Planejamento Estratégico de RH: principais insights para 2022

Tempo de leitura: 19 minutos

Aperte o play e ouça a narração deste artigo sobre o Planejamento Estratégico de RH 2022!

Ao preencher seu e-mail você concorda com a Política de Privacidade da Sólides.

2022 é o ano do RH. Afinal, já não é novidade: a missão do RH é estratégica e vital para o sucesso de qualquer negócio. 

E em tempos de retomada econômica e do trabalho sem fronteiras, essa missão torna-se ainda mais desafiadora e essencial para ajudar as empresas a alcançar os melhores resultados.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

E como a Sólides sempre antecipa tendências, realizamos em 2 de dezembro de 2021 o evento Planejamento Estratégico de RH 2022, trazendo conceitos, tendências e estratégias inovadoras para o setor.

O evento contou com palestras de um time de gestores que são referência para o RH no mercado:

  • Mônica Hauck, Founder e CEO da Sólides;
  • David Ledson, CSO Sólides;
  • Daniel Monteiro, Founder da Yellow.Rec;
  • Matheus Fonseca, Manager de Produtos de RH do Grupo Movile;
  • Vitória Reis, criadora do maior perfil de RH e DP no Instagram – Dicas do RH;
  • Ludmila Fernandes, COO da Sólides;
  • Weslei Amorim, Inside Sales Manager da Sólides;
  • Sâmara Borges, Supervisora de Cultura e Comunicação Interna da Sólides.

Confira neste artigo:

Bloco 1: RHs Extraordinários: a arma secreta das empresas de sucesso!

No primeiro bloco, Mônica Hauck, Founder e CEO da Sólides, abordou o tema RH Extraordinário, apresentando as principais tendências do setor para 2022 e como a tecnologia precisa estar inserida na realidade do departamento. 

2022 – O ano do RH!

Nos últimos dois anos, acompanhamos uma série de mudanças no comportamento nas pessoas e nos modelos de trabalho, ocasionadas pela pandemia de Covid-19. 

As incertezas na economia e no mercado, somadas às preocupações sobre a saúde física e mental dos trabalhadores, fez com que o RH assumisse um papel cada vez mais importante dentro das organizações. 

A partir desse cenário e com uma enorme responsabilidade, surge a dúvida: como se preparar e ter um RH Extraordinário em 2022?

Segundo Hauck, o primeiro passo é justamente conhecer a acompanhar as tendências do mercado para entender o que as lideranças esperam do setor. 

Muitas estratégias já estão sendo implementadas, mas ainda precisam ser aprimoradas, expandidas ou transformadas ao longo do ano, como veremos a seguir.

O papel estratégico do RH

Para que a gestão de pessoas cumpra seu papel de forma eficiente e estratégica, é fundamental voltar o olhar para a realidade atual do país. 

Neste cenário, é preciso focar, cada vez mais, na eficiência operacional e na gestão humanizada. E é a partir do planejamento de recursos humanos que o setor alcançará uma atuação muito mais estratégica e eficiente. 

Cada vez mais, o RH não está apenas dedicado às funções operacionais e rotineiras do setor. A gestão de pessoas precisa transbordar as paredes do negócio. Ter uma relação muito mais sistêmica e abrangente. Além de entender que, enquanto gestor de recursos humanos, é preciso lidar com todos os stakeholders.”

Mônica Hauck

Ou seja, além dos colaboradores, é preciso conhecer e entender sobre os clientes, os fornecedores, o marketing, a marca, o negócio, entre outros públicos.

O RH precisa olhar para além dos muros da organização. Os gestores de pessoas devem estar próximos do business e caminhar junto à estratégia da empresa.”

– Mônica Hauck

Tendências de recursos humanos

Confira algumas das principais tendências apresentadas no evento Planejamento Estratégico de RH 2022. 

1. Novo conceito dinâmico de lidar com o talento humano

As expectativas e necessidades dos colaboradores de hoje são diferentes das do profissional do passado. Por isso, o setor de recursos humanos precisa rever sua arquitetura organizacional, os indicadores de RH, a velocidade das ações e a tomada de decisões. 

2. Nova comunidade colaborativa de talentos

Mais do que nunca, em 2022, o foco é trabalhar a cultura organizacional como um instrumento de gestão e de negócio. O RH deve criar um ambiente propício para que todas as pessoas caminhem juntas, em termos de estratégia e de resultados. 

3. Novo ecossistema organizacional

Os modelos de arquitetura organizacional também precisam ser repensados, de forma que se adaptem a um modelo mais flexível, híbrido, dinâmico e inovador. 

4. Nova mentalidade e nova forma de entregar valor

É preciso ampliar a visão e mudar o mindset. O setor de RH deve deixar de se preocupar apenas com o departamento e começar a buscar ações que impactem toda a empresa positivamente, trazendo mais inovação na gestão. 

5. Novo modelo digital de trabalho

A transformação digital é essencial e positiva para o RH. Ela torna os processos mais velozes, dinâmicos e assertivos, possibilitando uma tomada de decisões baseada em dados reais e mensuráveis. 

Saia da operação e use a tecnologia a seu favor

Empresas que contam com uma cultura organizacional engessada e resistente a novas tecnologias têm desvantagem competitiva. 

A falta de recursos tecnológicos faz com que o RH perca muito tempo com atividades burocráticas, o que desvia o foco do que realmente importa: as pessoas. 

A demanda pela automatização de processos é um fato. Os CEOs se perguntam: o que pode ser automatizado para termos mais eficiência? Nesse sentido, resistir à tecnologia é um risco à competitividade, tanto do profissional, quanto da empresa no mercado.”

Mônica Hauck

É importante entender que não existem motivos para essa resistência, uma vez que a tecnologia existe, justamente, para otimizar e facilitar rotinas e processos.

Hoje, esse tipo de ferramenta é muito mais fácil e intuitiva de se utilizar do que antigamente, tornando até mesmo o seu aprendizado mais facilitado.  

banner para baixar ebook sobre Automação no RH e DP: Guia completo para processos mais eficientes-planejamento estratégico de rh 2022

7 entregáveis que todo CEO espera de um RH Extraordinário

Para fechar o bloco, Mônica Hauck abordou o que o CEO espera de um RH extraordinário e quais mudanças o setor precisa realizar no plano de recursos humanos e nos processos para entregar melhores resultados. 

1. Evoluir para uma função mais estratégica

A ideia é que o RH seja quem mais entende de pessoas na empresa e que compartilhe esses conhecimentos com o CEO. Dessa forma, o departamento passa a assumir uma função mais consultiva, trazendo métricas e KPIs estratégicos para a gestão. 

2. Antecipar demandas e questionar as decisões da liderança

O RH deve orquestrar as lideranças, desenvolvendo, instigando e estimulando os líderes para que eles consigam realizar uma gestão de pessoas eficiente

3. Adequar o RH à transformação digital

Em 2022, não existe mais espaço para operar de forma analógica. A tendência (que já é realidade) é automatizar diversas áreas, inclusive o RH. Profissionais que são resistentes a essa transformação digital podem comprometer sua carreira e o negócio. 

4. Ler e interpretar dados

Em tempos de crise e instabilidade econômica, a tolerância a erros é muito menor. Assim, obter e interpretar dados vai proporcionar mais segurança na tomada de decisões para atravessar 2022. 

Os dados oferecem subsídio para encontrar problemas e hipóteses, além de ajudar a medir se as ações estão gerando resultados. Ter uma plataforma que levante, organize e ofereça informações sobre os recursos humanos é o primeiro passo para decisões e estratégias mais acertadas no setor. 

6. Redesenho organizacional

O desenho organizacional também mudou diante da nova realidade. Com isso, é preciso adequar a comunicação, os postos de trabalho, as vagas, os cargos e a forma como as atividades são desenvolvidas. 

7. Entregar valor com foco em eficiência operacional

Por fim, não cabe mais um profissional de RH alheio aos resultados do negócio. O planejamento estratégico deve incorporar ferramentas para que os times se tornem mais eficientes e aumentem sua produtividade, entregando mais valor à organização. 

Bloco 2: 7 principais desafios para recrutar grandes talentos 

Daniel Monteiro, founder da Yellow.Rec, abordou os desafios do recrutamento de profissionais, reforçando que há cada vez menos espaço para erros também nessa área. 

Monteiro destacou que, quando se contrata uma pessoa de maneira errada, alguém que não tenha identificação com o negócio – seja técnica, cultural ou comportamental -, o prejuízo pode ser de até três vezes o valor do salário daquela pessoa, além do impacto no clima e na cultura organizacional.

Assim, o especialista elencou os 7 principais desafios do recrutamento em 2022 e seus antídotos:

1º desafio: como definir uma vaga que ainda não existe?

Antídoto: O primeiro passo é entrevistar o responsável pela vaga. Olhe para a empresa e a marca e levante informações para ajudar a compor o perfil real de forma estratégica. 

2º desafio: onde e como eu devo publicar a minha vaga?

Antídoto: Identifique onde o seu público está. Com essa análise, você terá a resposta de onde e como publicar a vaga. Se a intenção é atingir um público específico, a vaga deve ser publicada em um canal que é frequentado por esse público.

3º desafio: como atrair mais pessoas para uma vaga publicada?

Antídoto: Invista em employer branding e comece o quanto antes a planejar e implantar ações para fortalecer a marca empregadora. Esse tipo de ação torna o recrutamento mais fácil. 

banner para baixar ebook com Guia completo do recrutamento e seleção: conceito e técnicas-planejamento estratégico de rh 2022

4º desafio: como identificar fit cultural se o processo é online?

Antídoto: Utilize ferramentas digitais, como o Profiler e a Entrevista Cultural. Esses recursos podem ser implementados também no ambiente online, tornando mais simples a identificação do perfil comportamental e cultural dos candidatos. 

5º desafio: diversidade e inclusão

Antídoto: Use o recrutamento de forma intencional, incluindo pessoas diversas no time que vai realizar o processo seletivo e durante as etapas da entrevista. Assim, os candidatos vão perceber a cultura de diversidade e inclusão na prática.

6º desafio: como buscar o candidato ideal?

Antídoto: Utilize o hunting especializado, indo atrás do candidato, seja interna ou externamente. Faça contato ativo, envie e-mails, mensagens e convide-o para entrevistas. Não esqueça de dar os feedbacks adequados, responder os contatos e ser transparente. 

7º desafio: como apresentar uma proposta que será aceita?

Antídoto: A negociação começa desde o primeiro dia. Alinhe, logo no início do processo, a expectativa salarial e não deixe essa etapa para o fim. 

Duas coisas que não podem faltar numa boa entrevista: copo d’água, se for presencial, e sorriso. Uma boa entrevista é um momento de conexão, afinal, esta será a primeira impressão do candidato com um ‘representante’ da sua empresa. Invista nessa conexão pessoal e todo o resto vai ficar mais fluído.”

Daniel Monteiro

Bloco 3: Gestão de Pessoas: o que esperar de 2022 a 2025

David Ledson, CSO da Sólides, falou sobre o futuro da gestão de pessoas. Tendências da área e como desenvolver um planejamento de RH e colocá-lo em prática. 

“Quanto antes você começar seu planejamento estratégico e suas ações, melhor será a previsibilidade e os resultados para você e para a sua organização.”

– David Ledson

O que esperar

O CSO explica que existem 3 pilares importantes para que uma empresa alcance seus resultados desejados, são eles:

  • pessoas: é o maior ativo das organizações, pois são elas que ajudam a empresa a atingir seus objetivos;
  • organização: é preciso entender o modelo de negócio, o mercado no qual a empresa está inserida e como ela é impactada pelo ambiente externo;
  • liderança: para que a empresa alcance seus objetivos, os líderes precisam acompanhar de perto o que se espera dos colaboradores dentro da organização. 

Principais desafios da gestão de pessoas

Nos dias atuais, o papel do RH não está restrito apenas ao seu setor, mas exige uma visão global e abrangente de todo o contexto e de tudo que pode influenciar nos resultados da organização. 

RH não é mais sobre o que acontece no seu departamento. Precisamos participar e acompanhar questões sanitárias, econômicas e globais e seus impactos no negócio. Ampliar essa perspectiva de análise do RH é um dos principais diferenciais competitivos que a gestão de pessoas precisa desenvolver para os próximos anos.”

David Ledson

Guerra por Talentos

Um dos principais desafios da gestão de pessoas está relacionado à guerra por talentos, principalmente para posições de base tecnológica. 

Muitas das profissões que já despontam como demandas, ainda nem existem de fato.

Desse modo, é necessário que o RH faça um trabalho consistente para não apenas atrair talentos, mas também para acelerar sua capacitação, desenvolvimento e performance, preparando os colaboradores que farão parte do futuro da empresa. 

Experiência 

Se antes, com a escassez de boas vagas de trabalho, os candidatos precisavam se adaptar ao formato da organização, hoje, esse jogo virou. 

Para atrair os melhores talentos, que vão ajudar a transformar a empresa no futuro, é preciso repensar a jornada  (a cultura, o dia a dia, os códigos, o ambiente), para que os candidatos queiram fazer parte da organização. 

Mudança de perspectiva

A hierarquia engessada, em que o colaborador apenas escuta e segue ordens, também está perdendo espaço para culturas mais horizontais, em que existe diálogo, troca, sugestões e construção conjunta de soluções. 

Bem estar e segurança no trabalho

Com o contexto de pandemia e trabalho remoto, as empresas precisaram começar a olhar para a experiência do colaborador também dentro de casa. 

O cuidado das organizações com as pessoas passou a ser um diferencial competitivo não só para atrair talentos, mas também para retê-los.”

David Ledson

Mobilidade

A quebra de paradigmas do contexto atual também permite que as pessoas trabalhem de qualquer lugar, dando às organizações mais agilidade, flexibilidade e diversidade, o que é muito positivo para a cultura organizacional e para o negócio como um todo. 

DEI e ESG

Diversidade, equidade e inclusão já são pautas que fazem parte do dia a dia das empresas.

Contudo, a tendência é que esses conceitos deixem de ser parte apenas de discussões em datas específicas e do branding e passem a incorporar a cultura e a estratégia inconsciente do negócio. 

Já o ESG, “environmental, social and governance”, diz respeito a práticas sustentáveis, e com impactos positivos, nos âmbitos financeiro, social e ambiental.

Embora não seja um assunto novo, vem despontando como uma tendência na gestão de empresas, sendo, inclusive, utilizado por investidores como critério para avaliar a viabilidade de aplicação de recursos.

Tecnologia

Quando falamos em tecnologia e soluções, o futuro do RH caminha para ferramentas que ofereçam tudo em um só lugar, sem a necessidade de inúmeros acessos, senhas distintas e dados pulverizados em diferentes plataformas. 

Todas as questões relacionadas à LGPD, à segurança da informação e ao custo de ter várias ferramentas tornam ainda mais essencial uma plataforma que reúna tudo em um só lugar. Só assim, teremos dados mais qualificados, integrados, velocidade nas ações e relatórios mais inteligentes para a tomada de decisão.”

David Ledson

Estratégia colocada em prática

Para colocar o modelo de planejamento estratégico de recursos humanos em prática e alcançar os resultados desejados, é preciso levar em conta alguns fatores:

  1. Diagnóstico: conheça as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças do seu negócio e das pessoas da sua organização. Identifique erros e acertos do passado e aprenda com eles para traçar um caminho mais seguro; 
  2. Para onde vamos?: tenha clareza da direção na qual você e sua empresa caminham para garantir que vão chegar ao resultado esperado; 
  3. Estratégia desdobrada: crie uma estratégia de desdobramento das suas ações, com planos, metas, responsáveis e entregáveis em cada etapa;
  4. Acompanhamento: monitore, acompanhe e gerencie as estratégias e os ciclos de gestão.

Bloco 4: Cultura Organizacional

O bloco 4 foi conduzido por Sâmara Borges, supervisora de Cultura e Comunicação Interna da Sólides. Ela abordou a importância da cultura organizacional, especialmente após o cenário pandêmico, e falou sobre como a empresa pode desenvolver a sua de forma sólida e estratégica. 

Cultura em um momento de trabalho híbrido, remoto, presencial e global

A cultura organizacional é aquilo que caracteriza e fortalece as relações interpessoais dentro do negócio, como hábitos, costumes e diretrizes. 

Vale lembrar que toda organização tem uma cultura, independentemente dela ser falada ou documentada. E as empresas que se atentam a isso e passam a documentar, cuidar e olhar para a cultura com mais foco, são as empresas que têm maior destaque. Assim, a gente começa a entender o papel estratégico da cultura.” 

Sâmara Borges

Vale destacar que a pandemia modificou não só os modelos de trabalho, mas também a cultura das organizações.

Com o cenário de medo e insegurança, a cultura ficou em segundo plano na ordem de prioridades da gestão. 

Agora, no entanto, é o momento de voltar os olhos para a cultura e, mais do que isso, enxergá-la como um fator estratégico para o crescimento e evolução da empresa.

Afinal, é ela que faz com que o capital humano acredite no objetivo e na missão organizacional, permanecendo alinhado e firme

Como desenvolver uma Cultura estratégica em 2022?

Para desenvolver a cultura de forma estratégica no planejamento do RH é preciso partir de dados

São eles que oferecem o subsídio necessário para a tomada de decisões. Assim, uma cultura forte e bem desenvolvida alavanca a execução do planejamento estratégico e influencia a sustentabilidade organizacional. 

Esse levantamento de dados incluiu entender quem a empresa é, onde quer chegar e qual a missão, visão e valores para, assim, refletir esses princípios nos benefícios que oferece, sua estrutura física e no trato com as pessoas. 

banner para baixar ebook sobre Cultura organizacional: o que é, sua importância e como fortalecer na empresa-planejamento estratégico de rh 2022

Bloco 5: Tendências 2022

Por fim, durante a mesa redonda que fechou o evento, Mônica Hauck, Matheus Fonseca e Vitória Reis, levantaram mais alguns insights e tendências para 2022. Confira!  

Skills

Quando se fala em skills do RH, é importante que o setor conte com profissionais T-Shaped, ou seja, que tenham habilidades em várias áreas e que em uma delas tenha conhecimentos aprofundados.

Essa visão mais generalista ajuda a conectar o trabalho do setor com uma gestão mais ampla e estratégica do negócio. 

Além disso, se tratando de soft skills, é essencial que os profissionais tenham e desenvolvam inteligência emocional e empatia. Isso porque, lidar com pessoas, especialmente em momentos de crise, exige um olhar mais humanizado.

Diversidade

A diversidade é composta por recortes demográficos, sociais, biológicos e comportamentais.

Assim, é preciso ampliar o espectro do que se entende como diversidade para promover mais riqueza nas organizações de forma verdadeira, e não apenas “cosmética” nos discursos. 

Pós-pandemia

A pandemia acabou acelerando alguns processos que grande parte das empresas ainda tinham resistência em adotar.

É o caso, por exemplo, do modelo home office, que mostrou excelentes resultados, e do modelo híbrido, que já é realidade em muitos negócios. 

Dados

Os dados não devem ser utilizados apenas para comprovar informações, e sim para encontrar problemas e hipóteses e medir se as ações tomadas a partir dali estão gerando resultados.

Assim, é essencial utilizar os dados na solução de problemas e no embasamento da tomada de decisões. 

banner para baixar ebook sobre Guia sobre o RH 4.0: transforme sua gestão de pessoas-planejamento estratégico de rh 2022

Tudo que o RH precisa

Ainda que muita coisa tenha mudado nos últimos anos, as pessoas sempre estarão no centro dos processos. 

Por isso, a Sólides defende o protagonismo do RH e oferece uma plataforma completa, com people analytics e gestão comportamental. 

É inteligência de dados para fazer recrutamento e seleção, desenvolvimento de profissionais e retenção de talentos, formando times de alta performance. O resultado é mais economia e eficiência para todos os tipos de negócio.

Tudo que o RH precisa em um só lugar.

Agende uma demonstração gratuita e revolucione o seu RH

Afinal, o futuro já começou! 

0 0 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments