Cultura organizacional: o que é, sua importância e como fortalecer na empresa

Tempo de leitura: 18 minutos

Os hábitos e valores que fizeram sua empresa chegar onde está e que direcionarão os seus próximos passos, consistem em sua cultura organizacional.

Sem tempo para ler? Aperte o play para ouvir este conteúdo!

Geralmente, as pessoas passam a maior parte do seu dia dentro do ambiente empresarial. Essa rotina acaba transformando a empresa em um universo próprio, onde uma cultura organizacional é criada a partir das interações entre seus colaboradores e como a organização evolui a partir desses relacionamentos.

Desenvolver uma cultura é importante por funcionar como uma diretriz que inclui desde a estrutura física da empresa como, a divisão do ambiente, mobília, cores e, vai de encontro a  qual língua ela falará, quais práticas e hábitos são bem vistos, com quais tipos de pessoas ela se relacionará e, qual a resposta que ela espera de seus colaboradores e personas, diante de tudo isso. 

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Para utilizar a cultura organizacional como um diferencial competitivo, é preciso entender bem seu significado e como aplicá-la em sua empresa. Com o objetivo de  lhe ajudar a compreender melhor sobre este conceito, neste artigo, você terá um conteúdo super completo sobre cultura organizacional. Veja os temas que serão abordados:

O que é cultura organizacional?

O conjunto de hábitos, crenças, valores e comportamentos compartilhados na empresa, formam o conceito de cultura organizacional. Essas características criam uma “identidade” na organização, definindo como ela otimizará seus processos e conduzir seus negócios. 

Inicialmente ela se forma pelos valores do seu fundador e, com o tempo, ela se molda através das interações e processos compartilhados por seus colaboradores. 

Uma das grandes referências teóricas da cultura organizacional é o livro “Organizational Culture and Leadership” do psicólogo Edgar Schein. Em uma de suas citações na obra, Schein enfatiza: “a cultura representa para grupos e organizações o mesmo que caráter para indivíduos”.

Quais as diferenças entre clima e cultura organizacional?

Agora, já sabemos que a cultura organizacional é a essência da empresa, ou seja, seus hábitos, valores, política, e comportamentos que regem a organização. Porém, muitos profissionais ainda não sabem a diferença entre clima e cultura organizacional

O clima organizacional é uma espécie de termômetro que medirá o nível de satisfação dos colaboradores de uma empresa em todos os seus aspectos. Por exemplo, o clima organizacional representa como o colaborador se sente em relação a estrutura física da empresa, se está satisfeito com seu equipamento de trabalho, com o plano de carreira, se ele sente que pode crescer dentro da organização, entre outros fatores. 

A maior diferença entre esses dois conceitos é que, o clima organizacional pode sempre ser adaptado e alinhado de acordo com suas necessidades. Já a cultura organizacional dificilmente é mudada, pois, disseminar a cultura na empresa é algo que é feito de colaborador para colaborador, envolvendo hábitos, valores individuais e coletivos, criando uma identidade cultural consolidada.

Qual a importância de contar com uma cultura organizacional?

Cada vez mais, as empresas estão em busca dos melhores talentos para integrarem suas equipes. Acontece que, esses profissionais têm como motivação, quesito fundamental para exercer suas atividades com satisfação e eficiência. Desta forma, a criação de uma cultura organizacional é de extrema importância na atração e na retenção de talentos.

Por meio da cultura organizacional, sua empresa terá um time composto por pessoas  que compartilhem os mesmo ideais, os mesmos valores e princípios. Essa identidade também é importante na definição de aspectos importantes dentro de uma organização como, políticas internas, processos e objetivos coletivos. 

Neste cenário, o papel do RH na cultura organizacional é criar juntamente com as lideranças, o planejamento estratégico da empresa, disseminando conceitos e processos importantes entre os colaboradores. 

O RH 4.0 tende a ser um forte aliado na implementação desses processos por possibilitar a  utilização de recursos tecnológicos inteligentes. Um exemplo, são os softwares que coletam, analisam dados e identificam as características predominantes de cada profissional.

Toda essa tecnologia auxilia no momento do recrutamento e seleção, ajudando na contratação da pessoa certa, que compartilha dos valores da empresa.

Quais as características necessárias na cultura?

Criar uma cultura organizacional sólida consiste em algumas características básicas que auxiliam na sua mensuração. Essas particularidades podem variar de acordo com o modelo de gestão adotado pela organização. Vamos conhecer algumas delas?

Incentivo à inovação

Consiste no grau em que a empresa está aberta a novas ideias vindas de seus colaboradores, em seu dinamismo, na criação de oportunidades e se ela lança novas tendências no mercado. 

Reuniões entre as equipes, premiar novas ideias nos processos da empresa ou criações de projetos inovadores, até mesmo incentivar o uso da velha caixinha de sugestões, são características de uma organização que é inovadora. 

Tolerância ao erro

A competitividade do mercado faz com que as tarefas no ambiente empresarial tenham que ser executadas com mais rapidez. Mas, como sabemos que “errar é humano”, a compreensão de que o erro leva ao aperfeiçoamento em organizações que querem se destacar no mercado, é essencial.

Claro que, é necessário haver um equilíbrio, e o erro não pode ser uma rotina no dia-a-dia da empresa. Mas, uma organização que deseja se destacar no mercado, precisa dar espaço para profissionais que estejam disposto a arriscar e ousar na busca em atingir seus objetivos profissionais e, claro, os objetivos da empresa.

Cuidado com os detalhes

Esta característica se refere à importância do colaborador entregar suas atividades com qualidade e precisão. Estar atento aos detalhes faz parte da cultura de algumas empresas, mas também existem organizações que são menos rígidas quanto a este padrão de trabalho.

Focos nos resultados

Esse fator consiste em empresas que valorizam mais os resultados do que os métodos utilizados para o seu alcance. Ações que não resultam em bons resultados, devem ser repensadas. Gerir seus colaboradores neste sentido, também faz parte de uma cultura organizacional bem desenvolvida. 

Atenção com as pessoas

Valorizar o capital humano da empresa é um fator primordial para o crescimento da mesma. Isso porque, as pessoas são as responsáveis pelas execuções dos processos diários que fazem com que seus objetivos sejam alcançados. Quando o colaborador sente que suas sugestões são ouvidas e seu trabalho é valorizado, ele se sente engajado a dar o melhor de si pela organização. 

Fortalecimento do sentimento de equipe

Por mais que o colaborador tenha que desenvolver suas tarefas individuais, é preciso entender que ele faz parte de um time, e que essa interação traz conhecimento e maior agilidade na realização dos processos.

Uma equipe eficiente deve ser formada de acordo com as competências individuais necessárias para o desenvolvimento das atividades e atingimento das metas. Para que isso ocorra, é necessário por parte dos profissionais de RH, juntamente com os líderes, muita estratégia, objetivos definidos, feedbacks constantes, além de uma comunicação eficaz. 

Quais são os tipos de cultura organizacional existentes?

Ao decorrer desta leitura, vimos que cada empresa possui sua própria essência. Porém, o teórico Charles Handy, determinou a existência de 4 tipos de cultura organizacionais que podem existir nas instituições. Conheça-as:

Cultura de papéis

Se trata de uma cultura organizacional onde cada colaborador tem seu papel bem delimitado dentro da organização. Esse modelo de cultura costuma a ocorrer em empresas bem tradicionais, onde os processos são democráticos e lentos. Empresas que utilizam desse método de trabalho, dificilmente se destacam no mercado, por medo de ousar. 

Além disso, por executarem sempre as mesmas tarefas e com poucas chances de crescimento, seus colaboradores se sentem desmotivados e tendem a produzir menos.

Cultura das pessoas

Este tipo de cultura costuma ser bastante positiva por haver uma relação entre gestão e cultura.  Nesse contexto, o foco é estimular a criatividade, trabalho em equipe, evolução e crescimento dentro da organização. Empresas que aplicam essa cultura têm em mente a gestão de pessoas por entender que elas são as peças-chave que estimulam o crescimento da empresa. 

Por ser uma cultura mais flexível e inovadora, fica mais fácil para seus gestores e profissionais de RH trabalharem a retenção de talentos no ambiente organizacional.

Cultura do poder

Normalmente, este tipo de cultura é aplicada em empresas menores, onde a gestão é bastante centralizada. Pode parecer um modelo de gestão ultrapassado, porém, a cultura do poder é uma das mais adotadas pelas organizações atualmente.

Essas empresas costumam a ter um ambiente de trabalho bastante competitivo, já que, o foco se resume aos resultados obtidos, sendo bastante desgastante para o colaborador, por não valorizar o trabalho em equipe, aumentando a competitividade entre os colegas de trabalho. 

Cultura de tarefas

Como o próprio nome já diz, o foco desta cultura está na realização das atividades. Ela se baseia na contratação de profissionais que tenham bastante conhecimento e especialização nas suas áreas de atuação. Este tipo de cultura também é benéfica aos colaboradores por ser flexível e valorizar a criatividade na resolução das tarefas dos dia-a-dia. 

Além disso, empresas que focam na cultura de tarefas tendem a trabalhar com avaliação de desempenho, o que a possibilita coletar dados e, fornecer aos seus colaboradores autoconhecimento e retorno sobre o desempenho de suas atividades. 

Como definir a cultura organizacional de uma empresa?

Para colocar a cultura organizacional da sua empresa em prática, existem algumas ações e estratégias que podem ser aplicadas, e que facilitarão a sua gestão. O importante é não só conceituar a cultura da sua empresa em documentos mas, seus colaboradores precisam sentir essa “essência” diariamente no ambiente de trabalho. Vamos às dicas?

Estabeleça a missão, visão e os valores

Estes são conceitos essenciais na cultura organizacional de uma empresa. Esse tripé funciona na implantação do planejamento estratégico da empresa para que seus objetivos sejam alcançados de forma eficaz. 

A missão, é a razão pela qual a empresa existe. A visão é onde a empresa deseja chegar em determinado espaço de tempo. Já os valores, se resume no modo em como a organização quer ser vista no mercado e na sociedade.

Além disso, esse conjunto de ideias auxiliam o colaborador a enxergar se a cultura da empresa vai de encontro aos seus objetivos pessoais e profissionais. E isso também vale da mesma forma para seus clientes. 

Converse com os colaboradores

O diálogo é uma ferramenta poderosa para que você se informe sobre como seus colaboradores se sentem em relação a empresa, quais são suas expectativas, se estão motivados, suas sugestões para melhorias, entre outras informações.

Além disso, por meio do diálogo você criará um vínculo maior com seu colaborador e ele confiará e respeitar cada vez mais sua gestão. Invista em reuniões, encontros periódicos e, até mesmo, em happy hours. 

Tenha uma política bem estabelecida

Toda empresa de sucesso precisa ter sua política bem estabelecida para alcançar o sucesso empresarial. Esta política consiste nos principais alicerces da organização, como normas internas que auxiliam como seus diretores e líderes conduzirão seus trabalhos, na forma em que ela lida com seus clientes, fornecedores, produtos e serviços, entre outras diretrizes. 

Trace suas prioridades no relacionamento com os clientes

Sabendo que os pilares de um planejamento estratégico da empresa são a missão, a visão e os valores do negócio, desta forma, a maneira com que você deseja se relacionar com seus clientes devem estar bem explícitas nesses pilares. Esse relacionamento também  deve agregar valores da sua cultura organizacional.

Por isso, o gestor, juntamente com os líderes e profissionais de RH da sua empresa, devem sempre reforçar a cultura na transparência dos negócios com seus colaboradores. Desta forma, é possível manter uma relação próxima e de confiança com seus clientes. O cliente que se identifica com os valores da organização contribui diretamente para os melhores resultados da empresa.

Quais os benefícios de contar com uma cultura forte?

Acredito ao decorrer deste post, você, como gestor, já compreendeu a importância de ter um colaborador satisfeito com a empresa, não só em sua estrutura, mas também com uma cultura que propicia o seu bem-estar. Conheça melhor os benefícios de uma cultura forte:

Maior engajamento

Quando os valores e os comportamentos esperados estão bem claros dentro de uma empresa, e essa cultura valoriza seu capital humano, os colaboradores se sentem mais inspirados em contribuir e disseminar a cultura da empresa até mesmo quando ele está fora dela. 

Retenção de talentos

Uma empresa com seus colaboradores satisfeitos e que disseminam a cultura da empresa, terá um baixo custo com recrutamento, admissão, treinamento e pouca perda de produtividade.

Employer branding

Se a organização consegue atrair, recrutar e reter os colaboradores ideais, através de sua cultura, a realização do plano de negócios da empresa é eficaz, transformando a organização em uma marca empregadora, aplicando o employer branding.

Fit cultural nos processos seletivos

Fit cultural é o termo que se dá a adaptação da pessoa em relação à empresa. Ou seja, se o colaborador contratado possui o perfil comportamental alinhado com os valores da organização, sua cultura se fortalecerá. 

Clima organizacional positivo

Um clima organizacional saudável tem redução na tensão e no estresse diário, pela qualidade do ambiente, liberdade nos debates, diálogos entre as equipes e maior facilidade nos relacionamentos entre colaboradores e líderes.

Como saber se a cultura da minha empresa está forte?

De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria talenses, com 184 profissionais, mais de 63% dos colaboradores conseguem identificar se a empresa no qual trabalham possui uma cultura forte. Desta forma, fica claro que saber se sua cultura organizacional é forte, não é tarefa difícil, mostrando alguns indicadores:

Presenteísmo

O presenteísmo é um fator preocupante no ambiente empresarial. Ele se dá ao fato do colaborador estar presente fisicamente mas, sua mente não está focada na empresa.

Podemos resumir o presenteísmo na insatisfação e falta de motivação do colaborador em relação à organização. Isso se torna um fator preocupante por impactar na sua produtividade, além de contaminar os demais membros da equipe, prejudicando o nível de excelência da empresa.

Absenteísmo

Em um ambiente empresarial, é normal que o colaborador precise faltar em algumas situações como doenças, acidentes de trabalho e, outros fatores garantidos por lei ao profissional. 

Porém, quando essas faltas se tornam frequentes, pode ser um sinal de que as coisas não vão bem com sua equipe. O absenteísmo consiste nesta falta ao trabalho ou atrasos frequentes e, normalmente atinge o colaborador que se encontra sobrecarregado ou insatisfeito com a organização por algum motivo.

Essa baixa produtividade impacta na qualidade da entrega das tarefas e atinge diretamente os resultados da empresa. 

Clima organizacional 

É verdade que, a empresa que não investe em um bom clima organizacional, será impactada pelo presenteísmo e absenteísmo. Colaboradores que não se sentem bem no ambiente de trabalho tendem a faltar com frequência e não se aplicar como deveria em suas tarefas.

O gestor, em companhia do RH e de seus líderes, devem oferecer um ambiente que seja favorável ao crescimento e bem estar de seus colaboradores. Mensurar essa satisfação através de pesquisas de clima organizacional é tarefa importante para uma análise mais estratégica do ambiente. 

O que é uma cultura fraca e negativa?

Uma cultura fraca e negativa é aquela que não existe na prática, ficando apenas no papel. Utilizar da análise dos indicadores que citamos no tópico anterior: presenteísmo, absenteísmo e clima organizacional, é um ótimo ponto de partida para identificar se sua cultura é fraca e tóxica. 

Se após examinar esses tópicos, você identificar que sua cultura organizacional precisa de melhorias, uma dica é propor uma  mudança na empresa, com a ajuda das lideranças e o setor de RH.

Promover a qualidade de vida de seus colaboradores, aplicar feedbacks em equipe e individuais, utilizar do fit cultural no recrutamento e seleção e, se você puder contar com ferramentas de análise de perfil nestas tarefas, mudanças já começarão a surgir. 

Como disseminar a cultura organizacional por toda a empresa?

Treinamentos com colaboradores e gestores 

Mesmo se sua empresa já possui uma cultura forte e um ambiente agradável, treinamentos e palestras podem ajudar no fortalecimento e disseminação da cultura organizacional entre seus colaboradores.

Os treinamentos exaltam os valores da empresa e retém a atenção para determinados assuntos que precisam ser melhorados.

Promova momentos de interação

Áreas de lazer dentro da empresa como mesas de ping-pong, sinuca, vídeo game, entre outras distrações, tornam o ambiente mais descontraído e promove a interação.

Happy hours, comemorações de datas festivas e de metas alcançadas, confraternizações de final de ano, também são investimentos que contribuem para a satisfação de seus colaboradores e disseminação da cultura organizacional da sua empresa.

O que os gestores precisam fazer para disseminar a cultura?

O gestor tem um papel fundamental na disseminação da cultura organizacional. Você como gestor, juntamente com o RH, deve alinhar e apresentar qual o comportamento esperado de cada colaborador da organização de forma que eles possam lidar com maior facilidade diante das situações que surgirão e possam tomar decisões de forma mais eficaz no trabalho. 

Além disso, atualmente, o gestor tem participado ativamente nos processos de recrutamento e seleção, na busca de  profissionais que tenham afinidade com a cultura da empresa, ou seja, seu fit cultural. Um bom gestor deve ter em mente que a contratação certa evitará possíveis dificuldades de adaptação do profissional com os valores e a visão da organização

Outro fator importante no desenvolvimento da cultura pelo gestor é reconhecer e recompensar seus colaboradores. Quando um profissional é recompensado por fazer um bom trabalho ou atingir metas, ele continuará na busca pelos melhores resultados. 

Concluindo, ao decorrer desta leitura, enfatizamos a importância da cultura organizacional e como seu seu papel, na gestão, é primordial na eficácia de sua implantação. Pois, o gestor é responsável por seus colaboradores e por suas experiências na organização.

E quando essas experiências estão relacionadas com o alinhamento da visão e objetivos do profissional com a empresa, e ainda se une a um ambiente que possui um clima agradável de se trabalhar, excelentes resultados virão!

Agora, que você já entendeu sua função como gestor na disseminação da cultura organizacional, não deixe de baixar nosso kit sobre employer branding e tenha uma percepção positiva do mercado em relação à sua empresa!

4 1 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments