Conheça os dados fundamentais que só o RH pode oferecer

Tempo de leitura: 6 minutos

O setor de Recursos Humanos lida diariamente com informações sensíveis, ou seja, documentos e números que não podem ser divulgados para qualquer colaborador. Dentro desse aspecto, existem dados fundamentais que só o RH pode oferecer. Você sabe quais são?

Antes de aprofundarmos na resposta da pergunta acima, é preciso pensar: por que é tão importante que os dados passados para o RH sejam confidenciais? É simples, assim como em outros campos da sociedade, algumas informações devem ser sigilosas para não causar danos trabalhistas ou até mesmo morais.

Afinal, o setor de RH tem todos os números de documentos dos seus colaboradores, dados de conta bancária, em alguns casos, até de suas famílias, além de valores salariais. Vazar esse tipo de informação pode ser considerado crime, com enquadramento, até mesmo, na nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Por outro lado, obter dados dos colaboradores também é imprescindível na hora de tomar decisões finais, por exemplo, eles podem dizer se o trabalhador têm fit cultural com a empresa. Ainda, auxilia na redução do turnover. Quer entender um pouco mais quais são as informações fundamentais que só o RH pode oferecer? Basta seguir com a leitura!

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Por que somente o RH pode tomar essa decisão?

Como é de amplo conhecimento, o setor de RH é o responsável por realizar a gestão de pessoas dentro de uma empresa. Para tanto, ele reúne um conjunto de técnicas e práticas realizadas pelos profissionais que atuam com a finalidade de gerir comportamentos internos e potencializar o capital humano.

Então, o profissional da área precisa conhecer a fundo todos os pilares da empresa e, obviamente, as particularidades de seus colaboradores. Em uma organização, na qual a diversidade é colocada em prática, por exemplo, saber se uma pessoa é PCD é obrigação para que esse setor atenda às necessidades desse colaborador para que o trabalho pleno seja efetivado.

Por isso, todos os dados sensíveis que rondam a empresa devem ficar dentro do setor de RH. Os profissionais já estão preparados para receber uma série de informações que auxiliarão não apenas nos lucros, mas também no valor humano.

Ao analisar todos esse dados fundamentais para a tomada de decisão, o setor de RH saberá quais são as expectativas daqueles que passarem por seus processos seletivos e se a empresa conseguirá atendê-las.

Quais são os dados fundamentais que só o RH pode oferecer?

Chegamos ao ponto alto desse conteúdo. Agora, listaremos todos os dados fundamentais que só o RH pode oferecer. Reforçamos, mais uma vez, que esse tipo de informação não pode ser repassada para outros setores sem uma avaliação prévia, justamente pela possibilidade de causar danos aos colaboradores e pleiteantes a uma vaga. Confira!

Índice de aproximação da pessoa com a vaga

Um índice de aproximação da pessoa com a vaga pode ser pertinente em várias etapas, desde o processo de seleção e recrutamento até quando um colaborador já está há anos na empresa. 

Essa métrica é realizada após o cruzamento de todos os dados dos colaboradores com todas as vagas disponíveis. Logo, como o profissional de RH tem uma visão macro de toda a empresa, somente o setor conseguirá definir qual o índice de aproximação. 

Após ranquear os maiores índices de proximidade, o setor de RH entenderá se um profissional precisa ser promovido, remanejado ou até mesmo demitido.

Em longo prazo resultará em economia para a empresa, pois esse tipo de informação não é óbvia para o CEO ou para o setor financeiro. Além disso, reajustar colaboradores para as áreas de maior aptidão gera resultados positivos para a companhia e bem-estar para o indivíduo.

Ocorrências

As ocorrências podem ser definidas como parâmetros para tomadas de decisões importantes dentro da empresa. Por meio desse dado, é possível saber se um funcionário não está de acordo com o fit do seu setor ou se não está recebendo o reconhecimento merecido.

Em sua maioria, essas ocorrências podem ser elencadas como Negativas, Neutras ou Positivas. Ainda, serem pontuadas de acordo com o comportamento no ambiente de trabalho, entrega de demandas ou pelo atingimento das OKRs. Ao final, será apresentado um histórico daquele colaborador.

Mas para que o sistema de ocorrências seja efetivo dentro de uma empresa e/ou setor, é preciso criar uma disciplina para que as tabelas sejam preenchidas periodicamente — essa ação deve ser realizada por quem lidera.

Ranking de top performance

O ranking de performance tem como principal objetivo entender quais são os colaboradores que estão melhor performando dentro de uma instituição. Além disso, pode detalhar se há uma padronização da performance ou se existem picos sazonais.

Ainda, o ranking procura entender quais são as pessoas que não estão performando dentro do esperado, apresentando um panorama detalhado de quais são os gargalos, se está ocorrendo com apenas um colaborador ou com a equipe toda.

Dessa forma, o ranking de performance consegue explicar porque um colaborador ou equipe sempre permanece com alta performance e porquê está sempre se destacando em relação aos colegas. O mesmo acontece no cenário contrário, quando a performance está sempre abaixo do esperado.

Contratar errado custa caro

Fazendo uma análise comportamental e demográfica, fica mais claro compreender quais sãos os prejuízos que uma empresa pode ter ao contratar errado um colaborador.

Até mesmo porque uma contratação errônea pode pesar mais no bolso do que se pensa. De acordo com um estudo da Harvard Business Review, 80% do turnover nas empresas se deve à admissão de profissionais inadequados.

Não devemos esquecer de todo o caixa gasto com custos de contratação e com demissões. No Brasil, o prejuízo é alto, pois a lei trabalhista prevê uma série de encargos e multas para efetuar o desligamento de um colaborador.

Nesse caso, além do aspecto financeiro, ao contratar um profissional que não está de acordo com o fit cultural da empresa, pode ocorrer:

  • queda de produtividade;
  • sobrecarga de trabalho;
  • equipes desmotivadas;
  • despesas com treinamentos que não serão aproveitados.

Por fim, é preciso destacar que todos esses dados devem estar centralizados no setor de RH, dessa forma, quando uma análise urgente for necessária, a gestão saberá como proceder.

Agora que você já sabe quais são os dados fundamentais que só o RH pode oferecer, que tal realizar o Profiler para a sua empresa?

0 0 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments