Depressão no trabalho: como reconhecer, lidar e prevenir

Você conhece quais são os sinais de depressão no trabalho? Saiba como identificá-la e conheça medidas para preveni-la.
depressão no trabalho
SAIBA MAIS

Aqui você encontra:

A depressão no trabalho é a segunda maior causa de afastamento nas empresas, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Conforme o órgão, o Brasil ocupa a segunda posição nas Américas nos casos da doença. 

Considerando esses dados, manter um ambiente corporativo saudável, evitando a sobrecarga de tarefas e diminuindo as cobranças são medidas urgentes para evitar o adoecimento emocional.

Neste artigo, mostraremos como identificar colaboradores deprimidos, como prevenir a depressão no trabalho e como o RH pode lidar nesses casos.  Confira.

O que é a depressão? 

Segundo a Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), a depressão é uma doença psicológica que compromete o humor e o comportamento. Trata-se de um distúrbio frequente na população mundial, que interfere no cotidiano do indivíduo, prejudica o apetite, a qualidade do sono, os relacionamentos e as atividades profissionais. 

A depressão pode ter origem na combinação de fatores genéticos, biológicos, ambientais ou psicológicos. Ainda, pode surgir a partir de eventos traumáticos ou mesmo sem motivo aparente. Além disso, os sintomas variam de pessoa para pessoa. Entre os mais comuns, temos: 

  • tristeza, desânimo, cansaço e desesperança;
  • sensação de culpa ou sentimento de incapacidade;
  • ansiedade, insegurança e preocupação;
  • problemas de sono e do apetite;
  • pessimismo e apatia.

Vale destacar que a depressão requer acompanhamento médico e psicológico, além de tratamento adequado. O profissional de saúde é responsável pelo diagnóstico da doença e poderá identificar, a partir da intensidade dos sintomas, se ela é leve, moderada ou grave. 

Como a depressão se manifesta no trabalho? 

A depressão no trabalho apresenta os mesmos sintomas comuns da doença. Entretanto, existem comportamentos específicos relacionados às atividades laborais que tornam o problema mais evidente. 

Em geral, as lideranças conseguem perceber se o colaborador está prejudicando as entregas ou procrastinando diante das demandas. Além disso, o RH e o DP podem observar se o profissional está se atrasando com frequência ou cometendo faltas injustificadas.

Sendo assim, os índices de absenteísmo e presenteísmo são reveladores. Isso porque, fornecem indícios de que algo não vai bem com a rotina de trabalho, mostrando que o colaborador pode estar enfrentando problemas. 

Diante desses sinais, é importante observar o colaborador com atenção. Ele pode estar passando por episódios de tristeza recorrentes ou enfrentando uma batalha contra a depressão. Em qualquer dos casos, a gestão de pessoas deve estar disponível para ajudar.

Como identificar que um colaborador tem depressão? 

É importante reforçar que o RH não pode oferecer um diagnóstico clínico sobre a saúde mental dos profissionais. Contudo, ele consegue identificar traços comportamentais e atitudes quando algo não está bem.

Assim, a depressão no trabalho pode apresentar comportamentos evidentes ou sutis, como: 

  • exaustão mental, agressividade e irritabilidade;
  • faltas, atrasos e cancelamento de compromissos;
  • dificuldade para se relacionar com os colegas;
  • problemas de memória e de concentração;
  • baixa produtividade e procrastinação;
  • crises de choro, inclusive durante o expediente;
  • insegurança para tomar decisões;
  • isolamento social e falta de interesse pelos eventos corporativos.

Como o Profiler pode ajudar? 

O Profiler é uma ferramenta exclusiva da Sólides para mapeamento de perfil comportamental. Com ele, é possível conhecer as habilidades e competências de candidatos e colaboradores para entender como eles reagem a diferentes situações. 

Entre as funcionalidades do Profiler está a mensuração do nível de energia de um colaborador específico ou da equipe. Os índices são apresentados em um relatório fornecido pelo software. Nele, a gestão de pessoas consegue identificar a disposição do profissional para o trabalho e se ele tem facilidade para lidar com o estresse

Mas por que medir o nível de energia é importante? Considerando que ela é o combustível para o trabalho, quanto maior o índice, maior será a produtividade, não é mesmo? Nesse caso, o Profiler é um aliado do RH para indicar que algo não vai bem com o colaborador.

A partir do relatório produzido pelo software, é possível analisar se o profissional está enfrentando problemas de saúde mental no trabalho. Ainda, se suas atitudes são apenas características natas que refletem seu perfil comportamental. 

Como o RH pode lidar com um colaborador com depressão? 

Ao identificar um colaborador em sofrimento psíquico que seja indicativo de depressão, o RH deve intervir e oferecer ajuda. Para isso, procure investir em ações para promover a qualidade de vida na empresa.

Ademais, programas de incentivo às atividades físicas, parceria com academias ou uso de aplicativos com fins terapêuticos fazem a diferença. Além, é claro, do clima organizacional saudável e do suporte da empresa para enfrentar momentos difíceis. 

Além disso, o RH deve criar meios para que o colaborador possa denunciar abusos de gestão ou comunicar atitudes preconceituosas praticadas por colegas. Nesse caso, oferecer ferramentas para o diálogo sigiloso transmite confiança e mostra como lidar com a depressão no trabalho.  

Essas medidas são eficazes, mas não substituem a necessidade de acompanhamento especializado com profissionais de saúde. A depressão é uma doença crônica e grave que merece cuidados. 

Que ações podem ser feitas para prevenir a depressão no trabalho?

Na área de saúde, costuma-se dizer que “a prevenção é o melhor remédio”. Por isso, evitar que a depressão no trabalho se instale exige planejamento, conscientização e aplicação de ações efetivas para preservar a saúde mental das equipes. Confira o que o RH pode fazer.

Campanhas temáticas

Ações focadas em saúde mental e prevenção direcionam a atenção dos colaboradores para o assunto e alertam sobre os riscos das doenças psíquicas. Assim, promover palestras com psicólogos, espaços de descompressão, momentos de massagem, yoga e relaxamento, entre outras estratégias são fundamentais. Campanhas sazonais, como o Janeiro Branco, também podem ajudar a trazer o tema de uma forma mais natural.

💡Leia também: Como o RH pode apoiar o Setembro Amarelo na empresa?

Treinamentos

Programas de treinamento e desenvolvimento são aliados na promoção da saúde mental. Nesse sentido, potencializar soft skills prepara o profissional para lidar com a tensão e as pressões cotidianas. Desse modo, invista em treinamentos para desenvolver a inteligência emocional e a comunicação não violenta

Apoio psicológico

O RH pode disponibilizar serviços de saúde mental como benefício corporativo para os colaboradores, de forma permanente. Sessões de terapia on-line, por exemplo, são eficazes e devem estar disponíveis não apenas quando o profissional já tem diagnóstico de depressão no trabalho. Colocar as pessoas no centro dos processos é fundamental para a saúde laboral.   

Encaminhamentos específicos

Doenças psiquiátricas podem incapacitar um colaborador e justificar seu afastamento. Caso a depressão seja causada ou agravada pelo ambiente de trabalho, o funcionário será encaminhado à perícia médica para avaliação. Assim, o especialista vai estimar o prazo necessário para a recuperação e o colaborador pode ser afastado pelo INSS. 

Como mencionamos, a depressão no trabalho é um problema grave que não pode ser negligenciado pelas empresas. As organizações precisam estar atentas e disponíveis para ajudar, oferecendo encaminhamento adequado e promovendo medidas preventivas para evitar o adoecimento psicológico.  

Descubra como fazer sua parte baixando o e-book RH e saúde mental: como lidar com colaboradores que precisam de ajuda

Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima