Employee experience e a retenção de talento: entenda essa relação

Tempo de leitura: 9 minutos

O termo employer branding tem sido largamente discutido por empreendedores, executivos e gestores de RH. Afinal, todos querem ter uma empresa desejada pelos melhores talentos do mercado. A relação entre o employee experience e a retenção de talentos fortalece o employer branding, mas ainda existem muitos profissionais que desconhecem o termo.

Se você nunca ouviu falar, ou tem dúvidas sobre como funciona o employee experience e a retenção de talentos, com certeza gostará deste artigo. Nele, falaremos principalmente no que se refere às iniciativas para a retenção dos talentos na sua empresa. Então, fique atento e boa leitura!

O que é o employee experience?

Em tradução livre, o termo employee experience (EX) significa experiência do colaborador. É bastante semelhante ao que já vem sendo utilizado em relação à experiência do usuário (UX), tanto em plataformas digitais, quanto em relação aos produtos e serviços entregues pelas empresas.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Sendo assim, no caso do EX, o foco está na promoção de uma experiência positiva para os profissionais. Isso é feito por meio de ações que promovem a saúde e o bem-estar físico e mental no ambiente corporativo, além de incentivos para o crescimento e desenvolvimento dos talentos.

Por que a retenção de talentos é tão importante?

Implementar as práticas de employee experience é trabalhoso e demanda uma certa dedicação. Contudo, os esforços valem muito a pena, pois, dentre os benefícios obtidos, o mais importante é a retenção dos talentos. Mas, afinal, por que isso é tão importante? É o que explicaremos a seguir.

Redução de custos com processos seletivos

Os processos de recrutamento e seleção geram uma série de custos. Desde as horas dos recrutadores, até o pagamento de plataformas de currículos. Quando um profissional contratado não se enquadra muito bem no cargo e se demite, é como se todo esse trabalho fosse jogado no lixo. 

Manter os colaboradores ativos e integrados ajuda a evitar que eles saiam, dando continuidade em suas tarefas e evitando novos gastos com processos de reposição de vagas.

Melhor integração dos times

A integração de um time leva um certo tempo. As pessoas precisam conviver umas com as outras para se conhecerem melhor, entender os perfis, qualidades e limitações de cada uma até que o grupo se torne mais harmônico e estratégico.

Com uma rotatividade alta, as equipes têm mais dificuldade para estabelecerem uma rotina produtiva e precisam se readaptar a cada chegada de um novo membro. A sequência de trabalho fica prejudicada e isso afeta o resultado das entregas.

Mais qualidade nas entregas das tarefas

Além da questão da integração em times que não sofrem tantas mudanças, colaboradores engajados e motivados são mais produtivos. Eles executam suas atividades com mais zelo e dedicação, resultando em produtos e serviços de qualidade superior.

Criação de um ambiente mais inovativo

Diante de de um ambiente favorável e um bom clima organizacional, os profissionais se tornam mais seguros no que fazem e começam a enveredar por novos campos. É bastante comum que eles passem a se interessar mais pela busca de novas soluções e melhorias nos produtos e serviços oferecidos pela empresa.

Qual é a relação do employee experience com o employer branding?

No início do texto, mencionamos o employer branding, que é um esforço que as empresas começaram a fazer para mostrar aos profissionais do mercado que são boas empregadoras. 

Nesse sentido, a melhor forma de fazer isso é entregando uma boa experiência para os colaboradores, que transmitirão sua satisfação para seus pares do lado de fora da empresa de forma natural. O que nos leva a dois pontos principais de relação entre as práticas, como mostramos abaixo.

O employer branding é resultado do employee experience

Quando um consumidor tem uma experiência muito boa com alguma marca, ele espalha as boas novas para os quatro cantos. Assim, ele está ajudando a valorizar aquela marca, como consequência dos esforços feitos em agradá-lo.

O mesmo acontece na relação dos colaboradores com a empresa. Quando ela adota práticas de EX, ela faz com que eles estejam sempre felizes e satisfeitos com seus cargos e times, e isso se reflete na forma como eles fazem a propaganda da empresa, ou seja, o employer branding, vindo dos próprios colaboradores.

Quanto melhor é o employee experience, mais forte é o employer branding

Sendo assim, quanto melhor o employee experience é trabalhado, mais forte se torna a imagem da empresa como boa empregadora no mercado. Uma coisa é a empresa postar em suas redes sociais que ela se preocupa com seus profissionais e promove um ambiente saudável e prazeroso. Outra muito diferente, é ver os colaboradores dizerem isso de forma voluntária e natural. O peso é muito maior.

Como trabalhar a relação entre o employee experience e a retenção de talentos?

Até aqui, ficou claro que o EX é um conjunto de práticas fundamental para ter colaboradores motivados e engajados na empresa. Agora, daremos algumas dicas para você implementar ações em sua organização, voltadas para a retenção dos seus talentos. Acompanhe.

Pense em seus colaboradores como pensa em seus clientes

A forma mais simples de entender o employee experience é fazendo um paralelo com o user experience. Quando a empresa pensa na elaboração do site ou no desenvolvimento de um novo produto, uma das preocupações mais importantes é sobre como o cliente receberá aquilo e como fazer para que a experiência dele seja a melhor possível.

No EX, o raciocínio é o mesmo, mas a pessoa que está no centro das ações e decisões é o seu colaborador. É preciso se colocar no lugar dele e pensar em como fazer com que as idas ao trabalho não sejam maçantes, pelo contrário, que ele acorde motivado a enfrentar os desafios propostos e a dar o melhor de si para o negócio.

Defina os valores e a cultura da empresa

Estamos em um momento do mercado de trabalho em que os profissionais das gerações Y e Z são mais apegados a seus valores e buscam empresas que compartilham deles. Por isso, é muito importante que isso esteja bem claro para todos, que cada um saiba o posicionamento da organização e o que se espera das pessoas que estão ali, representando-a.

A cultura é um reflexo da aplicação desses valores e precisa ser fortalecida no dia a dia. As decisões diantes de impasses, a discussão de assuntos mais polêmicos ou delicados, a forma como líderes e liderados interagem, tudo isso faz parte da imagem que a empresa constrói para seus colaboradores e mostra para quem está de fora.

Gere expectativas corretas por meio do employer branding

Um ponto de atenção muito importante é atuar de forma honesta e sincera. Tudo o que for dito nas ações em employer branding precisa estar embasado em fatos reais. A empresa pode ter problemas, pode ter defeitos, só não pode mascará-los ou inventar coisas que não condizem com o que acontece nos bastidores.

Vale ressaltar que a imagem que você passa para o mercado gera uma expectativa nos candidatos que se inscreveram nas vagas em aberto. Depois de selecionados, se eles não tiverem aquilo que foi prometido, eles terá um EX péssimo e pode acabar gerando um efeito contrário a tudo o que foi dito até aqui.

Acompanhe o colaborador ao longo de toda a jornada

Assim como a jornada do consumidor não começa na compra, a dos colaboradores não começa na contratação. Muito antes disso, quando sequer existem vagas abertas, os futuros candidatos já estão observando a empresa e construindo sua percepção sobre ela, que pode ser bastante positiva se o employer branding for bem feito.

Ao longo do processo seletivo e após a contratação, há muito a ser feito ainda. É preciso acolher esse novo membro, integrá-lo, treiná-lo, preparar esse profissional para cumprir com seus novos desafios. 

Na sequência, é preciso mantê-lo motivado e engajado, fomentar seu desenvolvimento por meio de cursos e treinamentos, dar toda a assistência que ele precisar para desempenhar melhor as suas atividades. E, caso ele precise deixar a organização, continuar apoiando-o, dando valor ao profissional que ele se tornou e deixando as portas abertas para um possível retorno.

Implemente a gestão comportamental para sustentar a experiência positiva

Adotar práticas de employee experience pode ser desafiador, mas manter os colaboradores com essa sensação de motivação e bem-estar dia após dia pode ser muito mais. Por isso, é importante utilizar métodos de gestão mais adequados para o novo cenário da organização, que leve em consideração as particularidade de cada profissional.

A gestão comportamental é uma forma mais eficiente de gerenciar os times e mantê-los engajados. A análise dos perfis comportamentais de cada colaborador ajuda a compreender melhor a maneira como eles lidam com diferentes situações e, assim, traçar estratégias mais adequadas para superar todos os desafios sem gerar uma alta carga de estresse.

Como você pôde perceber, o employee experience e a retenção de talentos são um conjunto de ações que potencializam as qualidades da empresa e a torna ainda mais desejável pelos melhores talentos do mercado. Implementando essas práticas, é possível fortalecer o employer branding e ainda gerar crescimento e inovação para o negócio. Então, não perca tempo e comece a colocar as dicas que acabou de aprender em prática!

Gostou do conteúdo? Que tal explorar um pouco mais sobre a parte de retenção? Confira neste artigo tudo o que você precisa saber sobre retenção de talentos!


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of