Microgerenciamento: Como se livrar desse problema na sua gestão?

Tempo de leitura: 6 minutos

Sabemos que um dos papéis de um bom gestor é acompanhar o andamento das tarefas dos seus liderados e dar a assistência necessária para que tudo corra bem. Contudo, qual é o limite entre uma gestão mais próxima e o microgerenciamento? Até que ponto todo esse cuidado é saudável para o time e a relação entre as pessoas?

Neste artigo, vamos explicar o que é o microgerenciamento e os principais problemas que essa prática pode causar em uma empresa. Em seguida, apresentaremos algumas sugestões para ter uma gestão eficiente mantendo o equilíbrio entre o acompanhamento das atividades e a confiança na equipe. Acompanhe!

O que é microgerenciamento?

O microgerenciamento é uma prática de gestão que consiste no controle minucioso das atividades realizadas por cada um dos colaboradores. Os gestores que seguem esse caminho demandam de muitos relatórios, reuniões de acompanhamento e exigem que tudo o que seja feito pelo time passe pelo seu crivo antes de ser finalizado.

Em grande parte, o microgerenciamento é causado por características comportamentais do próprio gestor, que apresenta dificuldades em confiar integralmente em outras pessoas. Algumas influências do meio são bastante comuns na formação desse perfil de liderança, tais como o excesso de cobrança das instâncias superiores e os exemplos de gestores que a pessoa teve ao longo da sua carreira. 

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Quais são os problemas que ele causa nas equipes?

Ter tudo sob controle parece bom, mas o microgerenciamento vai além de um simples acompanhamento, por isso, acaba gerando alguns efeitos colaterais indesejados. Veja quais são os mais relevantes.

Limitação do desenvolvimento dos profissionais

A liberdade para inovar e a criatividade são elementos-chave para o desenvolvimento de um colaborador, que precisa se sentir seguro para arriscar coisas novas, experimentar teorias e propor mudanças que podem fazer a diferença na rotina do setor. Isso só é possível se ele tiver espaço para tentativa e erro.

Um microgestor não é capaz de fornecer tudo isso, pois ele sente a necessidade de estar presente em cada passo, para que tudo saia conforme a sua visão. É como aprender a andar de bicicleta usando rodinhas auxiliares. Enquanto as rodinhas não forem removidas, a pessoa não poderá evoluir em seu aprendizado.

Enfraquecimento da relação de confiança

O microgerenciamento afeta a relação de confiança entre líder e liderados em duas vias. A primeira, no que diz respeito à credibilidade depositada nos liderados na realização de suas tarefas. Se o próprio gestor não confia que o serviço pode ser bem-feito, como esses colaboradores poderiam acreditar em seu potencial? 

O que nos leva ao segundo ponto, que se traduz no abalo da autoconfiança dos profissionais. Algo que prejudica não apenas a carreira de cada um, como as oportunidades de inovação e desenvolvimento do negócio como um todo.

Aumento na rotatividade do time

Toda a insatisfação com as questões da falta de confiança e do controle exagerado sobre tudo tende a aumentar a desmotivação do time e, consequentemente, as chances de perder excelentes profissionais para o mercado. A alta rotatividade, além de causar prejuízos financeiros, ainda afeta a produtividade e o andamento das atividades do setor, que precisa integrar novos contratados com maior frequência.

Perda da visão macro do negócio

Um microgestor ocupa boa parte do seu tempo controlando o operacional do setor e faz isso de forma tão detalhista que é quase como se ele mesmo executasse todo o serviço. Assim, não sobra espaço na agenda para cuidar de questões mais estratégicas, como a análise dos resultados do time, alinhamento com os objetivos do negócio e planejamento de médio e longo prazos. 

calculadora de rotatividade da Sólides

Como impedir o microgerenciamento na gestão da empresa?

O microgerenciamento é bastante prejudicial para a empresa, logo, pode ser evitado se alguns cuidados forem tomados. Confira quais são eles. 

1. Prepare-se para uma mudança de mentalidade

Um dos principais impasses do microgerenciamento é que ele representa uma forma de pensar do gestor. Na cabeça de um microgestor, ele não está exagerando e dá conta de acompanhar tudo, ainda, ele precisa ter o controle senão algo muito ruim acaba acontecendo.

Por isso, a primeira mudança necessária para que a microgestão seja evitada é na mentalidade das lideranças. Para tanto, é fundamental que essas pessoas compreendam a importância de serem mais flexíveis e de confiar mais em suas equipes. Sem isso, nenhum dos passos seguintes será eficiente.

2. Perca o medo de delegar funções

O medo é uma reação natural a uma situação de risco, o ponto é que, no caso do microgerenciamento, essa ameaça não é real. O gestor precisa perceber que sua equipe dá conta do recado e que um erro ou outro são totalmente normais e aceitáveis. 

Nesse sentido, delegar funções é colocar uma tarefa inteiramente sob a responsabilidade de outra pessoa. Deixar que ela faça tudo até o fim, confiar no seu time.

3. Estreite relações com seus liderados

A confiança é algo que não nasce de um dia para o outro, ela é construída ao longo de um tempo de convivência. Nesse sentido, lideranças que passam mais tempo com seus liderados criam laços mais fortes, podendo até mesmo se tornarem amigos para além da empresa. 

A participação em happy hours e conversas na hora do intervalo são ótimas oportunidades para conhecer melhor quem são as pessoas por trás dos crachás e aumentar a confiança nelas. 

4. Reveja os processos do setor

Por fim, analise os processos do setor e veja se eles podem ficar mais enxutos, com menos etapas de aprovação e mais liberdade para a atuação dos profissionais. Para tanto, diminua a frequência de conferência de alguns relatórios, nem tudo precisa ser checado diariamente ou semanalmente. 

Sendo assim, concentre mais tempo da equipe na execução e mais tempo da gestão em atividades táticas e estratégicas.

banner cultura organizacional

Cuidado com o microgerenciamento

Como vimos, o microgerenciamento é uma prática perigosa que pode trazer muitos problemas para a gestão de times. Assim, a confiança é a palavra-chave para evitar que ele aconteça e acabe prejudicando o desempenho dos profissionais e os resultados da empresa. Logo, se está passando por essa situação e quer reverter o quadro, siga as dicas que demos aqui e garanta uma gestão mais eficiente.

Se você gostou do artigo, que tal se aprofundar um pouco mais sobre boas práticas da liderança? Confira como deve ser o comportamento de um bom líder.

5 1 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments