O que é Jornada do Candidato e como mapeá-la para melhorar seu processo

BAIXE GRÁTIS!

Aqui você encontra:

No ambiente empresarial, é comum ouvirmos sobre a Jornada dos Consumidores e como atraí-los da melhor maneira possível. Na área de RH, temos a Jornada do Candidato, que é extremamente útil durante o recrutamento e seleção de talentos.

Quer aprender mais sobre esse processo e como fazer o seu mapeamento para otimizar as seleções em sua empresa? Aproveite a leitura deste post!

O que é a Jornada do Candidato?

Também conhecida como funil de recrutamento, trata-se de uma maneira interessante de ver todo o processo seletivo de forma gráfica e realmente entender as necessidades do candidato em cada momento.

Nesse sentido, o termo diz respeito ao trajeto de um profissional durante o processo seletivo de uma empresa. Para tanto, envolve todas as etapas pelas quais o candidato passa até ser finalmente contratado.

Isso porque, quando um profissional está procurando por uma nova oportunidade, há um conjunto de questões que precisam consideradas para deixar seus currículos mais atrativos para as empresas e conseguir a vaga desejada.

Aqui, enquanto profissionais de Recursos Humanos, nosso papel é compreender a Jornada do Candidato. Uma ideia é fazer um mapa, que represente visualmente as etapas que ele enfrentará para ocupar a posição em aberto.

Como funciona essa jornada?

O modelo do funil de recrutamento é semelhante ao usado pelos estrategistas do departamento de marketing para demonstrar a jornada dos clientes em seus contatos com a marca.

Assim, cabe ao departamento de Recursos Humanos adaptar o método e conseguir fazer uma boa representação das etapas que envolverão a experiência do candidato durante o andamento do processo seletivo, acompanhando desde o primeiro contato com a empresa até a admissão

Mas por qual motivo chamamos essa jornada de funil? Assim como em qualquer processo de seleção, a tendência é que tenhamos muitos interessados inicialmente e esse número seja reduzido a cada estágio, logo, vai se afunilando.

Qual a importância de mapear a jornada?

Agora, vamos conhecer alguns dos benefícios de fazer o mapeamento da jornada do candidato!

Mais agilidade no processo

O funil de recrutamento representa como o recrutador vê a jornada dos seus candidatos, assim, ter um mapa em mãos ajuda a tornar o processo mais rápido, pois facilita a tomada de decisões. Dessa forma, sabe-se onde investir mais recursos e o que precisa ser alterado.

Melhores contratações

Representar graficamente a jornada dos candidatos ajuda o RH a ter uma visão mais abrangente do recrutamento e seleção, o que facilita otimizações no processo e resulta em melhores contratações.

Redução da rotatividade

Uma vez que as contratações são mais assertivas, a rotatividade dentro da organização tende a diminuir. Isso acontece porque, ao admitir os profissionais mais aptos para trabalhar na empresa, a possibilidade de que abandonem o cargo em pouco tempo é baixa.

Etapas: como mapear a jornada?

Em geral, o mapeamento da Jornada do Candidato ocorre por meio de cinco etapas básicas. Confira quais são elas!

Atração

A primeira etapa de qualquer jornada é a atração. Nesse caso, os profissionais que estão no topo do funil, sendo eles pessoas que buscam por um novo emprego ou simplesmente estão abertas a novas possibilidades.

Nesse sentido, o primeiro contato delas com a empresa, na grande maioria das vezes, ocorre por plataformas digitais, como o LinkedIn, sites específicos para a divulgação de vagas, o próprio portal da empresa e até mesmo as redes sociais.

Em comparação com o funil de vendas, esse seria o estágio de consciência e aprendizado, quando a organização cria conteúdo atrativo para que o cliente perceba que tem um problema e que é possível resolvê-lo.

Aqui, a maior preocupação da instituição é conseguir atrair pessoas talentosas e que se encaixem com a cultura organizacional e o que estão buscando com o processo seletivo, garantindo boas admissões no final.

Conversão

Após a atração, agora é o momento de converter visitantes em candidatos. É nessa etapa que eles realmente decidirão se inscrever para o processo, submetendo suas candidaturas para a empresa.

Essas pessoas demonstram que têm, de fato, um interesse em trabalhar com aquela organização e que gostariam de concorrer em sua seleção. É aqui que o RH conhecerá os perfis que se disponibilizaram e, se cumprirem os requisitos, convocá-los para a próxima etapa.

Por fim, cabe à instituição facilitar a candidatura, seja por meio de softwares ou não, para que os profissionais consigam se candidatar com rapidez e sem dificuldades, porém garantindo que eles forneçam todas os dados necessários para fazer uma boa triagem inicial. 

Convocação para entrevista

É na terceira etapa da Jornada do Candidato que o profissional é convocado pela empresa para dar continuidade ao processo, seja participando de entrevistas e/ou realizando testes comportamentais e avaliações técnicas.

O comum é que os profissionais de RH convidem o candidato para participar de uma entrevista para que possam conhecer melhor seu perfil e comportamento, assim como engajá-los em dinâmicas ou solicitem que solucionem um projeto específico de sua área de atuação. Hoje, muitas organizações fazem tudo isso online.

Oferta aos selecionados

Realizados todos os testes e entrevistas, fica mais fácil para o RH fazer a escolha definitiva de quem é o melhor candidato para ocupar aquela vaga e qual oferta fazer para que ele aceite a proposta.

Nessa fase, são poucos os candidatos que alcançam a quarta etapa, justamente porque os selecionados costumam ser os mais capacitados. Ainda assim, nada garante que aceitarão a proposta.

Sendo assim, o profissional escolhido deve ser convidado para conversar com o RH e negociar o trabalho para que ambas as expectativas estejam alinhadas desde o início. Quando todos os estágios são bem executados, sem nenhuma surpresa, a probabilidade de que ele aceite e seja contratado é maior.

Contratação dos novos colaboradores

Quando a proposta é aceita pelo profissional, é a hora de dar início à contratação oficial daquela pessoa como um novo colaborador. Aqui, é importante ter atenção às questões jurídicas em torno da admissão.

Além disso, é necessário fazer o onboarding e cuidar do employer branding para que o contratado se sinta integrante da equipe e tenha uma boa impressão da empresa. Essa etapa finaliza a Jornada do Candidato, pois agora ele é colaborador.

O conteúdo foi útil? Então, aprenda a manter os novos colaboradores engajados, leia este e-book gratuito Retenção de talentos: o que fazê-la em um guia completo!

Picture of Amanda Silva
Amanda Silva
Psicóloga, com MBA em Gestão de Recursos Humanos, atuo há mais de 7 anos com recrutamento e seleção, grande bagagem em empresas de tecnologia, com definição de estratégias para atração e seleção de talentos. Hoje está como Supervisora do time de Talent Acquisition da Sólides.
Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima