Como identificar o nível de energia do colaborador com o Profiler?

Tempo de leitura: 6 minutos

Está sem tempo para ler? Experimente ouvir a narração deste artigo. Aperte o play!

O nível de energia no trabalho é um fator importante que interfere na produtividade dos times. E para identificar algo tão subjetivo, a tecnologia é uma aliada da gestão de pessoas. 

Nesse contexto, o Profiler faz o mapeamento comportamental dos profissionais, baseado na metodologia DISC. Para tanto, ele mapeia as principais tendências de comportamento das pessoas

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Como resultado, o Profiler consegue extrair informações que compõem o Relatório Profiler. Trata-se de um documento importante que, se bem aproveitado, proporciona diversos benefícios e faz toda a diferença na tomada de decisões. 

O primeiro tópico do Relatório Profiler é a Energia. Assunto que será analisado mais profundamente neste post. Confira! 

O que é o Relatório Profiler

O Relatório Profiler é a melhor e mais completa ferramenta para promover a gestão estratégica de pessoas nas empresas. A partir do mapeamento de perfil desenvolvido pela Sólides, o software oferece mais de 50 informações sobre o colaborador. Além disso, ele é emitido instantaneamente após a realização do teste, que se divide em duas etapas. 

Na primeira, a pessoa marca características que ela identifica como sendo parte de seu perfil. Na segunda, ela marca características que ela percebe que são exigidas dela pelo meio. O teste leva, em média, sete minutos para ser respondido.

Por meio do relatório, o departamento de Recursos Humanos consegue administrar os talentos com eficiência, considerando o melhor aproveitamento dos pontos fortes. Por outro lado, os pontos fracos do profissional são elencados com uma oportunidade de aperfeiçoamento. 

O que é o nível de energia 

No universo profissional, energia se refere a duas coisas: disposição de uma pessoa (ou equipe) para o trabalho e facilidade do indivíduo para absorver o estresse. Logo, a energia pode ser comparada ao combustível necessário para o desempenho das tarefas

Além de ser um demonstrativo da disposição, a energia também está ligada à capacidade de mudança do profissional. Por isso, é importante que a gestão de pessoas observe os níveis de energia dos seus colaboradores.  

Nesse sentido, índices baixos, muito baixos ou excessivamente baixos podem ser decorrência das exigências do meio externo. Portanto, convém observar se o indivíduo não está sendo cobrado demais. 

Nesses casos, é possível que a organização esteja demandando a ele habilidades que não são naturais do perfil comportamental

Níveis de energia altos

Energia muito alta: indica que a pessoa está com um alto desempenho no trabalho e muito motivada a desenvolver suas tarefas. Mas esse profissional precisa ser estimulado para a manutenção dessa energia.

Energia alta: indica que a pessoa está com um bom desempenho no trabalho, acompanhado de energia, mas ainda pode receber uma pequena carga de energização, para conseguir se superar.

Energia normal alta: indica que a pessoa está com um desempenho mediano com tendência a alto no trabalho, precisando ser acompanhada, pois, essa energia pode cair. Sendo assim, ela precisa receber uma carga alta de energização para se manter acima do nível.

Níveis de energia baixos

Energia normal baixa: indica que a pessoa está com um desempenho mediano com tendência a baixo no trabalho, mas ainda nada desconfortante ou que comprometa seu desempenho. Assim, ao receber uma carga alta de energização, ela pode se recuperar.

Energia baixa: indica que a pessoa está gastando muita energia. Uma das possibilidades pode ser algum problema (pessoal ou profissional) que provoque tal desmotivação. Nesse estágio, ela tende a agir mais com seu perfil interno (descrito pelas linhas azuis nos gráficos). Essa pessoa precisa ser acompanhada de perto, e ser energizada ainda mais para se recuperar.

Energia muito baixa: indica que a pessoa se encontra sob grande estresse ou pressão. Nesse estágio, ela tende ao instinto de proteção, rejeitando novos desafios e trabalhando em um ritmo que resguarde sua saúde física e mental. Assim, ela precisa ser acompanhada ainda mais de perto e, dependendo de seu IEM, pode se afastar. Por conta desse contexto, precisa ser urgentemente energizada.

banner do ebook perfil comportamental o guia completo

Fatores que provocam a alteração e resultados da energia

Os fatores que provocam a alteração na energia podem ser diversos, inclusive de origem pessoal. Dessa forma, é necessária uma análise consciente e discreta sobre o assunto, caso esse índice seja de importância para o projeto ou trabalho.

Fatores capazes de diminuir o nível de energia:

  • cobranças excessivas oriundas do meio externo. Esse fator pode ser verificado pelo Índice de Exigência do Meio (IEM);
  • estresse profissional causado pelo acúmulo de funções e tarefas;
  • estresse pessoal provocado por problemas de ordem íntima ou familiar;
  • longo período fora do mercado de trabalho ou em busca de recolocação.

Dicas 

A gestão de pessoas deve observar aqueles profissionais que demonstram índices de energia baixo ou muito baixo. Nesses casos, é fundamental verificar a existência de algum problema de ordem pessoal ou emocional que esteja prejudicando o desempenho e a produtividade do colaborador.

Ainda, é possível que o profissional esteja sendo cobrado por aptidões que não estão presentes no seu perfil comportamental. Quando isso ocorre, ele se sente como uma “peça” mal encaixada e isso reflete no nível de energia. 

Ainda, é possível que o colaborador esteja desempenhando funções nas quais ele se sente pouco à vontade. Essas condições causam estresse e reduzem a disposição para o trabalho. 

Para conferir se o funcionário está exposto a algum desses cenários, o Profiler oferece a análise do Perfil Isolado. Essa funcionalidade consegue observar discrepâncias entre o que o profissional é e aquilo que o ambiente exige que ele seja

Essas variáveis são mostradas em um gráfico, que dará como resultado se o colaborador sente-se inadequado para a empresa ou para a função. Consequentemente, o gestor consegue perceber, com exatidão, quando essa condição está impactando a energia do profissional. 

Entre as vantagens do Profiler está o acompanhamento dos índices de energia a cada semestre, por exemplo. Esse cuidado é essencial para:

  • mensurar a capacidade produtiva de uma pessoa ou equipe;
  • prever quedas de desempenho e atuar com antecedência para evitá-las (por meio da observação da queda gradativa do índice);
  • identificar gastos equivocados ou desnecessários de força (muitas vezes, escolhemos colocar nossa força nos locais errados).

E o melhor: o Profiler permite analisar o nível de energia automaticamente e no cenário amplo da empresa, segmentada por equipes ou de forma individual.

O Profiler tem várias outras análises para tornar mais eficiente a gestão de pessoas da sua empresa. Para conhecer cada uma delas, não perca tempo e fale com um consultor hoje mesmo.

banner do ebook tudo sobre o profiler
0 0 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments