Gerir pessoas durante o isolamento social: confira 4 dicas

Tempo de leitura: 8 minutos

Em 2020, a humanidade passa por uma das maiores crises na saúde: a pandemia causada pelo vírus Sars-Cov-2, responsável pela doença respiratória chamada COVID-19. Diante disso, o isolamento social tem sido apontado como medida eficaz para evitar o contágio. 

Mas manter pessoas em casa é um grande desafio. Nas empresas, a gestão de Recursos Humanos precisa adotar medidas para enfrentar a crise. Lidar com as particularidades do home office, reuniões virtuais, produtividade, motivação e o necessário equilíbrio entre vida profissional e pessoal dos colaboradores estão entre os desafios do analista de RH. 

Neste artigo, abordaremos as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para enfrentarmos a quarentena e analisaremos o impacto emocional da quarentena na vida das pessoas. Ainda, listamos 4 dicas para gerir pessoas durante o isolamento social. Por fim,  vamos sugerir ações para preservar a saúde mental dos colaboradores, quando convidamos o leitor a pensar sobre o futuro das empresas pós-COVID-19. 

As orientações da OMS sobre a quarentena

Desde que a Organização Mundial da Saúde declarou que o mundo está sob a pandemia do Sars-Cov-2, a necessidade de isolamento social fez com que muitas empresas instituíssem o trabalho remoto como medida para não demitir colaboradores. 

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Por isso, antes de cogitar o relaxamento das medidas de reclusão, a OMS orienta os países que estão em surto a observarem uma série de critérios para garantir a segurança e a saúde das pessoas, por exemplo:

  • a transmissão da COVID-19 deve estar controlada;
  • o sistema de saúde do país em questão deve ser capaz de detectar, testar, isolar e tratar todos os casos, além de traçar os infectados e ter acesso a testes para todas as pessoas;
  • os riscos de surtos devem estar minimizados em condições especiais, como instalações de saúde em hospitais, casas de repouso e presídios.

No entanto, a OMS reforça que, além de adotar os critérios estabelecidos, os países não devem suspender o isolamento de uma só vez e precisam manter outras medidas de saúde pública — lavar as mãos com frequência, manter o distanciamento social e usar máscara. 

O impacto emocional da quarentena 

Uma coisa é certa: a pandemia mudou radicalmente hábitos e rotinas no mundo corporativo. Isso porque, a necessidade de isolamento social fez com que muitas organizações adotassem o home office como estratégia.

Mas ainda que o trabalho remoto traga vantagens para colaboradores e empresas, o distanciamento pode causar impactos psicológicos e emocionais nas pessoas, mesmo que ficar em casa seja uma medida de segurança necessária. 

Somado a isso, as pressões são muitas e vêm de todos os lados, já que é necessário conviver com a preocupação de ter a saúde comprometida pela COVID-19 e com a possibilidade de demissão ou instabilidade financeira. 

Nesse sentido, a quarentena pode afetar a rotina das pessoas, que precisam de adaptar aos desafios. Quem mora sozinho, deve lidar com o silêncio e o isolamento. Já os que vivem em família têm que organizar os espaços compartilhados e dividir a atenção com filhos e companheiros.

Diante desse cenário, é possível que uma série de problemas de saúde mental sejam detectados: sintomas de ansiedade, raiva, tristeza, depressão, distúrbios do sono e estresse, por exemplo. 

Por isso, é preciso atenção ao gerir pessoas durante o isolamento social. O analista de Recursos Humanos deve estar atento aos impactos psicológicos e auxiliar os colaboradores a conciliar vida profissional e pessoal em um mesmo ambiente. 

As 4 dicas para gerir pessoas em isolamento social 

Administrar pessoas pode ser um desafio ainda maior em cenários de crise. Em períodos que as incertezas imperam, é preciso manter os colaboradores confiantes, motivados e engajados

Nessas situações, as lideranças devem usar a criatividade para gerir as equipes que precisam aprender a trabalhar diante dos desafios impostos pela pandemia. Confira a seguir 4 dicas para gerir pessoas durante o isolamento social. 

1. Aprimorar a comunicação 

O ser humano é um ser social. Viver em grupo e interagir com outras pessoas são características que nos tornam parte do todo. Por isso, enfrentar períodos de isolamento pode ser devastador para quem tem a comunicação como uma necessidade. 

Portanto, invista na comunicação aberta com seus colaboradores. Esteja presente, informe sobre resoluções importantes, apresente planejamentos, dê feedbacks, peça opiniões. Gerir pessoas durante o isolamento social exige diálogo aprimorado e eficiente. 

2. Superar as distâncias 

A segunda dica está ligada à primeira: diminua as distâncias (físicas e emocionais) com a comunicação. Trabalhando em home office, seus liderados precisam sentir que estão todos no mesmo barco. 

Ainda, a sensação de pertencimento deve continuar existindo e a confiança do time tem que ser reforçada. A distância precisa ser superada com diálogo, transparência e comunicação efetiva. Não deixe seus colaboradores à deriva. 

3. Pensar no futuro da empresa 

Em um momento de incertezas, é normal que as pessoas se sintam preocupadas e ansiosas com o futuro. Logo, cabe ao gestor trabalhar esses sintomas para que o propósito da organização não se perca. 

Para isso, instigue os colaboradores a pensarem no futuro da empresa, no possível retorno gradual à rotina no escritório, na volta ao cotidiano depois que a pandemia passar. 

4. Valorizar os colaboradores

A quarta e última dica é, talvez, a mais importante: enaltecer o capital humano. Nesse caso, o analista de RH deve ter sensibilidade para perceber que seus colaboradores estarão sobrecarregados, tentando conciliar tarefas domésticas e atividades profissionais. 

Por isso, é natural que as pessoas apresentem sinais de nervosismo, intolerância ou impaciência. Assim, cabe ao gestor reconhecer os méritos de cada um e valorizar seus colaboradores. Os resultados serão sempre positivos e reterão talentos na empresa.  

Ações para saúde mental na pandemia 

Atenta aos impactos emocionais durante a quarentena, a OMS preparou dicas sobre como proteger a saúde mental durante a pandemia e o necessário isolamento social. O documento tem 30 tópicos, mas que podem ser sintetizados em cinco recomendações:

  • manutenção das rotinas, mesmo que à distância;
  • solidariedade e empatia;
  • apoio emocional de amigos e familiares;
  • homenagem a pessoas que estão na linha de frente da luta contra a COVID-19;
  • redução do contato com notícias sobre a pandemia.

O que percebemos é que não existe uma fórmula mágica para preservar a saúde mental durante a quarentena. No entanto, ações simples podem e devem ser recomendadas aos seus colaboradores para auxiliá-los a passar pela pandemia sem grandes danos. 

Ajudar na elaboração da rotina

Estimule seu time a manter uma rotina, mesmo trabalhando em casa. Isso inclui tomar café da manhã, arrumar-se, trabalhar, fazer pausa para o almoço, voltar a trabalhar e encerrar o expediente no horário habitual. Preservar hábitos e horários ajuda a manter a sensação de normalidade e auxilia na produtividade. 

Consumir notícias de forma moderada 

Diante de tudo o que está acontecendo, é importante se manter informado. No entanto, busque fontes confiáveis e modere o consumo de notícias referentes à pandemia. Ainda, lembre seus colaboradores que informação demais pode ser tão prejudicial quanto não ler nada a respeito. 

Oferecer oportunidades para exercitar o corpo 

Pense em alternativas para incentivar a prática de exercícios físicos. Que tal promover  encontros virtuais entre os colaboradores para aulas de ginástica, alongamento ou meditação? Trata-se de ações simples, mas quando aliadas à alimentação saudável e sono regular, fazem muita diferença. 

Estimular o trabalho em grupo 

Da mesma forma que o analista de RH pode estimular a realização de atividades físicas online, também é possível incentivar o trabalho em grupo, usando plataformas próprias para esse fim. Para tanto, a tecnologia da videoconferência é uma aliada para que os colaboradores possam participar de reuniões, discutir projetos e fazer planejamentos. 

O futuro das empresas pós-COVID  

Talvez um legado da pandemia do novo coronavírus — se é que isso é possível — seja o aprendizado imposto às relações interpessoais e profissionais. No meio de um cenário de incertezas, muitas pessoas e empresas estão revendo conceitos. 

Ao abrir aos colaboradores a possibilidade do trabalho remoto, as organizações denotam preocupação e zelo com o capital humano. Trata-se de uma relação de confiança e responsabilidade, de ambas as partes. 

Logo, para atravessar a crise e até mesmo vencê-la, muitas empresas estão percebendo que precisam apostar em ações mais humanizadas em relação a seus colaboradores e clientes. Portanto, devemos ser otimistas com o pós-pandemia.

O futuro das empresas depende daquilo que fazemos agora para gerir pessoas durante o isolamento social. Com nossas dicas, a tarefa será mais fácil e com maior garantia de sucesso. Afinal, o RH é um setor estratégico quando o assunto é superação de crises.

0 0 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments