O comportamento na entrevista de emprego

Tempo de leitura: 3 minutos

A teoria DISC busca através da observação do comportamento humano traçar o perfil de cada profissional e com base neste, alocá-lo em tarefas correspondentes.

Esta abordagem da Psicologia, baseou-se no trabalho de William Moulton Marston, que, percebendo quatro perfis diferentes nas pessoas, pôde delinear como estas se desenvolvem e se relacionam no meio em que estão: basicamente, teremos o Executor, de perfil enérgico; o Planejador, de perfil, lento; o Analista, de perfil meticuloso e o Comunicador, de perfil extrovertido.

Você é uma pessoa insegura, tem simplesmente pânico de falar em público, adora o silencio, a calma, tranquilidade, trabalhos lentos, porém constantes e se candidata à uma vaga de locutor de eventos esportivos? Se a resposta for sim, existe algo errado.

Você pode fingir ser extrovertido, ensaiar na frente do espelho quantas vezes forem necessárias, meditar, se acalmar, repetir diversas vezes o quanto consegue, pois precisa do emprego, mas no dia da entrevista, no dia da prova final, não tenha dúvidas, seu comportamento verdadeiro será percebido pelo empregador que se utiliza dos recursos da teoria DISC.

O comportamento humano

Cada um possui sua própria particularidade, porém através da análise de perfil é possível saber previamente, a qual tipo de tarefa deve desempenhar qual tipo de pessoa.

Assim, a vaga descrita no início do texto, necessitaria sem dúvidas, de alguém comunicativo, extrovertido e ativo e não alguém lento e tímido, pois a tarefa exige o primeiro perfil.

O empregador consciente, sabe que o perfil do profissional que busca é muito importante para que sejam evitados muitos percalços desagradáveis a que poderá viver: a possibilidade de um trabalho realizado de forma oposta ao que havia planejado, ou mesmo um comportamento diverso ao que necessitaria em um tomada de decisões.

Nesse sentido, a ferramenta DISC de análise de comportamento se torna muito relevante tanto para o profissional que busca um local de trabalho, quanto para a empresa que o contrata. É possível perceber através do comportamento, se alguém é mais dinâmico ou passivo, ou se possui características teóricas ou práticas para lidar com as situações, e assim sucessivamente.

Os benefícios do comportamento humano

Os benefícios de tal abordagem são incontáveis pois direcionam as pessoas certas para os locais em que suas potencialidade serão melhor desenvolvidas, trazendo auto realização e motivação para os profissionais e segurança e confiança para os empregadores.

Isso tem sido muito utilizado por empresas que valorizam seus empregados, pois possibilita o respeito à individualidade de cada pessoa no organismo de trabalho.

Assim, por tudo o que foi dito, perceba que, se você não tem o perfil adequado para a vaga que almeja, isso não quer dizer que você seja ruim como profissional, mas que talvez, seja melhor refletir se este lugar que deseja, se relaciona de verdade com o que você é.

E você como profissional, observe que, mais que uma força de trabalho, o empregado deve estar em um local em que seu desempenho se dê da melhor forma possível, com o completo uso de todas as habilidade que possui, sem que o mesmo se adapte à perfis opostos.

Observar as peculiaridades das pessoas e seu comportamento na entrevista de emprego, bem como nas relações de trabalho, é respeitar as relações entre os indivíduos e reconhecer que cada pessoa somente deve oferecer aquilo que possui, nunca tentando se adaptar a algo que não corresponda à suas habilidades. Com isso teremos, pessoas mais felizes, locais de trabalho harmoniosos, motivação e com certeza, êxito em resultados e relação interpessoal. É assim, que devemos construir um bom local de trabalho, e o primeiro passo começa na entrevista de trabalho, com a auto- reflexão de quem concorre à vaga e da observação do entrevistador, pessoa que tem o primeiro contato com o profissional.

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of