10 indicadores de treinamento para analisar em seu RH

reunião sobre indicadores de treinamento
BAIXE GRÁTIS!

Aqui você encontra:

Existem vários indicadores de treinamento para RH que precisam ser acompanhados de perto. Todo profissional de recursos humanos sabe da importância de investir em capacitação.

Para ajudar você a medir o grau de necessidade dessa ação, os indicadores de treinamento de RH são os mais apropriados.

Por isso, preparamos este artigo para você saber quais são eles e qual a importância de acompanhar esses indicadores. Boa leitura!

Qual a importância dos indicadores de treinamento e desenvolvimento?

Quando o RH utiliza os indicadores de treinamento para analisar os resultados de capacitação dos seus colaboradores, ele passa a ter mais informações em suas mãos.

Dessa maneira, é possível comparar os diferentes tipos de treinamento, para desenvolvimento de competências, e quais são os mais recomendados para cada equipe ou profissional.

Utilizando os indicadores de treinamento para RH, a gestão conseguirá contribuir para a melhoria dos resultados da empresa e terá atuação mais efetiva quando o assunto for capacitação e desenvolvimento profissional dos colaboradores.

Assim, o RH se torna uma peça estratégica dentro da organização, pois, conseguir avaliar os melhores treinamentos, também é uma maneira de evitar e cortar gastos desnecessários.

Veja mais vantagens dos indicadores de treinamento e desenvolvimento!

Viabilização de projetos e conseguir apoio

Quando você tem em mãos um bom planejamento de RH e os indicadores de capacitação certos, mesmo que sejam poucos, é possível defender a importância deles para a instituição.

Dessa forma, sua implementação fica mais fácil, sendo possível promover ações que facilitem o dia a dia dos seus colaboradores.

indicadores de treinamento

Mais visibilidade para o trabalho do RH

Ao reunir números que comprovam que uma capacitação é eficiente é possível que ela seja aprovada mais rapidamente.

Com o indicador certo, é possível viabilizar o quanto o treinamento pode trazer benefícios para a organização. Com resultados reais e concretos, a aprovação do treinamento corporativo fica mais fácil.

Para obter sucesso nos treinamentos, o RH precisa conhecer a fundo as áreas da organização para definir quais serão as ações e quais os indicadores corretos para mensurar essa satisfação.

O ideal é manter uma base de indicadores, mas que poderão ser alterados em alguns momentos, de acordo com as necessidades de treinamento. O propósito deve ser sempre buscar melhorias para a rotina.

Você sabe que é ROL? Descubra para que serve e como calcular o Retorno sobre Aprendizado

Conheça os 10 melhores indicadores de treinamento para RH

Confira os principais indicadores de T&D para RH para se colocar em prática na sua empresa.

1. Taxa de adesão

Esse é um indicador de treinamento central para o RH, pois mostra qual foi o número de pessoas que se inscreveram para uma capacitação. Além de poder visualizar qual a porcentagem de colaboradores que realmente participaram dele. 

Por exemplo, se em um treinamento se inscreveram 100 pessoas, mas somente 25 compareceram, isso significa que somente 25% foi a sua taxa de adesão.

Esse indicador ajuda a compreender se a sua divulgação do treinamento está sendo eficaz, qual o nível de interesse e engajamento dos seus colaboradores.

2. Taxa de abono

A medida de taxa de abono indica quantos colaboradores não quiseram mais realizar algum tipo de treinamento ao longo da sua execução. Por isso, é importante saber como calcular o absenteísmo, especialmente para capacitações que duram semanas ou meses.

Por meio dele, o RH consegue perceber se determinado treinamento tem sido eficaz ou não. A partir dessa resposta é possível elaborar pesquisas para entender o motivo do abandono.

3. Taxa de reação

A taxa de reação mostra o comportamento dos profissionais em relação aos treinamentos aplicados. É possível perceber a reação quanto ao conteúdo e ao formato de ensino.

Esse é um indicador pode ser medido por meio de pesquisa de satisfação entre os colaboradores.

O ideal é que elas sejam anônimas, o que deixa o profissional mais à vontade para expressar sua opinião. É uma estratégia eficiente para você saber o que tem dado certo ou não nas capacitações.

4. Taxa de aplicação e aprendizado

Esse indicador ajudará a entender o nível de aprendizado dos colaboradores, mostrando se o que os profissionais aprenderam está sendo realmente aplicado e fazendo diferença na prática.

No entanto, esse pode ser um indicador um pouco mais complicado de medir porque nem todos os colaboradores começam a executar o que aprenderam imediatamente. Portanto, se você for utilizar essa medida, determine um prazo para começar a implementá-lo.

Outra forma de aplicar esse indicador é realizando testes antes e depois para saber se o conteúdo aplicado foi o suficiente para aumentar o conhecimento do profissional.

5. Valor gasto

Conhecer o real custo de cada treinamento em determinado período é uma ótima opção para comparar o quanto você tem gastado nas capacitações.

É uma maneira eficaz de organizar melhor o seu setor quanto às finanças. Assim você evita gastos a mais ou, ainda, ser pego de surpresa no orçamento.

6. Tempo investido

Saber como calcular indicador de treinamento é importante, mas ter uma média de tempo investido também.

É uma forma de você entender a relação entre as horas de trabalho e de capacitação e medir o período necessário para o treinamento de novas contratações.

7. Média de tema por colaborador

Ao saber quais foram os temas de treinamento que cada colaborador participou é mais fácil identificar por quais eles se sentem mais atraídos, além de reconhecer se as capacitações têm tido efeito positivo.

Se um profissional participa de treinamentos com diferentes temas, o mais certo é ele absorver melhor o conteúdo e colocá-lo em ação se comparado a outro, que tem repetido algum tema em específico.

8. Multiplicadores internos

São os indicadores de treinamento e desenvolvimento que medem a evolução interna da empresa. Trata-se dos profissionais que se sentem motivados a compartilharem seus conhecimentos com os colegas de trabalho.

Esse é um indicador de economia também porque a disseminação de conhecimento interno reduz o investimento em treinamentos externos.

Outro ponto positivo de compartilhar conhecimentos é que isso motiva outras pessoas a fazer o mesmo, o que é uma boa forma de iniciar grupos de desenvolvimento interno das equipes.

9. Comportamento

Esse indicador de RH é focado na análise comportamental dos colaboradores. Por exemplo, se um grupo de líderes participa de um treinamento de gestão de pessoas, algum tempo depois esses líderes começarão a aplicar o que aprenderam.

Depois de um período a empresa pode pedir que as equipes avaliem seus gestores, para ter uma comparativo de antes e depois.

10. Valor médio do investimento em treinamento e desenvolvimento por pessoa

Ter em mãos o valor médio do que foi aplicado em treinamento e desenvolvimento por pessoa é essencial para visualizar se a empresa está conseguindo cumprir com a escala de sua programação.

Para realizar essa conta é preciso dividir o total investido pelo número de colaboradores que participaram de cada capacitação.

Quanto menor for o resultado, se comparado com a qualidade de aprendizado de cada colaborador, menos custos será para a empresa e maior o retorno.

Leia também: Quais as diferenças entre treinamento e desenvolvimento?

Dependendo do treinamento, é possível incluir outros indicadores ou, até mesmo, todos em um só relatório. Independentemente da sua escolha, o resultado será equipado com estatísticas e medidas relevantes. Assim é muito mais fácil de visualizar e mostrar o valor de cada treinamento.

Agora que você já sabe quais são os principais indicadores de treinamento de RH, comece a aplicá-los em sua gestão. É uma maneira mais eficiente de medir se as capacitações da sua empresa têm dado o resultado esperado, além de enxergar o que precisa ser melhorado.

Picture of Isabella Furbino
Isabella Furbino
Sou coordenadora de Treinamento e Desenvolvimento na Sólides, mentora de profissionais de RH e também para empresas do terceiro setor. Sou Especialista em Gestão Comportamental e facilitadora da Formação Analista Comportamental Profiler há 5 anos. Me formei em Psicóloga (UFMG) e sou pós-graduada em Gestão de Negócios (IBMEC BH)
Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima