Business Intelligence: Confira o que é BI, para que serve e como implementar

Tempo de leitura: 12 minutos

Está sem tempo para ler? Experimente ouvir a narração deste artigo. Aperte o play!

O Business Intelligence (BI) é um conceito que já vem sendo praticado há alguns anos no mercado, mas que ganhou força recentemente, diante dos avanços obtidos na área de Tecnologia da Informação. Trata-se de uma questão que potencializa a estratégia do negócio e permite que a tomada de decisão seja mais inteligente.

Neste artigo, vamos falar sobre o tão famoso BI de forma mais detalhada, trazendo a explicação de seu conceito, seus benefícios e aplicações. Ainda, abordaremos sua relação com o Big Data, a gestão de riscos e a análise preditiva. Confira!

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

O que é Business Intelligence?

O Business Intelligence ou Inteligência de Negócio, é um conjunto de práticas que visam proporcionar dados e informações relevantes para a gestão eficiente de uma empresa. Para tanto, abarca processos que vão desde a coleta e organização de dados sobre determinados assuntos até a sua análise e disseminação.

Na era em que vivemos, na qual a quantidade de informações disponíveis cresce exponencialmente, o principal desafio das empresas é conseguir aproveitar, em meio ao caos informacional, aquilo que pode verdadeiramente impactar seu negócio. 

Nesse sentido, o BI exerce essa função e conta com a ajuda da tecnologia para potencializar os processos e alavancar o planejamento estratégico.

Quais são seus benefícios?

A informação se tornou um dos ativos mais importantes para o sucesso das empresas. Contudo, não é aquela que tem mais dados que se destacam, e sim aquela que tem as informações certas, organizadas, analisadas e transformadas em conhecimento de negócio. 

Nesse sentido, o BI proporciona inúmeros benefícios em todos os setores da empresa, como RH, vendas e marketing. Mas existem alguns pontos que são os mais relevantes em meio a essas vantagens, como veremos a seguir.

Compreensão do negócio de forma mais profunda e ampla

Qual é o nível de conhecimento que você tem sobre o seu negócio? Sabe quem são seus clientes, quais produtos e serviços eles mais gostam, o que eles acreditam que possa ser melhorado, em que seus concorrentes são melhores?

O BI é capaz de responder a essas e várias outras perguntas com base em dados concretos, obtidos por meio de análises profundas e precisas de informações internas e externas. 

Nesse sentido, para tudo aquilo que, em décadas passadas, era preciso contar com uma boa intuição dos empreendedores e gestores, agora pode estar disponível a todos e a qualquer momento.

Embasamento para tomada de decisão estratégica

O que define se uma empresa será bem-sucedida ou não no mercado são as decisões que ela toma ao longo do caminho. Isso se aplica desde as menores e mais simples, como qual será a cor da embalagem de um determinado produto, até as maiores e mais complexas, como qual é o melhor momento para oferecer um novo produto.

A tomada de decisão é um dos momentos mais críticos na gestão de qualquer negócio, pois envolve a escolha de um caminho que pode ser irreversível. Nesse sentido, o BI contribui para que as definições sejam feitas com base em informações concretas e seguras, além de permitir uma previsão de cenários mais confiável. 

Crescimento e inovação constantes na empresa

A partir do momento que existe uma compreensão profunda e ampla do negócio e as decisões tomadas começam a trazer bons resultados, a consequência é o desenvolvimento constante do negócio, tanto no que diz respeito à expansão da presença de mercado quanto na qualidade percebida pelos clientes.

O Business Intelligence se baseia na análise contínua dos dados em busca de pontos a serem corrigidos, melhorias a serem implementadas e oportunidades de novos produtos e serviços para oferecer. Tudo isso de forma antecipada, colocando-se à frente da concorrência.

Como fazer e aplicar o BI na empresa?

A aplicação do BI é realizada em poucos passos, bastante simples de compreender, apesar de demandarem profissionais de alta competência para serem executados. Acompanhe!

Coleta e organização dos dados

A primeira etapa do BI consiste na obtenção dos dados a serem utilizados pela empresa. O grande ponto de atenção nesse momento é que existe um oceano de informações disponíveis, mas apenas alguns litros dessa “água” serão interessantes para o negócio. Então, o desafio é saber o que deve ser coletado para evitar desperdício de tempo e esforços. 

Em seguida, os dados coletados precisam ser armazenados de forma organizada para serem acessados facilmente. Imagine receber um contêiner de materiais para a fabricação de seus produtos e não ter critério algum para colocá-los no estoque:

  • como eles serão encontrados posteriormente? 
  • como saber quais são os mais recentes e os mais antigos? 
  • como saber a origem de cada item? 

Assim também acontece com as informações, que precisam ser devidamente organizadas.

Análise dos dados

Essa é a parte mais crítica e importante do BI: a análise de dados. É nesse momento que os dados coletados em bases internas e externas são transformados em informações e conhecimentos estratégicos para o negócio. 

Mas a análise dos dados pode ser feita de diferentes formas e utilizando diversas ferramentas. Aqui, a qualidade dependerá muito mais da competência dos profissionais que executam esse processo, já que eles definirão quais dados podem ser cruzados em cada situação e como interpretar cada resultado obtido.

Compartilhamento das informações

Por fim, todo esse conhecimento gerado precisa ser compartilhado para uso de gestores e demais profissionais. Apesar de parecer simples, essa etapa requer alguns cuidados. O primeiro deles é garantir que as análises tragam as informações de forma clara e objetiva, para facilitar o seu uso.

Outro ponto importante é garantir a acessibilidade e, ao mesmo tempo, a confidencialidade das informações. Nesse quesito, é importante contar com ferramentas de gestão que sejam fáceis de usar e com recursos de controle de acessos.

Quais são as melhores fontes de dados para o BI?

Como dissemos, o Business Intelligence começa pela coleta dos dados que estão disponíveis em diversas fontes internas e externas, dentre as quais destacamos as mais utilizadas atualmente por empresas de todos os segmentos e tamanhos nos tópicos abaixo.

Monitoramento de notícias e sites

Todo negócio sofre influência do meio em algum grau. Por isso, é muito importante saber o que se passa na cidade, país e no mundo, acima de tudo, como esses acontecimentos podem afetar a sua empresa. Entre os assuntos a serem monitorados, o que não pode ficar de fora é a economia e tudo aquilo que se relacione diretamente com seu produto ou serviço.

Redes Sociais

As redes sociais foram criadas para o lazer e entretenimento das pessoas, mas acabaram evoluindo para muito mais do que isso. Assim, certamente, seus clientes estão em, pelo menos, uma dessas redes, fornecendo informações tanto de comportamento quanto de preferências. Hoje, existem inúmeras ferramentas que permitem uma coleta interessante de dados, que podem ser usados de forma estratégica no negócio.

CRM

Olhando para dentro da empresa, o CRM é o sistema mais rico em informações a serem trabalhadas pelo BI. Ali está uma base de dados preciosa das pessoas que compram o seu produto ou serviço e até mesmo os que estão em processo de negociação. É onde se consegue entender melhor quem são essas pessoas, o que elas desejam, o que elas rejeitam e quais soluções podem ser criadas para melhor atendê-las.

Comportamento dos usuários na internet

A análise do comportamento das pessoas na internet é uma excelente forma de estudar os clientes em potencial, seja para o que a sua empresa já oferece ou para o lançamento de uma nova oferta ao mercado. 

Para tanto, existem várias ferramentas que auxiliam nesse processo, mas o ponto central está na escolha das fontes, que podem ser as redes sociais, os dados de acesso aos sites da empresa e até mesmo dados gerais de acessos a sites do mundo todo.

como fazer people analytics - baixe o ebook

Como estruturar a análise de dados?

A análise de dados é uma fase essencial no BI, por isso, demanda muito cuidado e atenção. Assim, a maneira como ela será conduzida pode variar conforme o objetivo a ser atendido e o profissional que executará a tarefa. Mas existem algumas medidas que ajudam a orientar o trabalho, como listamos a seguir.

Identifique o que está acontecendo

O ponto de partida é identificar a motivação da análise, o que fez com que ela fosse necessária. Aqui, pode ser a ocorrência de um problema que precisa ter a causa investigada ou a pretensão de uma mudança na estratégia da empresa, ainda, a adoção de uma postura mais preditiva, para se colocar à frente dos concorrentes no mercado. Seja qual for, é muito importante que ela esteja clara antes de seguir com o processo.

Descubra a fonte da questão

Normalmente, pensa-se em BI para a correção de problemas, realmente, trata-se de uma ótima ferramenta nesse sentido, mas não deve ser limitada a isso. Seja qual for a situação, a análise dos dados ajuda a descobrir e compreender a sua origem, por meio do cruzamento de diferentes fontes de informações. Assim, para cada pergunta, deve-se buscar um porquê, sempre com base em dados concretos. 

Preveja o que acontecerá na sequência

A humanidade sempre quis saber o que vai acontecer no futuro, mas entendemos que não há como ter certeza sobre isso. Entretanto, olhando para o que aconteceu no passado, é possível compreender o comportamento das pessoas e processos para, assim, prever quais serão suas reações diante de determinados estímulos. Esse é o ponto fundamental para uma tomada de decisão mais precisa, que gera melhores resultados.

Encontre formas de mudar ou melhorar a situação

Com base nos dados coletados, um bom profissional de Business Intelligence é capaz de gerar diferentes cenários em cada análise, de forma a ter uma visão mais real das consequências de cada decisão. Isso faz com que ele entregue para os gestores um conhecimento mais apurado sobre como mudar ou melhorar uma situação para que a empresa alcance seus objetivos com mais rapidez e precisão.

Qual a relação do Business Intelligence com Big Data?

O conceito de BI e de Big Data ainda confunde muitas pessoas, afinal, ambos atuam com análise de dados em benefícios da empresa. Contudo, trata-se de significados distintos que acabam se complementando, como explicamos logo abaixo.

O que é o Big Data?

O Big Data funciona como um grande repositório de dados, que são organizados para servirem como base para a tomada de decisões de uma empresa. Dessa forma, ele atua como uma importante ferramenta de armazenamento de informações estratégicas para o negócio.

Qual é a diferença entre BI e Big Data?

Enquanto o Big Data tem um foco voltado para o armazenamento e organização dos dados, o BI lida com o processo de ponta a ponta da geração de conhecimento para o negócio. Assim, ele se preocupa desde a coleta dos dados até a sua manipulação para a predição de cenários, sendo uma ferramenta de cunho estratégico para a empresa.

Diante disso, fica evidente que os dois conceitos se complementam. O Big Data atua como um importante centralizador das informações que foram obtidas durante o processo de coleta do BI, mantendo-as organizadas e disponíveis para serem utilizadas. 

Ainda, outros processos do BI também acionam o Big Data, por exemplo, ao buscar os dados para análises e retornar com informações tratadas para disponibilizá-las no Big Data.

RH 4.0

Como o BI contribui com a gestão de riscos e análise preditiva?

Tomar decisões em momentos de crise requer um embasamento muito mais confiável, pois os riscos acabam sendo maiores. Assim, um erro pode gerar muito mais estragos do que causaria em uma situação normal. 

Dessa forma, com a ajuda do BI, fica mais fácil fazer análises preditivas mais precisas, diminuindo a margem de erro e, até mesmo, proporcionando oportunidades de crescimento e evolução para o negócio.

Como vimos, o Business Intelligence é um conjunto de práticas que proporcionam mais segurança e confiabilidade na tomada de decisões de uma empresa. Apesar de contar com uma estrutura simples de funcionamento, essa ferramenta tem um processo mais complexo de implementação e requer profissionais devidamente capacitados. Ainda assim, é uma iniciativa que vale muito a pena, pois as vantagens obtidas podem mudar completamente a história da organização.

Se você gostou do artigo e quer se aprofundar um pouco mais sobre ferramentas e metodologias de gestão para a sua empresa, podemos ajudar. Confira o e-book Gestão de crise: como otimizar as decisões com análise comportamental.

5 2 votes
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments