Como inovar em sua consultoria?

Tempo de leitura: 11 minutos

Está sem tempo para ler? Experimente ouvir a narração deste artigo. Aperte o play!

Não importa a área na qual você atua — hoje, a demanda é por inovação. O ramo de consultoria, em especial, está mudando, e rápido! O público em geral e o mercado de B2B exigem consultores que saibam inovar cada vez mais, em linha com novas tecnologias e com soluções que, além de mais baratas e dinâmicas, utilizem novidades que têm sido consolidadas nos últimos anos. Mas como inovar em sua consultoria?

Não importa em qual segmento você está — contábil, ambiental, jurídico, comunicação, marketing — clientes querem novas ferramentas e tecnologias em uso e serviços que respondam às necessidades e tendências em suas indústrias. Mas não se desespere. A figura da consultoria, ou seja, da empresa que vende conhecimento e know-how para o mercado, é hoje algo muito mais difundido do que décadas atrás.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Grandes corporações já atuam com dezenas ou centenas de consultorias, que têm por objetivo otimizar seus processos internos, melhorar sua imagem para o mercado, resolver questões e problemas existentes em estruturas que estejam fora de seu escopo de atuação e por aí vai.

O mercado para bons consultores cresceu e não há qualquer sinal de que ele vá retroagir durante os próximos cinco, dez anos ou mais. Contudo, atualmente, a demanda é diferente: com tantos concorrentes no mercado, empresas que contratam serviços de consultoria têm exigências diversas e buscam diferenciais fortes antes de definir seus fornecedores. 

Nesse cenário, você tem duas únicas alternativas: inovar ou ser apenas mais um em meio à multidão. Então, se quer se tornar referência neste mercado, continue a leitura!

O que é consultoria? 

Com o objetivo de levantar as necessidades do cliente e indicar melhorias, a consultoria nada mais é que um serviço prestado por um profissional ou empresa de determinada área para outro profissional ou corporação. 

O levantamento é feito por meio de diagnósticos e processos, identificando soluções para o consultor desenvolver, implantar e viabilizar o projeto, com o intuito de aprimorar processos já executados pelo cliente e, consequentemente, na tomada de decisões. 

Em um momento em que o mercado se encontra cada vez mais competitivo, a consultoria se torna uma estratégia de sobrevivência para profissionais e empresas, pois se trata de um serviço que diminui as chances de falha nos processos, dada a experiência, tanto teórica quanto prática do consultor ou empresa de consultoria contratada. 

É importante ressaltar que a consultoria não trabalha somente em prol da resolução de problemas, mas sim em trazer inovações digitais e organizacionais para os empreendimentos, ampliando sua competitividade no mercado. 

Como se tornar um consultor?

Para ser um consultor, a pessoa precisa ter, antes de tudo, conhecimento e habilidade em sua área de atuação. Além disso, como requisito básico, ele deve ser um profissional analítico e com postura ética. 

O consultor também precisa ser um profissional criativo, para criar projetos estratégicos, únicos e personalizados. Ainda, é fundamental que ele esteja sempre atento às tendências do mercado do seu público, para que saiba inovar na consultoria, saindo na frente perante a concorrência. 

Para tanto, o serviço pode ser externo — autônomo ou de uma firma de consultoria — ou interno — profissional que agrega o time. De uma forma ou de outra, ele deve, antes de tudo, estar ciente da política da empresa, dos objetivos e processos realizados em sua rotina para trazer um diagnóstico preciso.

Ainda, o consultor tem que sempre fazer networking, participando de eventos, como palestras e workshops, buscando as melhores oportunidades de oferecer seu trabalho e conquistar novos clientes. 

Benefícios

Por trabalhar com projetos, a consultoria permite que o profissional tenha uma rotina diversa, com desafios distintos, sem ter que fazer a mesma coisa sempre. Além disso, o consultor pode fazer seu próprio horário de trabalho e, até mesmo, atuar em regime de home office, com atendimento online. 

Uma outra vantagem em ser consultor é que, independentemente da área de atuação, ele sempre terá contato com empresas de segmentos diferentes, o que possibilita a esse profissional agregar cada vez mais habilidades e conhecimentos sobre diversos setores, valorizando ainda mais seu currículo e aumentando seu diferencial no mercado. 

Dicas para inovar

Agora que já vimos mais sobre o consultor, de que forma ele atua e quais os benefícios da profissão, confira algumas dicas de como inovar em sua consultoria e se destacar no mercado.

Explore buracos dentro de segmentos específicos

A velocidade do avanço tecnológico produziu, e continua a produzir, lacunas dentro de áreas específicas de atuação de consultoria que dificilmente são preenchidas, mesmo por empresas que já atuam no setor. Alguns exemplos são fáceis de detectar:

  • segmento jurídico: aspectos legais relacionados à propriedade intelectual na web ainda são nebulosos e pouca gente os domina. O mesmo ocorre com a validade de documentos e negócios fechados ou firmados por meios digitais;
  • segmento contábil: a internet permitiu que empresas pequenas ampliassem sua atuação e passassem a comercializar produtos e serviços em nível mundial. Contudo, os dispositivos tributários e contábeis dessa atuação ainda são uma incógnita para boa parte do mercado — incluindo empresas de contabilidade tradicionalistas;
  • segmento de comunicação: a repercussão e a eficácia de novas mídias, nos campos da comunicação e do marketing, a cada dia mostram novas facetas, que deixam de ser acompanhadas por muitos profissionais da área;
  • segmento de engenharia: além das novas tecnologias em si, algumas possibilidades, como a impressão 3D e o uso de nanotecnologia em diversas áreas da engenharia ainda levantam dúvidas;
  • segmento ambiental: novas necessidades e uma visão diferenciada do público em relação ao meio ambiente têm sido acompanhadas na web e redes sociais. Logo, empresas hoje precisam, em geral, de uma visão diferenciada em seus projetos, desde etapas iniciais, como a formulação de estudos de impacto até o relacionamento com stakeholders, como governos locais e comunidades.

Do ponto de vista de quem comercializa conhecimento, como ocorre com sua consultoria, quanto mais pontos nebulosos o mercado oferecer melhor — cada um deles representa uma possibilidade de diferenciação e formação de expertise única por parte de sua empresa, que deve ser explorada sempre que possível.

Foco no relacionamento, e não na receita

Hoje, consultorias são demandadas por empresas não apenas para serviços pontuais: profissionais com expertise específica e em constante evolução são colocados praticamente como parceiros no crescimento de seus clientes.

Logo, para figurar nesta posição, é preciso focar seus esforços no relacionamento, e não na produção de receita imediata. Inovar significa criar novas maneiras de abordar um problema — e os problemas de seus clientes não ocorrem apenas dentro do horizonte de um contrato de consultoria, na verdade, eles são diários.

Consultores dedicados e sempre ao alcance de seus parceiros e clientes serão uma tônica no setor daqui por diante. A inovação, nesse caso, entra nas maneiras com as quais você é capaz ou não de oferecer esse suporte integral para seus contratantes.

Tecnologia para otimizar custos

Os custos de consultorias ou de overhead, muitas vezes, não são relacionados à entrega do serviço em si. Eles incluem despesas diversas com viagens, gastos pessoais, refeições, transporte, hospedagem e muito mais.

Sendo assim, é preciso inovar para enxugar esses custos e, além de reduzir despesas desnecessárias para seus clientes, intensificar os lucros sobre seu domínio intelectual. Consultorias realizadas de modo remoto, reuniões online em live streaming, dispositivos de mensuração e acompanhamento que produz métricas remotamente, tudo isso são investimentos que, no longo prazo, tendem a exterminar overhead indesejáveis.

Em uma situação ideal, uma consultoria estabelece o preço por seu know-how e o cliente paga para receber esse conhecimento, logo, quanto mais você inovar no sentido de excluir custos não relacionados à sua área de expertise, mais eficiente será em relação ao mercado e concorrentes.

Estruturas flexíveis

Esqueça as consultorias com centenas de analistas e especialistas da década de 1990. Hoje, sua equipe precisa ser do tamanho dos projetos que você está desenvolvendo. Cada vez mais, analistas e consultores independentes migram para o mercado freelance, atuando em projetos individualmente e sendo contratados “on demand” por consultorias relacionadas à sua área de expertise.

Sendo assim, é preciso inovar em seus métodos e também em gestão de mão de obra e talentos. Consultores, por mais geniais que possam ser, apenas são úteis quando existem projetos que estejam demandando suas especialidades e conhecimentos.

A flexibilização da estrutura de pessoal permitirá a você não apenas reduzir custos trabalhistas e outras despesas indesejáveis, mas também atuar em um número de projetos infinitamente maior do que o que uma equipe “in loco” faria. Em outras palavras, inovar na estrutura tornará sua consultoria escalável.

Captação de clientes

Foi-se a época da consultoria por indicação. Hoje, é preciso inovar também em sua captação de novos clientes e projetos, utilizando sistemas de CRM, funis de venda e todo tipo de plataforma online que facilite a geração de novos leads e a prospecção de forma automatizada.

Para tanto, é necessário inovar dentro da sua área de expertise. A internet oferece possibilidades de validação de sua autoridade e domínio nos setores em que atua de forma consultiva por meio da produção de conteúdo especializado e de qualidade. 

Logo, sua consultoria deve atuar de forma pró-ativa na web, com seus consultores e especialistas difundindo as áreas de conhecimento e atuação de seu negócio. Como? As possibilidades são inúmeras:

  • posts em blogs especializados e sites do setor;
  • criação de perfis e páginas em mídias e redes sociais, com veiculação frequente de informações e notícias;
  • análises e comentários realizados por especialistas em vídeo, podcasts e artigos para o segmento;
  • sequências de e-mail que mantenham interessados em sua área de expertise sempre em linha com o conhecimento produzido por você;
  • ferramentas de comunicação para solução de pequenas dúvidas e questões para geração de leads;
  • inclusão de perfis de consultores em redes, como o LinkedIn;
  • disponibilização de analistas e consultores para entrevistas em revistas digitais e blogs de repercussão.

A internet tem uma vantagem clara na geração de leads — tudo nela pode ser medido. 

Oferecendo conteúdo de forma constante na web, você não apenas faz “propaganda” a respeito de sua consultoria, mas também é capaz de inovar no próprio serviço que oferece, identificando tendências específicas, detectando problemas recorrentes nos setores em que atua, definindo linhas de pensamento e metodologias para seus trabalhos consultivos e verificando focos de demanda e nichos de atuação em tempo real.

Inovação visível

Não basta inovar no segmento consultivo, seu cliente precisa ver essa inovação. Os sistemas e métodos que você utiliza para desenvolver os projetos para sua clientela precisam não apenas empregar novas tecnologias e inovações do segmento, mas também mostrar a seus clientes o uso dos mesmos como seu diferencial em relação ao mercado.

Com o tempo, inovar será não apenas algo que você fará para melhorar seus processos, será também uma característica visível de sua empresa em relação às demais. Toda inovação ou nova tecnologia somente é compreendida pelo mercado quando clientes e o público em geral são capazes de enxergar essa inovação e entender sua utilidade e necessidade para que eles atinjam suas metas e objetivos.

Portanto, inove sempre à frente dos olhos do cliente, mostrando que sua consultoria é capaz de agir de forma mais dinâmica e flexível do que seus concorrentes e, ainda, que oferece respostas a problemas à medida que eles surjam.

Em um mercado que passa cada dia mais por transformações, ao saber como inovar em sua consultoria, acompanhando as mudanças que ocorrem nos diversos segmentos empresariais, o consultor sempre se manterá diferenciado e nunca ficará estagnado.

Há mais passos a seguir para inovar? Claro que sim… a inovação é um processo em constante movimento, ela não para. Mas seguir os próximos é por sua conta. Afinal, é hora de você inovar, não é mesmo?

4.4 9 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
LEONARDO NOGUEIRA DE AQUINO
LEONARDO NOGUEIRA DE AQUINO
1 ano atrás

Quase 3 anos depois o artigo ainda é extremamente atual, parabéns pela assertividade!!

Diogo Silva do Nascimento
Diogo Silva do Nascimento
1 ano atrás

É um tema bastante amplo e que nunca terá fim, pois INOVAÇÃO é o mecanismo fundamental para manter o Mercado e/ou Mundo em movimento.

Giuliano Sales
Admin
1 ano atrás

Sim, Diogo.
É realmente uma questão contínua, sempre precisando acompanhar as tendências do mercado.

MARIA ALICE COELHO STRAATMANN
MARIA ALICE COELHO STRAATMANN
1 ano atrás

Perfeito. Gostei muito do artigo. Claro, esclarecedor e bem objetivo.

Giuliano Sales
Admin
1 ano atrás

Olá, Maria Alice. Tudo bem?
Muito obrigado pelo seu feedback.
Esperamos seguir oferecendo novos conteúdos que sejam do seu agrado, não deixe de nos acompanhar.
Abraços.

Kelly Cristina dos Reis de Paula
Kelly Cristina dos Reis de Paula
1 ano atrás

A Inovação é um tema constante em nossa profissão e quem não inova fica para traz,então o tema será atual..

Giuliano Sales
Admin
1 ano atrás

Concordamos muito com você, Kelly!
Atualizarmos sempre!

GerosinaTeixeira Santos
GerosinaTeixeira Santos
1 ano atrás

Acredito que muitas vezes, apresentamos um potencial criativo e acreditamos numa inovação, mas realmente é preciso identificar com clareza esses aspectos apresentados de diferenciação entre criatividade e inovação. A insegurança, o medo de arriscar, a falta de informações e até de recursos, fazem um projeto ou negócio se estagnarem e aí que deve entrar o fator Inovação. Gostei quando li que muitas vezes tudo começa de um insigth lá do inconsciente. E nesse aspecto, destaco que é muito importante também trabalhar com o incentivo e a auto estima de todos os envolvidos para que haja um estímulo suficiente para a… Read more »

Giuliano Sales
Admin
1 ano atrás

Olá, Geronina. Você está coberta de razão.
De fato, as incertezas da vida nos deixa apreensivos em mudarmos ou tentarmos algo de diferentes. De certo modo, fomos ensinados a não errar e não aceitamos correr riscos muito por conta do medo de sermos falíveis. Não há perfeição quando não há tentativa de fazer e, nisso, é comum que aconteçam erros e acertos. Muito obrigado pela sua contribuição, o professor Salermo é uma inspiração.
Continue nos acompanhando e, sempre que puder, nos deixe um feedback. Ele é fundamental para nosso crescimento!
Abraços.

tiago
tiago
1 ano atrás

muito bom o texto, nos chama a refletir como está a nossa qualidade e eficiência junto aos futuros clientes.

Giuliano Sales
Admin
1 ano atrás
Reply to  tiago

Ei, Tiago! Tudo bem?
Que ótimo que você gostou do nosso conteúdo.
Esperamos seguir agradando-o em nossas futuras produções!

Fábio Bastos Ragnelli
Fábio Bastos Ragnelli
3 meses atrás

Observamos que nos dias atuais o tema inovação fica mais latente, acredito que hoje empresas que não tenham esse tema como pilar dificilmente se mantenham com a mesma carteira nesse mercado que tanto muda.

Nosso maior desafio é criar esse aculturamento dentro da organização, o caminho é a melhor estruturação com o direcionamento para o seguimento de atuação, desta forma colaboramos no ambiente criativo para que posteriormente gerar inovações reconhecida por todos, prioritariamente o cliente.

Giuliano Sales
Admin
3 meses atrás

Ei, Fábio, concordamos com você.
A inovação precisa ser viva dentro das organizações, para não ficarem ultrapassadas e sofrerem com danos como perda de espaço no mercado.
Inovar não é necessariamente e apenas investir em tecnologia, é conseguir elaborar novos processos que causam impactos positivos e consigam oferecer um aumento no lucro da empresa.
Em contra-partida, a tecnologia atualmente está mais acessível e é aliada, por isso, indicamos acompanhar os avanços tecnológicos.
Abraços.

Silas Alves Ferreira de Souza
Silas Alves Ferreira de Souza
1 mês atrás

Excelente artigo! Indicado no meu MBA, parabéns!

Cintia Porto
Cintia Porto
1 mês atrás

Bem didática a reportagem!!!

André Argollo
André Argollo
1 mês atrás

Li este texto indicado pela faculdade e quero agradecer pela clareza e assertividade. Respondeu várias dúvidas que ainda hoje me deparo na empresa em que trabalho e nos negócios dos nossos clientes.

Parabéns.

André Argollo
Analista de Sistemas

Ana Maria Beatriz Pacifico Bordin
Ana Maria Beatriz Pacifico Bordin
1 mês atrás

Olá, sou a Ana Maria B P Bordin, aluna do MBA em Gestão Estratégica de Negócios. Fiquei muito interessada a respeito do CRM. Trabalhei 23 anos na área comercial. E, tudo o que puder aprender sob captação de novos clientes. E, sobre o que colocar no assunto do e-mail para que o cliente abra a apresentação e consiga marcar uma visita, ou receber um telefonema ou mensagem de interesse do cliente em meu produto, será maravilhoso.