Júnior, Pleno e Sênior: entenda as diferenças dos níveis profissionais

Entenda o que significa júnior, pleno e sênior, e descubra em qual nível você está.
júnior, pleno e sênior
Baixe grátis!

Aqui você encontra:

Júnior, pleno e sênior: você sabe o que realmente significam essas nomenclaturas dentro do ambiente corporativo? 

Muitas vezes, a falta de conhecimento sobre o assunto acaba fazendo com que os profissionais percam boas oportunidades de trabalho, pois ficam inseguros de aplicarem para vagas, sem ter a certeza de que estão no nível hierárquico desejado

Pensando em esclarecer essas e outras dúvidas sobre o tema, criamos um conteúdo completo para explicar cada um dos níveis, como identificar em qual deles você está e mais seis dicas eficientes para ser promovido. 

Gostou do assunto? Então confira a leitura na íntegra. 

Quais as diferenças entre júnior, pleno e sênior? 

Antes de entender o que diferencia cada um dos níveis, é interessante que você saiba por que eles existem. 

De forma geral, essa classificação serve para identificar a complexidade das tarefas e o nível de experiência, maturidade e responsabilidade que se espera do profissional. 

Assim, os níveis de senioridade se diferenciam pelo grau de complexidade das tarefas e experiências dos profissionais e não, necessariamente, pelo cargo. Dessa forma, podemos ter, em uma mesma empresa, por exemplo, um analista de BI nível júnior, um nível pleno e outro de nível sênior. 

Obviamente, os níveis também estão relacionados ao valor de remuneração de cada profissional. Dessa forma, dentro de uma empresa, os salários devem seguir uma escala crescente. Sendo assim, um profissional de nível sênior precisa ganhar mais do que um de nível pleno, que por sua vez, ganha mais do que um júnior. 

Um detalhe importante é que não existe uma regra de critérios universais para definir em qual nível um profissional está. Algumas empresas consideram os anos de atuação, outras a idade ou a qualificação profissional. 

Pensando em ajudar você a entender melhor as classificações, vamos explicar a seguir os critérios e padrões mais utilizados pelas empresas para organizar a carreira dos colaboradores. 

Mentoria de carreira: o que é e como funciona?

Nível júnior

O nível júnior é a senioridade mais baixa dentro da empresa. Normalmente, ela é exigida para cargos com menos complexidade e sem autonomia para decisões. É comum que os profissionais de nível júnior sejam recém-graduados e estejam entrando no mercado de trabalho, ainda sem muita experiência na área de atuação. 

De forma geral, é considerado um profissional júnior aquele que tem até 5 anos de experiência. Contudo, isso não é uma regra universal. Existem profissionais que passam anos nesse nível, enquanto outros podem subir para o nível pleno mais rapidamente. 

Nível pleno

Os cargos de nível pleno são aqueles com tarefas mais complexas, que exigem uma maturidade maior dos profissionais e a capacidade de tomar decisões. 

Nesse nível, espera-se que o trabalhador consiga lidar com suas tarefas com responsabilidade, sem precisar do auxílio de um superior. Normalmente, os profissionais de nível pleno têm entre 5 e 10 anos de experiência na área. 

Nível sênior

O nível sênior é o com maior complexidade de tarefas dentro da hierarquia. Aqui, os profissionais já têm toda a maturidade e experiência necessária para assumir funções de liderança, além de tomar decisões de forma autônoma e estratégica.

Nessa fase, os profissionais já dominam suas áreas e, normalmente, contam com especializações e cursos de pós-graduação. Também é comum que tenham mais de 10 anos de experiência, embora isso não seja uma regra. 

6 dicas de produtividade para melhorar o seu trabalho remoto

O que vem antes do júnior?

Uma dúvida comum é, se eu ainda não estou inserido no mercado de trabalho, posso me candidatar para vagas de nível júnior? No geral, a resposta é sim. Contudo, existem outras posições mais interessantes para quem ainda está estudando ou não teve a oportunidade do primeiro emprego na área. 

Duas delas são o programa Jovem Aprendiz e o estágio, que acontecem enquanto o profissional ainda está estudando. Essas são excelentes oportunidades para você conhecer sua área na prática e aprender com profissionais mais experientes. 

Os programas de trainee também são muito interessantes para você se inserir no mercado. Eles são direcionados aos recém-formados e oferecem a oportunidade para que o profissional passe por diversas áreas dentro da empresa e tenha contato direto com as lideranças. 

O que vem depois do sênior?

Além do júnior, pleno e sênior, existe ainda um nível hierárquico mais alto que pode ser atingido dentro de uma organização: o nível master ou especialista. 

Em geral, ele é ocupado por profissionais com mais de 15 anos de experiência e diversas especializações na área. Normalmente, ele já ocupou um ou mais cargos de gestão e gerencia projetos ou áreas do negócio. 

💡Saiba mais: entenda qual é o papel do CEO na gestão de pessoas da empresa

Júnior, pleno ou sênior, como saber em que nível estou?

Nós citamos que não existe uma regra específica para determinar os níveis hierárquicos de cada cargo dentro das empresas. Mas, se é assim, como saber se você é júnior, pleno ou sênior?

O primeiro passo é entender bem as definições de cada nível, como explicamos acima. Além disso, é importante levar em conta o último cargo que você ocupou. Se você estava registrado como analista pleno, a dica é buscar outras vagas nesse perfil. 

No nível júnior é mais difícil ter essas dúvidas. Se você é recém-formado e ainda tem pouca experiência na área, busque por vagas com essa senioridade. A dúvida maior fica na definição de pleno e sênior. Aqui, vale a pena analisar seus anos de experiência e nível de complexidade das tarefas do último cargo. 

Caso não saiba exatamente como se enquadrar, é possível deixar a definição por parte da empresa contratante. A informação de senioridade não necessariamente precisa aparecer no seu currículo. Em vez disso, mencione seu conhecimento, experiências anteriores e tempo de trabalho em cada posição. 

Como ser promovido de nível? 6 dicas eficientes

Agora que você já conhece todas as possibilidades do plano de carreira, é hora de começar a pensar em como evoluir em sua jornada para alcançar níveis mais altos. A seguir, listamos algumas boas dicas para conseguir aquela promoção tão desejada. Confira. 

1. Tenha paciência

A primeira dica pode ser, inclusive, a mais difícil: tenha paciência e não tente pular etapas. Cada um dos níveis hierárquicos são importantes e necessários para o seu desenvolvimento profissional. 

Pular etapas para alcançar um cargo sênior antes da hora, por exemplo, pode acabar trazendo problemas com os quais você ainda não está preparado para lidar, frustrando suas oportunidades de crescimento. 

É importante entender que toda a experiência alcançada nos anos de trabalho é válida e ajuda você a construir uma carreira mais sólida para o futuro.  

2. Busque aperfeiçoamento

Se aperfeiçoar na realização das suas tarefas é uma forma interessante de mostrar eficiência e se destacar dentro da área de atuação. Seja no nível júnior, pleno ou sênior.

Por isso, vale a pena estar antenado nas principais novidades e ferramentas que podem ajudar você a otimizar tempo e aumentar a produtividade, e apresentar essas soluções para suas lideranças. 

Esse tipo de ação mostra proatividade, interesse e engajamento da sua parte, elevando sua imagem para a gestão.

Desenvolvimento pessoal: o que é e como criar um plano?

3. Mostre independência e autonomia

Mostrar que você consegue se virar bem e realizar suas tarefas com independência é outra dica válida para quem quer subir de nível em uma empresa. 

Como vimos, enquanto os profissionais juniores precisam de um maior grau de suporte, os de nível pleno já conseguem realizar suas atividades com mais autonomia, sem precisar de uma supervisão tão direta. 

Dessa forma, demonstrar independência e capacidade de solucionar problemas de forma autônoma é uma missão importante para quem quer ser notado e promovido.

Erros comuns no trabalho: quais são e como evitá-los

4. Crie um Plano de Desenvolvimento Individual

Buscar desenvolvimento profissional é uma tarefa essencial para quem deseja crescer na carreira. Uma ferramenta que pode ajudar no processo é o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)

Com esse planejamento, fica mais fácil identificar seus pontos fortes e habilidades que ainda precisam de aperfeiçoamento, direcionando melhor seus investimentos em cursos e treinamentos. 

Para fazê-lo, você pode iniciar essa pesquisa e também pedir a ajuda de seu gestor e RH.

O PDI vai ajudar você a estruturar seu desenvolvimento e se tornar mais seguro e motivado, o que pode ser decisivo na hora de uma promoção. 

5. Invista em treinamento e especializações

Entender seus pontos de melhoria pode ajudar muito na hora de investir em sua carreira. Dessa forma, fica mais fácil definir quais habilidades desenvolver, buscando treinamentos, cursos, especializações e MBAs.

Tente não focar apenas nos conhecimentos técnicos, mas também se dedicar a desenvolver habilidades comportamentais. A inteligência emocional, por exemplo, é uma skill bastante valorizada e pode ajudar você em uma futura promoção.

💡 Inscreva-se no curso gratuito: Human Skills: as habilidades do profissional do futuro 

6. Demonstre interesse

Por fim, a dica é deixar claro aos seus superiores que você está comprometido e que têm interesse em alcançar novos patamares na escala de experiência. Assumir uma postura mais independente e demonstrar a vontade de se tornar gestor ou assumir projetos, pode abrir portas para cargos mais altos dentro da organização. 

Concluindo, a classificação júnior, pleno e sênior é utilizada como uma escala hierárquica para definir o grau de experiência e maturidade profissional esperado em determinado cargo. Entender em qual nível você se encontra é importante para buscar vagas adequadas e aumentar suas chances de contratação. 

Quer estabelecer um plano de carreira efetivo para crescer profissionalmente? A Escola de Pessoas da Sólides tem um curso gratuito perfeito para você. Inscreva-se agora mesmo. 

Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima