Como montar equipes vencedoras com uma gestão de pessoas eficiente?

Tempo de leitura: 12 minutos

O que diferencia uma equipe de alta performance das outras? Além de ser um grupo de trabalho que evoluiu muito, ele é reconhecido pelas suas habilidades de negociação, visão estratégica do negócio, diversidade e interdisciplinaridade, comunicação e gestão de conhecimento. Enfim, são várias as características que formam uma equipe vencedora.

O fato é que, por trás de todas essas habilidades, existe uma gestão de pessoas eficiente. Sim, o trabalho do RH é determinante no sucesso dos profissionais atuantes em uma organização. Mas qual é o segredo para a eficácia desse setor? Neste artigo, ensinaremos você a identificar as necessidades da equipe, como treiná-la e também como a cultura do feedback pode ajudá-lo. Confira!

Conheça as necessidades da equipe

O primeiro passo para a gestão de pessoas eficiente é conhecer as características e as necessidades de aprimoramento da equipe, entender as individualidades e também como funciona a parceria do grupo. Por isso, é muito importante realizar algumas ações, que descreveremos melhor nos tópicos a seguir. Acompanhe!

Realize uma pesquisa de clima organizacional

pesquisa de clima organizacional é uma grande aliada do setor de RH, pois é a partir dela que você conseguirá enxergar os pontos fortes e fracos da empresa e melhorá-los. Como trata-se de um processo, vale a pena seguir algumas etapas para garantir a eficácia dessa análise. Sendo assim:

Identifique o objetivo da pesquisa

O que os gestores querem saber com a pesquisa? Quais são as necessidades que o grupo apresenta? Quais serão as atitudes tomadas a partir dos resultados? Responder essas questões nessa etapa inicial é muito importante.

Comunique sobre a pesquisa

Os colaboradores precisam estar cientes sobre a pesquisa que será realizada, bem como quais são os objetivos dela e os benefícios que trará para o ambiente interno. Isso cria maior engajamento dos profissionais na hora de responderem o questionário.

Elabore um questionário preciso

Tanto questões qualitativas quanto quantitativas podem ser utilizadas no questionário, que deve estar pautado na realidade organizacional. Lembre-se de que o formulário precisa ser anônimo e de que todos dados devem ser compilados para só depois serem analisados.

Levante as necessidades de treinamento junto aos gestores e líderes

A área de treinamento e de desenvolvimento precisa estar em sintonia com todos os outros setores da organização. Sendo assim, o RH deve estar em constante contato com os gestores e líderes para saber quais são as necessidades de suas equipes.

O levantamento pode ser feito por diferentes meios, entre eles:

  • entrevistas;
  • avaliações técnicas;
  • relatórios;
  • observação.

A partir disso, será possível estabelecer uma cultura de aprendizado mais eficaz, visto que os treinamentos serão direcionados exatamente para aqueles pontos que precisam de melhorias. Consequentemente, a empresa faz uma economia e consegue alinhar os seus objetivos com as competências inerentes aos profissionais que ali atuam.

Vale ressaltar que o processo de levantamento precisa ser contínuo. Afinal, as exigências do mercado fazem com que a empresa precise sempre se atualizar para manter a alta competitividade.

Avalie o desempenho de colaboradores

Fazer a avaliação de desempenho do colaborador é uma das principais ferramentas para conhecer o profissional que está atuando internamente e como os seus pares veem a performance dele. Por essa razão, existem várias opções de avaliação de desempenho, como as técnicas de 180º e 360º.

O interessante é que, por meio delas, os gestores podem conhecer até mesmo como o funcionário vê o seu próprio trabalho, com uma autoavaliação. É a junção da percepção individual e coletiva que faz com que o gestor tenha uma visão mais ampla da equipe e também das necessidades que ela apresenta.

Saiba se comunicar

A comunicação é a chave do sucesso para qualquer gestor que deseja entender melhor a sua equipe. É por meio dela que ele conseguirá dados mais fiéis em todos os tópicos que apresentamos anteriormente: pesquisa de clima organizacional, levantamento da necessidade de treinamento e avaliação de desempenho de colaboradores.

Por isso, o líder deve sempre manter um diálogo aberto com a sua equipe e sempre solicitar a eles que ajudem no processo de construção de uma organização melhor. Não deixe de observar as atitudes, elas também revelam muito sobre os pontos que demandam atenção.

Tenha um plano estratégico

Conhecer as necessidades da equipe é essencial, mas saber o que fazer com elas é ainda mais importante. Nesse momento, o planejamento estratégico da empresa entra em cena. O gestor precisa saber que todas as decisões devem ser embasadas em dados concretos, daí a importância do planejamento.

É por meio dele que será possível estabelecer e priorizar as informações importantes, aprimorar as práticas diárias e alinhar quais serão as estratégias prioritárias. Aliás, é nesse documento que você planejará toda a ação da equipe para que ela se torne vencedora.

Desenvolva e treine

As boas práticas de desenvolvimento e treinamento são determinantes para o sucesso de uma equipe. No entanto, muitos gestores confundem os dois conceitos, que devem ser destacados individualmente para que os resultados obtidos com eles sejam mais eficazes.

O desenvolvimento se caracteriza por ser um processo que visa o crescimento de um indivíduo. A ideia é preparar o profissional para que no futuro ele possa enfrentar diferentes situações por meio de soluções criativas e estratégicas. Ele é utilizado principalmente quando há modernização de procedimentos produtivos.

O treinamento, por sua vez, é quando a empresa prepara os indivíduos a fim de que eles adquiram habilidades que ainda não tenham, como competências técnicas para um cargo de gerência, por exemplo. Ele é especialmente utilizado quando novos colaboradores entram para o quadro de funcionários, mas também quando novidades precisam ser inseridas e os profissionais ainda têm as competências necessárias para atender à organização.

Para garantir a eficácia tanto do treinamento quanto do desenvolvimento, é importante tomar algumas atitudes decisivas que ajudarão a equipe a atingir seu potencial máximo. A seguir, apresentamos algumas das principais.

Estabeleça as funções

Na expectativa de ter um crescimento acelerado, algumas empresas delegam muitas funções a um mesmo funcionário. No entanto, esse comportamento não é o ideal em um cenário corporativo de sucesso. O colaborador deve ter clareza sobre qual é o seu trabalho de fato e no que ele pode contribuir para o crescimento da organização.

O acúmulo de cargos pode gerar uma confusão, visto que o profissional não conseguirá executar com excelência apenas uma coisa, já que o seu foco estará disperso. Portanto, antes de fazer os treinamentos e processos de desenvolvimento, é fundamental entender quais são as reais necessidades para os cargos predeterminados pela organização. Isso ajudará no planejamento e na eficácia de execução desses programas.

Invista em treinamentos e desenvolvimentos presenciais

Apesar de o e-learning ter crescido bastante nos últimos anos — sendo uma alternativa para que um número maior de pessoas consigam participar dos programas de treinamento e de desenvolvimento —, para unir uma equipe, o melhor é investir nos cursos presenciais. Isso porque o colaborador tem a oportunidade de compartilhar experiências com outros profissionais, ajudando no alinhamento do time.

Existem outras vantagens de adotar esse método, entre elas estão: o feedback instantâneo, a exploração mais ampla do assunto e a criação de um relacionamento mais próximo entre os instrutores e os profissionais que participam do processo.

Tenha um foco

Cada equipe tem as suas necessidades e elas precisam ser conhecidas, como mostramos no capítulo anterior. É a partir desse aprendizado que será possível focar nas ações de treinamento e de desenvolvimento, garantindo ao grupo o recebimento de instrução sobre as lacunas que apresenta, com objetividade e clareza.

No mercado há uma série de treinamentos nos quais a empresa pode se basear:

  • liderança;
  • produtividade;
  • comunicação;
  • relacionamento interpessoal;
  • estratégia.

Sabendo disso, a organização tem como embasar todo o seu planejamento estratégico. Consequentemente, além de maior alinhamento do treinamento ou desenvolvimento, a empresa consegue atingir diretamente o ponto que precisa para que a equipe tenha uma atuação melhor.

Proponha desafios

Aqui, falamos de metas ousadas e não daquelas impossíveis. Propor desafios à equipe ajuda a ampliar a visão e a criar um progresso com mais propriedade, pois tira os colaboradores da sua zona de conforto. Isso é especialmente importante nos momentos de treinamento e de desenvolvimento, pois, mesmo que o time não consiga resolver uma situação prontamente, poderá aprender qual é o melhor caminho a seguir.

O desafio faz com que os profissionais também busquem conhecimento qualificado e interajam com os colegas para pedir ajuda. Além disso, a criatividade se torna mais aguçada diante do novo, o que pode trazer resultados bastante positivos para a organização.

Recompense a equipe

O treinamento e o desenvolvimento só são eficazes quando a equipe vê os resultados do seu trabalho acontecerem e é reconhecida por isso. Afinal, do que adianta as metas desafiadoras, se esforçar para inovar, se os colaboradores não recebem nada em troca? Isso é desmotivador.

Logo, se o objetivo é formar um grupo vencedor e que traz ótimos resultados para a organização, é preciso cercá-lo de benefícios — bônus financeiros, flexibilidade, equilíbrio entre vida pessoal e profissional etc. Isso serve até mesmo na hora de reter os talentos, que se sentem mais “à vontade” em permanecer na companhia que reconhece o valor do seu trabalho.

Crie a cultura do feedback

O feedback nada mais é do que o retorno do gestor para com os seus liderados e vice-versa, visando o aperfeiçoamento dos indivíduos na organização. Apesar do conceito simples, implementar a cultura do feedback exige que os líderes tenham conhecimento de ações que são fundamentais para garantir o bom resultado dessa prática — que listaremos neste tópico.

Mas antes, estes são alguns dos benefícios da cultura do feedback:

  • alinhamento das expectativas: a avaliação direciona melhor o colaborador segundo os objetivos da companhia, alinhando as expectativas entre ambas as partes;
  • maior engajamento: uma equipe engajada e motivada é formada por meio de feedbacks construtivos. Ela depende diretamente do retorno dos gestores para direcionar o trabalho e torná-lo mais produtivo;
  • aprimoramento profissional: o feedback serve, ainda, para ajudar os funcionários a crescerem profissionalmente, saberem em que pontos podem melhorar e também em quais devem continuar trabalhando.

Agora, vamos às dicas para realizar um feedback adequado. Confira!

Prepare-se para o feedback

O maior erro que um gestor pode cometer é não se preparar para oferecer o feedback ao colaborador. Isso pode gerar retornos não eficazes, vazios em argumentação e ainda mais dúvidas na cabeça do funcionário.

Portanto, antes de fazê-lo, procure refletir sobre os pontos principais a serem relatados na conversa, observe como eles geram impacto na equipe. Nesse momento de preparação, vale a pena também treinar a maneira como falará, o tom de voz que vai utilizar — tudo isso é determinante para o sucesso da empreitada.

Seja claro

Um dos aspectos mais importantes do feedback é a clareza com a qual ele é oferecido. Ele precisa ser construtivo, e não uma crítica. Logo, além de apresentar o problema, o gestor deve também vir com uma solução em mente.

Isso cria no colaborador uma ideia de auxílio. Ou seja, ele consegue enxergar melhor os pontos que precisam ser aperfeiçoados, pois recebeu um direcionamento eficaz por parte do seu líder. Por isso, lembre-se sempre: clareza em primeiro lugar!

Aprenda a ouvir

A equipe também precisa falar, logo, aprenda a ouvir. Muitas vezes, o problema pode estar nessa falta de comunicação. Portanto, reserve no momento do feedback um espaço ao colaborador para que ele possa se expressar.

O diálogo entre as partes ajuda até mesmo a construir uma solução para o problema e a criar um compromisso de melhoria conjunta. Ou seja, o gestor será mentor do grupo no processo de fortalecimento dele, fazendo com que cada membro saiba quais são as suas potencialidades.

Reforce o autoconhecimento e o crescimento profissional

Por meio do feedback, o colaborador tem a chance de reconhecer atitudes que têm impacto no dia a dia do seu trabalho. Isso quer dizer que, ao estimular essa ação, o gestor contribui para o autoconhecimento e ajuda o profissional a crescer.

Por essa razão, o feedback precisa ser uma prática constante dentro da organização. Quebre a resistência do colaborador, fale sobre as suas qualidades e mostre o caminho pelo qual ele terá ainda mais sucesso.

Finalize o feedback corretamente

A finalização deve ser um reforço de tudo o que foi dito anteriormente. Por isso, passe pelos pontos negativos e positivos, pelas ações a serem tomadas, pergunte sobre as dúvidas existentes e ressalte a importância do papel daquele funcionário para a equipe.

Além de organizar o pensamento e tudo que foi passado durante o feedback, isso ajuda o colaborador a ter mais clareza sobre quais são os pontos mais importantes do processo.

A competição por um lugar de destaque no mercado tem se acirrado entre as empresas. Cada vez mais elas têm procurado aperfeiçoar os seus processos internos e, entre eles, a gestão de pessoas. É por meio dela que se constrói uma equipe vencedora.

Treinar e desenvolver o grupo, saber quais são as necessidades dele e também dar feedbacks construtivos são pontos importantes de uma equipe que se destaca. Por isso, siga as nossas dicas e construa um time forte e engajado.

calculadora-produtividade

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of