#1 Entrevista com especialista: People Analytics com Matheus Tolentino

Tempo de leitura: 11 minutos

Hoje começa aqui no blog uma série de Entrevista com Especialistas onde todo mês você vai poder saber mais sobre diversos assuntos do RH e conhecer melhor sobre a rotina dos profissionais de diversas áreas da Solides.

A conversa de hoje foi com o especialista em People Analytics aqui da Solides, Matheus Tolentino. Ele conversou com a gente sobre essa tendência e deu algumas dicas bem legais sobre como aplicá-la no RH. Não perca tempo e confira a entrevista na íntegra!

1- Matheus, conta um pouco pra gente da sua trajetória profissional até aqui, como começou sua experiência com dados no RH?

Minha experiência profissional com dados e com o RH surgiu na faculdade. No início dela, tive a oportunidade de entrar na empresa júnior do meu curso e fui alocado para trabalhar na Diretoria de Recursos Humanos, mais especificamente com Recrutamento e Seleção. Esse foi o meu primeiro contato com esse e com os demais processos de recursos humanos e pude perceber, e valorizar, a importância que o Departamento de Recursos Humanos tem na estratégia e no sucesso de uma empresa.

Depois disso, tive a oportunidade de me tornar Diretor da empresa júnior e, consequentemente, de liderar uma equipe que chegou a quase 20 pessoas. Nesse momento, percebi mais fortemente a importância de se ter dados de recursos humanos para ter uma gestão mais assertiva e produtiva. Naquela época já comecei a trabalhar com o conceito de metodologia DISC e entender como cada um dos colaboradores da minha equipe respondiam a estímulos diferentes, o que mais os motivava, etc.

Após essa experiência, comecei a estudar mais sobre People Analytics de fato e tive a oportunidade trabalhar diretamente com esse tema na área de Human Intelligence da Solides. Desde então, percebi ainda mais a necessidade e importância de se armazenar dados estratégicos e de mensurar tanto os resultados e eficiência dos nossos processos quanto os resultados que nossos colaboradores geram.

2- Como você conheceu o People Analytics?

Através de estudos na internet e em capacitações passei a ouvir cada vez mais da importância de se ter um RH estratégico. Um RH que gere resultados e impacte de fato a produtividade da empresa. Mas, o termo People Analytics, de fato, conheci através dos conteúdos do RH Portal e do Curso de People Analytics, gratuito, da Universidade Solides.

Ouvir Alessandro e Mônica (fundadores da Solides), falando sobre aqueles conceitos e práticas sem dúvidas abriu meu horizonte e a partir daí passei a estudar cada vez mais sobre o assunto e a aplicá-lo, ainda mais, na realidade da Solides.

3- Onde você estuda e se atualiza sobre o assunto?

Já comentei um pouco na pergunta acima, mas, o meu estudo vem principalmente do conteúdo gerado no RH Portal e Universidade Solides. No entanto, também busco muitas atualizações em artigos e estudos internacionais, principalmente das universidades dos Estados Unidos, que contam com cursos, alguns inclusive gratuitos. Em especial, cito o curso de People Analytics da Universidade da Pensilvânia como um curso que aumentou ainda mais o meu conhecimento sobre People Analytics.

4-  Qual você acha que é a maior importância e vantagem que o People Analytics traz para o RH?

Quando pensamos na velocidade com a qual as coisas vem mudando e com a competitividade cada vez maior do mercado, deixa de ser diferencial e passa a ser NECESSIDADE a aplicação do People Analytics. A maior importância é, com certeza, embasar todas as decisões relacionadas ao capital humano da sua empresa em dados, e não apenas em feeling ou em experiências adquiridas. Quando você se baseia em dados, suas maiores vantagens são as seguintes:

  1. Redução da Chance de Erro : Por ter um histórico de dados que sustente suas tomadas de decisão, a chance de você errar diminui muito. Por exemplo, se você possui muita experiência em recrutamento e seleção você pode pressupor que seu “feeling” está afinado e que você consegue prever os colaboradores que serão bons e ruins na função. Mas as pesquisas mostram que não temos a assertividade que imaginamos que temos. Se de 10 colaboradores que você contratar pelo feeling, 5 performarem bem, você tem uma assertividade de 50%. Agora, quando você usa o People Analytics, você também está sujeito a errar, só que a sua assertividade pode chegar a 90,95% ou até mais. Então o People Analytics reduz a chance de erro.
  2. Previsão dos Resultados Gerados pelos seus colaboradores: A partir do momento que você consegue implantar o People Analytics na sua empresa você começa a armazenar um histórico de desempenho dos seus colaboradores. Sabendo disso, você pode analisar e encontrar padrões que mostrem o porquê determinados colaboradores performam bem e o porquê outros performam mal. Sendo assim, sabendo quais são os fatores que influenciam na performance dos seus colaboradores você pode contratar colaboradores com essas características e prever os resultados que eles gerarão.
  3. Aumento da Eficiência dos seus processos: Com o decorrer do tempo, você passará a ter dados sobre a eficiência dos seus processos, de quando eles deram certo ou errado e poderá correlacionar isso, por exemplo, com quanto tempo ele durou. Sendo assim, você poderá sempre analisar e buscar aperfeiçoá-los de acordo com os dados históricos que você possui.

5- Como você coloca o People Analytics em prática aqui na Solides?

Olha, a primeira coisa é criar uma cultura de resultados e de dados dentro da sua empresa. Mas isso pode começar com você, dentro do seu departamento, começando a medir os resultados gerados pelos seus colaboradores.

Então, é muito importante que você defina o que é performance para cada um dos cargos da empresa e alinhe com eles a importância de se ter essa cultura de resultados e de dados. Após isso, é importante pensar em como você irá armazenar os dados que você está coletando, se usará um sistema integrado pra isso, se utilizará uma planilha,etc.

Armazenado os dados você pode partir para a suas análises. E, nesse sentido, sigo esse passo-a-passo:

  1. Crio uma Hipótese
  2. Analiso essa Hipótese
  3. Valido ou Descarto a Hipótese

Por exemplo, quero avaliar qual o perfil comportamental tem melhor desempenho, geralmente, no cargo de vendedor.

  • Minha hipótese seria: Comunicadores e Executores vendem mais, em média, que os outros perfis comportamentais.
  • Minha análise seria: Calcularia a média de vendas de cada um dos perfis e compararia elas.

Terceiro passo seria validar essa hipótese ou descartá-la de acordo com o que os números me mostrassem.

É interessante frisar que esse é um processo recorrente, então estamos sempre criando, analisando e validando ou descartando as nossas hipóteses.

6- Como você acha que o People Analytics te ajuda no dia a dia de trabalho?

Gerando maior embasamento para as argumentações do meu dia a dia de trabalho. Tenho poder de argumentação muito maior e melhor para conversar com as lideranças da empresa e com a Mônica e o Alessandro.

7- Quais são os desafios para implementar o People Analytics?

Alguns dos desafios para implementar o People Analytics são o tempo necessário para se criar uma base de dados confiável e a velocidade com a qual as coisas e os processos vem mudando.

O primeiro, criar uma base de dados confiável, é um desafio porque, de fato, você precisa de uma quantidade de dados específica para que suas análises tenham o que a gente chama de validade estatística. Sendo assim, o processo de armazenamento de dados, por vezes, demora algum tempo, até criarmos grandes bancos de dados que nos geram insights grandiosos. No entanto, mesmo com menos dados, já podemos começar a ter direcionamentos de algumas tendências de atuação e ocorrência, as quais já podem gerar ideias de ações a serem aplicadas no seu dia a dia e consequentemente gerar resultados consideráveis.

O segundo desafio é a velocidade com a qual as coisas vem mudando, porque as lideranças têm que adaptar os processos dos seus departamentos, a função dos cargos, criar novos cargos, dentre outras coisas, e isso dificulta o processo de comparação de resultados entre colaboradores. Por exemplo, posso comparar o resultado de vendas de um vendedor que só realiza reuniões e apresenta propostas com o resultado de um outro vendedor que faz essas mesmas coisas mas, além disso, ainda prospecta clientes? Será que seria justo? Será que há validade estatística nisso? Nesse sentido, é importante definir o mínimo de processos que devem ser seguidos para que se consiga realizar as análises com validade estatística.

8- E as facilidades?

Sem dúvida, a quantidade de conteúdo disponível na internet facilita demais o entendimento de como utilizar o People Analytics nos processos do dia a dia da Solides.

Além disso, o Solides Gestão, nossa plataforma de gestão de pessoas e subsistemas de RH, facilita muito a realização do People Analytics pois acaba armazenando todos os dados dos nossos colaboradores para que posteriormente possamos fazer análises com eles. Além disso, a plataforma oferece vários mecanismos com os quais podemos aplicar o People Analytics de maneira fácil e eficiente.

9- Qual o futuro das organizações que não implementarem o People Analytics?

Ao meu ver, as organizações que não implementarem o People Analytics estão fadadas a diminuir a sua competitividade no mercado e, consequentemente, ter maior probabilidade fechar suas portas. Uma vez que entendemos que as pessoas são os maiores ativos de uma organização, percebemos que uma gestão estratégica de pessoas faz com que os resultados dessa organização se potencializem. Além disso, ao entendermos que as pessoas são nossos maiores ativos, que os custos relacionados a rescisões contratuais e má gestão de pessoas tendem a diminuir muito e também que haja o aumento da motivação e produtividade dos seus colaboradores.

Sendo assim, com um maior custo e menor produtividade dos seus colaboradores, fica cada vez mais difícil manter um modelo de negócio que se sustente e atenda bem aos seus clientes, ocasionando, provavelmente, que essas empresas fechem suas portas.

10- Quais dicas você dá para os profissionais de RH, que estão começando agora a colocar o People Analytics em prática?

A primeira dica é: esteja atento. São muitas as inovações e novidades que surgem todos os dias, então é obrigação que os profissionais de RH que querem tornar o seu departamento mais estratégico, com a aplicação do People Analytics, estejam antenados a essas novidades.

Mas, além de estar atento ao que vai surgir, é importante estudar as novidades e inovações que já surgiram e que podem ser aplicadas agora no seu RH. Busque conhecimento e conteúdo relevante que te auxilie na aplicação dessas práticas no seu RH.

Em especial, indico que os profissionais de RH que queiram se inteirar mais sobre People Analytics para colocá-lo em prática realizem o curso de People Analytics gratuito da Universidade Solides, e pra quem quiser entender como essa aplicação do People Analytics já ocorreu em outras empresas, indico que leiam o livro Um Novo Jeito de Trabalhar, do Laszlo Bock, Ex-VP de Operações do Google. A partir do estudo desses materiais, sem dúvida, o caminho para aplicação do People Analytics no seu RH se tornará ainda mais fácil e seu RH passará a ser mais estratégico e assertivo nos seus processos!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of