Ergonomia no trabalho: o que é, papel do RH e o que diz a NR17?

Ergonomia no trabalho busca adaptar o ambiente às necessidades do corpo humano, promovendo conforto, saúde e eficiência na execução das tarefas.
BAIXE GRÁTIS!

Aqui você encontra:

O RH tem um papel muito importante dentro das organizações. É ele o responsável por prezar pela qualidade de vida dos colaboradores e garantir que eles estejam satisfeitos. Por isso, a ergonomia no trabalho é tão importante. Mas, você já parou para pensar o que é ecomo cuidar da segurança e da saúde dos profissionais? 

A ergonomia é uma prática essencial para garantir a saúde e a segurança dos colaboradores, além de aumentar a produtividade e melhorar o clima organizacional. Segundo o Ministério da Saúde, as doenças ocupacionais são a segunda causa de afastamento do trabalho no Brasil. Em 2022, foram registrados 3,4 milhões de afastamentos por doenças ocupacionais, o que representa um custo de R$ 20 bilhões para as empresas. 

Quer entender melhor sobre ergonomia no trabalho e como o RH se envolve nessa questão tão essencial? Então confira nossa leitura completa. 

O que é ergonomia no trabalho?

A palavra "ergonomia" tem origem grega e vem da soma de duas outras palavras: ergon (trabalho) e nomos (normas). Dessa forma, em linhas gerais, o conceito se refere à ciência que estuda as condições de trabalho e a relação entre pessoas e máquinas

Na prática, a ergonomia busca desenvolver e aplicar normas para priorizar o bem-estar no ambiente de trabalho, a saúde física e mental e a qualidade de vida dos colaboradores. A ideia é garantir que os esforços e as longas horas de expediente não gerem impacto na saúde dos funcionários

Vamos a um exemplo: se um colaborador passa as 8 horas de trabalho sentado em frente ao computador, as normas de ergonomia buscam estratégias para garantir o seu total conforto, evitando problemas como lesões por esforço repetitivo (LER), dores nas costas e dificuldades de visão. 

A ergonomia também tem uma relação direta com a redução dos acidentes de trabalho. Embora essa seja uma preocupação menor quando falamos em escritórios, existem muitas áreas em que o profissional está exposto a riscos constantes. 

Nesse caso, a ergonomia atua na definição de parâmetros de proteção, reduzindo ao máximo as possibilidades de acidentes e as lesões por impacto. O papel da ergonomia, portanto, é gerar soluções ideais para cada situação, pensando em todos os modelos de trabalho e problemas de saúde que podem ser gerados por eles. 

A ergonomia no trabalho é uma exigência legal?

Sim, a ergonomia no trabalho é uma exigência legal do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Pensando na qualidade de vida, saúde e segurança dos trabalhadores, foi criada a NR17, uma norma que obriga as empresas a aplicar conceitos de ergonomia no ambiente de trabalho. 

A regulação serve para apoiar tanto os trabalhadores quanto os empregadores, garantindo a segurança dos profissionais e a produtividade das organizações

O que diz a NR17?

A Norma Regulamentadora nº 17 foi desenvolvida pelo MTE junto a sindicatos e associações para garantir que a ergonomia seja reconhecida e exigida dentro das empresas. Ela foi movida pelo aumento de casos de doenças ocupacionais causadas por falta de condições de trabalho adequadas. 

De acordo com o primeiro parágrafo da norma, a NR17 "visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente”.

A regulamentação busca minimizar o impacto e os riscos que problemas ergonômicos trazem para o ambiente corporativo. Segundo a norma, as condições de trabalho incluem “aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos e às condições ambientais no posto de trabalho, e à própria organização do trabalho”.

Assim, a norma exige que os empregadores realizem uma Análise Ergonômica do Trabalho (AET). Esse estudo avalia a demanda, as tarefas e as atividades de cada posto de trabalho para identificar inadequações e fatores de risco. 

Com base no resultado das informações coletadas, a empresa recebe um laudo que vai contribuir com a eliminação e a redução de riscos. Esse acompanhamento precisa ser feito de forma recorrente, para que os números de doenças ocupacionais diminuam, garantindo um espaço mais seguro aos funcionários. 

O não cumprimento da norma pode gerar problemas para ambas as partes. A empresa que não utilizar a ferramenta é notificada e tem um prazo de 60 dias para fazer as correções. Caso não sejam feitas, poderá receber uma multa e responder judicialmente pelo ocorrido. Já os colaboradores que não cumprirem as regras, poderão ser demitidos por justa causa. 

Benefícios da ergonomia no ambiente de trabalho

A ergonomia ajuda a prevenir doenças ocupacionais, como dores nas costas, LERs, tendinites, entre outros. De acordo com um estudo da Universidade de Stanford, a ergonomia pode aumentar a produtividade dos colaboradores em até 10%.

A implementação de regras de ergonomia no trabalho traz benefícios tanto para as empresas quanto para os profissionais. Confira a seguir os principais. 

Prevenção de doenças laborais e acidentes de trabalho

As normas de ergonomia, a longo prazo, tendem a evitar problemas ocupacionais como complicações musculares, dores nas costas, LERs, entre outros. Consequentemente, ao implementar as mudanças necessárias, a empresa terá menos ocorrência de faltas e afastamentos, que podem impactar o desempenho do negócio. 

Além disso, a ergonomia ajuda na prevenção de acidentes de trabalho, que podem levar a ausências ainda mais longas. 

Prevenção de doenças psicossociais

A ergonomia também leva em conta as doenças psicossociais como ansiedade, depressão, patologias cardíacas e transtornos gástricos e alimentares. Esses problemas podem ocorrer como consequência de um alto nível de estresse e cobranças no ambiente de trabalho. 

Vale lembrar que os transtornos psicossociais estão entre as principais causas de afastamento do trabalho. Por isso, é válido aplicar as regras de ergonomia para evitar uma alta na taxa de absenteísmo. 

Redução de rotatividade

A insatisfação por conta de condições ruins de trabalho pode levar os colaboradores a deixarem a empresa. A rotatividade é um problema recorrente para o RH, por isso, é importante investir em todas as estratégias possíveis para reduzir essas taxas. 

Proporcionar um ambiente de trabalho seguro e confortável é uma forma de aumentar a satisfação dos colaboradores e, consequentemente, o engajamento e a retenção dos talentos

Aumento da produtividade no trabalho

As condições do ambiente de trabalho refletem diretamente na produtividade dos colaboradores. Problemas com resoluções simples, como iluminação ou cadeiras inadequadas, podem fazer com que os colaboradores errem processos ou realizem suas tarefas de forma desalinhada

Proporcionar um espaço seguro e confortável garante que o time consiga trabalhar com muito mais foco e eficiência, gerando melhores resultados para o negócio. 

Como ajudar o seu funcionário a produzir mais e melhor?

Quais os tipos de ergonomia no trabalho?

Existem diversos campos da ergonomia no trabalho que devem ser entendidos e analisados dentro de uma empresa. Entenda cada um deles a seguir. 

Ergonomia física

É relacionada à anatomia, ou seja, preza por garantir a postura, a redução de movimentos repetitivos, o manuseio adequado de ferramentas e máquinas e a adequação do ambiente de trabalho. 

Ergonomia organizacional

Esse campo avalia o funcionamento da empresa, verificando processos e rotinas que possam oferecer risco para os trabalhadores. Seu foco de atenção são os processos comunicativos, projetos participativos, gestão de qualidade e tempo de trabalho. 

Ergonomia cognitiva

A ergonomia cognitiva se preocupa com as condições mentais e psicológicas do colaborador, controlando o estresse e a pressão no ambiente de trabalho. Ela serve para avaliar problemas como excesso de competitividade, hostilidade entre funcionários, falta de treinamento e comunicação das lideranças, buscando meios de combater o estresse e a ansiedade. 

Baixe grátis!

Como o RH pode auxiliar para promover a ergonomia no trabalho?

Normalmente, as questões de ergonomia são conduzidas pelo time de Segurança do Trabalho. No entanto, como vimos, esse é um aspecto que influencia diretamente na Gestão de Pessoas. 

Dessa forma, os profissionais de RH podem e devem se envolver nos processos para auxiliar na promoção da ergonomia no dia a dia do time. A seguir, explicamos como isso pode ocorrer na prática. 

Identificação de problemas ergonômicos

O primeiro passo do RH deve ser identificar os problemas ergonômicos do local de trabalho. É preciso avaliar desde o mobiliário até o uso de equipamentos não ergonômicos para, a partir daí, pensar em um plano de ação. 

Busque identificar quais os riscos ergonômicos a que os funcionários estão expostos em cada atividade e setor e documente todas as informações para realizar uma análise completa.   

Políticas e práticas ergonômicas

De forma geral, podemos resumir todo o processo de implementação das normas de ergonomia em 7 etapas: 

  • Elaboração da AET (Análise Ergonômica do Trabalho);
  • Seleção das medidas mais urgentes;
  • Planejamento das medidas em prazo estabelecido;
  • Levantamento de custos;
  • Execução das medidas ergonômicas;
  • Avaliação dos resultados;
  • Promoção de melhorias constantes.

As práticas internas e políticas de ergonomia devem ser estabelecidas de forma alinhada à cultura organizacional e às necessidades da empresa.

Além disso, é importante que o time de RH atue ativamente junto aos colaboradores para que eles conheçam as normas e as sigam. Assim, é preciso investir em uma comunicação interna objetiva e acolhedora, programas de treinamento em ergonomia e na valorização dos colaboradores. 

Algumas das práticas que devem ser adotadas pela empresa para a aplicação da ergonomia no trabalho são:

  • Adequar a postura do colaborador conforme a posição e atividade de trabalho;
  • Ajustar equipamentos, máquinas e ferramentas ao corpo do funcionário, considerando a altura correta e a distância adequada para a execução das atividades;
  • Adequar o mobiliário, a ventilação, a temperatura, a iluminação e os ruídos no ambiente de trabalho;
  • Conscientizar e treinar os colaboradores para seguirem as normas ergonômicas durante o expediente.

Monitoramento e avaliação

Acompanhar todo o processo após a sua implementação é essencial para garantir o sucesso do projeto. Dessa forma, é importante que os profissionais de RH monitorem e avaliem regularmente a eficácia das práticas ergonômicas implementadas e a adesão dos colaboradores e lideranças, realizando ajustes quando necessário.

Ergonomia no trabalho home office: como manter e promover para sua empresa?

O modelo de trabalho home office já é uma realidade para muitas empresas. Da mesma forma que no ambiente de trabalho da empresa, contudo, as condições do local onde as atividades são realizadas também podem interferir na segurança e na saúde dos profissionais. 

Nesse contexto, como o RH pode garantir que a ergonomia realmente será cumprida e que os trabalhadores não sofrerão com doenças ocupacionais? Nesse caso, é importante realizar um trabalho de conscientização com os profissionais acerca de dispositivos, iluminação, mobiliário e ruídos. 

Algumas das dicas que devem ser dadas a esses profissionais são:

  • Mantenha a postura ereta;
  • Cuidado com a repetição de movimentos;
  • Busque uma iluminação eficiente;
  • Tenha um ritmo de trabalho saudável e com pausas;
  • Crie dinamismo na sua agenda;
  • Tente não exceder a carga horária. 

Para garantir a ergonomia nesses casos, algumas empresas também aderiram ao benefício de auxílio home office. Dessa forma, ela auxilia na aquisição de ferramentas e mobiliário adequados, para evitar que o colaborador se lesione. 

Como vimos, a ergonomia no trabalho é um aspecto muito importante para garantir a produtividade e o bem-estar dos colaboradores. Sendo assim, é importante que o RH acompanhe de perto as políticas e monitore se elas estão sendo efetivas para reduzir os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais. 

Quer melhorar ainda mais a Gestão de Pessoas dos colaboradores trabalhando em home office? Baixe gratuitamente nosso Kit RH e Home Office e descubra como o setor pode ajudar no trabalho remoto das empresas. 

Picture of Amanda Silva
Amanda Silva
Psicóloga, com MBA em Gestão de Recursos Humanos, atuo há mais de 7 anos com recrutamento e seleção, grande bagagem em empresas de tecnologia, com definição de estratégias para atração e seleção de talentos. Hoje está como Supervisora do time de Talent Acquisition da Sólides.
Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima