Escolhendo sua faculdade através de seu perfil

Tempo de leitura: 4 minutos

Angustia, frustração, medo, confusão, essas são algumas das emoções experimentadas pelo jovem quando tem que se decidir sobre qual faculdade cursar. O peso dessa escolha recai sobre ombros inexperientes e muitas vezes imaturos para lidar com tal situação.

Será que o jovem indivíduo está preparado para tomar uma decisão tão importante sem ajuda ou orientação?

Alguns despontam desde cedo certos talentos ou aptidões que destacam méritos e apontam caminhos, são mais seguros de suas escolhas e seguem sem hesitar. Porém, para a maioria o futuro é uma água turva e misteriosa, e nada gera mais medo e insegurança que o desconhecimento. E esse receio pode afetar as decisões e prejudicar as escolhas, uma vida de insatisfação e sensação de alienação podem ser os amargos gostos, deixados por uma incauta escolha.

Todos carregam em si um conjunto de valores, gostos e afinidades. E são elas que apontaram uma direção.

O primeiro passo para tomar uma decisão assertiva e que não vá gerar frutos de arrependimento é se conhecer. O auto conhecimento é uma das melhores formas de se tornar consciente de suas ações, saber os motivos que o levam a determinada atitude, o como e o porque ela foi feita daquela forma.

O indivíduo deve sempre ter em mente que antes de começar a andar, precisa saber que caminho quer trilhar. Pensar antes de agir, é um dos predicativos que mais se destacam em um pessoa segura e sem lamentações futuras. Para isso é necessário uma auto avaliação, uma reflexão, entender quais são seus gostos, afinidades e talentos

Filtrar seus gostos, assuntos que lhe despertam atenção e curiosidade são sempre uma boa forma de delimitar em que área deseja trabalhar. Um homem que ama a matemática e física dificilmente deve se inclinar para poesia e artes, e uma mente imaginativa e fantasiosa não encararia a precisão das ciências exatas com entusiasmo ou paixão.

Cada ser é único, porém, compartilha com indivíduos, características comuns. Traços que lhes rendem certos atributos, o que por sua vez delimita um perfil.

Willian M. Marston,  psicólogo norte-americano, estudou o comportamento humano, tendo seu trabalho ajudado no desenvolvimento do que conhecemos hoje como: o movimento da Psicologia Positiva (uma visão mais aberta e apreciativa dos potenciais, motivações e capacidades humanas). Através do trabalho de Willian Marston, categorizamos o comportamentos do homem em quatro perfis utilizados pela teoria DISC: Planejador, Analista, Executor e Comunicador.

Pessoas introspectivas, calmas e estáveis são tidas como de perfil Planejador, concentradas e constantes, também evitam confrontos e não possuem afinidade ou gosto pela liderança.

Os analistas são seres emocionais, pessoas sensíveis, perfeccionista e com elevado poder de autocrítica o que lhes rende um aspecto pessimista, sempre à procura de segurança e estabilidade. A arte é um traço que se destaque nesse perfil.

Executor é o indivíduo da ação, implacável, impulsivo e otimista. É um líder nato que não mede esforços para alcançar seus objetivos. Movido pela razão e lógica pode ser autoritário e inflexível.

O comunicador é festivo, extrovertido e sociável. Apresenta facilidade em lidar com pessoas, e geralmente essa se configura como uma de suas características mais acentuadas.

Cada um desses perfis abraça determinadas áreas. Um Comunicador por exemplo tem mais afinidades com a ciências sociais, estudos que valorizem mais a discussão, argumentação e articulação verbal de ideias. Notamos que pessoas desse perfil se identificam melhor em profissões como jornalista, advogado, professor, diplomata, locais em que possam dar vazão a sua característica voltada para à comunicação.

Envolver-se com assuntos e áreas empáticas ao seu perfil permite um progresso mais profundo, um êxito maior e perpetua no interior do indivíduo uma legítima sede de conhecimento e aprimoramento.

Tal tarefa é possibilitada pela teoria DISC, que procura desenvolver, através da análise do perfil, quais as potencialidades dos indivíduos através de seu comportamento.

E somente assim, auxiliado pelo esforço e dedicação poderá o jovem, conseguir destaque desejado com respeito às suas características.

Compreender seu perfil e com base nele, observar qual a carreira mais compatível, é a melhor maneira de se tornar um profissional consciente, realizado e feliz.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of