RH Day: principais insights da imersão em Recursos Humanos

Tempo de leitura: 16 minutos

Sem tempo para ler os insights do RH Day? Aperte o play e ouça a narração deste artigo:

Ao preencher seu e-mail você concorda com a Política de Privacidade da Sólides.

As pessoas e o cenário corporativo mudam o tempo todo. Mas entre novidades, desafios, erros e acertos, um fator permanece estável: empresas são feitas por pessoas e o setor de Recursos Humanos ocupa cada vez mais o lugar de protagonista nas organizações.

Para aprofundar neste papel estratégico do RH e compartilhar insights diante do novo cenário mundial, a Sólides realizou, em 28 de junho de 2021, o RH Day.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

O evento aconteceu no mês em que se celebra o dia do RH e seu objetivo foi o de destacar o protagonismo de quem transforma histórias de pessoas e de empresas. 

Para isso, a Sólides reuniu um time de especialistas e profissionais que são referência para o setor de RH: 

  • Idalberto Chiavenato, escritor, professor e consultor, considerado o “pai do RH;
  • Mônica Hauck, Founder e CEO da Sólides; 
  • Érica Silva, Head of People na Sólides; 
  • Sérgio Povoa, CHRO da OLX; 
  • Bernardo Bicalho, Head de Pessoas e Cultura do Telecine; 
  • Thalita Machado, especialista em Cultura e em D&I na MaxMilhas; 
  • Luciene Bandeira, co-fundadora do portal Psicologia Viva; 
  • Karol Seixas, Business Partner da Sólides; 
  • Luana Souza, Coach de Carreira na Sólides; 
  • Pamella Teixeira, Data Protection and Legal Analyst da Sólides; 
  • Rafael Libaneo, Customer Success na Sólides.

Assim, o RH Day gerou conhecimento, aprendizado e inspiração, criando novas perspectivas de sucesso para o seu negócio. Confira!

Bloco 1: Tendências do RH

O primeiro bloco do RH Day contou com a participação de Mônica Hauck, Sérgio Povoa, Pamella Teixeira e Rafael Libaneo. 

Os convidados falaram sobre tendências do RH, em um panorama de passado e futuro, valorizando os aprendizados recentes, a partir da pandemia, e analisaram o impacto social de projetos desenvolvidos pela Sólides. 

Ontem e hoje: um olhar para o futuro a partir dos aprendizados de 2020

A conversa foi marcada pelos aprendizados gerados em 2020: um ano desafiador, no qual as empresas e profissionais tiveram que se adaptar a novas tecnologias e novos modelos de trabalho.

Mônica Hauck destacou que a pandemia trouxe a necessidade de personalizar, ainda mais, a gestão de pessoas.

Afinal, a realidade de um colaborador não é a realidade do outro e, diante do novo cenário, o profissional de RH precisou contar com um olhar muito mais individualizado para as demandas e preocupações de cada profissional.

Entre os desafios, também está o de promover a diversidade cognitiva entre as equipes nos modelos de trabalho remoto e híbrido.

Isso porque, ela é caracterizada pela existência de pessoas com estilos, personalidades e origens diferentes convivendo no mesmo ambiente ou trabalhando em um mesmo projeto.

Sobre esse tema, Sérgio Povoa pontuou que a segurança psicológica de um colaborador é alcançada pelo exemplo que a organização oferece, pela diversidade que agrega e pela maneira que pessoas distintas se comportam. 

A inclusão deve existir. Para sua empresa ter diversidade cognitiva, a sua cultura tem que permitir isso. Investir na cultura é o caminho.”  

Sérgio Povoa

Sérgio falou também sobre os cuidados com a saúde mental dos profissionais e quais são os maiores desafios enfrentados por uma empresa do porte da OLX para manter uma cultura forte e que auxilia no crescimento do negócio.

Para o RH das pequenas empresas, a cultura organizacional deve ser o ponto de partida. É com uma cultura sólida e bem comunicada que será possível atrair os profissionais adequados. Processos são copiados, produtos são copiados, as pessoas não.”

Sérgio Povoa
banner para baixar ebook sobre Cultura organizacional: o que é, sua importância e como fortalecer na empresa-rh day

Impacto Social: efeitos do Profiler nos projetos do Sólides Transforma

O Sólides Transforma também foi pauta do RH Day. Trata-se de um programa de impacto social desenvolvido pela Sólides que abrange dezenas de projetos no Brasil, em diferentes áreas. Muitos desses projetos têm acesso gratuito à aplicação do Profiler.

Mas como a Sólides transforma a realidade dessas pessoas? 

O Profiler é um mapeamento de perfil comportamental, baseado na metodologia DISC e em mais 7 outras metodologias.

O modelo é testado e aprovado por instituições renomadas e, por meio dele, é possível levantar mais de 50 informações sobre o perfil comportamental do profissional.

Assim, o Sólides Transforma ajuda pessoas que não conseguem qualificação no mercado de trabalho a mapear suas competências, gerar autoconhecimento de pontos a se desenvolver e aumentar seu grau de empregabilidade. 

Como dica para empresas que querem desenvolver projetos de impacto social, vale a regra:  entenda o que você e sua organização têm a oferecer e o que pode ajudar a comunidade. A partir disso, procure projetos já existentes e que precisem de apoio. 

“Apoie projetos que têm a ver com o que sua empresa faz, isso torna a ação muito mais autêntica e ajuda a construir a identidade da marca.”

– Mônica Hauck

Rafael Libaneo finalizou destacando que ações de responsabilidade social precisam considerar a ética e a responsabilidade para gerar impacto positivo na sociedade.

E esses fatores implicam em vantagens para o negócio, principalmente para a reputação da empresa. 

Bloco 2: Cultura organizacional para engajamento e retenção

O segundo bloco do RH Day abordou as relações existentes entre cultura organizacional, engajamento e retenção de talentos. O papel do business partner também foi tema do encontro. 

Como engajar colaboradores no modelo híbrido?

Este é um dilema recente nas empresas: como engajar profissionais que atuam no home office ou no modelo híbrido de trabalho?

O principal desafio aqui é o de manter a comunicação eficiente entre gestão e colaboradores em home office.

Fatores como distância e limitações de contato entre colegas de trabalho, líderes e liderados podem impactar o engajamento das equipes. Um dos pontos negativos é a baixa na produtividade. 

Thalita Machado exemplificou como a MaxMilhas vem tratando a questão. Primeiro, a empresa intensificou a rotina de reuniões no formato one to one.

Após, fortaleceu a cultura do feedback, não abriu mão de datas comemorativas nem de eventos internos e implementou momentos de conversa com os colaboradores sobre a cultura e a história da empresa. 

O papel do líder foi citado por Thalita Machado como imprescindível para reforçar a cultura organizacional.

É impossível construir uma cultura forte sem o apoio dos líderes. Os profissionais que ocupam essas posições devem liderar pelo exemplo, vivendo a cultura da empresa no seu dia a dia.” 

Thalita Machado

Do contrário, quando uma empresa não tem uma cultura organizacional forte e coesa, é fundamental começar a considerar os valores e objetivos da organização e apostar na comunicação para disseminar uma cultura coerente.

Na opinião de Thalita, a comunicação representa um grande desafio para todas as empresas. Mas o ambiente online permitiu uniformizar a troca de informações. 

Se por um lado no ambiente online o relacionamento com as lideranças se fortaleceu, já que a comunicação se tornou mais objetiva, por outro, perdemos a espontaneidade nos encontros.”

Thalita Machado

Business Partner e Liderança: uma aliança estratégica

Continuando a programação do RH Day, Karol Seixas, business partner, e Luana Souza, coach de carreira da Sólides, falaram sobre a participação da liderança nos projetos capitaneados pelo RH.

Ainda, abordaram como o business partner deve atuar estrategicamente para eliminar as distâncias entre todas as áreas da organização. 

Na opinião das especialistas, não são raras as vezes em que o RH planeja ações ou projetos que ficam no papel por falta de apoio e participação da liderança. 

Nesse sentido, o business partner tem o papel fundamental de conectar as diferentes áreas de negócio com a gestão de pessoas. Assim, esse parceiro contribui para a atuação estratégica dos profissionais de RH, além de potencializar os resultados da organização.

O Business Partner deve entender profundamente do negócio. Seu papel é ser a interface entre colaboradores e empresa, tendo uma comunicação muito aberta com os profissionais. Assim, o BP tem muito subsídio e informação, inclusive de pontos cegos da liderança. Esses, quando bem trabalhados, podem definir ações e mudanças.”

Karol Seixas

Outra constatação acerca do tema é que o BP contribuiu para formar estratégias com a participação de diretores e gestores. Trata-se de um trabalho de parceria e confiança que, gradativamente, ganhou espaço e credibilidade nas organizações. 

A conclusão é que o líder continua exercendo seu papel de protagonista na relação com seus liderados. Mas, agora, ele pode contar com o apoio efetivo e qualificado do profissional de RH. 

banner para baixar ebook sobre Business Partner: Tudo sobre o cargo e como ingressar na área-rh day

Bloco 3: Práticas e Resultados em RH

Durante o terceiro bloco, os participantes abordaram temas como recrutamento, desenvolvimento, autoconhecimento e saúde mental no trabalho. Acompanhe mais insights do RH Day!

Recrutamento, engajamento, desenvolvimento e gestão de talentos

Neste bate-papo, Mônica Hauck recebeu Bernardo Bicalho. Com a experiência que tem como head de Pessoas e Cultura no Telecine, o profissional detalhou como estruturar um processo de recrutamento e seleção alinhado aos valores da organização. 

E mais: Bicalho explicou como mensurar o desempenho dos colaboradores contratados e de que maneira essa prática se traduz em resultados. 

No Telecine, trabalhamos com o método de OKR (objetivos e resultados-chave), que indica se as ações estão indo na direção certa. Esses números servem como bússola e combustível para os colaboradores. É uma maneira de acompanhar as entregas e a produtividade.” 

Bernardo Bicalho

Sobre o desenvolvimento de lideranças e a elaboração do Plano de Desenvolvimento Individual (PDI), Bernardo trouxe insights importantes sobre gestão de desempenho e cultura data-driven (orientada a dados). 

A gestão de desempenho é um modelo que envolve várias pessoas estratégicas da empresa. Ela é um dos principais produtos para a transformação cultural. Se queremos transformar a cultura organizacional, o modelo de gestão de desempenho tem que estar muito claro e conectado ao que se espera da cultura.”

Bernardo Bicalho

Em relação à cultura data-driven, o profissional avaliou como ela impacta nos resultados da empresa, uma vez que tomar decisões baseadas em dados conduz os gestores para ações mais inteligentes, ágeis e efetivas

Ser data-driven é uma das competências que estão nos pilares do Telecine. Para potencializar isso, promovemos ações de desenvolvimento para trazer a cultura de dados e reuniões focadas em números. Ainda, apresentamos pessoas data-driven como referência e as convidamos a serem multiplicadoras dessa cultura dentro da empresa.”

Bernardo Bicalho 

Autoconhecimento que transforma: a trilha do sucesso para profissionais de RH

Érica Silva, gerente de RH na Sólides, e Luciene Bandeira, psicóloga e co-fundadora da plataforma de atendimento online Psicologia Viva, falaram durante o RH Day sobre o impacto do autoconhecimento na carreira de um profissional. 

Ambas defenderam que conhecer as próprias qualidades, capacidades, desejos, fraquezas e pontos a melhorar é fundamental para definir objetivos. Mas, principalmente, para traçar planos. 

Assim, o autoconhecimento é um processo de extrema importância para qualquer indivíduo que busca se desenvolver, tanto no aspecto pessoal quanto no profissional.

Luciene Bandeira levantou o questionamento: “Você não controla aquilo que não conhece. Como ter autocontrole e inteligência emocional se você não conhece as suas reações?”

Os profissionais de RH também são peças-chave que precisam desenvolver o autoconhecimento. Afinal, são eles quem cuidam da carreira de outras pessoas.

Portanto, é importante conhecer a si mesmo para poder ajudar e guiar os demais colaboradores, inicialmente, pelo exemplo. 

Como gerente de Recursos Humanos, Érica Silva explicou as vantagens de um líder que desenvolve o autoconhecimento.

Ele consegue ter consciência das suas motivações e objetivos. Desse modo, tem aptidão para repensar suas atitudes e potencializar tudo o que tem de bom, aceitar-se e se desenvolver.”

Érica Silva

As pessoas que se conhecem bem conseguem ter maior inteligência emocional. Assim, as relações ficam melhores e é possível se colocar no lugar do outro e ter mais empatia. É um círculo virtuoso.

O autoconhecimento também permite entender a responsabilidade pela própria evolução. Uma vez que pessoas que se conhecem conseguem visualizar o caminho que devem percorrer.

Isso porque, identificam quais competências precisam desenvolver ou aprimorar. 

banner para baixar ebook sobre Autoconhecimento: o fundamento para se desenvolver-rh day

E como as lideranças podem apoiar a saúde mental dos colaboradores? A psicóloga Luciene Bandeira esclareceu e deu dicas que valem também para os profissionais de RH.

Ter atenção à saúde física, alimentação saudável, sono reparador e filtro sobre notícias recebidas são ações que auxiliam bastante. Estar em contato com pessoas queridas também é fundamental. Além disso, criar ambientes favoráveis para que as pessoas possam ser quem são e da forma que são, sem restrições, também é importante para estimular a saúde mental.”

Luciene Bandeira

Pessoas devem ter liberdade para pedir e receber ajuda. Entretanto, se as empresas estiverem focadas apenas em números e metas, não conseguirão perceber quando o colaborador precisa de atenção. Para Luciene, a chave para acertar está no relacionamento

Bloco 4: Os novos caminhos do RH

O quarto e último bloco do RH Day tratou sobre os novos caminhos do setor de Recursos Humanos. Para essa etapa, a Sólides convidou o professor Idalberto Chiavenato, autor com reconhecimento nacional e internacional para profissionais da área — o pai do RH.

Alguns questionamentos vieram à tona durante o debate:

  • Qual caminho a gestão humana deve seguir para ser, de fato, estratégica? 
  • Qual é o primeiro passo que o RH precisa dar para atingir esse objetivo? 
  • Quais as competências que o profissional deve desenvolver para estar alinhado com a nova dinâmica das organizações? 

Nas falas do professor Chiavenato, encontramos caminhos e respostas. Confira!

Sobre ser estratégico

“O que é ser estratégico? É se preparar para o futuro, criar objetivos a serem alcançados e dimensionar os recursos e competências que você tem para chegar até lá.”

Sobre recursos e pessoas

Os recursos de uma organização são administráveis, porque eles são inertes, sem vida própria, são uniformes e padronizados. Mas, há muito tempo, as pessoas não são mais administráveis, porque são inteligentes, competentes, ativas e proativas. Os recursos devem ser planejados, organizados e controlados. As pessoas precisam ser engajadas, desenvolvidas, impulsionadas e empoderadas.”

Sobre reconhecer o potencial de cada colaborador

As organizações ainda não aprenderam a aproveitar essa enorme potencialidade humana, criativa e inovadora que existe em toda empresa. A maior parte delas não conhece os talentos que têm. Acho que precisam da Sólides para fazer essa análise, esse levantamento, e dizer assim ‘Olha, esse é o potencial humano que vocês têm’.”

Sobre preparar pessoas para as novas tecnologias

Pensando no futuro e em todas as transformações que estamos vivendo, a gestão humana precisa oferecer amplas oportunidades e constante aprendizado no trabalho, bem como o desenvolvimento de habilidades para lidar com as novas tecnologias. É uma responsabilidade e obrigação da gestão humana preparar as pessoas para esse mundo novo.”

Conselho para os futuros profissionais de RH

O conselho que eu daria é que muita coisa vai mudar, então você não pode olhar para o passado. Temos que aprender com o que está acontecendo atualmente. O mundo vai continuar mudando de forma cada vez mais rápida. Então, é importante aprender sempre, não só na faculdade, mas a todo momento. A inovação é hoje o ativo mais importante que toda pessoa e toda organização tem de melhor para oferecer.”

Tudo que o RH precisa

Ainda que muita coisa tenha mudado nos últimos anos, as pessoas sempre estarão no centro dos processos. 

Por isso, a Sólides defende o protagonismo do RH e oferece uma plataforma completa, com people analytics e gestão comportamental. 

É inteligência de dados para fazer recrutamento e seleção, desenvolvimento de profissionais e retenção de talentos, formando times de alta performance. O resultado é mais economia e eficiência para todos os tipos de negócio.

Tudo que o RH precisa em um só lugar.

Agende uma demonstração gratuita e revolucione o seu RH

Afinal, o futuro já começou!

0 0 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments