O que é Coaching? Entenda essa tendência mundial

Tempo de leitura: 15 minutos

Sem tempo para ler sobre o que é coaching? Clique no play abaixo para ouvir o conteúdo!

Você sabe dizer, com segurança, o que é Coaching? Apesar de ser uma palavra muito conhecida pelas pessoas e ter ganhado mais destaque recentemente, muitos ainda não compreendem o que realmente ela significa e como pode ajudar as empresas a obterem melhores resultados.

Neste artigo, trazemos informações importantes sobre o que é Coaching e como ele funciona. Você entenderá um pouco mais da história dessa prática e como fazer para implementá-la em sua organização. Confira!

O que é Coaching?

Em termos formais, o Coaching é uma espécie de treinamento com foco no desenvolvimento pessoal, conduzido por um Coach, que dá suporte à pessoa e a auxilia no objetivo de atingir suas metas pessoais e profissionais. Por essa razão, é muito confundido com a mentoria.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

O mentor é alguém com maior vivência e experiência em determinado assunto. Ele oferece suporte e funciona como um guia para que o aprendiz percorra um caminho que ele já percorreu. Não existe uma preparação formal para se tornar um mentor e a sua atuação se limita aos conhecimentos adquiridos ao longo da vida.

Já o Coaching é mais focado em determinadas tarefas e objetivos e não necessariamente exige que o Coach tenha uma experiência ou vivência maior que a pessoa que requisita seu serviço e apoio. Diante disso, muitos executivos de carreira e profissionais de idade mais avançada ainda resistem à prática.

Contudo, alguns já perceberam que a função do Coach não é a de ensinar seus Coachees — na verdade, ele está ali muito mais como um observador atento e um excelente ouvinte, pronto a fornecer uma visão distinta a respeito de aspectos negativos, que não raro podem se transformar em positivos e em respostas valiosas para os problemas pelos quais passamos em nosso dia a dia.

Como surgiu o Coaching e o termo Coach?

A palavra coach surgiu na Inglaterra, em meados do século XVI, mas a sua origem é húngara. Naquela época, o povoado de Kocs desenvolveu um modelo de carroça que utilizava molas de aço na suspensão, o que tornava o veículo muito mais confortável que os demais. Logo, ela se tornou um sucesso e todos queriam comprá-la.

As carruagens passaram a ser conhecidas como kocsi szeker e os cidadãos que as produziam kocsi. Aos ingleses, a palavra soava como coach, então, passou a ser utilizada para se referir aos condutores de carroças. 

O uso do termo Coach sob uma nova perspectiva 

O termo, como conhecemos hoje, só começou a ser moldado em meados do século XIX, na Universidade de Oxford. Nessa época, os alunos passaram a referenciar seus tutores como os principais responsáveis pelo bom desempenho em seus exames, ou seja, eram os profissionais que os guiavam pelo melhor caminho.

Foi assim que a palavra coach passou a ser usada para definir as pessoas que, assim como os cocheiros, levam as outras de um lugar a outro de forma mais rápida e segura. A diferença é que, no caso do coach, o deslocamento não é geográfico, mas sim relativo ao desenvolvimento pessoal e profissional do indivíduo.

Surgimento do Coach como profissão

Por volta do ano de 1950, o termo Coach passou a ser utilizado para se referir ao responsável pelo aperfeiçoamento de atletas e de equipes esportivas. Inclusive, ele é usado como sinônimo de treinador até os dias atuais.

O Coaching surge nesse cenário, como uma técnica específica para melhorar o rendimento dos atletas, chamada de Inner Game ou Jogo Interior. Segundo seu criador, Timothy Gallwey, o adversário mais importante a ser enfrentado por um esportista é, na verdade, si próprio. Ainda, ele mostrou que é possível ter um desempenho melhor ao disciplinar a mente.

Não levou muito tempo para que empresários que praticavam tênis seguindo as premissas do Inner Game notassem que tudo aquilo poderia ser útil, também, no campo profissional. Assim, surgiu o Coaching empresarial.

Quais as diferenças entre Coach, Coaching e Coachee?

Uma dúvida bastante comum para quem ainda não tem familiaridade com o assunto é sobre a distinção do significado dos termos utilizados no cotidiano do Coaching. Por isso, trouxemos um resumo bem simples para você entender com clareza:

  • Coach: é o profissional que guia o processo e ajuda o outro a trilhar seus caminhos;
  • Coaching: é o nome dado à metodologia, ou seja, ao processo como um todo;
  • Coachee: é a pessoa que recebe a orientação do Coach.

Como se tornar um Coach?

O trabalho de um Coach é muito sério, principalmente por impactar tão profundamente a vida de seus Coachees. Para se tornar um, a pessoa deve agir com ética e seriedade, o que inclui uma preparação extensa e de qualidade. Veja alguns passos importantes dessa fase.

Passar por um processo de Coaching como Coachee

Antes de pensar em aplicar o Coaching, é de extrema importância que a pessoa passe pelo processo. Ela precisa entender como é estar no lugar do Coachee para conseguir aplicar as técnicas necessárias da forma correta e de acordo com o perfil de cada cliente. Essa visão por outro ângulo é o detalhe que gera os melhores resultados lá na frente.

Fazer um curso de qualidade, reconhecido no mercado

Outro ponto a ser destacado é que ninguém vira Coach da noite para o dia. A metodologia exige conhecimentos técnicos e ferramentais que demandam estudo e dedicação para a compreensão da aplicação da forma e no momento correto. O “Coach” que não tem uma boa formação perde toda a credibilidade e mancha sua reputação no mercado.

Construir uma reputação impecável  

Por falar em reputação, para os profissionais dessa área ela vale mais do que ouro. Trata-se de uma profissão que lida com pessoas que, em sua grande maioria, estão passando por algum momento de dificuldade. Logo, é preciso conquistar a confiança dos clientes para que o trabalho seja realizado com qualidade e precisão. Entenda que pequenas coisas são capazes de minar anos de preparação e trabalho árduo.

Como funciona o Coaching?

Um pouco de mentoria, um pouco de motivação, um pouco de psicologia: o Coaching se utiliza de ferramentas de comunicação, como ouvir o Coachee, questioná-lo, apresentar questões e desafios de forma clara para ajudar as pessoas a conduzir mudanças em suas vidas. 

No final, o Coaching tem muito a ver com isso: a mudança. Profissionalmente ou pessoalmente, estamos sujeitos a constantes variáveis e, para enfrentá-las, aceitá-las e lidar com elas, o Coach oferece à pessoa uma óptica diferente, exibindo a mudança como algo natural e que pode ser superada ou trabalhada. 

Como se diz por aí, quem está de fora sempre tem uma visão mais clara dos problemas. É exatamente o que ocorre com o Coach. Estando fora do raio dos problemas e dúvidas enfrentados por um profissional, ele pode apontar alternativas, levar a respostas e avaliar a questão de forma mais isenta.

O Coaching tem algumas diretrizes e objetivos básicos, que podem ser resumidos em alguns poucos tópicos, como veremos a seguir.

Condução das mudanças

O Coaching visa auxiliar pessoas na condução de mudanças que elas querem promover em si mesmas, fornecendo motivação e apoio para que elas sigam esse caminho.

Autoconhecimento

O Coaching ajuda pessoas a terem mais autoconhecimento, tanto na identificação de pontos positivos quanto de negativos. O método aponta maneiras de aplicar e aprimorar as qualidades e potencialidades e, ao mesmo tempo, a trabalhar as limitações. O resultado é um profissional com a inteligência emocional mais desenvolvida.

Relacionamento interpessoal

O método dá auxílio às pessoas e organizações para criarem equipes mais unidas e profissionais mais alinhados, com uma cultura empresarial forte. Ainda, contribui com a melhoria na inteligência emocional e prepara as pessoas para lidarem com situações mais delicadas ou complicadas.

Banner_Sete_Passos_Para_Um_Processo_de_Coaching_de_Sucesso

Quais são os benefícios de ter um programa de Coaching na empresa?

Como vimos até aqui, o foco do Coaching está muito mais voltado para o desenvolvimento do indivíduo, portanto, seria algo cuja motivação deveria partir de cada um e não da empresa. 

Contudo, é preciso pensar de forma mais abrangente e preditiva, já que os resultados obtidos pelos Coachees refletem diretamente na organização como um todo, principalmente no que se refere aos aspectos que listaremos agora.

Desenvolvimento da liderança

As lideranças de uma empresa precisam ser fortalecidas e preparadas para os desafios que surgem a todo o momento. O autoconhecimento proporcionado pelo processo de Coaching permite que os gestores consigam lidar melhor com situações cotidianas e, até mesmo, se precaver de possíveis impasses. 

Fortalecimento da cultura organizacional

O programa de Coaching oferecido pela empresa conta com uma definição mais específica da pauta a ser trabalhada e isso interfere no fortalecimento da cultura do negócio. Os valores e diretrizes são repassados com mais segurança e fundamentação e os Coachees conseguem internalizá-los melhor, transmitindo aos colegas e liderados.

Fomento à criatividade e inovação

Os profissionais que passam por programas dessa natureza são capazes de enxergar as situações de novos ângulos, o que torna a elaboração de soluções muito mais fundamentada e holística. Além disso, existe uma melhoria significativa na autoconfiança que estimula a proposição de alternativas mais criativas e inovadoras.

Desenvolvimento do negócio

Diante de todos os benefícios citados, a empresa ganha colaboradores mais inovativos e corajosos, dispostos a entregar resultados cada vez melhores, uma vez que eles passam a acreditar e a trabalhar em prol do desenvolvimento do negócio, pois entendem que isso será benéfico também para suas carreiras individuais.

Quais são as áreas de atuação de um Coaching?

Quando pensamos no Coach, a primeira imagem que nos vêm em mente é de um profissional conduzindo uma reunião, que mais parece uma sessão de terapia, com alguém que deseja resolver questões particulares da sua vida. Entretanto, o Coaching não se restringe a isso, como mostraremos nos próximos tópicos.

Coaching executivo ou de liderança

O Coaching executivo ou Coaching de liderança é a modalidade mais conhecida no universo corporativo. Nela, os líderes são o principal público atendido, de forma a realizar um trabalho de fortalecimento que impacta toda a empresa. Afinal, cada um deles acaba repassando muito do que aprendeu no cotidiano com suas equipes.

Coaching financeiro

O Coaching financeiro é mais voltado para organização das finanças pessoais. Muitas pessoas precisam de ajuda para controlar seus gastos, planejar objetivos de médio e longo prazo, para realizar investimentos. 

Apesar de ter um direcionamento mais individualizado, ele acaba afetando o desempenho profissional. Uma pessoa endividada não consegue focar em suas tarefas, pois a preocupação com as contas ocupa bastante espaço em sua mente. Sem falar nas doenças, principalmente mentais, que toda essa situação pode causar.

Coaching de saúde e bem-estar

O Coaching de saúde e bem-estar é muito conhecido em programas de emagrecimento e reeducação alimentar, mas a sua atuação é mais abrangente que isso. O Coach desse segmento ajuda o Coachee a repensar seus hábitos como um todo e a buscar mais qualidade de vida em seu dia a dia.

Ainda, pode ser utilizado como parte dos esforços de retenção de talentos da empresa. Com profissionais mais saudáveis e felizes, a produtividade fica em alta e a relação de cada um deles com a organização é fortalecida.

Coaching estudantil

Essa modalidade é mais utilizada por estudantes que desejam prestar concursos ou ingressar no ensino superior, pois auxilia a pessoa a definir melhor seus planos de estudos, a equilibrar as demais atividades da rotina e, principalmente, a evitar situações de estresse pela pressão em se dar bem no exame.

Coaching de carreira

O Coaching de carreira é mais conhecido pelas empresas e o mais confundido com programas de mentoria. Na verdade, trata-se do profissional que não precisa ter um conhecimento específico na atividade que o Coachee pretende desenvolver, mas sabe como orientá-lo para alcançar seus objetivos por meio de um plano de desenvolvimento individual (PDI). 

Já o mentor é o profissional que traz a experiência na área e compartilha seus conhecimentos com o mentorado, ou seja, são dois objetivos diferentes.

Quais são os requisitos para ser um Coach?

Se as informações que você leu até aqui já começaram a despertar o interesse nessa carreira, confira quais são os requisitos básicos para se dar bem nesse mercado.

Gostar de pessoas

O ponto mais relevante de todos é que o Coach precisa gostar de pessoas. Ele tem que ter prazer em ouvi-las sem fazer julgamentos ou questionamentos em relação à sua opinião pessoal. Ainda, deve permitir que o Coachee esteja sempre no centro da sua atenção e que todas as iniciativas serão feitas com base na experiência dele.

Ser paciente e compreensivo

A paciência é uma das virtudes mais importantes para um Coach, principalmente no início da relação com seu Coachee. Muitos são os alinhamentos a serem feitos a cada encontro, haverá momentos de estresse e desânimo, mas que são fases do processo de desenvolvimento humano. A compreensão disso ajuda a tornar o trabalho mais leve e agradável.

Ser empático

A empatia é uma palavra que vem sendo muito utilizada nos últimos anos e não é à toa. Apesar de não ser algo que se consiga completamente, o esforço de se colocar no lugar do outro e entender a situação a partir de outro ponto de vista é fundamental para que as orientações do processo sejam mais precisas e gerem resultados assertivos.

Como se dão as questões éticas no Coaching?

Em poucas palavras, o Coaching é uma técnica que auxilia as pessoas na condução de mudanças, alterações em seu comportamento e sua óptica em relação à vida, ao trabalho e aos problemas. Ainda, por lidar com problemas do indivíduo, exige padrões éticos e de profissionalismo rigorosos.

Existem as associações e entidades específicas que contam com códigos de ética bastante claros e rígidos, como as de psicólogos. Como a função de Coach não exige uma certificação obrigatória, cabe ao profissional seguir boas práticas, que manterão a ética no processo.

A orientação mais importante é que o bom Coach não interfere de forma direta nos problemas do Coachee. A sua função é de indicar e apontar caminhos e maneiras de buscar respostas, para que o profissional possa se desenvolver e encarar seus medos e desafios por conta própria.

Atuando com perfis comportamentais

Os perfis comportamentais são ferramentas de grande valor para o trabalho dos Coaches, pois oferecem uma base mais sólida para a comunicação ao longo do processo. Cada perfil tem as suas particularidades ao encarar o mundo à sua volta e, acima de tudo, os desafios que lhes são impostos todos os dias.

Logo, de acordo com o perfil de cada Coachee, o Coach aborda as questões que serão trabalhadas de uma maneira diferente. Um analista, por exemplo, não aceitará muito bem uma orientação que diga “apenas faça o que deseja fazer”. Ele precisa entender para se sentir bem fazendo. Assim como um comunicador demandará de mais esforços para compreender a importância de ficar em silêncio em certas situações.

Enfim, o Coach é um profissional muito útil, tanto para as organizações quanto para seus colaboradores. Agora que você já sabe o que é Coaching, talvez seja exatamente isso que está faltando para a sua empresa deslanchar de vez, não acha? Conquiste resultados surpreendentes, invista no crescimento do seu negócio no mercado!

Gostou do conteúdo? Como vimos, o Coach ajuda os gestores a enfrentar diferentes situações em seu cotidiano, mas você sabe dizer quais são elas? Confira, neste outro artigo, quais são os principais desafios da gestão de pessoas!


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of