Aula completa sobre liderança e gestão de equipes de alta performance

SAIBA MAIS

Aqui você encontra:

Você sabia que a Sólides tem um programa de capacitação exclusivo para seus clientes? O evento, chamado de “Mentoria com Especialista", acontece online e auxilia os profissionais de RH a desenvolverem e potencializarem sua gestão de pessoas. Na edição mais recente, o tema abordado foi liderança e gestão de equipes

As especialistas Simone Furbino e Isabella Furbino, mãe e filha, se reuniram para bater um papo interessante sobre a liderança 5.0 e seus desafios. Neste post, reunimos os principais insights dessa conversa. Confira na leitura.

Conheça um pouco sobre as mentoras

Simone Furbino

  • Mestre em Administração de Empresas, com foco em Estratégia Empresarial e Governança Corporativa;
  • Formação em Coach (Self e Professional)
  • Especialista em Gestão de Projetos
  • Bacharel em Pedagogia e em Secretariado
  • Executivo Bilíngue
  • Professora de pós-graduação no IBMEC-BH
  • Experiência de mais de duas décadas na área de gestão, governança, pessoas, riscos e compliance.
  • Apaixonada pelos filhos, por café e por plantas!

Isabella Furbino

  • Graduada em Psicologia (UFMG);
  • Especialista em Gestão de Negócios (IBMEC);
  • Possui 8 anos de experiência na área de Recursos Humanos;
  • Responsável pela área de Gente e Gestão no Tangerino by Sólides;
  • Nos últimos 5 ano tem atuado ativamente na estruturação de operações de RH no mercado de Tecnologia;
  • Atua dando mentorias para profissionais de RH e também para empresas do terceiro setor;
  • Apaixonada por café, chocolate e pelo Galo!

O que é liderança e gestão de equipes?

A definição tradicional de liderança, de acordo com o dicionário Oxford é: 

  1. Função, posição, caráter de líder.
  2. Espírito de chefia; autoridade, ascendência.
  3. Pessoa ou grupo de pessoas que possuem esse espírito, que exercem essa chefia.

Essa é uma definição que talvez tenha feito sentido há anos atrás. Mas será que esse papel de chefia está de acordo com o contexto de hoje? Apesar de ser coerente com a posição hierárquica do líder, essa não parece uma definição muito amistosa, que traz conforto ou inspiração, não é? 

O conceito de liderança mudou com o tempo?

Sim. O conceito e a prática da liderança estão diretamente associadas ao contexto da época. Assim, as necessidades atuais fizeram com que esse conceito evoluísse, saindo da figura do chefe autoritário e chegando na ideia de líder que temos hoje. 

A pesquisadora norte-americana Brené Brown, define um líder como: 

Qualquer pessoa que assuma a responsabilidade de encontrar potencial em pessoas e processos, e que tenha a coragem de desenvolver esse potencial.

Esse é o conceito mais ajustado de líder hoje, aquele que é procurado e valorizado no mercado. Isso quer dizer que o verdadeiro líder não é o profissional que assume apenas as responsabilidades institucionais. Ele é muito mais do que isso. 

O conceito de liderança atual está mais relacionado à capacidade de conhecer a si mesmo e aos seus liderados, identificando potencialidades e vulnerabilidades, para desenvolver profissionais que se complementem na busca por um resultado comum.

? Antes de continuar, que tal um presente? Preparamos um material com 10 dicas para gerenciar o comportamento dos colaboradores. Baixe grátis!

Material gratuito: 10 dicas para gerenciar o comportamento dos colaboradores

Preencha o formulário e receba o material grátis no seu e-mail 📩

Como foi a evolução do conceito de liderança?

Embora a mudança no conceito de liderança ao longo dos anos pareça revolucionária, essa evolução trouxe para o momento atual, muito do legado e das visões de antigamente

Um exemplo é o foco em produtividade. No início do século 20, o dono da empresa era o líder e os liderados obedeciam essa figura. A ideia naquela época era produzir o máximo, em menor tempo, para garantir um maior lucro. 

Liderança 2.0

Entrando na segunda metade do século 20, surge o conceito de liderança 2.0. Nessa época, também havia uma preocupação com a produção e a quantidade, mas passou-se a valorizar mais a qualidade. Então o líder não se preocupava apenas em trazer grande quantidade produtiva, mas também na qualidade daquilo que estava entregando. 

Também ocorreu nesse período uma desverticalização da estrutura de liderança. O dono do negócio ainda era o líder principal, mas a liderança era descentralizada com outros papéis, como o do supervisor. 

Liderança 3.0

A próxima fase foi a liderança 3.0, que ocorreu na era da produção. Nesse contexto, não é mais o empresário quem lidera sozinho, os liderados passam a fazer parte da tomada de decisões, auxiliando com suas competências e conhecimentos. 

Liderança 4.0 e 5.0

No século 21, com a era da informação, vieram as lideranças 4.0, que descentralizam as hierarquias e atuavam de forma muito mais humanizada e saudável. Essa visão abriu espaço para a demanda atual, a liderança 5.0, que também requer um olhar para a produtividade, qualidade, estrutura, desenvolvimento e desempenho, mas com mais humildade

Essa é, provavelmente, a principal característica da liderança 5.0. É o líder que realiza a gestão de pessoas sem arrogância, prepotência ou orgulho desnecessário. O objetivo desse líder é transformar a empresa, priorizando as necessidades e os objetivos da organização e dos colaboradores acima dos seus.

?O guia para novos líderes: 16 dicas de liderança

Como é a liderança 5.0 na prática?

Embora muito se fale sobre a liderança e gestão de equipes, nem sempre esses assuntos são colocados de forma franca e honesta. Entender como é essa posição e seus desafios, na prática, é essencial para que os profissionais saibam como agir. 

O primeiro ponto que podemos abordar é o exemplo. O líder deve dar o exemplo em suas atitudes no dia a dia. A forma como ele atua é, frequentemente, multiplicada e replicada por seus liderados. Exatamente por isso, é essencial ter condutas éticas, coerentes com a cultura da organização e um contato amistoso e respeitoso com o time. 

Ser um bom líder não é fácil e viemos de uma herança muito romantizada do que é a liderança. Na verdade, essa é uma tarefa bastante solitária. Isso acontece porque os desafios e problemas, tanto pessoais quanto profissionais, muitas vezes, não podem ser compartilhados com o time. 

Por isso, é necessário que esse profissional tenha um perfil forte e resiliente e entenda que o seu papel é impulsionar e desenvolver os recursos humanos dentro do negócio. 

✍? Entenda a relação entre liderança e motivação dos colaboradores 

Quais os desafios enfrentados pelo líder 5.0?

Antes, a ideia que se tinha era de que o líder era voltado para pessoas, enquanto o gerente ou gestor era voltado para processos. Hoje, essa dicotomia já não cabe mais. O verdadeiro líder precisa encontrar o potencial nas pessoas e nos processos e desenvolver ambos os fatores. 

É claro que há momentos que vão exigir um posicionamento mais próximo às pessoas e outros que exigirão uma proximidade dos processos. Mas o fato é que não se pode perder essa linha de atuação, buscando tirar o máximo de potencialidade dos dois elementos.

Além disso, é necessário ter coragem para desenvolver pessoas e processos, enfrentando desafios como a cultura organizacional, orçamentos limitados ou mesmo a falta de proximidade com a equipe. A coragem é entender que esses obstáculos existem, e agir mesmo assim. Esse é o ponto mais importante da gestão de liderança.

Quais são as principais competências de uma liderança?

Entre as características mais importantes em um profissional de liderança e gestão de equipes, podemos citar: 

  • Capacidade de entrega: gente que fala menos, e faz mais;
  • Líder de trincheira: por a mão na massa junto com o time, conhecer o operacional e liderar pelo exemplo;
  • Resiliência: ser referência e apoio em todos os momentos, especialmente, os difíceis;
  • Formar líderes: formar profissionais maiores do que ele mesmo, assim ele cresce e o time também;
  • Líderes se servem por último: estar disposto a dar um passo atrás, para que o time seja o verdadeiro protagonista;
  • Cuidar do “como”: não basta só entregar o resultado, é preciso dedicar-se ao “como” é feita a entrega.

Quais são as principais características de um profissional de alta performance?

Para entender quais as características de um profissional de alta performance, é válido conferir a definição feita por Mônica Hauck, Founder e CEO da Sólides. Em uma caixinha de perguntas na rede social, Mônica pontua:

"Por definição óbvia, um top performance é quem tem os melhores resultados. Mas o top mesmo é quem entrega:

  • Do jeito certo (ética);
  • No tempo certo (velocidade);
  • Construindo pontes (relacionamento interpessoal);
  • Inspirando e motivando (influenciando e conseguindo o respeito dos demais);
  • Com otimização de recursos (fazendo mais com menos);
  • Agregando (tem gente que entrega, mas "mata" todo mundo ao seu redor)."

Essa fala da Mônica levanta um ponto importante sobre as lideranças, o potencial de que líderes despreparados acabem sugando e minando as energias de seus liderados. Nem sempre essa é uma atitude consciente, por isso, é essencial que os profissionais façam uma autoanálise sobre sua gestão de talentos. 

Como não diminuir pessoas ao nosso redor?

Para evitar esse problema, existem alguns pontos de atenção que devem ser observados em cada um dos perfis comportamentais nas lideranças

Lembre-se que muitas dessas atitudes são naturais do perfil de cada profissional, por isso, trabalhá-las pode ser desafiador. Contudo, esse é um exercício importante de autoconhecimento e desenvolvimento. 

A seguir, vamos explicar, brevemente, o que cada perfil pode fazer para não sobrecarregar seus liderados. 

Executores 

  • Saiba pedir ajuda;
  • Raciocine e respire antes de responder;
  • Ensine as pessoas a atingirem grandes resultados.

➡️ Tudo sobre o Perfil Comportamental Executor

Comunicadores

  • Ouça mais e com empatia;
  • Aprenda a dizer não;
  • Aprenda a valorizar a organização e a disciplina.

➡️ Tudo sobre o Perfil Comportamental Comunicador

Planejadores

  • Seja mais ousado/a;
  • Arrisque-se, o risco é necessário e, por vezes, saudável;
  • Não tenha medo de ser protagonista.

➡️ Tudo sobre o Perfil Comportamental Planejador

Analistas

  • Ensine o que sabe fazer de melhor;
  • Faça, mesmo sabendo dos riscos;
  • Não tenha medo de errar, o erro traz evolução.

➡️ Tudo sobre o Perfil Comportamental Comunicador

Conhecer os perfis comportamentais, tanto dos líderes quanto dos liderados, é essencial para uma gestão de pessoas eficiente. As pessoas são diferentes e, por isso, precisam ser tratadas de formas diferentes. Desse modo, identificar quem são as pessoas ao seu redor pode ser decisivo para mudar a forma como você se comunica, lidera, desenvolve e gerencia o time. 

Neste conteúdo, você pôde conferir alguns dos principais insights levantados por Isabella Furbino e Simone Furbino na mentoria sobre liderança e gestão de equipes da Sólides. Refletindo um pouco sobre tudo o que foi comentado na aula, será mais fácil entender quais pontos da sua liderança precisam de melhorias e como você pode potencializar a performance dos liderados. 

Gostou do tema e quer se aprofundar ainda mais? Baixe gratuitamente nosso ebook sobre desenvolvimento de lideranças

Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima