Entenda a importância da liderança no mundo corporativo

Tempo de leitura: 9 minutos

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Em épocas de avanços e inovações cada vez mais acelerados, é sempre bom recordar algumas verdades que são imutáveis. Por exemplo, a importância da Liderança justa, ética, motivada e sempre bem preparada para exercer profissionalmente a sua função.

De fato, todos segmentos e organizações dependem seriamente de líderes bem formados e alocados nos setores da empresa.

Assim, cada demanda e cada missão sempre estarão sob os cuidados de alguém que tem o know-how necessário.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Naturalmente, essa expertise inclui uma série de saberes, os quais são conceituais, sem dúvida, mas também práticos. Tanto que não pode haver um bom líder se ele não tiver comprovado que é capaz de fazer aquilo que exige dos demais.

É no modelo ou exemplo encarnado que reside um dos maiores segredos da liderança de uma equipe, seja qual for a expectativa que estiver em jogo.

Desse modo, independente de se tratar da forma como se lida com clientes, até as metas, às vezes com disciplina e assim por diante.

O fato é que uma empresa jamais pode achar que chegou a um ponto em que não precisa mais de líderes. 

Afinal, qualquer estabilidade de mercado só chega a se concretizar ou se manter graças aos bons líderes de cada setor.

Além do mais, é preciso tomar cuidado para que o papel do TI e de qualquer inovação em termos de hardware, software ou mesmo de marketing, não faça os donos do negócio se esquecerem de que sem esse capital humano e intelectual, não é possível sobreviver.

Então, se você quer estar por dentro desse universo incrível, entender seus pilares, bem como as maneiras de contratar ou de se tornar um grande líder, siga adiante na leitura.

A importância de uma boa cultura corporativa

Como vimos, além da parte motivacional e técnica de um líder, é fundamental que essa pessoa tenha senso de justiça e princípios éticos.

Por isso mesmo, o primeiro passo para entendermos a importância deste tema é que toda empresa ou corporação precisa de uma cultura muito bem definida.

Se uma indústria trabalha com montagem de placas de circuito impresso, ou com qualquer outra manufatura voltada para tecnologia e linha de produção, ela precisa de uma boa gestão de valores humanos tanto quanto um escritório que terceiriza RH.

Atualmente, uma boa cultura corporativa vai muito além do antigo “Missão, Visão e Valores”, que acabou se popularizando no Brasil. 

Quem está acostumado com a rotina de trabalho das grandes cidades e com o dia a dia das corporações modernas, sabe o quanto coerência e integridades são importantes nesses pilares.

Por exemplo, uma escola técnica que ministra cursos para treinamento de resgate em espaço confinado, entre outras pautas de saúde e segurança no trabalho, não pode ensinar isso ao mercado e negligenciar a integridade emocional dos seus colaboradores.

Isto pode parecer óbvio, é verdade. Porém, muitos líderes correm o risco de, na busca sempre apressada por atingir metas e cumprir com seus afazeres, acabarem caindo nesse tipo de armadilha.

Os pontos mais importantes de uma boa cultura corporativa, a qual guiará os líderes de cada setor da empresa, são os seguintes:

  • ter uma cultura de pessoas;
  • investir na comunicação diária;
  • dar espaço para todos falarem;
  • promover segurança/saúde aos funcionários;
  • ter uma cultura de tarefas diárias;
  • administrar a boa competitividade;
  • alimentar o espírito de equipe;
  • ter planos de carreira transparentes.

Um dos aspectos mais difíceis de o bom líder administrar é o das expectativas pessoais. É papel do RH contratar funcionários em conformidade com suas funções/formações no mercado. Porém, quem lidará diariamente com isso será o líder e gestor da equipe.

Uma empresa de recarga de extintores SP, por exemplo, não pode contratar um funcionário de perfil estratégico para uma vaga operacional. A não ser que a promessa de que ele subirá da produção das recargas de extintores seja factível e devidamente datada.

Como atingir uma visão global do negócio?

Do que falamos, é possível deduzir que o empreendedor e o líder têm virtudes diferentes. Por esse motivo, para que a boa liderança ocorra, é preciso que haja o famoso background da cultura corporativa, já que o líder nem sempre é o dono do negócio.

Uma vez que a corporação promova o mínimo para que o gestor consiga administrar todos os seus encarregados, aí é a hora de ele mesmo mostrar seu talento.

Além de todos os traços que já citamos acima, o bom líder precisa ter uma visão de conjunto. 

Isso significa que ele não deve se deixar levar pela correria do dia a dia, como já foi mencionado. No entanto, isso também aparece em um sentido mais complexo.

Imaginemos o caso de uma empresa que trabalha com peças para geradores e capacitores da área de informática. Sabemos como essa rotina é corrida e exigente.

De fato, a compra de um lote na quantidade errada pode gerar prejuízos enormes, já que a tecnologia avança diariamente e um estoque em excesso pode ficar obsoleto. Neste caso, cabe ao gestor amarrar as pontas entre compra, produção, estoque, etc.

É nesse sentido que o líder precisa ter uma visão mais abrangente e ir muito além da operação que ocorre entre os colaboradores.

Isso deve ocorrer enquanto que, ao mesmo tempo, ele não pode se afastar demais dos liderados, ou perderá a autoridade e a influência que é indispensável.

Também ocorre de, em áreas técnicas como a mencionada ou de peças para colhedora de cana e setores tipicamente industriais de setor primário, o líder não trabalhar dentro das sessões da empresa, porém mais afastado.

Quando isso ocorre, surge outra demanda tão importante quanto a da visão global: a capacidade de delegar funções e formar uma boa equipe.

Comunicação geral e delegação de funções

Para um bom líder, não basta ter uma visão global sobre o business, como dizem. É preciso ter um alcance tremendo sobre cada membro da equipe e da rotina da gestão pessoal.

Isso é ainda mais verdadeiro quando seu cargo se aproxima mais de um diretor do que de um gestor, impedindo-o de participar da rotina de trabalho. A verdade é que ele continua obrigado a fazer a gestão da comunicação entre os demais.

Por isso, é fundamental que ele saiba delegar funções e que tenha carisma perante os demais supervisores e tutores. Este é o modo de ele marcar sua presença mesmo quando ausente.

Esse tipo de hierarquia é bem comum em grandes indústrias de usinagem, que lidam com processos altamente tecnológicos como o fresamento de engrenagens, torneamento helicoidal e recursos afins, geralmente operados por CNC (controles computadorizados).

Nesses casos, a cultura corporativa é ainda mais importante. Afinal, cabe a ela influenciar todas as pessoas da empresa, desde a diretoria até a recepcionista. 

Desse modo, é de responsabilidade do líder salvaguardar esses princípios e os traduzir diariamente nas metas e estratégias rotineiras.

Para tanto, ele precisa falar bem, ter postura adequada, saber conduzir reuniões e fazer a gestão de eventuais crises entre os colaboradores.

Hoje em dia até a PNL (Programação Neurolinguística) entra na formação de um bom líder, pois a comunicação que ele estabelece vai além do elemento verbal. Afinal, ela envolve a postura, a vestimenta, as atitudes e daí por diante.

O papel da flexibilidade e do senso de justiça

O conceito de liderança é bastante amplo e pode incluir desde o perfil mais sênior até cargos mais operacionais. 

Isso porque tudo depende da demanda da empresa, do cargo e de como ele foi pensado pelos superiores.

Quando o cargo é mais “mão na massa”, como se diz, é fundamental ter uma postura flexível e capaz de se adaptar com rapidez às demandas diárias.

Certamente, um líder que precisa ser avisado com horas/dias de antecedência sobre a menor mudança nos planos, nunca estará preparado para dar o melhor de si. Sobretudo quando a demanda exigir trabalho sob pressão, o que a maioria exige.

Se o líder fez uma solicitação para um encarregado comprar elástico por kilo (ou seja, em quantidades bem maiores), e a pessoa se confundiu e fez um pedido pequeno, que não atende ao solicitado, cabe ao líder administrar a situação de crise.

Mesmo que o erro não seja daquele que comanda, cabe a ele manter a flexibilidade, a motivação e o entusiasmo para que o processo siga adiante. O mesmo se dá no campo da ética e da moral.

Se a empresa estoca peças e produtos como apoios e cantoneira de ferro, que servem desde a construção civil até aplicações domésticas, pode ocorrer uma crise no sentido de extravio de material por parte de colaboradores.

Não é fácil lidar com esse tipo de circunstância. Mas, cabe, novamente, ao bom líder ter um senso de justiça que o permita trafegar entre todas as etapas que incluem a resolução do caso, desde descobrir a origem do problema até sua resolução final.

Assim, é óbvio o quanto é importante para a empresa ter um bom norte cultural a respeito dos valores que devem ser praticados por todos e qual o papel do bom líder dentro desse cenário.

Muitas vezes, mudar algum detalhe na sua postura pode ser o ponto que está faltando para você ser promovido a um cargo desses. Também assim, se você está atrás desses profissionais para sua empresa, seguir as dicas dadas será um ótimo começo.

Entender a importância da liderança na organização é fundamental para oferecer artifícios que ajudam no crescimento e na expansão da empresa.

Muitas vezes a pessoa com perfil de liderança está dentro da sua empresa, sem a necessidade de fazer uma nova contratação. Entenda como a metodologia DISC pode ajudar no desenvolvimento de lideranças!


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of