Employer Branding: O que é e 7 estratégias para implementar e reter seus talentos

Tempo de leitura: 15 minutos

Está sem tempo para ler? Experimente ouvir a narração deste artigo. Aperte o play!

A retenção de talentos é uma estratégia fundamental para o crescimento de uma organização. Quando a taxa de turnover é muito elevada, a perda de profissionais é constante, o que pode representar aumento dos custos. Para conseguir manter os profissionais na empresa existem diferentes estratégias, uma delas é o Employer Branding.

Employer branding — ou “marca do empregador”, em tradução livre — é o conjunto de técnicas e atividades implementadas para gerar uma percepção positiva da empresa enquanto ambiente de trabalho. Assim, essa ação tem reflexo entre os colaboradores e em todo o mercado, mudando a impressão global da organização.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Se você quer entender um pouco mais sobre os desafios da retenção de talentos na modernidade e como o employer branding pode auxiliar, leia este artigo até o fim!

Os desafios modernos para reter talentos

Atualmente, a dificuldade para conseguir reter os colaboradores dentro da empresa é muito sentida. A rotina fixa de trabalho é um dos fatores que mais assusta os profissionais, que buscam cada vez mais novidades e inovações constantes.

Essas mudanças nas atitudes e nas perspectivas dos colaboradores são ocasionadas por diversos aspectos externos. Inicialmente, é importante lembrar que a força de trabalho da maioria dos países, hoje, é composta pelos representantes da geração Millennials.

Nos Estados Unidos, isso já é uma realidade concreta, de acordo com pesquisa realizada pelo Pew Research Center, em 2015, os Millennials ultrapassaram a Geração X e se tornaram maioria na força de trabalho do país.

Banner-Employer_Branding

É certo que essa mudança influencia na forma como esses profissionais lidam com o trabalho em si. Os Millennials têm visões diferentes das gerações anteriores no que se refere às questões trabalhistas. Eles sempre buscam o crescimento, o desenvolvimento pessoal e, além de tudo, a qualidade de vida.

Certamente, isso impacta na forma como as empresas se organizam, precisando se atualizar sobre as tendências e descobrir a melhor maneira de atrair e reter os talentos.

Em uma pesquisa realizada pela Bayt.com no Oriente Médio, 75,6% das pessoas afirmaram que fazem pesquisas online sobre uma determinada empresa antes de considerarem uma oferta de trabalho. Para nós, isso pode parecer óbvio, no entanto, é aí que está o desafio.

Se a maioria das pessoas faz pesquisas online sobre uma determinada organização, já é possível saber o porquê de uma boa imagem e reputação serem essenciais, não é mesmo? 

Por esse motivo, pela necessidade da manutenção de uma imagem atrativa de uma empresa como empregadora, torna-se necessário desempenhar estratégias de Employer Branding.

O que é Employer Branding

Diante dos desafios para atrair e reter talentos dentro das empresas, com o tempo, foi se tornando necessário pensar em alternativas e práticas para reverter esse cenário. Nesse contexto, surgiu o Employer Branding, que consiste em uma série de técnicas e práticas que visam um objetivo final: garantir e exaltar a boa reputação da empresa como boa empregadora.

Provavelmente, você já percebeu a exaltação de muitas empresas jovens em relação à qualidade do trabalho. Essa é uma prova de que Employer Branding é uma prática que está totalmente em alta.

Mas o que faz com que um funcionário escolha trabalhar em uma empresa específica e não em qualquer outra? O salário é um fator, porém, não é o mais importante de todos. Em uma geração que prioriza o desenvolvimento pessoal e também aspectos como inovação na rotina e qualidade de vida, o Employer Branding é um diferencial competitivo para essas organizações no momento das conquistas de funcionários.

As estratégias de Employer Branding

Obviamente, para desenvolver uma estratégia de Employer Branding dentro de um negócio de forma personalizada, é necessário que haja um conhecimento mais aprofundado sobre a essência da marca. Mas existem algumas práticas um pouco mais generalistas que são como postulados do assunto.

Dessa forma, práticas como as que mencionaremos a seguir, podem servir de auxílio para a criação de uma estratégia mais completa de Employer Branding e, mais do que isso, podem oferecer alguns insights sobre o assunto. Confira essas 7 estratégias!

1. Tenha uma cultura organizacional definida

Ter uma cultura organizacional definida é a base para o desenvolvimento de diversos benefícios que surgem por meio dela. Essa cultura é a identidade da empresa, responsável por reunir todos os valores e as crenças do negócio, transformando-os em uma marca registrada e única.

Assim, ao planejar uma estratégia de Employer Branding, é necessário conhecer bem a sua marca. Caso a cultura organizacional da empresa seja fraca ou inexistente, esse é o momento de começar a investir nisso. Primeiramente, uma boa prática de Employer Branding exige uma presença de identidade forte para que seja ainda mais enaltecida e atraia pessoas para trabalhar.

2. Deixe que seus funcionários repliquem

A partir do momento que sua empresa tem uma imagem e uma mensagem forte a ser passada, seus funcionários serão os responsáveis por tornar isso público. Trata-se de um processo quase espontâneo e faz parte de muitas estratégias de Employer Branding.

Vamos tomar como exemplo uma das empresas com uma das melhores estratégias de Employer Branding do mercado, o Google. Certamente, você já ouviu falar que lá é um dos melhores lugares para se trabalhar, não é? Então, por mais que isso seja verdade e que, de fato, a empresa ofereça condições incríveis para seus trabalhadores, grande parte desse “marketing feito” vem dos próprios colaboradores.

Acontece que, funcionários satisfeitos são uma prática orgânica de Employer Branding, que contribui mais do se pode imaginar. Portanto, é sempre importante se certificar que os seus colaboradores estão realmente satisfeitos dentro da sua empresa.

3. Compartilhe histórias interessantes

Muitas empresas começam com muito pouco e assumem uma posição considerável no mercado em pouco tempo. Outras começam muito cedo, demoram para se desenvolver, mas, em um momento, se transformam. Seja lá qual for a sua história, é importante tornar isso público, também como forma de reforçar a cultura organizacional.

Em muitas empresas modernas, há o Culture Code. Basicamente, trata-se de um documento que reúne a história, as características, as crenças e os valores. Geralmente, é distribuído para os colaboradores assim que eles entram na empresa, mas também pode ser disponibilizado online. Esse tipo de documento faz com que a empresa consiga passar para seus colaboradores, e possíveis candidatos, a imagem que ela desejar.

4. Implemente uma cultura de feedback

Para firmar ainda mais a sua marca empregadora, a aplicação de uma cultura de feedback dentro da empresa é um passo muito importante. Por meio dela, é possível ter mais informações sobre a percepção que cada funcionário tem.

À medida que o nível hierárquico do cargo muda, as percepções dos colaboradores mudam junto. Com uma cultura aberta de feedback, você poderá ter uma maior e melhor noção do todo, dentro da empresa.

Seja um feedback bom ou ruim, o importante é procurar sempre crescer e aprimorar ainda mais a imagem da sua marca empregadora.

5. Exerça a transparência

Trabalhar em uma empresa que segue suas primícias é algo muito importante para a Geração de Millennials. Eles querem se sentir seguros e saber que o que é falado, realmente é feito lá dentro. 

Assim, a gestão de transparente é uma excelente maneira de fazer com que o colaborador sinta que pode confiar em você e na sua organização, podendo crescer junto com ela diante dos desafios e adversidades, sentindo-se mais confortável e respeitado no ambiente de trabalho.

6. Faça Onboarding para novos colaboradores

Vamos supor que é o seu primeiro dia de trabalho em uma nova empresa e que essa nova empresa seria, nada mais e nada menos, Google. Vai ser um dia incrível, não é mesmo? Você sempre ouviu falar bem de lá, por ser uma das melhores empresas para se trabalhar no mundo.

Agora, imagina se, ao chegar na sua estação de trabalho, simplesmente entregam o seu computador e você faz uma pequena reunião com o seu supervisor e pronto, é só isso. Pronto, pode trabalhar!

Independentemente de qual for o porte da sua empresa — micro, pequena, média ou grande — o Onboarding é uma etapa extremamente importante para aplicar aos novos colaboradores. Trata-se de um processo, no qual o novo colaborador passará por uma imersão nas atividades que a empresa pratica, conhecendo todos os setores e quais são as responsabilidades de cada um deles.

Logo, o Onboarding é uma maneira de fazer com que o novo funcionário se sinta bem-vindo na empresa e comece com o pé direito.

7. Conheça os canais de comunicação para fazer contratações eficazes

Geralmente, onde estão concentrados os seus candidatos? Nas redes sociais — Facebook ou LinkedIn? É importante você identificar de onde surgem as pessoas que você contrata e tornar esse meio o mais eficaz possível. Dessa forma, a imagem da sua empresa estará cada vez mais presente e, talvez, vire até uma espécie de referência.

Banner-Conheca_o_Perfil_do_Time

A implementação do Employer Branding

Agora que você já entende um pouco mais sobre o que é e as estratégias do Employer Branding, chegou a hora de conhecer os passos principais para poder implementar essa técnica.

Saiba o que você quer comunicar

Para começar com o pé direito, é importante que você tenha em mente qual será o posicionamento da empresa, desde o início. 

Assim, os discursos precisam estar alinhados com a cultura implementada. E esses valores devem ser repassados para os colaboradores em todas as frentes, desde o contato de líderes e CEOs com os funcionários até os materiais internos. 

Implemente uma cultura única

Poder contar com uma cultura bem estabelecida e elaborada especificamente para a sua empresa faz toda diferença para a percepção que os colaboradores e os candidatos terão da organização.

Quem nunca achou o máximo uma empresa com videogame, sala de descanso ou espaço para happy hour? Mas é importante saber qual tipo de cultura conversa com o segmento da sua marca.

Para um escritório de contabilidade, por exemplo, os itens citados acima talvez não seriam bem recebidos. Logo, é importante que a cultura realmente seja aplicada no dia a dia da empresa, validando a imagem de uma boa marca empregadora. 

Tenha uma boa presença online

Já falamos aqui como as redes sociais são uma ótima ferramenta para contratação, mas elas são igualmente benéficas para dar visibilidade e passar confiança por meio da sua marca empregadora. Portanto, uma boa estratégia de divulgação da cultura e do dia a dia da empresa pode agregar muito .

Entenda como tratar os candidatos

Provavelmente, a etapa mais importante da implementação do Employer Branding é saber como tratar os candidatos às vagas da sua empresa. A partir do momento que um novo processo seletivo se abre, é uma nova oportunidade de iniciar a construção de uma experiência inédita para os profissionais.

Portanto, apresente a cultura, os costumes e o dia a dia da empresa. Faça com que eles se sintam confortáveis e diferenciem o momento do restante que já vivenciaram. Dessa maneira, eles perceberão, aos poucos, como a empresa se preocupa e preza pela satisfação dos seus funcionários. 

De acordo com uma pesquisa feita pela Career Arc, 64% dos consumidores entrevistados pararam de comprar produtos de uma certa marca, uma vez que ficaram sabendo que os funcionários foram maltratados.

Impulsione a intracomunicação

Com o uso de ferramentas de comunicação, crie canais para que os colaboradores possam contatar entre si. Assim, o RH se mostra mais disposto e atencioso às opiniões, sugestões e críticas que os funcionários possam ter. 

Além disso, é ótimo para firmar uma relação de confiança, na qual o colaborador se sentirá confortável em compartilhar opiniões, mesmo que negativas. 

Banner_Planejamento_Estratégico

Os responsáveis pelo Employer Branding

É comum pensar que o Employer Branding é responsabilidade do RH e isso não está inteiramente errado. É responsabilidade sim do setor de RH ou Gente & Gestão de uma empresa. Mas é muito importante lembrar que não é dever só desses setores.

O RH de uma empresa é responsável por inúmeras outras questões, que as organizações mais tradicionais julgam serem mais importantes que o Employer Branding. Entretanto, como já vimos até aqui, trata-se de uma parte muito importante para o crescimento da consolidação de uma boa marca empregadora no mercado de trabalho.

Logo, manter uma boa imagem da marca empregadora é uma tarefa que envolve todos os setores da companhia. Em trabalho conjunto com o setor de marketing, por exemplo, é possível divulgar para o mundo a cultura e a filosofia da empresa. Ainda, como reforço dos ideais, é possível ser disseminado também no mundo virtual.

De modo geral, todos os colaboradores da empresa são responsáveis por replicar a sua cultura, que é aplicada na prática e implementada pelo RH.

A importância dessa prática para a empresa e para o RH

Provavelmente, você já entendeu quais os benefícios trazidos para uma empresa quando o Employer Branding é empregado. Mas para além das vantagens, as técnicas também são de grande importância em muitas frentes para a organização. 

Captação de novos candidatos

Como já mencionado, grande parte das pessoas faz buscas nos perfis online de uma empresa ao considerar uma proposta de trabalho, o que reforça a ideia de que a imagem a ser passada deve ser a mais interessante possível, principalmente no meio digital. 

Assim, quanto melhor a reputação de uma organização, maior a chance de que a empresa receba currículos interessantes, aumentando o leque de bons candidatos para as vagas e otimizando o processo seletivo.

Retenção de talentos

Além da captação, existem os benefícios adquiridos para a retenção de talentos que, como já foi dito, é um dos maiores desafios das empresas no mercado atualmente. Como as técnicas de Employer Branding são eficazes e fazem com que seus próprios colaboradores se tornem defensores da marca, isso vira um ciclo que reforça a marca constantemente.

Para o RH, essa situação é a ideal. Se o Employer Branding de uma empresa de fato consegue atrair mais candidatos e, além disso, os profissionais mais qualificados se identificam com a marca, o trabalho de recrutamento do departamento já se torna mais espontâneo e facilitado.

Obviamente, ao contratar pessoas que se parecem mais com a sua empresa, a chance de retenção é ainda maior. Esse fator é somado à qualidade do ambiente de trabalho, à essência da marca e ao orgulho de se trabalhar em um lugar como esse.

Redução do turnover

Por fim, com o aumento da retenção de talentos na sua empresa por meio da implementação do Employer Branding, a taxa do turnover tende a diminuir.

Quando um turnover é baixo, a empresa sai vitoriosa em vários quesitos, como a economia de capital ao não precisar abrir um novo processo seletivo, além de poupar o tempo dos funcionários do setor de RH e de marketing, que teria que fazer a divulgação, por exemplo. 

O método para calcular o ROI do Employer Branding

Para saber se a sua empresa está fazendo um bom investimento em Employer Branding é preciso monitorar e metrificar. Assim, calcular o Retorno Sobre o Investimento (ROI) é uma maneira de garantir que a organização está, de fato, conseguindo frutos com a estratégia e não apenas prejuízos.

Ainda, com o ROI do Employer Branding, a empresa saberá exatamente o número de profissionais atraídos e agregados ao negócio, tudo isso considerando o prazo no qual as atividades foram implementadas.

Para saber, basta aplicar a seguinte fórmula:

ROI = (RECEITA – CUSTO) x 100

/CUSTO

Seguindo o cálculo, é possível acompanhar se a estratégia implementada está dando resultados positivos ou prejuízo. Desse modo, caso os custos estejam maiores que a receita, será necessário tomar ações corretivas, mudando a rota das atividades, a fim de garantir o melhor resultado possível.

Como vimos, com um Employer Branding bem implementado é possível valorizar o capital humano e realizar uma gestão de pessoas mais eficaz, evitando prejuízos. Ainda, quando conseguimos reter os talentos dentro da organização, é possível garantir melhorias na produtividade por meio do engajamento e do sentimento de pertencimento dos colaboradores.

Além do Employer Branding existem outras estratégias e formas de conseguir a manutenção dos seus colaboradores. Uma delas, é entendendo como está o clima organizacional. Quer aprender como fazer pesquisa de clima e aplicar na sua empresa? Confira o guia completo sobre o assunto!

0 0 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Michele Fernandes
Michele Fernandes
3 anos atrás

Aqui na Solides somos todos brand lovers! <3

trackback

[…] alinhamento com os colaboradores é uma peça chave para engajamento, produtividade ou até mesmo employer branding. Além de mostrar que existe uma confiança por parte da empresa em relação aos colaboradores no […]