5 dicas para identificar a hora certa de demitir um funcionário

Tempo de leitura: 3 minutos

Uma das dúvidas a qual todo líder está sujeito é sobre o momento exato de demitir um funcionário. Se a contratação certa é fundamental para alavancar o desempenho da empresa, uma demissão em tempo hábil também faz parte de uma gestão competente.

Assim, é importante estar atento aos sinais e evidências de que determinado colaborador já não corresponde às expectativas da empresa. Caso isso seja comprovado, há duas opções: tentar reverter o quadro ou partir para o desligamento do profissional.

cta-calculadora

Confira nossas 5 dicas elaboradas para ajudar você a perceber quando não é mais possível continuar uma relação trabalhista.

1. Note a ocorrência de erros constantes

Por mais que se chame a atenção do colaborador para um erro, ele persiste em cometê-lo. Seja descumprir os horários, faltar ou não conseguir executar determinado tipo de tarefa, o funcionário incorre repetidas vezes em falhas (em diversos casos, até na mesma falha).

Uma situação assim mostra o baixo nível de eficiência, atenção ou preparo para a função. Demitir um funcionário que apresente tais problemas é praticamente obrigatório, a fim de preservar a saúde do empreendimento.

2. Perceba quando há desmotivação

Quando é preciso unir forças em prol da empresa, ele demonstra má vontade. Na hora das reuniões com a equipe, entra mudo e sai calado, mostrando baixo nível de engajamento e participação. Ao se comportar dessa maneira, além de entregar pouco, o funcionário influencia mal quem está ao redor.

Este comportamento reflete desmotivação e deixa claro que é hora de desvincular o colaborador.

3. Fique atento a condutas negativas

No ambiente profissional, erra muito quem dissemina comentários sobre os colegas e a direção da empresa. Inclui-se também aqueles que vivem reclamando, seja da vida pessoal ou do trabalho. Tais comportamentos são condutas negativas que afetam a todos os participantes do cotidiano da empresa.

Sendo assim, ao identificar que um colaborador mantem tal comportamento, e após verificar que essa postura é constante e irreversível, a melhor atitude a tomar é demiti-lo.

4. Preste atenção ao não atingimento das metas

Seus resultados estão sempre abaixo do esperado e sua atuação no desempenho das funções deixa muito a desejar. Recebe as tarefas, mas não as entrega no prazo, ou as realiza com qualidade abaixo do esperado. Isso, repetidas vezes.

Não há muito que fazer neste caso. Para não dar mais prejuízos à empresa, o colaborador deve ser mandado embora.

5. Identifique incompatibilidades

Quando as diferenças entre o que a empresa propõe e a maneira de pensar de um funcionário são muito profundas, isso ocasiona problemas. Como baixo comprometimento e produtividade insatisfatória. Aí, o negócio perde, e a solução é finalizar o contrato de trabalho.

Entre a contratação de um colaborador e o seu desligamento da empresa há um caminho a percorrer. Isso porque toda relação de longo prazo apresenta dificuldades, algumas contornáveis, outras não.

Por isso, é essencial ao gestor estar pronto a enxergar quando um funcionário não agrega mais valor ao negócio. Ao perceber isso, agir rápido é o mais indicado, pois protelar significará assumir maiores prejuízos.

Lembrando que, acertar na contratação, e fazer uma sólida gestão comportamental do pessoal são as medidas mais efetivas a adotar no sentido de evitar os transtornos em torno de demitir um funcionário.

Já viveu problemas com funcionário ou está passando por um agora? Tem mais dicas para dar sobre esse assunto? Deixe um comentário!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of