Contratação de PCD: conheça o programa de inclusão da Sólides e dicas de como implantar

Tempo de leitura: 12 minutos

Você entende que a contratação de PCD é importante para a sua empresa, mas não sabe como implantá-la?

Ainda, conhece a legislação, mas sabe pouco sobre como acontece a contratação e a inclusão plena de uma pessoa com deficiência? 

Conheça, então, o Programa de Inclusão da Sólides, que tem o objetivo de promover a inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

Essa ação corrobora com o nosso compromisso social de contribuir com a transformação das pessoas por meio do desenvolvimento profissional e pessoal, através das áreas de expertise da Sólides.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Vale destacar que as pessoas com deficiência representam um grande número na população brasileira, e podem sim contribuir com o crescimento das organizações como uma mão de obra qualificada.

Além disso, hoje, o mercado está mais inclusivo e a Lei de contratação do PCD se encontra mais presente.

No entanto, segundo dados do IBGE, em 2017, 24% dos brasileiros eram de pessoas com algum tipo de deficiência e a maioria reportava muita dificuldade em encontrar um emprego. 

Assim, este artigo pretende se aprofundar no Programa de Inclusão da Sólides, na compreensão da importância da diversidade nas empresas e no processo prático de contratação e integração de PCDs. Boa leitura!

Lei de contratação de PCD

Segundo a legislação brasileira, PCDs são pessoas com deficiência, ou seja, com limitações permanentes, de nascimento ou que foram adquiridas em algum momento da vida.

Por esses motivos, precisam de processos adaptativos para a vida em sociedade, em maior ou menor grau. 

Para auxiliar ou motivar esses processos adaptativos foram criadas leis que incentivam a entrada de PCDs no mercado de trabalho, exigindo das empresas uma cota de contratação dedicada a pessoas com deficiência.

Hoje, existem duas leis principais: a Lei de Cotas nº 8.213, de 1991, e o Decreto nº 3.298, de 1999.

Segundo essas legislações, as empresas são obrigadas a apresentar uma cota de contratação de PCD de acordo com a proporção do número de funcionários.

Logo, caso isso não aconteça, a organização pode ser responsabilizada através de multas ou outros métodos. 

Ainda, na contratação, o PCD precisa apresentar um laudo médico ou um certificado de reabilitação profissional, comprovando sua aptidão para o trabalho e para a vaga de cotista.

Já a empresa é obrigada a seguir as regras da CLT, além de algumas especificidades, como flexibilidade de horários, jornada de trabalho, entre outros.

Essas legislações são responsáveis por estruturar uma reparação histórica perante a pesada exclusão que as pessoas com deficiência sofrem no Brasil, principalmente no âmbito do mercado de trabalho.

Mas, por outro lado, elas não apresentam informações específicas de como de fato incluí-los nas empresas e com os outros colaboradores.

Dificuldades de implantar a política de contratação de PCDs

Devido à falta de informações, muitos gestores apresentam dúvidas básicas sobre o processo e, da mesma forma, em alguns momento o setor de RH tem dificuldades para saná-las.

Assim, os responsáveis pela contratação de PCDs, apresentam como os principais desafios:

  • dificuldade de acesso a um banco de currículo confiável ou de verbas para contratar uma consultoria qualificada para a avaliação do currículo de profissionais PCDs;
  • dificuldade de propor e estabelecer vagas de emprego para pessoas com deficiência dentro das empresas, principalmente se considerarmos vagas exclusivas para PCDs;
  • essa segunda dificuldade, pode gerar uma seleção de vagas de empresa para PCDs de baixíssima qualidade, o que ocasiona em baixa atratividade, pouca aderência a esses processos seletivos e atração de uma mão de obra menos qualificada para o determinado trabalho.

Todos esses desafios da contratação de PCD, representam a importância do setor de Recursos Humanos trabalhar estratégias específicas para solucionar esse assunto.

Dessa forma, mais do que cumprir a legislação, a empresa tenderá a ganhar com atração de talentos, retenção e aumento da produtividade. 

Assim, contratação de PCD é mais do que uma contratação, é uma estratégia de produtividade, inovação e diversidade, que tem sua implantação centralizada em estratégias de RH.

Por isso, a Sólides não poderia ficar de fora dessa discussão e na ajuda para esse desenvolvimento tão importante.

Programa de Inclusão da Sólides

A Sólides apresenta um Programa de Inclusão completo. Esta ação perpassa por estratégias de planejamento, recrutamento e seleção, onboarding e integração de time, além da conscientização de todos para o recebimento desses colaboradores da maneira mais colaborativa e benéfica.

Recentemente, a Sólides abriu mais de 200 vagas de emprego para áreas de tecnologia, marketing, inside sales, gente & cultura e administrativo. E todas elas podem ser ocupadas por pessoas com deficiência. Uma grande oportunidade para ingressar na maior HR Tech do Brasil!

No entanto, é preciso ir além do cumprimento da lei e da abertura de vagas para que a inclusão plena seja conquistada e a empresa se alimente de toda a potencialidade das pessoas com deficiência no seu time. 

Por isso, o Programa de Inclusão da Sólides sistematiza todas as etapas e os mais diversos passos para uma inclusão saudável e real.

Além de detalhamentos para o recrutamento e seleção, o programa de inclusão da Sólides apresenta etapas de gestão da diversidade, estratégias e treinamento para manutenção desses talentos, instruções e determinações de responsabilidades junto aos times.

Tudo com o intuito de fortalecer a diversidade e qualificar ainda mais o time da empresa. Afinal, sabemos que a inclusão de PCD faz parte dessa solidificação e acreditamos que investir nas pessoas e em sua integração é essencial nesse processo.

Benefícios da diversidade nas empresas

A partir do Programa de Inclusão da Sólides, o passo a passo para a contratação de PCD torna-se cada vez mais natural na cultura organizacional da empresa.

A inclusão de PCD é um sistema “ganha-ganha” (e ganha), pois contribui para os três agentes envolvidos: as pessoas com deficiência, a empresa e o país, ajudando a combater a desigualdade e a exclusão social.

Para as pessoas com deficiência podemos pensar em um desenvolvimento pessoal e social, benefício este que a inclusão social, através do mercado de trabalho, consolida fortemente. 

No caso das empresas, também teríamos uma lista grande de benefícios desta política de inclusão de PCD. Dentre as vantagens para o seu negócio, podemos citar que a contratação de PCD promove:

  • melhoria na qualidade do ambiente de trabalho, transformando-o em um espaço inovador;
  • construção de orgulho e pertencimento de todos os colaboradores em relação à empresa, o que ajuda a construir a marca empregadora do negócio, na qual os funcionários são os porta-vozes da atração de talentos;
  • aumento da produtividade e da motivação dos trabalhadores;
  • troca de experiências de vida e de trabalho extremamente enriquecedoras, o que contribui para mais criatividade e inovação nos trabalhos;
  • aumento da diversidade com a construção de uma gestão humanizada que prioriza o capital humano, a principal engrenagem de qualquer negócio;
  • a empresa ganha um papel na contribuição para a diminuição do preconceito e da discriminação dos PCDs no país;
  • melhoria na acessibilidade geral da empresa, tanto no sentido estrutural quanto no social, de maior absorção das diferentes características dos colaboradores.

Estratégias para contratação de PCD

Para construir todos esses benefícios da contratação de PCD na sua empresa, o processo não pode ser feito de modo isolado na organização, sem critérios ou estratégias.

Como já conversamos, é central para a inclusão de PCD que o setor de RH e os gestores/lideranças estejam alinhados para esta contratação. 

Além disso, é preciso considerar dois momentos para o processo de inclusão das pessoas com deficiência:

  • a etapa de recrutamento e seleção, responsável pela inserção da PCD no mercado de trabalho;
  • e a etapa de onboarding, responsável pela concretização da integração e da inclusão desses colaboradores.

O Programa de Inclusão da Sólides trabalha esses dois momentos. Assim, é importante pontuar algumas estratégias a serem organizadas na sua empresa para que a contratação de PCD seja positiva.

Planejar um processo de Recrutamento e Seleção inclusivo

O processo de recrutamento e seleção deve ser inclusivo não apenas no foco da contratação de PCD, mas também na forma como o processo será estruturado.

Este cuidado garante a atração e a contratação de talentos no âmbito de PCD na sua empresa.

Para tanto, será importante seguir as seguintes dicas:

  • adeque as exigências da vaga para a restrição do funcionário e organize um processo de acordo com a demanda, para que o colaborador seja coerente com o trabalho. Esses alinhamentos são importantes para manter a qualidade de contratações na empresa e evitar situações constrangedoras para ambos os lados; 
  • garanta um processo seletivo acessível, ou seja, disponível em formatos alternativos ou coerente com as PCDs foco da vaga. Isso é importante para estabelecer uma relação de respeito e de inclusão logo de cara com o colaborador recrutado. Não se esqueça: se a entrevista for presencial, marque em um local acessível e pense no deslocamento desse candidato;
  • descreva claramente as qualificações e exigências da vaga disponibilizada para pessoas com deficiência. Além disso, é importante também deixar claras as acessibilidades que o local de trabalho apresenta e o cuidado estrutural da empresa com a PCD;
  • escolha vagas em setores estratégicos em relação à diversidade. Priorize times que valorizem a inclusão, a diversidade e apresente gestores engajados em relação a esse processo. Isso vai ajudar bastante na inclusão completa após a contratação;
  • revise as estratégias padrão de entrevista com antecedência. Lembre-se que são colaboradores com características específicas de sociabilidade e de trabalho. Por isso, a condução das perguntas deve ser diferente e priorizar o entendimento das limitações da PCD, suas autonomias e processos de trabalho; 
  • tome cuidado com suposições e perguntas negativas. Cuide para se informar ao máximo sobre as necessidades e potencialidades do candidato, mas sem julgamentos e constrangimentos.
contratacao-de-pcd

Onboarding: realizando a integração dos PCDs nas empresas

E depois da contratação, o que fazer? Essa é uma pergunta essencial, pois a contratação PCD não garante integração e inclusão plena.

Logo, é preciso entender que, após o processo de Recrutamento e Seleção de PCD, os gestores e o RH permanecem como protagonistas no processo de onboarding desses novos colaboradores.

Neste momento, esses dois personagens devem trabalhar de forma mais próxima: orientando, auxiliando e esclarecendo dúvidas de todos os colaboradores, os recém-contratados e o time que irá recebê-los.

Nesse sentido, deve ser constante a busca por uma gestão humanizada, o que inclui: ações do departamento de RH para fornecer conhecimento sobre inclusão, ajuda mútua, participação, comportamento etc.

Lembre-se que é importante conter na cultura organizacional da empresa princípios como igualdade e respeito, e essa tem que ser constantemente divulgada e alimentada dentro da empresa.

Mais do que essas questões qualitativas, alguns procedimentos burocráticos devem também ter mais atenção do setor de RH, por exemplo, é muito importante manter um bom controle da jornada de trabalho das pessoas com deficiência, já que apresentam especificidades em suas regras.

No sentido da integração, é preciso pensar em duas estratégias macro. A primeira é que a acessibilidade no ambiente de trabalho tem que estar garantida. Caso não esteja, deve ser providenciada.

Um ambiente de trabalho adequado é o mínimo que uma PCD precisa para se sentir incluída.

A segunda é a integração do time. Preocupe-se em propor atividades de sensibilização, treinamento e integração dos líderes e de todos os colaboradores. Promova dinâmicas para proporcionar relacionamentos saudáveis e diversos.

Conclusão

Aqui, foi possível entender que para uma contratação de PCD ser eficiente e benéfica para colaboradores e empresa é necessário se atentar às regras da legislação, ao recrutamento e a seleção direcionado a esse público e ao processo de integração social e estrutural dos colaboradores PCD.

Lembrando que orientando-se por essas etapas, você e sua equipe conseguirão implantar a contratação de PCD de maneira mais justa e eficiente na sua empresa.

Gostou deste conteúdo? Então aproveite para aprender mais sobre como estruturar um processo de Recrutamento e Seleção.

Baixe o e-book Guia Completo de Contratação, leia e consulte sempre que precisar. É gratuito!

contratacao-de-pcd
0 0 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments