Lean startup: Entenda o que é, características e principal objetivo por trás

Tempo de leitura: 9 minutos

Você já ouviu falar sobre o conceito de lean startup? Com uma concorrência cada vez maior e tantas inovações tecnológicas no mercado, a forma tradicional de desenvolvimento de produtos acaba sendo lenta e ineficiente, levando muitos empreendedores ao fracasso. 

Nesse contexto, o modelo lean startup pode ser uma excelente solução para quem deseja se destacar no mercado. Isso porque, ele propõe novas formas de criar produtos e combater o desperdício de tempo e recursos. 

Quer entender melhor como essa metodologia funciona? Então, continue a leitura deste post.

O que é lean startup?

A palavra “lean” pode ser traduzida como “enxuta”, sendo assim, lean startup significa, em uma tradução livre, startup enxuta. Esse conceito remete a uma administração focada na identificação e eliminação de fontes de desperdício nos processos produtivos, porém sem perder a qualidade em seu produto final. 

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

A metodologia está bastante atrelada ao ambiente de startups de tecnologia, mas pode ser aplicada em qualquer tipo de empresa, inclusive nas de grande porte. Seu maior diferencial é a agilidade dos processos para lançar um produto com o mínimo de viabilidade o mais rápido possível e só então fazer os ajustes necessários para chegar ao produto ideal.

Qual é a origem da metodologia?

O conceito foi introduzido pelo autor Eric Ries, no livro The Lean Startup, a partir de suas próprias experiências como empreendedor, consultor e criador de startups.

Depois de trabalhar por meses em um projeto de desenvolvimento de software com um financiamento de 40 milhões de dólares e mais de 200 funcionários, Ries viu seu projeto fracassar por falta de popularidade, o que lhe rendeu enormes prejuízos econômicos, de tempo e recursos.

Depois da experiência, o empreendedor buscou referências na filosofia japonesa de Lean Manufacturing para propor um novo modelo de criação chamado Lean Startup. Desde então, sua metodologia focada na eliminação de gastos desnecessários vem sendo amplamente utilizada para pensar e acelerar empresas em todo o mundo.

Veja também: Planilha de Planejamento Estratégico

Quais as suas características?

O termo lean startup engloba um conjunto de conceitos, metodologias e processos que orientam o empreendedor a validar ou descartar hipóteses sobre seu produto ou mercado. A metodologia é baseada na combinação de alguns importantes princípios, como veremos a seguir.

Ciclo de feedback

O ciclo de feedback é um dos principais conceitos de uma lean startup. Ele está dividido em três fases: construir, mensurar e aprender. Sendo assim, é preciso que o negócio idealize e construa um produto rapidamente, mensure sua eficácia no mercado e aprenda com essa experiência.

Em outras palavras, o ciclo transforma ideias em produtos, mede as reações e comportamentos dos clientes e, então, decide se a ideia deve ser levada adiante ou descartada.

Mínimo Produto Viável (MVP)

O mínimo produto viável é a versão mínima e experimental de um novo produto para que ele seja lançado. Por meio dele, é possível buscar mais informações e compreender as expectativas e necessidades do consumidor. O intuito desse lançamento é minimizar esforços e economizar recursos até entender exatamente quais são os desejos do seu cliente final.

Deploy Contínuo

Deploy é um termo bastante utilizado por desenvolvedores de software que significa implantar, disponibilizar para uso ou mesmo colocar no ar. Assim, a ideia por trás das lean startups é que a finalização da construção de um novo recurso e a sua disponibilização para o público seja feita em um curto espaço de tempo, para que os clientes possam avaliá-lo quanto antes. 

Teste A/B

Outro princípio da metodologia é a disponibilização de testes A/B. Dessa forma, quando possível, a ideia é oferecer mais de uma versão do produto no mercado para colher feedbacks e entender como os clientes reagem a cada modelo. A partir dessa reação, a organização consegue mensurar as preferências de seu público.

Pivot

Chamamos de pivot a mudança completa no curso de um produto. Logo, é quando a empresa percebe que não vale a pena continuar investindo na ideia inicial e precisa mudar o rumo da estratégia. A vantagem da lean startup é que, utilizando a metodologia, é possível enxergar essa necessidade mais cedo, evitando desperdícios de tempo e dinheiro.

Assim, quando a organização entende que é hora de pivotar, ela passa a considerar um novo MVP e inicia novamente o processo de testes e lançamentos.

Como funciona uma lean startup?

Agora que você já conhece o conceito de lean startup e seus princípios, vamos entender melhor como essa metodologia funciona na prática. O primeiro passo que precisa ser assimilado é que uma startup é mais do que apenas um produto, trata-se de uma empresa completa que precisa de uma boa gestão.

Um dos problemas desse mercado de inovação é que, muitas vezes, empreendedores ficam estagnados gastando tempo e dinheiro no desenvolvimento de produtos, sem saber se a solução realmente satisfará as dores e desejos do consumidor. Isso acontece porque esses empresários tentam chegar a uma versão completa do produto antes de qualquer lançamento.

Nesse sentido, as lean startups vêm na contramão dessa ideia. Isso porque, para aplicar o método, o empreendedor deve estar ciente que, mesmo fazendo pesquisas, tudo o que ele tem são apenas hipóteses que precisam de comprovação.

Dessa forma, ao invés de criar um plano de negócios completo para seu produto, ele deve criar diagramas mais simples e iniciar os testes com o MVP quanto antes. Para esse tipo de teste é utilizado o conceito de customer development ou desenvolvimento de clientes.

Assim, a empresa deve conversar com potenciais usuários, compradores, parceiros e extrair suas opiniões sobre o modelo de negócio, características do produto, preços, canais de distribuição, entre outros atributos.

Depois de extrair todas as informações necessárias, a startup enxuta deve adotar um desenvolvimento ágil, em que não haja perda de tempo ou recursos e o produto seja desenvolvido de forma interativa e incremental.

Resumindo, o conceito de lean startup gira em torno da interação com os clientes, de modo a validar hipóteses e melhorias ao longo do processo, criando produtos mais eficientes e que realmente sejam o que o público procura.

Banner-Calculadora

Quais são as vantagens do modelo?

Apostar em uma lean startup pode trazer excelentes benefícios para o negócio, gerando resultados bastante interessantes. A seguir, explicamos algumas das principais vantagens do modelo.

Maior produtividade

Um dos principais benefícios dessa metodologia é que ela possibilita ao empreendedor focar no que realmente dará resultados e agir de forma mais ágil e direta. Assim, é possível atuar com mais eficiência e garantir uma maior produtividade no negócio.

Mais aproximação com os clientes

Utilizando o ciclo de feedback, é possível conhecer melhor o seu público-alvo, entender suas demandas, motivações e criar um laço de proximidade. Isso fará com que exista uma maior conexão entre empresa e consumidores, melhorando a fidelização e impulsionando o marketing boca a boca.

Redução do custo de operação

Eliminando desperdícios de recursos e tempo, a empresa consegue reduzir seus custos e contribuir para um desenvolvimento mais sustentável do negócio. Dessa forma, a organização minimiza despesas e aumenta seu potencial de lucro.

Como criar o seu MVP?

Como vimos, investir em grandes lançamentos sem antes validar suas hipóteses pode ser um erro que trará muitos prejuízos. Sendo assim, é fundamental minimizar desperdícios e aplicar o conceito de MVP.

O MVP é um instrumento de teste, ou seja, uma experimentação. Logo, ele pode antecipar problemas e ajudar você a redefinir estratégias. Mas como criar o seu? Acompanhe algumas dicas para colocar em prática.

Entenda o seu mercado

O primeiro passo é conhecer bem o mercado em que sua startup está inserida. Para tanto, é importante considerar os indicadores macro e micro do seu público, montar uma persona bem definida, saber quem são os seus possíveis concorrentes e o que eles estão oferecendo ao público.

Formule hipóteses

O objetivo do MVP é validar ideias antes de investir em um produto final. Assim, é essencial que você formule uma hipótese que deseja validar. Mas antes de pensar no MVP em si, você deve entender se as suas premissas sobre o mercado estão ou não corretas.

Defina indicadores e estabeleça metas

Outro ponto importante para garantir a eficiência do MVP é definir indicadores e estabelecer métricas que ajudem você a avaliar o desempenho a partir da interação com o público.

Estabeleça as funcionalidades do seu MVP

Depois de analisar o mercado e formular suas hipóteses, chegou a hora de criar o seu MVP. Nessa etapa, é importante buscar um equilíbrio entre tempo, recursos e definir a forma como a proposta será apresentada aos clientes.

Tenha paciência

O MVP serve justamente para que você não se precipite e gaste muito dinheiro e/ou tempo no produto errado. Portanto, é importante ter paciência durante esse processo. Encontrar a solução ideal não é fácil e podem ser necessárias diversas tentativas até que você consiga validar suas hipóteses. Assim, o ideal é não desistir e manter a estratégia até que o investimento valha a pena.

Não existe fórmula secreta para garantir que seu produto ou serviço tenha sucesso no mercado. No entanto, adotando o método lean startup, é possível tomar decisões com mais embasamento e minimizar desperdícios de tempo e dinheiro. Dessa forma, seu negócio atua com mais agilidade e produtividade, sempre considerando as dores e necessidades do público-alvo.

Quer melhorar ainda mais a gestão do seu negócio? Baixe agora nosso manual para uma gestão empresarial de sucesso.

5 1 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments