Como está o mercado de trabalho para o profissional de recursos humanos?

Tempo de leitura: 5 minutos

Levantamento foi feito utilizando dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados para os 6 primeiros meses do ano

O período da pandemia da Covid-19, doença causada pelo coronavírus, impactou todas as profissões. Carreiras da área da saúde, como Enfermagem e Medicina, por conta da crise sanitária, aumentaram o número de contratações. Algumas outras áreas acabaram sendo afetadas negativamente resultando no fechamento de postos de trabalho. 

Falando das carreiras de recursos humanos, em qual dos dois cenários elas se encaixam? Será que foram criados novos postos de trabalho ou foram fechados? Pensando em responder essa dúvida, fizemos um levantamento do mercado de trabalho para recursos humanos, em 2020, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged),  em parceria com o Quero Bolsa, plataforma de bolsas de estudo e vagas no ensino superior.

Os dados analisados são de contratações com carteira assinada de profissionais com diploma de ensino superior (nesse caso, a graduação pode ser em qualquer área, não necessariamente Tecnólogo de RH, Administração ou Psicologia, faculdades mais indicadas para tal atuação), nos 6 primeiros meses do ano. As carreiras de recursos humanos que foram selecionadas para isso são:

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

  • Analista de Recursos Humanos;
  • Agente de Recrutamento e Seleção;
  • Diretor de Recursos Humanos;
  • Gerente de Recursos Humanos;

Vamos lá?

Como está o mercado de trabalho para Analista de Recursos Humanos?

Dentro do departamento de RH, o Analista de Recursos Humanos pode acumular várias funções como:

  • Administrar o quadro de funcionários;
  • Decidir cargos e salários;
  • Realizar recrutamentos;
  • Propor e implementar programas de treinamento;
  • Assegurar os direitos dos funcionários;
  • Propagar a cultura organizacional da empresa;
  • Realizar ações internas que aumentem o engajamento dos funcionários;
  • Definir contratações e lidar com a parte operacional das operações relacionadas a parte humana da empresa.

Analisando as mais diversas contratações que englobam todas essas atuações, pudemos observar uma retração quanto às contratações no primeiro semestre de 2020. Entre janeiro e junho, foram 1.276 postos de trabalho fechados, com 7.326 contratações e 8.602 demissões. Em 2019, no mesmo período, tinham sido 4.463 postos de trabalho criados (9.320 contratações e 8.761 demissões).

Entretanto, houve um aumento salarial entre os profissionais que foram contratados entre janeiro e junho. Profissionais que foram admitidos nos 6 primeiros meses do ano de 2020 receberam uma remuneração média de R$ 3.954,30, um aumento de 13,5% em relação ao mesmo período, em 2019. Vale lembrar que, segundo o IPCA, a inflação entre junho de 2019 e junho de 2020 foi de 2,14%. 

Isso significa que houve um aumento de renda real, já que a alta na remuneração não veio apenas para corrigir as perdas relativas ao índice inflacionário no período. .

Como está o mercado para Agente de Recrutamento e Seleção?

Falando na carreira de Analista de Recrutamento e Seleção, podemos observar tem como função:

  • Recrutar novos funcionários para a empresa;
  • Criar plano de benefícios;
  • Promover ações de qualidade de vida e assistência aos empregados;
  • Administrar as relações de trabalho;
  • Coordenar sistemas de avaliação de desempenho.

A carreira seguiu a mesma tendência da carreira de analista, tendo um fechamento postos de trabalho no período destacado pelo levantamento. Foram 331 contratações e 538 demissões, com um saldo negativo de 207. 

Entre janeiro e junho de 2019, tinham sido 445 contratações e 353 demissões, com saldo de 92 postos de trabalho criados. 

Da mesma maneira também, os salários das contratações também foram maiores. Para os profissionais admitidos nos 6 primeiros meses do ano, a remuneração média foi de R$ 4.161,72, um crescimento de 25,9% em relação a média de R$ 3.304,40, registrada no primeiro semestre de 2019. A taxa de aumento sinalizada também foi acima do índice inflacionário no período destacado. 

Como está o mercado para Diretor de Recursos Humanos?

Profissionais contratados em cargo de diretoria também enfrentaram uma retração no primeiro semestre de 2020. Nesse caso, foram 94 contratações e 141 demissões, com um saldo negativo de 47. Em 2019, o balanço também havia sido negativo, com um fechamento de 45 postos de trabalho (71 contratações e 116 demissões). 

Quanto ao salário, os diretores receberam uma remuneração de R$ 30.144,46, um aumento de 13% em relação aos R$ 26.629,83 pagos nos 6 primeiros meses de 2019, também acima do índice inflacionário. 

Como está o mercado de trabalho para Gerente de Recursos Humanos?

Para os cargos de gerência, a situação se manteve, com 1.408  contratações e 2.052 demissões, chegando a um saldo negativo de 644. Em 2019, o balanço também foi negativo, mas menos acentuado. Foram fechados 446 postos de trabalho, (2.051 contratações e 2.497 demissões). 

A diferença está na mudança salarial observada no período. O salário de 2020, diferente das outras ocupações, acabou diminuindo também. No 6 primeiros meses, foi pago uma remuneração média de R$ 8.047,41, queda de 1% em relação ao mesmo período, em 2019. 

RH está sendo um fenômeno deslocado?

Durante a pandemia da Covid-19, alguns setores, por conta da necessidade, viram as contratações subirem. É o caso das carreiras na área Saúde, já citado acima, Educação e Tecnologia, que continuam com saldo positivo na geração de postos de trabalho. 

Entretanto, no mesmo período, diversas empresas tiveram que rever seus investimentos por conta da queda de consumo das famílias (e, consequentemente, de outras empresas também.Isso acarretou em um momento mais complicado de muitos setores, como o de RH. Apenas 48% das carreiras listadas no Caged tiveram saldo positivo entre contratações e demissões, enquanto, no mesmo período, em 2019, essa taxa era de 64,4%. 

Dessa maneira, não foi necessariamente a área de Recursos Humanos  que enfrentou uma desvalorização maior no mercado. A tendência acabou sendo aplicada a diversas carreiras dos mais variados setores. Dessa maneira, o esperado é que quando a crise da pandemia diminuir, o mercado volte a aquecer, as contratações aumentem e sejam criados mais postos de trabalho, voltando a empregar os profissionais que acabaram se vendo sem ocupação durante esse período. 

Esse conteúdo foi originalmente desenvolvido pela equipe do Quero Bolsa.

0 0 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments