Como começar employer branding na minha empresa?

Tempo de leitura: 9 minutos

Muitas empresas, de todos os tamanhos, enfrentam dificuldades em contratar profissionais de qualidade no mercado. A principal alternativa utilizada atualmente é começar employer branding, que trabalha a imagem da organização e atrai os melhores talentos para as vagas disponíveis.

Se você está em busca de estratégias mais eficazes para a atração e retenção de profissionais, está no artigo certo! A seguir, explicaremos o conceito, listaremos alguns benefícios e, por fim, daremos dicas sobre como começar employer branding em sua empresa. Confira!

O que é employer branding?

O employer branding — marca de empregador, em tradução literal — é um conjunto de esforços realizados pela empresa para promover a sua imagem no mercado como uma boa empresa para se trabalhar.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

É bastante similar ao que elas já vêm fazendo junto aos clientes, na divulgação de produtos, serviços e da própria marca. Contudo, o alvo das ações são os colaboradores e profissionais disponíveis no mercado. A intenção é aumentar a percepção de valor, atraindo e retendo os melhores talentos.

Quais os benefícios de utilizá-lo na estratégia da empresa?

Antes de começar employer branding em sua empresa, é importante entender os impactos que ele causa para a gestão de pessoas e para o negócio como um todo. Acompanhe.

Melhoria na produtividade e engajamento dos colaboradores

Empresas que trabalham o employer branding contam com colaboradores mais motivados e engajados. Os profissionais são incentivados por meio de programas de recompensa e de desenvolvimento, além de acompanharem, no dia a dia, a divulgação da marca da empresa de forma positiva e natural.

Redução do turnover

Como consequência do aumento na satisfação dos colaboradores, o índice de turnover é drasticamente reduzido. O processo seletivo se torna mais eficiente, encontrando as pessoas certas para ocuparem cada vaga que é aberta. Dessa forma, os talentos são retidos com mais facilidade e consistência.

Redução dos custos com o processo seletivo

Todo processo de recrutamento e seleção gera custos. Quando o profissional contratado deixa a empresa em poucos meses, é como se o RH estivesse jogando todo o seu esforço e orçamento da vaga no lixo.

Ao começar o employer brand as contratações passam a ser mais precisas, excluindo a necessidade de reposição e duplicação de todos os custos.

Atração de profissionais de qualidade para o banco de talentos

Quando uma empresa trabalha bem a sua marca de empregadora, todos os profissionais passam a desejá-la. Eles querem fazer parte desse time que se mostra tão bom, positivo e interessante.

Isso inclui os talentos mais disputados do mercado, ficam à espreita pela abertura de novas vagas para se candidatar.

Como começar employer branding do zero?

Para começar employer branding na sua empresa, você precisará se atentar para uma série de providências que garantem que ele seja eficiente e bem sucedido. Veja os passos que não podem faltar!

Defina os objetivos a serem alcançados

O ponto de partida para a implementação do employer branding é fazer a definição dos objetivos que a empresa pretende alcançar com essa ação. Isso é fundamental para que todos os envolvidos tenham bastante clareza no que devem fazer para contribuir com a iniciativa de forma positiva.

Alguns dos exemplos de objetivos mais comuns, são:

  • ser a empresa que paga os melhores salários;
  • ser a empresa que oferece os melhores benefícios;
  • ser a empresa onde as pessoas são mais felizes;
  • ser a empresa que promove as melhores oportunidades de crescimento.

Elabore um planejamento

Depois de definidos os objetivos, é hora de traçar um plano para alcançá-los. O planejamento deve envolver as medidas que serão tomadas em todos os processos da empresa, não apenas no recrutamento, no RH ou no marketing.

É muito importante compreender que o employer branding é uma estratégia que abrange todos os colaboradores, por todo o tempo de contato que eles têm com a empresa. Não basta oferecer um benefício bacana, por meio do RH, mas ter gestores com problemas de comunicação e destoantes da cultura da empresa.

Identifique e analise o cenário atual

O próximo passo é dar uma olhada para o momento da empresa. Assim como um médico precisa examinar o paciente, emitir um diagnóstico, para, só então, indicar o tratamento, os gestores e o setor de RH precisam entender melhor quais são os sintomas apresentados pelos colaboradores para elaborar um plano de implementação mais adequado.

Questionamentos como estes ajudam a esclarecer melhor o cenário:

  • Como está o clima organizacional?
  • Quais são as principais insatisfações que os colaboradores têm relatado?
  • Quais são os pontos fortes da empresa que devem ser mantidos?
  • O que os concorrentes têm feito de positivo que a empresa ainda não faz?
  • O que os profissionais do mercado têm demandado?

Determine o perfil desejado

Outra definição muito importante é sobre o perfil desejado dos colaboradores. Cada empresa tem suas características que precisam ser respeitadas. Quando os objetivos foram traçados, lá no início, eles também envolvem garantir que as pessoas certas passarão a ocupar os cargos disponibilizados, mas quem são as pessoas certas, afinal?

É preciso determinar quais são as competências, habilidades e atitudes que cada profissional precisa apresentar, de forma a criar equipes equilibradas e em conformidade com o perfil do negócio. Uma análise de perfil comportamental é uma boa estratégia para traçar essas definições e avaliar os colaboradores e candidatos.

Estabeleça atrativos aos profissionais

Quem deseja começar employer branding de forma correta e obter resultados positivos em pouco tempo, precisa estabelecer atrativos verdadeiramente relevantes para seus colaboradores e candidatos. O conhecimento sobre o perfil desejado é um excelente ponto de partida.

Entenda quais são os desejos dos tipos de profissionais que deseja atrair e inclua ações nesse sentido no cotidiano da empresa. Podem ser os salários acima da média, ou pacotes de benefícios mais diversificados, ou, ainda, um bom plano de carreira. A montagem do conjunto de atrativos vai depender de uma série de fatores, que já foram levantados até aqui.

Crie e fortaleça a cultura organizacional

A cultura organizacional é a identidade da empresa. Ela rege a forma como os colaboradores se comportam no dia a dia, tanto dentro da empresa quanto quando estão fora, representando-a. 

Esse conceito está muito ligado aos valores e crenças de cada um, que devem ser compartilhados entre todos. Na prática, ela determina as causas pelas quais a empresa decide lutar, a forma como ela responde aos acontecimentos internos e externos a ela entre outras coisas.

Uma cultura organizacional fortalecida envolve e aproxima os colaboradores, que se identificam com as práticas vivenciadas na organização e sentem-se parte de algo que está de acordo com o que cada um acredita pessoalmente.

Forme advogados da sua marca

Um dos grande potenciais de um employer branding bem implementado é a formação de advogados da marca. Outro conceito que tem similaridade com o que é aplicado no marketing, ele diz respeito às pessoas que falam bem e defendem a sua marca entre amigos e parentes.

Assim como os consumidores que são fiéis a determinadas marcas, os colaboradores podem ser à sua empresa. Afinal, se eles se sentem bem, estão engajados e compartilham dos mesmos princípios e valores, é natural que façam propaganda positiva da empresa por onde forem.

Use a tecnologia de forma estratégica

A tecnologia está disponível para ajudar e facilitar a vida de todos, desde que seja bem utilizada. No employer branding ela pode contribuir de diversas maneiras. A começar pela análise dos perfis comportamentais dos colaboradores e candidatos, que pode ser feita totalmente online de forma automatizada.

A empresa também pode utilizar softwares específicos para melhorar a gestão e o engajamento das equipes, além de fomentar a interação nas redes sociais. Tudo isso ajuda a fortalecer o employer branding tanto internamente quanto externamente, atraindo novos talentos.

Adote técnicas de storytelling

Nossa última dica envolve mais ações muito utilizadas no marketing, mas que podem ser implementadas em diferentes questões. O storytelling é uma prática usa elementos da escrita e oratória que transformam a mensagem em uma história envolvente e cativante para os espectadores.

Em momentos de reuniões, em trocas de e-mails, comunicados e até mesmo em eventos internos, aqueles que transmitirão a mensagem podem fazê-lo de forma mais lúdica, criando um cenário de fundo para aumentar o envolvimento dos leitores ou ouvintes, prendendo sua atenção e melhorando a efetividade da comunicação.

Além da parte textual, o storytelling abrange outras ferramentas que complementam a interatividade da mensagem. A gamificação é um bom exemplo, no qual as ações internas podem gerar uma disputa sadia entre equipes ou mesmo a premiação por boas condutas. O uso vai da criatividade e objetivos de cada organização.

Depois de todas essas dicas, a sua empresa já está pronta para como começar employer branding. Tenha atenção a cada uma delas e envolva seus colaboradores no processo de implementação. Você verá como práticas dessa natureza são capazes de gerar ótimos benefícios que melhoram a vida dos profissionais e proporcionam o crescimento e fortalecimento do negócio!

O que achou deste conteúdo? Que tal ter acesso a mais informações atualizadas sobre gestão efetiva de pessoas nas empresas? É simples, basta nos seguir no Instagram, no LinkedIn e no Youtube.


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of