Como humanizar o RH e mantê-lo tecnológico?

Tempo de leitura: 10 minutos

O conceito de humanização dentro das organizações foi ganhando espaço à medida que a tecnologia ocupou lacunas em todos os setores e trouxe uma série de consequências não mapeadas no início desse processo. Diversos setores passaram a conviver com máquinas, e humanizar o RH tecnológico passou a ser uma questão para valorizar o capital humano.

Considerado como diferencial, humanizar o RH — com as soft skills adequadas — visa à evolução da perspectiva organizacional sobre o colaborador. Olhar para o ser humano de forma integral – aquele que além de profissional, tem família e amigos, e que tem vida fora da empresa – trouxe novos desafios.

Empresas que desenvolveram uma gestão de pessoas eficaz melhoram seus resultados financeiros e a produtividade. Para que essa gestão esteja alinhada aos objetivos estratégicos, o RH deve contribuir com ações para humanizar políticas e processos voltados às pessoas.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Nesse conteúdo, vamos falar sobre como ter um RH estratégico e tecnológico sem perder o seu lado humano. Continue a leitura!

Humanização do RH e sua representatividade

A tecnologia está disponível de maneira igualitária nas organizações. Um desenvolvedor de sistema de RH pode oferecer as mesmas soluções para a empresa A ou a empresa B. O que faz então a diferença? O capital humano e a gestão das pessoas.

Percebendo isto, a valorização das pessoas com diferentes ações adentraram o mundo corporativo. Mas o resultado não foi satisfatório, pois o encantamento por um jantar ou uma viagem era passageiro.

Humanizar passa pela empatia, respeito e verdadeiro entendimento do outro. Encontrar o que faz sentido a cada um da equipe exige da gestão e do RH um olhar diferenciado e cuidadoso. O perfil comportamental de cada indivíduo deve ser avaliado para que projetos de desenvolvimento profissional tragam o resultado esperado.

Observando a estreita relação entre a humanização do RH e o que ele representa na gestão do desempenho, avaliar a performance da equipe contribui para a identificação das competências e potencialidades, além de entender os pontos que necessitam desenvolvimento.

Combinação de sucesso entre RH e tecnologia

A tecnologia não pode ser deixada de lado, uma vez que ela tem desempenhado grande auxílio em atividades rotineiras ou muito operacionais. O RH tecnológico está desenhado para mostrar dados e realizar análises como níveis de produtividade versus “gaps” de desenvolvimento individual, que até um tempo atrás, não era possível demonstrar pela complexidade das informações.

A proximidade do RH com a estratégia da empresa gera reflexos subsequentes e visíveis como a contratação de profissionais alinhados aos valores e aos princípios da organização. Conhecer a história e o propósito de onde trabalha, leva o indivíduo a se sentir parte deste novo cenário. Estar consciente do seu papel dentro da organização e estar feliz com as suas tarefas e responsabilidades geram maior produtividade e consequentemente maior lucratividade.

Conseguir imprimir seu estilo de trabalho, sempre alinhado ao perfil da organização contribui para que cada um mantenha sua singularidade no ambiente corporativo.

O paradigma de que o colaborador deve se adaptar a empresa, e não o contrário, está passando por uma mudança de mindset, e existe um papel fundamental em contribuir para humanizar o RH, uma vez que ele demonstra ser cada vez mais estratégico.

banner de divulgação do ebook, contém textos, um botão e imagens relacionadas a inteligencia artificial, como robô

Importância de utilizar ferramentas para um RH mais estratégico

Acompanhar tendências e evolução do mercado de trabalho exige do RH mais do que boa vontade. A tecnologia está disponível para auxiliar no recolhimento de informações e nas análises dos dados de maneira mais eficiente, contribuindo na tomada de decisão de maneira mais rápida e consistente.

A 4ª Revolução Industrial ou a Indústria 4.0 tem como preceito básico conectar máquinas e sistemas para a criação de redes inteligentes de produção quase totalmente autônomas. A possibilidade de utilizar sistemas que ajudem a organizar e monitorar as atividades da área de RH, gera mais precisão nas atividades.

Mas não é apenas a tecnologia a responsável pela mudança de paradigma. A gestão comportamental das equipes e o perfil comportamental de cada indivíduo que faz parte do time também mudaram. As diferentes gerações de trabalho exigem um novo modelo de gerenciamento. Passando dos baby boomers aos millennials, chegando na geração Z, os colaboradores estão cada vez mais exigentes e buscam lugares onde se sintam bem e vejam oportunidades de desenvolvimento.

Cada organização tem necessidades e critérios singulares e, portanto, devem personalizar suas ações de apoio e proximidade aos colaboradores. Sem colaboradores engajados uma empresa não consegue crescer e se manter sustentável no mercado. Cabe ao RH identificar de que maneira é possível mitigar riscos e propor ações para resolver problemas complexos  e, ao mesmo tempo, manter o foco nas pessoas da empresa e no que elas precisam.

A gestão comportamental sofre influência direta das considerações obtidas dos relatórios gerados pelas ferramentas de apoio. Utilizar análise dos dados e da inteligência artificial em todos os processos, como recrutamento e seleção, folha de pagamento, administração de benefícios e processos de desenvolvimento se tornou primordial para garantir as melhores resoluções. 

Números que demonstram de forma segura e correta o que se passa na empresa e geram confiança para saber qual o melhor caminho a ser seguido. Empresas que ainda usam processos manuais correm o risco de gerar falsos pareceres levando a organização a rumos errados e por vezes gerando prejuízos e perdas que comprometem anos de trabalho.

Por isso, ter disponível informação e análise de dados em tempo real permite o alinhamento imediato da produtividade e de processos com os objetivos da empresa.

Utilizar softwares para realizar contrações efetivas garante que os profissionais mais aptos a função sejam admitidos e diminuem o indicador de turnover

Parametrizar ferramentas de apoio para contração mapeando competências técnicas e competências comportamentais, que podem ser testados por meio de técnicas como a gamificação ou simulações de casos que o colaborador vai enfrentar no dia a dia, contribui para uma seleção mais assertiva.

Buscar nas redes sociais, como Facebook e LinkedIn mais informações sobre o perfil dos candidatos já se tornou prática comum. Manter uma página corporativa também estimula o contato com outros profissionais da área, seja como grupos ou comunidades, que auxiliam no processo por meio da troca de experiências.

Tecnologias utilizadas na Gestão Comportamental

Muitas atividades precisam de novas tecnologias, como mapear o comportamento de times de diferentes unidades ou recrutar pessoas em nível global. Assim, é interessante que o RH estabeleça o mesmo ritmo dos avanços da tecnologia, garantindo a conexão de processos, pessoas e resultados.

Existem diversas soluções que auxiliam o RH como:

People Analytics:  é uma tecnologia que contribui de maneira ímpar nos processos de RH. Analisar os dados pessoais – seja de candidatos ou colaboradores – promove decisões e planejamentos para programas de treinamento, gerenciamento do desempenho e outras práticas voltadas ao capital humano.

Cloud Computing: utiliza a capacidade da nuvem para armazenar e interligar informações que podem ser acessadas de qualquer lugar e a qualquer momento. Uma empresa que tem filiais espalhadas pelo mundo ganha agilidade quando utiliza desta utilidade. Outro ganho é a proteção de arquivos que não são perdidos em caso de mau funcionamento do hardware.

Big Data:  ferramenta de inteligência artificial que cria, armazena e faz análise de vasta quantidade de dados. Permite otimizar e agilizar tarefas, com pouco custo e gerar a identificação de disfunções em tempo real, criando a oportunidade do RH agir no mesmo instante para corrigir o problema.

Mapeamento de perfil comportamental: monitorar o desempenho e a performance dos colaboradores gera inputs para projetos de curto, médio e longo prazo e evitam desgastes desnecessários com demissões de bons profissionais que estão em uma função ou área fora do interesse do indivíduo.

Além disso, uma série de startups surgem a todo momento. A Overfit Technologies desenvolveu uma plataforma para apoiar as decisões de pessoas a partir de uma varredura no LinkedIn. O sistema diz para onde as pessoas que estavam na empresa foram.  A plataforma dela consegue demonstrar quantas pessoas de uma empresa foram para o concorrente permitindo que o RH possa elaborar ações e propostas para gerar maior índice de retenção.

Transformar dados em resultados

 A evolução tecnológica traz como efeito ganho de produtividade significativa. Quando aplicadas de maneira eficaz, além de ampliar a capacidade produtiva também determina agilidade na gestão comportamental. Alguns benefícios que o RH tem ao utilizar as ferramentas adequadas aos seus processos são:

  • automatização das tarefas: transformando atividades manuais em atividades com menor probabilidade de erro;
  • agilidade: cadastro e recuperação de informações de forma mais rápida que o tradicional deixando mais tempo para as ações estratégicas. Precisão e velocidade nas atividades também é um resultado esperado.
  • mensuração de resultados: determinar valores e analisar a relação de custo x benefício de ações de treinamento e desenvolvimento, recrutamento e seleção, entre outros processos do RH;
  • facilitar atividades corporativas: disponibilizar via online e para qualquer região do planeta acesso a informações ou tarefas corporativas.

Dicas para um RH mais Humanizado

Algumas ações que a empresa pode adotar para manter a proximidade do humano com o tecnológico, utilizando as ferramentas como apoio é:

  • identificar os perfis com aderência às novas vagas e dar oportunidade para desenvolvimento de carreira;
  • viabilizar treinamentos à distância, incentivando os colaboradores ao desenvolvimento profissional;
  • criar canais de comunicação simples e acessíveis a todos os colaboradores, como grupos de WhatsApp, para divulgar informações relevantes;
  • disponibilizar aplicativos de acompanhamento do bem estar, incentivando atividade física, alimentação saudável e lazer, conectados a sistemas de RH;
  • estabelecer meios para o compartilhamento do conhecimento – a chamada Gestão do Conhecimento;
  • identificar estilos comportamentais, experiências e competências para  construir equipes de alta performance;
  • idealizar programas de reconhecimento não só pelas entregas, mas pelos comportamentos identificados e apresentados no dia a dia de trabalho.

Ações que independem da tecnologia também devem ser mapeadas, pois como humanos desejamos ser reconhecidos. Incentivos pessoais, foco nos detalhes, apoio mútuo, ações educativas e lúdicas, escuta ativa dos gestores e profissionais de RH são outras possibilidades que geram engajamento.

Humanizar o RH e mantê-lo tecnológico passa por acreditar que a tecnologia encurta distâncias e mesmo assim aproxima as pessoas. Atuar com equipes para extrair o que há de melhor em cada um é o que diferencia as organizações que vão se manter no mercado daquelas que deixarão de existir.

O retorno do investimento feito em tecnologia será percebido como efetivo quando práticas de humanização e gestão comportamental estiverem presentes na rotina da empresa.

Toda essas análises passam pela construção de uma cultura forte e uma constante avaliação do clima organizacional. Para entender a diferença entre esses dois conceitos, aproveite a sua visita para ler o nosso conteúdo.


2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Renato Marques Jr Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Renato Marques Jr
Visitante
Renato Marques Jr

Excelente!

trackback

[…] A tecnologia deixou de ser a protagonista das soluções de desenvolvimento dos negócios e passou a ser um coadjuvante da gestão de pessoas. Os sistemas apoiam na coleta e modelagem dos dados, na gestão de equipes e na elaboração de estratégias mais eficazes de atuação no mercado, mas a base principal são as pessoas. […]