Censo do trabalho remoto: cenário atual e expectativas para o futuro

Tempo de leitura: 8 minutos

Pesquisa realizada pelo Runrun.it com mais de 300 líderes e gestores conclui que 80% dos entrevistados gostaria de continuar trabalhando remotamente  

O trabalho remoto se tornou uma realidade para grande parte do mundo, a partir de março deste ano, por conta da pandemia do novo coronavírus. Nesse cenário, muitos gestores precisaram se adaptar ao novo modelo para preservar a saúde de seus colaboradores, garantindo a eficiência do trabalho e a qualidade das entregas. 

Pensando nisso, nós podemos analisar como era a situação dessas organizações no período pré pandemia, contemplando os principais benefícios e desafios do trabalho a distância, assim como especular sobre as expectativas para o futuro: o home office se consolidará como o principal modelo de trabalho? 

Censo do trabalho remoto 

Uma pesquisa realizada pelo Runrun.it, software brasileiro de gestão do trabalho, com cerca de 300 gestores e líderes, concluiu que apenas 44% dos entrevistados trabalhavam de forma remota em um período anterior ao da quarentena, em uma frequência pequena (a maioria, 24,2%  trabalhava de casa apenas 1 vez por semana). 

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Atualmente, 88% dos entrevistados está trabalhando de forma 100% remota e a tendência é que essa modalidade ganhe cada vez mais adeptos. 

Estima-se que cerca de 230 mil funcionários de bancos brasileiros (como Itaú, Bradesco e Banco do Brasil) estão trabalhando de forma remota atualmente e, ao que tudo indica  grande parte desses funcionários vão continuar no home office, mesmo após o fim do isolamento social. 

Isso deve acontecer principalmente por conta de dois fatores: o aumento da produtividade e também a redução de custos. No Banco do Brasil, apesar da decisão de adotar o home office ainda não ter sido plenamente  tomada, segundo reportagem do Valor Econômico, os estudos internos do BB apontam que o trabalho remoto representaria uma economia de cerca de 180 milhões por ano em despesas com imóveis (aluguel e manutenção). Além disso, por conta da queda na procura, é possível que o Bradesco feche cerca de 320 agências, transferindo os funcionários para atendimento digital ou outras áreas.  

Além do setor bancário brasileiro, segundo pesquisa do Runrun.it, cerca de 80% dos líderes/gestores de agência entrevistados também gostariam de permanecer em trabalho remoto, em uma frequência que varia de 3 (19,6%) dias por semana até 5 (17,3%) dias. 

Benefícios do trabalho remoto

A produtividade, muitas vezes, é apontada como o principal benefício do trabalho remoto. Porém, ela não é a única vantagem. De acordo com a pesquisa que mencionamos acima, os principais benefícios para líderes e gestores são: 

Benefícios do Trabalho Remoto 

  • Economizar o tempo de deslocamento – 97% 
  • Ter um horário mais flexível – 66,7% 
  • Estar mais próximo dos meus familiares e animais de estimação – 54,5% 
  • Ter mais foco (menos interrupções não planejadas) – 48,5% 
  • Maior motivação – 24,2% 
  • Menos microgestão – 18,2% 

Como podemos observar, os principais benefícios estão relacionados à gestão do tempo, que é um fator muito presente em nosso trabalho, porque é através dele que nós organizamos o nosso dia a dia e dos dedicamos às nossas tarefas. 

Porém, ao trabalhar de casa, nós podemos utilizar esse tempo que anteriormente era dedicado ao deslocamento para a nossa vida pessoal, passando mais tempo com a família, amigos e animais de estimação. 

Foco e motivação são fatores que podem estar diretamente relacionados ao aumento na produtividade, já que encontramos em casa menos interrupções e também podemos organizar o nosso ambiente da melhor forma, ajudando em nossa concentração. 

Outro ponto que chama a atenção dos gestores é a microgestão, que acontece quando um superior se sente inseguro com a sua equipe e ao invés de focar no macro do trabalho e nas entregas, acaba fazendo cobranças desnecessárias – que mesmo possuindo o intuito de ajudar o time-, acabam criando situações desconfortáveis, que afetam o desempenho de todos. 

Ao trabalhar remotamente, é necessário mudar o mindset de avaliação do desempenho da sua equipe. Muitas vezes no presencial, nós temos uma falsa ilusão de esforço, porque estamos vendo as pessoas trabalhando. No home office, essa atenção deve ser direcionada para a qualidade das entregas e para apoiar a equipe na execução, garantindo que não existam falhas na comunicação, microgestão e  retrabalho. 

Desafios do trabalho remoto 

Como já sabemos a adoção do trabalho remoto aconteceu de forma inesperada para muitos. Apesar da alta adesão, ainda estamos enfrentando desafios. Os principais, segundo pesquisa do Runrun.it são: 

Desafios

  • Falta de interação pessoal entre colegas de trabalho – 72,7% 
  • Dificuldade de comunicação e colaboração – 48,5%
  • Muitas fontes de dispersão (dificuldade de manter o foco) – 42,4% 
  • Não ter a visão do todo em relação a projetos e processos – 33,3% 
  • Solidão –  30,3% 
  • Menor motivação – 21,2% 

A maior parte dos desafios está relacionada a dificuldade de comunicação e interação com outras pessoas. É importante, ao analisar esses fatores, levar em consideração o período de isolamento no qual estamos vivendo, que além de trazer uma série de impactos para a saúde, economia e educação mundial, também afetou severamente nossa socialização, que é um dos principais fatores da vida em sociedade. 

Portanto, seria impossível que isso não nos afetasse no trabalho, já que nossas opções de comunicação estão todas atreladas à tecnologia e o tempo que passamos conectados aumentou consideravelmente. Assim como o tempo em que passamos em vídeo conferências, seja no trabalho ou com familiares e amigos. 

Porém, aqui vale um ponto de atenção. Os professores Gianpiero Petriglieri (Institut Européen d’Administration des Affaires) e Marissa Shuffler professora da Universidade Clemson – EUA), concluíram que como a linguagem corporal fica limitada por uma videoconferência, temos que nos esforçar mais para prestar atenção ao que está sendo dito (quanto maior o número de pessoas, mais esforço precisará ser feito), o que nos deixa psicologicamente mais exaustos, do que nos sentiríamos em conversas presenciais.  

É claro que esse esgotamento, assim como a solidão e a falta de motivação acabam sendo agravados pelos sentimentos de medo e ansiedade causados pela pandemia, já que para muitos este é um momento inédito e que aparenta estar longe de acabar, tendo em vista que ainda não há uma vacina desenvolvida até o momento. 

Entretanto, é importante que os gestores possam se organizar para realizar as reuniões virtuais apenas quando for necessário, definindo pautas concretas para cada uma, sempre focando na decisão que precisa ser tomada. Ou ainda, aderir as famosas dailys (que nós pegamos emprestado da metodologia ágil), que consiste em realizar reuniões rápidas todos os dias para acompanhar o que cada membro da equipe fez no dia anterior, o que pretende fazer no dia e se há ou não algum impedimento. 

As ferramentas ideais para o trabalho remoto

Como nós já mencionamos acima, no trabalho a distância a tecnologia é uma grande aliada.  As principais ferramentas adotadas, segundo pesquisa do Runrun.it, são: 

Ferramentas adotadas no trabalho remoto

  • Ferramentas de gerenciamento de tarefas, projetos e processos – 97%
  • Grupos de chat – 90,9% 
  • Ferramentas de vídeo chamada – 84,8% 
  • Ferramentas de gerenciamento de tempo e custos – 54,5% 
  • Ferramentas para brainstorm e colaboração visual – 27,3% 

Podemos ver que as ferramentas de gestão e de comunicação se tornaram fundamentais para garantir a eficiência no home office, dando tranquilidade para os gestores, que podem acompanhar o andamento das tarefas e projetos da equipe e facilitando a comunicação, tanto síncrona quanto assíncrona e possibilitando o trabalho colaborativo. 

Por isso, é importante escolher uma ferramenta que consiga centralizar as informações, e que se torne a única fonte da verdade. Isso diminui a dispersão de informações, te ajuda a registrar as decisões que foram tomadas e facilita o acompanhamento de prazos e indicadores de produtividade. 

Gestão remota simples e fácil com o Runrun.it 

O Runrun.it é o software de gestão ideal para o trabalho remoto, porque os gestores além de terem acesso a visão do todo, de todas as atividades e projetos, também visualizar as métricas e relatórios gerenciais, o que facilita a distribuição de demandas entre os membros da sua equipe. Afinal de contas, já ficou claro que no futuro o trabalho remoto não é mais uma tendência e sim uma realidade. Crie agora uma conta grátis: https://runrun.it 

0 0 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments