Como prever conflitos na troca de liderança nas organizações?

Tempo de leitura: 5 minutos

Mudar a liderança de uma equipe nunca se trata de um processo fácil. Mesmo quando esse é um desejo do time – por conta de conflitos ou qualquer outro motivo – um novo líder pode trazer outro ritmo de trabalho, alterar a dinâmica do grupo e fazer uma transformação até na forma como os colaboradores interagem entre si e desenvolvem as suas atividades.

Por isso, é preciso ter muito cuidado nesse momento para que o processo seja o mais tranquilo possível e não afete a produtividade dos colaboradores de forma muito radical, desequilibrando os resultados da organização. Uma maneira de fazer isso é prevendo os possíveis conflitos de um novo líder na empresa com a sua equipe.

E como fazer essa previsão? É isso que você vai descobrir no artigo de hoje! Continue a leitura e saiba como a análise de perfil comportamental ajuda no processo de troca de liderança nas organizações. Entenda, também, qual é a ferramenta ideal para que o seu departamento de Recursos Humanos possa tomar decisões assertivas e lidar com essa situação da melhor forma, garantindo resultados realmente positivos para a empresa!

Liderança nas organizações: por que é importante entender o comportamento?

É claro que é fundamental que o líder de uma equipe entenda tecnicamente sobre o que o seu time é responsável por desenvolver. Mas o mais importante é que ele saiba como conduzir o grupo da melhor forma para que os resultados esperados sejam alcançados! E isso está completamente ligado às tendências e competências comportamentais da liderança e da equipe.

Essas características acabam influenciando no estilo de liderança de uma pessoa, que pode tender a ser mais dominante ou condescendente e também mais formal ou informal. Nesse caso, não existe um parâmetro de certo e errado! Tudo depende do que os colaboradores precisam para alcançar a alta performance.

Se por acaso se trata de uma equipe que precisa desenvolver atividades mais criativas, por exemplo, pode ser que o ideal seja que a liderança tenha um estilo mais voltado à condescendência e à informalidade para que o time atinja um bom desempenho. Assim, os colaboradores podem se sentir mais livres e confortáveis para debaterem as suas ideias.

Já em uma linha de produção onde a disciplina é a característica principal para o desenvolvimento das atividades, por exemplo, pode ser que um líder mais dominante e formal vá conduzir as equipes aos melhores resultados.

Mas quando pensamos em uma nova liderança, você não deve analisar apenas o que é necessário para que a empresa entregue o melhor resultado. É fundamental pensar sobre qual é o perfil predominante da equipe e quais tendências comportamentais de um líder podem ser harmônicas com o time e o que pode causar conflitos.

É entendendo esses aspectos que você irá não apenas selecionar o líder ideal, como também trabalhar o desenvolvimento da liderança e dos demais colaboradores a fim de garantir um ambiente estimulante e confortável – o que influencia muito nos resultados, é claro. Além disso, é conhecendo o perfil de todos que você conseguirá se preparar para os possíveis conflitos e gerenciá-los da melhor forma caso eles ocorram!

Prevendo conflitos de um novo líder com a equipe

Para conseguir prever quais são os possíveis conflitos de uma nova liderança organizacional com a equipe, você precisa fazer o mapeamento comportamental de ambos os lados. Através dele, você entenderá quais são as tendências de comportamento, competências, estilo de liderança, dentre outras características tanto dos colaboradores, quanto do líder.

Após fazer o mapeamento de todos os colaboradores, você consegue entender qual é o perfil comportamental predominante da equipe. Você pode cruzá-lo com a análise do comportamento do líder. A partir disso, você vai encontrar quais são os pontos que podem gerar conflitos e até mesmo improdutividade para a equipe.

Se a equipe tem o perfil comunicador muito forte, por exemplo, pode ser que não se dê bem com uma liderança em que as características principais sejam de um analista. Isso pode gerar conflitos em relação à própria dinâmica do grupo e à forma como a comunicação entre líder e liderados é feita.

Sabendo disso, o departamento de Recursos Humanos pode orientar a liderança e ajudá-la a trabalhar uma Gestão de Pessoas voltada para o comportamento com a sua equipe. Isso pode evitar que os conflitos previstos venham à tona e, se eles realmente acontecerem, a Gestão Comportamental pode direcioná-lo a soluções mais rápidas e eficientes.

Mapeamento comportamental: qual é a ferramenta certa?

Como você viu, para prever os conflitos entre uma nova liderança na organização e a equipe, você precisa conhecer as tendências e competências comportamentais de ambas as partes. E, para isso, você precisa aplicar testes de perfil, o que deve ser feito através de um sistema confiável e eficiente.

Foi para isso que nós desenvolvemos o Solides Gestão. Através dele, você pode aplicar testes de perfil comportamental validados pela Universidade de São Paulo (USP) e pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Os testes duram apenas cerca de 7 minutos para serem respondidos e você receberá mais de 50 informações sobre a pessoa mapeada. Isso te ajudará a ter uma Gestão de Pessoas totalmente focada em resultados e irá te orientar para trabalhar de forma eficiente não apenas o desenvolvimento de liderança nas organizações, mas diversas outras ações do RH.

Além disso, o Solides Gestão automatiza os processos de RH, te ajudando a ser mais assertivo na Gestão de Pessoas e a focar na estratégia.

Então, agora que você já sabe como orientar a liderança nas organizações para que cada equipe alcance a alta performance, que tal conhecer todos os benefícios do Solides Gestão? Você pode usá-lo gratuitamente por 14 dias. É só clicar aqui!

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
trackback

[…] é forjada por escolhas conscientes, inconscientes e também pelo comportamento dos que estão a liderança da organização. A moral e a ética da sociedade na qual a empresa está inserida contribuem para […]