Mulheres líderes: cenário e principais lideranças femininas

Conheça o panorama atual das mulheres líderes no mercado de trabalho e se inspire para garantir mais representatividade ao seu negócio.
mulheres líderes
BAIXE GRÁTIS!

Aqui você encontra:

De acordo com o McKinsey Study, companhias com mais mulheres líderes, quando comparado com a média da indústria, vêem um resultado operacional 48% maior e uma força de crescimento no faturamento 70% maior. Mesmo assim, estudos revelam que, no Brasil, apenas 3% de mulheres ocupam cargos de liderança nas empresas.

Ao considerarmos que elas são, em média, 60% dos estudantes universitários que concluem o ensino superior, é de se estranhar o porquê desse índice ser tão baixo nos cargos de chefia, não é? Neste post, falaremos sobre a importância feminina nas lideranças, exemplos de grandes mulheres líderes, os obstáculos que as mulheres enfrentam para chegar ao topo das organizações e muito mais. Acompanhe!

Como surgiu: resumo das mulheres líderes e da liderança feminina

O Dia Internacional da Mulher, por exemplo, é uma data representativa por mostrar como, no passado, ver uma mulher no mercado de trabalho era difícil, já que algumas tradições de séculos anteriores colocavam o homem como o único provedor das necessidades do lar

Para a mulher restava somente as tarefas de organização da casa e criação dos filhos, ela não tinha o direito de trabalhar e nem participava de decisões importantes na sociedade, como votar, o que só foi permitido no Brasil em 1933.

As primeiras normas brasileiras de proteção ao trabalho da mulher surgiram na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), de 1943, e estabeleciam restrições às atividades extraordinárias, noturnas, insalubres e perigosas.

Foi somente no início do Século XX que as mulheres de classe média começaram a atuar nas empresas, preenchendo funções auxiliares, como secretárias. Pouco a pouco, elas foram conquistando espaço no mercado de trabalho, bem como sua força na política, na década de 1970.

Além disso, as mudanças na economia, a globalização e o capitalismo, trouxeram como consequência a busca pelo aumento da renda familiar, favorecendo, assim, o crescimento das mulheres dentro das empresas

Baixe grátis!

A participação da liderança feminina no mercado de trabalho atual

Após anos de censura em diversas posições de poder e autoridade, o cenário vem mudando aos poucos. Desde 2015, pudemos testemunhar um notável avanço no papel das mulheres líderes em empresas em todo o mundo.

As últimas pesquisas revelam um aumento da representatividade de 17% para 28% no cenário mundial. Apesar do progresso, no entanto, a verdadeira igualdade de gênero ainda é um cenário distante. 

Uma pesquisa global recente estima que, em 2024, a cada dez posições de comando e liderança em organizações, no máximo três serão ocupadas por mulheres. A projeção para 2030, no entanto, é mais animadora. 

Conforme o estudo Global Mega Trends 2030, da consultoria Frost & Sullivan, as mulheres mudarão o panorama da força de trabalho e terão uma taxa de participação média de mais de 40%, adicionando cerca de 100 milhões de mulheres trabalhadoras à economia global.

Baixe grátis!

Características marcantes das mulheres na liderança

Não é à toa que as mulheres têm conquistado cada vez mais espaço na gestão de empresas. Apesar dos desafios, elas contam com habilidades e características muito valorizadas, que podem contribuir para o sucesso financeiro de qualquer negócio. 

Dedicadas, empáticas, flexíveis, resilientes e com um forte espírito de equipe, as mulheres líderes se destacam dentro das organizações, promovendo melhorias visíveis, conforme veremos a seguir. 

Comunicação e relacionamento interpessoal

De acordo com estudiosos, as mulheres conseguem ver o todo, equilibrar, raciocinar e pensar pela intuição, até mesmo pelo modo que são moldadas pela sociedade, com mais desafios em relação a jornadas duplas e triplas. Isso faz com que elas sejam mais efetivas ao motivar, engajar e desenvolver seus colaboradores

Como consequência, elas constroem ambientes corporativos mais positivos e leves, tornando as funções e os profissionais da organização mais coesos com seus perfis comportamentais.

Além disso, têm mais facilidade de comunicação e oratória, transmitindo com clareza informações e expectativas aos seus liderados. Também têm boa capacidade de ouvir e mais sensibilidade, promovendo um ambiente de trabalho colaborativo e harmonioso.  

Visão sistêmica

De acordo com um recente estudo da Universidade Técnica de Aachen e da Universidade de Koblenz e Landau, o cérebro das mulheres não é mais multitarefa do que o dos homens, um mito que vem sendo reproduzido em nossa sociedade há um bom tempo.

Culturalmente, ao longo dos tempos, as mulheres tiveram que conciliar o cuidado com a casa, marido e filhos, com a sua vida profissional. Tal rotina fez com elas precisassem de rápidas mudanças de atenção e foco de uma tarefa para outra, sem que nenhuma delas perdesse a qualidade. 

Segundo estudos, as mulheres também assimilam detalhes com mais rapidez e organizam essas informações em padrões mais complexos. Em cargos de liderança, ao analisar diferentes variáveis antes de tomar decisões, elas oferecem resultados mais efetivos.

💡Visão sistêmica: entenda o que é e qual a sua importância para a empresa

Determinação e valorização de oportunidades

As mulheres costumam dar mais importância para oportunidades de crescimento. Até porque, elas precisam se qualificar mais do que os homens para conseguir ocupar os mesmos cargos.

Essa realidade faz com que sejam mais determinadas e persistentes com relação aos obstáculos corporativos e continuem focadas nos desafios da empresa até que o objetivo seja concluído.

Empatia e foco no colaborador

Por serem mais sensíveis e buscarem um ambiente organizacional harmônico, as mulheres na liderança estão sempre prontas para ouvir e considerar as percepções e ideias de seus colaboradores, tendendo a permitir a participação ativa da equipe nas decisões da organização. 

Isso ocorre porque elas já percorreram um longo caminho para conquistar seu espaço no mercado de trabalho e, por isso, almejam um ambiente mais equilibrado e harmônico, onde haja espaço para líderes e liderados construírem uma empresa de sucesso. Além disso, promovem um ambiente organizacional com maior diversidade.

Melhora na gestão financeira

Todas as características citadas anteriormente, já são capazes de melhorar os resultados de uma organização por si só. Essa melhora pode ser comprovada ao analisar os dados do seu negócio. 

Segundo relatório da McKinsey, empresas que contam com mais mulheres em seus quadros de liderança, conseguem ter um desempenho financeiro até 21% melhor. 

➡️ Leia também: Entenda o cenário das mulheres no RH

A importância do empoderamento feminino na empresa

Incluir lideranças femininas no seu quadro de gestão é fundamental para empresas que pregam e acreditam na igualdade de gênero e na diversidade. Vale lembrar que um ambiente profissional mais igualitário e inclusivo traz resultados que vão além do aspecto financeiro. 

As novas gerações estão cada dia mais focadas em empresas que compartilhem seus ideais, visões e propósitos. Dessa forma, organizações que deixam os preconceitos de lado e avançam para o futuro, se tornam muito mais atrativas no mercado de trabalho

É bom destacar que as mulheres têm toda a capacidade técnica e comportamental para assumir cargos de chefia com maestria. Além disso, contam com algumas características diferenciais, como listamos acima, para lidarem melhor com as transformações e mudanças do mercado atual. 

Ainda assim, de acordo com a uma pesquisa da Opinion Box, 12,6% das empresas não têm nenhuma mulher em cargo de liderança, e 46,6% têm mais homens do que mulheres em seu quadro de gestores.

Dessa forma, ao optar por um time de liderança diverso, com mulheres líderes, a empresa não só demonstra seu compromisso com a igualdade de gênero, mas também colhe resultados expressivos e garante times mais competentes e unidos. Até porque, o mesmo estudo também mostra uma perspectiva animadora: 64,3% acreditam que a situação das mulheres no mercado de trabalho vai melhorar, e apenas 5,1% tiveram uma visão mais pessimista.

Dia Internacional da Mulher: a origem,importância e mensagens

Primeiras mulheres líderes

A história de liderança feminina envolve muita luta e superação de desafios. A todo o momento, as mulheres precisavam e precisam provar que são boas o suficiente para conseguirem se destacar em suas áreas. 

Apesar dos esforços e de toda essa exclusão, ao longo da história, algumas forças femininas acabaram se destacando por suas posturas e habilidades de liderança. Dois exemplos são Cleópatra, rainha do Egito, e Hatshepsut, a primeira faraó do Egito na antiguidade. 

Os movimentos de direitos civis e trabalhistas do século XX são outro exemplo de momento da nossa história em que as mulheres líderes foram cruciais. A ativista dos direitos civis Rosa Parks, e a ativista trabalhista Dolores Huerta lideraram importantes movimentos de justiça social naquela época. 

Material gratuito: guia completo sobre desenvolvimento de lideranças

Preencha o formulário e receba o material grátis no seu e-mail 📩

Grandes líderes femininas da atualidade

Se inspirar em grandes nomes de mulheres líderes pode ser uma forma de estimular o crescimento e a ambição de suas colaboradoras. A seguir, listamos 6 profissionais que se destacaram na atualidade e um pouco mais sobre suas trajetórias.

Mônica Hauck - CEO e Founder da Sólides Tecnologia

Apaixonada por pessoas e pelo potencial que elas têm em transformar negócios, Mônica Hauck é CEO e fundadora da Sólides, empresa de tecnologia, líder nacional na gestão de Recursos Humanos de pequenas e médias empresas e, com certeza, um dos grandes exemplos de mulheres líderes.

Figura na lista dos “100 CEOS das startups de maior destaque do Brasil”, organizada pelo Distrito. Além disso, foi eleita por dois anos consecutivos (2022 e 2023) “Empresária Destaque” do prêmio Top of Mind Brasil de RH, e, em 2023, reconhecida como uma das 100 pessoas mais inovadoras da América Latina pela Bloomberg Línea.

Angela Merkel - Chanceler alemã

A Chanceler alemã Angela Merkel é a primeira mulher a ocupar esse cargo no país e é considerada, atualmente, um dos líderes mais importantes da economia europeia.

Com uma incrível capacidade de administração, Merkel já foi reeleita três vezes e é responsável por manter o país na lista das nações mais ricas do mundo. Sua participação foi crucial para o enfrentamento de crises mundiais, como a crise econômica de 2008 e a pandemia da Covid-19. 

Luiza Helena Trajano - Presidente do Conselho de Administração Magazine Luiza

A brasileira Luiza Helena Trajano é outro exemplo de mulher inspiradora. Formada em direito, a empresária começou sua carreira aos 12 anos como balconista em uma das lojas da família.

Com muito esforço e empenho, Luiza conseguiu transformar uma empresa familiar em uma das maiores e mais conceituadas redes de lojas de varejo: a Magazine Luiza. Ativista pelo direito das mulheres, a empresária lidera o Grupo de Mulheres do Brasil, que busca debater e propor ações para melhorias sociais e profissionais. 

Andrea Marques de Almeida - CFO da Petrobrás

Formada em Engenharia de Produção, Andrea Marques de Almeida trabalhou durante 25 anos na Companhia Vale do Rio Doce. Em 2019, passou a integrar a gestão da Petrobrás.

Andrea ocupa um lugar de importância no mercado mundial, estrelando na lista da Forbes das mulheres mais poderosas do mundo em 2020. Ela é a única brasileira a aparecer no ranking. 

Sheryl Sandberg - 1ª mulher a ocupar o conselho do Facebook

Nascida em Washington, Sheryl Sandberg já passou por grandes empresas como o Banco Mundial, o Tesouro dos Estados Unidos e o Google. 

Seus excelentes resultados despertaram o interesse de Mark Zuckerberg, CEO do Facebook. Em 2008, Sandberg assumiu a posição de Chefe de Operações da rede social, o cargo mais alto de uma empresa depois do CEO, e transformou o negócio em uma das empresas mais rentáveis do mundo. 

Mary Barra - Presidente e CEO da General Motors

Formada em Engenharia Elétrica, Mary Barra iniciou sua trajetória na General Motors aos 18 anos. Ocupou cargos nas áreas de engenharia e administração, chegando a posições importantes como vice-presidente de recursos humanos e vice-presidente executiva de desenvolvimento de produtos globais.

Em 2014, assumiu a posição mais alta da empresa, como presidente da General Motors. Ela se tornou a primeira mulher do mundo a assumir essa posição em uma montadora. 

Como promover a participação feminina em cargos de liderança?

Aqui na Sólides, temos um exemplo real de valorização das mulheres em posição de liderança. Além de ter uma CEO mulher, a Sólides é uma empresa e temos um alto número de lideranças femininas.

Os desafios são muitos. Mas para ajudar a lidar com essa questão dentro das empresas, existem passos simples ​​que podem ser dados, como:

  • Criar ações e estratégias com projetos para que as mulheres retornem ao mercado de trabalho;
  • Pensar em ações que fortaleçam uma cultura interna voltada para igualdade e inclusão;
  • Criar programas de desenvolvimento feminino, por meio de mentoria, inbound marketing, coaching de incentivo à participação de mulheres em cargos dominados por homens, para que haja referências dentro da empresa em que os colaboradores possam se espelhar.

Como vimos, as mulheres líderes podem fazer toda a diferença dentro de uma organização. Com seus próprios "super-poderes", essas profissionais se desdobram para alcançar os melhores resultados e se tornam peças essenciais para o sucesso. 

Dessa forma, é essencial despertar o interesse da alta gestão para o assunto e desenvolver os talentos que demonstram boas habilidades de liderança. O primeiro passo é implantar essa cultura dentro do seu time com as dicas que preparamos neste material. 

O profissional de Recursos Humanos tem um papel estratégico no momento de apresentar ações para promover a participação feminina nos cargos de liderança, tornando-se um verdadeiro protagonista dessa transformação, tão fundamental para todos.

Picture of Luana Teixeira
Luana Teixeira
Psicologia pela FUMEC e pós-grauada em Gestão Estratégica de Pessoas pela UFMG. Atuei como Professora no MBA em Coaching- Life Coaching, Executive e Business Coaching da U.N.A, nas disciplinas Gestão do Tempo e Marketing Pessoal. Adoro aprender e ensinar! Sou gente que gosta de gente!
Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima