O cenário das mulheres no mercado de trabalho brasileiro

Tempo de leitura: 5 minutos

Nunca se falou tanto sobre a atuação das mulheres no mercado de trabalho como nos últimos tempos. No entanto, mesmo com o aumento feminino no cenário trabalhista, ainda não há muitos motivos para comemoração. Afinal, elas continuam enfrentando alguns preconceitos.

É inegável que houve avanços nas últimas décadas. Mas alguns desafios ainda são bem presentes quando o assunto é a atuação das mulheres no cenário de trabalhista, seja em qualquer área.

Neste post, apresentaremos para você um pouco desse contexto das mulheres no mercado de trabalho brasileiro. O objetivo é mostrar mais sobre a situação delas, com dados bastante expressivos. Vamos lá? Boa leitura!

Panorama da atuação das mulheres no mercado de trabalho brasileiro

No Brasil, o cenário feminino no mercado de trabalho sempre foi motivo para bastante discussão. Atualmente, elas têm ocupado um número significativo no campo trabalhista. Nos últimos 10 anos, o índice de mulheres que trabalham com carteira assinada mais que dobrou.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

No entanto, ainda existe uma distância entre o homem e a mulher quando o assunto é salário. Ainda, há profissões que são ocupadas por ambos os sexos, mas em que os colaboradores masculinos ganham mais.

Profissões consideradas “de mulher”, como o trabalho doméstico, são as que têm a menor remuneração. Já na área da educação, existe uma clara divisão, principalmente na rede particular de ensino, onde atuam mais professores homens e com melhores salários.

Mas encontrar mulheres no mercado de trabalho nem sempre foi uma realidade. Afinal, antigamente, elas ficaram somente com a função de cuidar da casa, dos filhos e do marido. Assim, o homem é que deveria ser o provedor do lar — esse cenário mudou com a Revolução Industrial.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 1950, apenas 13,6% das mulheres eram economicamente ativa. Na mesma época, os homens ocupavam 80,8% no infográfico. Passados 60 anos, em 2010, a participação feminina no mercado de trabalho passou a ser de 49,9%. Na última década, houve mais uma evolução e, hoje, vê-se cada vez mais mulheres ocupando cargos dentro das empresas.

Entretanto, ainda segundo o IBGE, as mulheres trabalham, aproximadamente, três horas a mais por semana do que os homens. Isso considerando o trabalho remunerado, doméstico e o cuidado com as pessoas — filhos e marido. Mas a remuneração continua inferior.

Segundo os dados do IBGE, enquanto um homem ganha, em média, R$2.306 reais, as mulheres recebem R$1.764 reais. Essa explicação se deve ao número de mulheres que ainda ocupam posições consideradas “simplórias” nas empresas, ou seja, a presença masculina em cargos de liderança e gestão ainda é maior. Apenas 39,1% dos cargos gerenciais são ocupados por elas.

A dupla jornada de trabalho das mulheres também é uma questão que tem sido bastante discutida. A sobrecarga de serviços: remunerados, domésticos e cuidados com a família, é real e deixam as mulheres exaustas.

Além disso, há uma distinção entre as mulheres que têm filhos e as que ainda não são mães. Muitas vezes, as empresas optam por aquelas que não têm a responsabilidade com a maternidade.

No entanto, apesar dos dados, é preciso ressaltar que, de acordo com o Ministério do Trabalho no Brasil, há um crescimento constante da ocupação das mulheres no mercado de trabalho. Para o IBGE, elas representam 51,03%.

Mulheres em cargos de liderança

Mesmo com um cenário complexo e desigual, as mulheres lutam todos os dias para terem mais espaço e reconhecimento. Afinal, o seu potencial para atuar no mercado de trabalho é enorme!

Mas o crescimento das mulheres no mercado de trabalho não deve ser medido somente por números. Há cases de sucesso que destacam e atestam o profissionalismo delas. Afinal, muitas ocupam papéis expressivos no cenário trabalhista do Brasil.

Apesar de ainda serem minoria, elas estão chegando aos cargos de liderança. As mulheres ocupam apenas 16% dos postos de alta gestão, isso de acordo com uma pesquisa da Page Executive.

A empresa Ambev, por exemplo, é liderada por Patrícia Capel, que é vice-presidente. Mas ela também é a CEO da AB Inbev para o Chile, Bolívia e Uruguai. A diversidade de pensar e fazer uma boa gestão são a linha implantada dentro da organização.

Outro grande exemplo é Paula Bellizia, CEO da Microsoft Brasil, uma das referências femininas da indústria da Tecnologia da Informação. O pensamento inclusivo das empresas para ter mais diversidade e novas maneiras de liderar é algo importante para a empresária.

Benefícios do crescimento das mulheres no mercado de trabalho

Ter grandes exemplos de mulheres no mercado de trabalho é fundamental. Mas falar sobre os benefícios que elas trouxeram para esse cenário também. Conheça os principais:

  • empresas com pensamentos mais diversos;
  • criatividade para cumprir as demandas;
  • inovação para solucionar as tarefas;
  • injetam 382 bilhões de reais na economia brasileira;
  • aumento do PIB nacional em 3,3%.

Mais do que benefícios para o cenário trabalhista, as mulheres mostram que a sua presença nesse mercado faz a diferença. Como vimos, economicamente e no setor administrativo também. Logo, é essencial incentivar a maior participação delas nas empresas.

Para tanto, é necessário também propor processos seletivos igualitários, sem distinção de sexo ou, ainda, do fato da mulher ser mãe ou não — todas merecem oportunidades iguais! Compreender o que pode ser machismo ou não dentro de uma empresa é o primeiro passo para mudar esse cenário e termos cada vez mais mulheres no mercado de trabalho.

Outro ponto necessário é que as empresas precisam apostar mais nas competências e talentos das mulheres. A sua atuação gera benefícios para o ambiente corporativo, além de deixá-lo mais alegre e bonito!

Ainda há muito a ser feito para que as mulheres no mercado de trabalho atuem de forma igualitária aos homens — tanto nos cargos como em salários. Mas podemos dizer que elas estão no caminho certo, pois o avanço é perceptível!

Gostou do post? Continue no blog e conheça mais sobre a atuação das Mulheres no RH!

5 1 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Janaina
Janaina
5 meses atrás

Olá, equipe Solides

Obrigada pela oportunidade de conhecimento!

Giuliano Sales
Admin
5 meses atrás
Reply to  Janaina

Ei, Janaína, tudo bem?
É uma felicidade para nós conseguirmos contribuir para a sua jornada de aprendizagem.
Conte sempre conosco.
Abraços.