelas empresas para analisar qualidades e aptidões que não necessariamente estão citadas no currículo do candidato. Essa técnica procura escolher profissionais a partir do seu perfil comportamental, considerando seus Conhecimentos, Habilidades e Atitudes (CHA). 

Ainda, a seleção por competências considera o comportamento do candidato diante de determinadas situações e busca conhecer suas experiências e vivências ao longo da carreira. Para isso, o recrutador analisa a postura do potencial colaborador e procura conhecer suas opiniões, visão de mundo e anseios futuros.

Portanto, quando a organização investe na seleção por competências, ela busca algo mais, além do que está descrito no currículo. Por esse motivo, ela pode ser utilizada em diversas empresas, independente do segmento, do porte ou da área de atuação. 

Como funciona a seleção por competências

Antes de explicar como funciona, é importante destacar que essa técnica deve ser objetiva e primar pela imparcialidade. Logo, o analista de RH deve estar atento para não incorrer em suposições, nem se deixar levar por impressões, sejam positivas ou negativas. 

Dito isso, o próximo passo é entendermos o significado de “competência” na lógica do RH. Basicamente, definimos como competência o conjunto de Conhecimentos, Habilidades e Atitudes, ao que chamamos CHA. 

Quando o CHA do colaborador está em sintonia com os objetivos do cargo e com a filosofia da organização, percebemos nele comportamentos específicos, que o tornam mais alinhados com o que buscamos com a seleção por competências. 

Durante esse processo, consideram-se fatos concretos e mensuráveis sobre a trajetória profissional e as experiências do candidato. Nesse contexto, o recrutador toma sua decisão com base em algumas questões.

A seleção por competências funciona assim:

  • perfil: é fundamental definir muito bem qual é o perfil do candidato desejado. Para tanto, busque informações com o gestor da área e faça uma lista das competências necessárias e dos pré-requisitos para ocupar a vaga;
  • currículo: o recrutador analisa os documentos do candidato com isenção e imparcialidade. Aqui, faz-se uma triagem dos currículos em busca daquele que melhor encaixa na função. Uma checklist das competências exigidas para o perfil pode ajudar nessa etapa;
  • realização de dinâmicas: podem ocorrer individualmente ou em grupo, com o objetivo de avaliar habilidades profissionais e sociais do candidato. Durante essa etapa, o recrutador observa a desenvoltura da pessoa em resolver questões do dia a dia e a capacidade de trabalhar em equipe;
  • aplicação de testes técnicos e psicológicos: oportunidade para encontrar candidatos que ofereçam respostas alinhadas com o cargo em disputa e com o perfil mais adequado;
  • fase de entrevistas: os candidatos que mais se destacaram nas etapas anteriores serão encaminhados para as entrevistas, conduzidas pelo analista de RH e pelo responsável pela área/função. 

Quais competências considerar durante a seleção

Além do CHA, todo profissional agrega alguma outra competência, além de interesses, valores e características pessoais capazes de qualificá-lo durante um processo de seleção. 

O Conhecimento (C) representa o saber e denota o domínio sobre determinado assunto. Em uma organização, cada cargo tem suas particularidades e exige sapiências específicas para que o profissional possa desempenhar bem seu papel na empresa. 

Já a Habilidade (H) está diretamente ligada aos conhecimentos do indivíduo e pode ser traduzida como o saber fazer. Ela representa a prática dos conhecimentos teóricos adquiridos pelo profissional durante sua trajetória em cursos e leituras, por exemplo.  

Por fim, a Atitude (A) denota à proatividade do recrutado. Trata-se da iniciativa de querer fazer o que sabe fazer, porque tem conhecimento. Um indivíduo com atitude inspira confiança e demonstra comprometimento com o clima organizacional, com a cultura da empresa e com os resultados a serem alcançados. 

Mas além dessas competências, outras podem ser valorizadas pelo recrutador: 

  • o conhecimento técnico;
  • a capacidade de comunicação;
  • o perfil de liderança;
  • a criatividade;
  • o foco nos resultados;
  • características que a organização julgue importante para compor o perfil ideal. 
Banner_Gestao_competencias

Quais as vantagens da seleção por competências

A seleção por competências procura encontrar o candidato mais adequado ao cargo. Porém, para chegar a esse resultado, o recrutador precisa saber exatamente o que procura e quais são as competências necessárias para a função. 

A cada etapa vencida, mais sucesso na escolha. Além disso, sabemos que uma contratação assertiva traz inúmeros benefícios para a empresa, para o setor de RH e para o novo colaborador. Confira a seguir as vantagens de implantar a seleção por competências.

Equipes de alta performance

Com a seleção por competências, as hipóteses de contratar pessoas mais qualificadas e com alto rendimento são maiores. O resultado são equipes de alta performance, que contribuem diretamente para o sucesso da organização. 

Menor rotatividade

Quando o RH acerta na contratação, ele diminui a rotatividade entre os colaboradores, pois escolheu candidatos com perfis que se encaixam nas necessidades da empresa e nas exigências do cargo. Aqui, a redução de turnover é visível com a seleção por competências. 

Menor tempo investido em treinamento

Como vimos, a aplicação de testes técnicos é uma das etapas desse tipo de seleção. Então, até aqui, o novo colaborador já demonstrou ter habilidade e conhecimentos técnicos para o exercício do cargo. Dessa maneira, o treinamento para ele será mais focado na integração com a equipe do que na capacitação técnica para a função. 

Credibilidade para o setor de RH

A escolha acertada é mérito do departamento de recrutamento e seleção. Assim, o setor se destaca nas contratações e conquista mais confiança e credibilidade por parte das lideranças da empresa. Ainda, com a boa imagem na vitrine, o RH fortalece também seu caráter estratégico na organização. 

Avaliações imparciais e éticas

A seleção por competências busca encontrar evidências do que a empresa considera ideal no perfil do candidato. Por isso, esse método evita subjetividades, interpretações ou especulações. Portanto, o candidato é ou não o que a organização precisa. Nesse sentido, a escolha deve acontecer por competência, de forma ética e imparcial. Com planejamento adequado e uma estruturação detalhada do perfil que a empresa precisa, será mais fácil realizar a seleção por competências. Nesse consteúdo, ficou provado que ela pode aprimorar resultados e contribuir para uma gestão por competências eficiente na sua empresa.

5 1 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments